Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Para o Topo.EPara o Topo

Arquivos formação - IberCultura Viva

08

out
2021

Em EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

Prazo de inscrição do seminário “Memórias Vivas: Arquivos e museus comunitários” é ampliado

Em 08, out 2021 | Em EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

Foi prorrogado até 15 de outubro o prazo de inscrições do Seminário Intensivo “Memórias Vivas: Arquivos e museus comunitários”, que será realizado em formato virtual de 30 de outubro a 4 de dezembro de 2021. O programa IberCultura Viva, que organizou este seminário em conjunto com a área de Mobilização do Conhecimento do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso), concederá 100 bolsas para representantes de organizações culturais comunitárias de todos os países ibero-americanos (*).

O curso tem como objetivo fornecer ferramentas para a constituição de arquivos e projetos museais comunitários, contribuindo para a partilha de conhecimentos e saberes, práticas e experiências, pesquisas e reflexões. 

Os encontros virtuais serão aos sábados e terão duração de três horas. Serão seis aulas no total: duas aulas teóricas e quatro de apresentação e transferência de experiências e tecnologias sociais desenvolvidas nos últimos 20 anos. Os fundamentos teóricos estarão ancorados principalmente em autores latino-americanos, e uma extensa documentação será compartilhada, incluindo material audiovisual, fotografias, textos, bibliografias e links. Estão previstas apresentações de experiências do Brasil, México, Colômbia, Chile, Paraguai e Espanha.

.

Quem coordena

A coordenação pedagógica está a cargo de Mário Chagas (Brasil), profissional com larga experiência no campo da museologia e da museografia, com ênfase na museologia social, nos museus sociais e comunitários, na educação museal e nas práticas sociais de memória, política cultural e patrimônio.

Poeta, museólogo, mestre em Memória Social e doutor em Ciências Sociais, Mario de Souza Chagas ́foi um dos responsáveis pela Política Nacional de Museus e um dos criadores do Sistema Brasileiro de Museus (SBM), do Cadastro Nacional de Museus (CNM), do Programa Pontos de Memória, do Programa Nacional de Educação Museal (PNEM) e do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM). Foi também fundador da Revista Brasileira de Museus e Museologia (MUSAS) e criador do Programa Editorial do IBRAM. Atualmente é diretor do Museu da República no Rio de Janeiro.

.

Quem pode participar

A convocatória é dirigida a representantes de organizações culturais comunitárias (OCC) dos 22 países ibero-americanos. Das 100 bolsas disponíveis, ⅔ (66) serão destinadas a pessoas dos 11 países membros do IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, México, Peru e Uruguai. As demais 34, correspondentes a ⅓ do total, serão distribuídas entre candidatos/as dos outros 11 países da Conferência Ibero-americana: Andorra, Bolívia, Cuba, República Dominicana, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Portugal e Venezuela.

Podem participar representantes de OCCs e representantes de povos originários, indígenas e afrodescendentes. No caso do Brasil, podem participar apenas representantes de OCCs certificadas como Pontos de Cultura e com cadastro atualizado na plataforma Rede Cultura Viva. No caso do Equador, é preciso estar inscrito no Cadastro Único de Artistas e Gestores Culturais (RUAC). No caso do México, só podem participar representantes de OCCs inscritas no Registro Nacional de Espaços, Práticas e Agentes Culturais (TELAR). 

A seleção buscará contemplar a diversidade temática e a localização territorial entre as OCCs participantes de cada país. Pelo menos 50% das pessoas selecionadas devem ser mulheres. A intenção é que pelo menos 30% das vagas sejam destinadas a representantes de povos indígenas e afrodescendentes. 

.

Confira o regulamento: https://bit.ly/3m8TbMv 

Onde se inscrever: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/188/

Consultas: programa@iberculturaviva.org

.

Como se cadastrar na plataforma Mapa IberCultura Viva

.

1. Como iniciar a inscrição?

Para se inscrever em um edital do programa, é necessário primeiro se cadastrar como agente cultural no Mapa IberCultura Viva. Esta plataforma permite o registro de dois tipos de agentes: individuais e coletivos. Por agentes individuais entendemos indivíduos, e por agentes coletivos, organizações culturais comunitárias, entidades, povos indígenas, coletivos, grupos e instituições. Neste concurso, é obrigatório o registro do perfil de agente individual (a pessoa física que será responsável pela inscrição). 

Atenção: O sistema só aceita registros de agentes individuais para os editais e concursos. Caso o perfil do candidato esteja registrado como “agente coletivo”, é necessário alterá-lo para “individual” para que o seu nome seja encontrado no campo de busca da página inicial do concurso.

(Aqui está um guia que pode ajudar no registro na plataforma: http://iberculturaviva.org/manual/?lang=es)

.

2. Se o candidato participou de outro edital do IberCultura Viva por meio desta plataforma, ele deve se registrar novamente como agente?

Não. Pessoas que já participaram de algum edital do programa publicado no Mapa IberCultura Viva ou já preencheram o perfil nesta plataforma não precisam se cadastrar novamente como agentes; só precisam inserir o nome no campo de busca para iniciar a inscrição.

O campo “Registrar” na página inicial do Mapa IberCultura Viva é usado apenas pela primeira vez. Nas seguintes vezes é necessário ir em “Ingresar” para acessar o seu perfil. (Será necessário clicar em “Editar” para acessar / alterar os dados cadastrais.)

Atenção: lembre-se que existem duas etapas para se inscrever na convocatória: 1) preencher o registro de agente individual no Mapa IberCultura Viva (se você já participou de outros editais do programa, deve usar o mesmo registro); 2) preencher o formulário de inscrição do seminário.

.

3. Uma vez concluído o cadastro como agente, onde encontro o formulário de inscrição do edital?

Quando você tiver um perfil de agente cadastrado, clique em “Editais” (no alto da tela) e procure o arquivo que aparece com o título “Seminario Intensivo “Memorias Vivas. Archivos y Museos Comunitarios” CLACSO-IberCultura Viva 2021”.  

Para iniciar a inscrição, clique no campo de busca, localize o nome da pessoa responsável (seu perfil de agente previamente registrado) e selecione “Realizar inscrição“. O formulário aparecerá em seguida, primeiro em espanhol e depois em português. 

O sistema gera um “número de inscrição”, que deve ser fornecido sempre que você entrar em contato com o programa IberCultura Viva para obter qualquer informação sobre sua proposta.

Atenção: A qualquer momento é possível salvar os dados cadastrais utilizando o botão “Salvar” na margem superior direita. Depois de fazer isso, você pode sair da plataforma e continuar em outro momento, antes do final do período de inscrição. 

.

4. Como saber se a candidatura foi realmente enviada?

A candidatura só será enviada após o preenchimento de todos os campos obrigatórios do registo do agente e da ficha de inscrição do edital, incluindo os anexos.

Caso o cadastro do agente na plataforma não tenha sido totalmente preenchido, não será possível enviar  inscrição. O sistema apresentará um alerta (um “!” vermelho no qual se deve clicar para saber onde está o problema). 

Se o erro estiver no registro do agente, será necessário acessar “Meu perfil” (clicando no nome ou na foto do perfil) e editar o cadastro, preenchendo todos os campos do formulário. Atenção: é necessário preencher todos os campos marcados com o símbolo “*” e selecionar pelo menos uma área de atuação, no canto superior esquerdo da página.

Verifique as informações antes de clicar em “Enviar inscrição”. Após o envio não será possível editá-la. A plataforma exibirá uma confirmação: o dia e a hora do envio da inscrição aparecerão na tela destacados em verde.

.

(*) Os países ibero-americanos são: Andorra, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala , Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai, Venezuela.

.

(Foto: Bernardo Guerreiro. Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. São Jorge-GO, 2015)

Tags | , , ,

04

set
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Lucía Ixchíu dará a segunda aula aberta do Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária

Em 04, set 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

“Encontro com Lucía Ixchíu: Gestão cultural dissidente, decolonial, comunitária e feminista” será a segunda aula sincrônica da edição 2021 do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária ministrado por FLACSO Argentina. A conversa será no dia 15 de setembro, às 12h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pelo canal de YouTube de IberCultura Viva

Nascida em Totonicapán (Guatemala) en 1990, Lucia Ixchíu é uma mulher K´iche, feminista comunitária, arquiteta, designer gráfica, ativista de direitos humanos, artista, gestora cultural e jornalista comunitária. Tornou-se ativista e jornalista pelo massacre de 4 de outubro de 2012, na cumbre de Alaska, contra o povo indígena de Totonicapán. Atuante no movimento estudantil de 2012 a 2017, representante e líder estudantil do Conselho Superior Universitário da Universidade de San Carlos de Guatemala, foi a primeira mulher indígena a ocupar este cargo em sua faculdade, entre 2014 e 2016. 

Além de cofundadora de Festivales Solidarios, espaço de arte e comunicação para a defesa do território, prisão política e memória histórica, foi cofundadora do espaço feminista interseccional Mujeres en Movimienta, cofundadora da rede latino-americana de gestoras culturais e artistas Conectadas, e parte da equipe organizadora do encontro feminista ELLA.

Também tem atuado como correspondente do noticiário indígena Maya K’at, da Federação Guatemalteca de Escolas Radiofônicas, correspondente radialista de  Latinoamérica Rompe el Cerco (semanário de notícias de povos originários), e colunista de opinião em meios nacionais e latino-americanos. Na arquitetura, trabalha com a implantação de hortas urbanas, pesquisa o retomar do conhecimento do trabalho ancestral de construção com a terra.

.

Aulas abertas

Estas aulas abertas transmitidas por YouTube são uma das novidades do Curso de Pós-graduação Internacional de Políticas Culturais de Base Comunitária em 2021. A primeira aula, realizada em 27 de maio, foi “Cultura: as espécies culturais digitais e de território”, a cargo do professor Omar Rincón (Colômbia). Os alunos e alunas do curso participaram do encontro e puderam fazer perguntas durante a videoconferência. Uma terceira classe está prevista para este semestre.

Este curso de pós-graduação ministrado pela FLACSO-Argentina surgiu de uma pesquisa realizada pelo IberCultura Viva em 2017, que mostrou que não havia espaços acadêmicos trabalhando com políticas culturais de base comunitária como tema específico. Desde a primeira turma, em 2018, o programa abre em dezembro um edital de bolsas para pessoas dos países integrantes do IberCultura Viva. Em quatro anos, somando as pessoas selecionadas nos editais para as edições de 2018 a 2021, foram concedidas 375 bolsas para o curso. 

Atualmente em sua quarta turma, o curso se realiza de maneira virtual durante nove meses, de abril a dezembro. Os conteúdos estão distribuídos em seis módulos e 24  aulas em que se trabalham noções teóricas sobre processos culturais contemporâneos, propondo um marco teórico amplo sobre as distintas teorias da cultura e os debates atuais em torno dela, com enfoque principal no contexto ibero-americano. A proposta acadêmica coordenada por Belén Igarzábal e Franco Rizzi busca a diversidade de visões, com a participação de professores de vários países ibero-americanos. 

O colombiano Omar Rincón, que deu a primeira aula aberta de 2021, é um dos professores do curso desde a primeira turma. Ensaísta, jornalista, crítico de televisão e autor audiovisual, Rincón é pesquisador e professor de Comunicação e Jornalismo da Universidade dos Andes, diretor do Centro de Estudos em Jornalismo da mesma universidade e diretor do Centro de Competência em Comunicação da América Latina da Fundação Ebert. 

.

Assista ao encontro com Omar Rincón em nosso canal no YouTube:

.

⇒Onde assistir a aula de Lucía Ixchíu: https://www.youtube.com/c/IberCulturaViva

Tags | , ,

24

ago
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Saberes Comunitários: um seminário permanente para formadores/as culturais

Em 24, ago 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

O Ministério de Cultura da Argentina abriu nesta segunda-feira, 23 de agosto, a convocatória “Saberes comunitários”. Este seminário permanente para formadores/as culturais surge no âmbito do programa Território de Saberes, uma iniciativa da Direção Nacional de Formação Cultural da Secretaria de Gestão Cultural.

O seminário é dirigido a formadores/as de espaços culturais e educacionais da Argentina e da América Latina, com interesse na formação cultural comunitária e que desenvolvam sua atividade em organizações, coletivos e instituições culturais comunitárias. 

Serão seis aulas quinzenais, realizadas às segundas-feiras, entre 6 de setembro e 15 de novembro de 2021, e distribuídas em três módulos temáticos. O módulo 1 abordará o tema “Problemáticas comunitárias e comunicação popular”; o módulo 2, “Soberania alimentar e educação ambiental”, e o módulo 3, “Ferramentas lúdicas e artísticas nas práticas comunitárias”.

As aulas serão ministradas por representantes de organizações comunitárias que participaram dos ciclos de intercâmbio do Território de Saberes durante 2020 e parte de 2021. Além de promover e dar visibilidade ao potencial articulador, federal e criativo das organizações participantes do Território de Saberes, o seminário visa dar origem a experiências e ferramentas de formação que possibilitem a construção coletiva do conhecimento e a difusão dos saberes que as comunidades desenvolveram ao longo do tempo nos seus territórios.

Para participar do “Saberes comunitários”, é necessário se cadastrar previamente em cada uma das aulas que deseja cursar através da plataforma Formar Cultura. É recomendado, mas não exclusivo, frequentar todo o ciclo. As inscrições permanecem abertas até o final do seminário. As inscrições para cada aula serão encerradas três dias antes de seu início. 

.

Consultas: territoriodesaberes@cultura.gob.ar

.

Fonte: Ministerio de Cultura de la Nación 

Tags | ,

02

maio
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Começa a quarta turma do Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais Comunitárias 

Em 02, maio 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

Se há algo que chama a atenção no Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária, que a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina) desenvolve com IberCultura Viva desde 2018, é a riqueza do intercâmbio que se gera entre todos e todas que participam deste espaço. Na sessão virtual que ocorreu na segunda-feira, 26 de abril, para dar as boas-vindas às mais de 130 pessoas inscritas na quarta turma do curso, tanto a equipe da FLACSO quanto o representante do IberCultura Viva destacaram o valor desses encontros e dessa diversidade de miradas.

“Tem gente que trabalha nas políticas públicas, tanto nacionais como regionais, estaduais e municipais, tem gente de organizações da sociedade civil, tem gente de centros culturais independentes, tem professores de toda a região. A ponte que se gera nos fóruns de intercâmbio, e também como as redes vão se tecendo, é algo muito valioso neste curso. Apelamos a vocês que aproveitem isso desde o primeiro momento ”, afirmou Belén Igarzabal, coordenadora acadêmica da pós-graduação (junto com Franco Rizzi) e diretora de Comunicação e Cultura da FLACSO-Argentina.

Nesta edição de 2021, o programa IberCultura Viva concedeu 88 bolsas a pessoas dos 11 países membros (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, México, Peru e Uruguai). Outras 16 pessoas (8 do Brasil, 8 do Chile) receberam bolsas extras porque os representantes do Chile e do Brasil no Conselho Intergovernamental decidiram ampliar suas cotas utilizando os recursos disponíveis no Fundo Multilateral IberCultura Viva para apoiar a formação de organizações culturais comunitárias. Foi a terceira vez que os dois países ampliaram o número de bolsas para candidatos de seus respectivos países, levando em consideração a quantidade e a qualidade dos candidatos. Este ano, 502 pessoas enviaram inscrições para o Edital de Bolsas IberCultura Viva.

“Estamos muito felizes com o resultado. A cada ano mais pessoas se candidatam a bolsas e cada vez mais temos alunos/as matriculados no curso, o que mostra que há uma demanda constante por formação, e ainda há um longo caminho a percorrer a partir desse espaço. Embora existam realidades muito diferentes, da Espanha, do México ao sul da Argentina, há muitos problemas em comum e há muito o que aprender com todos e todas”, disse Franco Rizzi. “(…) O que mais gostamos é que aproveitem para tecer redes, se conhecerem, se encontrarem, porque muito do que ganhamos nesses lugares é conhecer outras realidades e poder contatá-las também.”

Início do curso

O encontro desta segunda-feira, que contou com a presença de 92 pessoas, começou com uma contextualização pelo coordenador acadêmico, lembrando que o curso surgiu de uma pesquisa que começou a ser realizada no IberCultura Viva em 2017. “Vimos que havia espaços de formação em gestão cultural em todos os países, que havia espaços de formação cultural de base comunitária, sobretudo vinculada às políticas públicas de governos, mas não havia espaços acadêmicos que trabalhassem com políticas culturais de base comunitária como temática específica. Com isso, pareceu-nos importante proporcionar um espaço de reflexão, formação e geração de conhecimento acadêmico, também para poder crescer nesse sentido, não só na prática, mas também colocar a teoria e vincular a teoria à prática”, comentou Franco Rizzi. 

Após apresentar a equipe da FLACSO que acompanhará os alunos até dezembro (a coordenadora Belén Igarzabal, as orientadoras Celia Coido e Cecilia Salguero, e a encarregada da assistência técnica, Malena Taboada), o coordenador acadêmico cedeu a palavra a Diego Benhabib, coordenador de Pontos de Cultura da Argentina, representante do país no IberCultura Viva e também professor deste curso de pós-graduação. Em nome do IberCultura Viva, Benhabib deu as boas-vindas aos novos alunos e alunas e destacou que neste ano o curso atingiu um total de 375 bolsistas do programa. “Este é um espaço muito importante de formação, de geração não só de conteúdo, mas também de reflexão e massa crítica sobre o papel que as políticas culturais de base comunitária têm hoje em nossos países”, afirmou.

Para Benhabib, o currículo desta pós-graduação mostra uma história comum e um consenso sobre a importância da cultura comunitária nos países ibero-americanos, visto que tem esse eixo no território, na identidade e no trabalho coletivo. “Isso quando se articula com os Estados e com os governos locais torna-se muito mais poderoso. Este vínculo é necessário, e creio que haja um eixo muito particular para gerar espaços de formação no sentido de, por um lado, valorizar as políticas culturais de base comunitária que se sustentam em nossos países, e por outro, reconhecer o enorme esforço e trabalho coletivo que vem fazendo todo um movimento de diferentes redes de cultura comunitária da região”, destacou o representante do Ministério da Cultura da Argentina. “É por isso que este curso costuma ser frequentado tanto por gestores culturais públicos como por representantes de organizações culturais comunitárias. Há uma riqueza muito valiosa aí.”

Proposta acadêmica

Ao comentar a proposta acadêmica, Belén Igarzabal explicou aos/às participantes que os conteúdos vistos ao longo do curso vão aprofundar a cultura viva, a cultura comunitária, as políticas públicas, a gestão do território, “como se dá essa cultura que é mutante, que é diversa e que na nossa região é tão efervescente”. Ao longo dos cinco módulos, serão desagregados diversos temas, sempre com um olhar na região ibero-americana e também numa perspectiva histórica.

Serão discutidos, por exemplo, os processos culturais contemporâneos, quais são os debates atuais, as diferentes concepções que se deram de cultura ao longo dos anos. Haverá também um módulo sobre políticas culturais onde vão conceituar o que tem a ver com direitos culturais, com cidadania, com o comunitário, como é gerada uma política cultural. 

É especialmente aí, quando são discutidas políticas de cultura e território, que o grupo docente também conta com a participação do grupo discente, já que muitos dos alunos/as trabalham na gestão de políticas públicas. “Cada região, cada país, cada município, tem suas peculiaridades. Apelamos a todo o tempo a esta troca, para que contem as suas experiências, para que contribuam desde o seu território específico, a partir da sua expertise – pragmática, prática – e também das suas próprias leituras e dos seus percursos ”, comentou Belén.

No módulo 4, em que se contextualiza mais especificamente a cultura comunitária, quais são os incidentes dentro do que são políticas culturais de base comunitária, pretende-se mostrar como foram se transformando ao longo do tempo, quais são as políticas existentes nos países ibero-americanos e os diferentes tipos de ferramentas que são utilizadas nessas políticas e que podem ser transferidas para diferentes lugares. Este módulo também fala sobre redes e cultura colaborativa, focando em como a cultura viva comunitária precisa de redes.

O quinto e último módulo destina-se ao desenho e acompanhamento da avaliação de políticas públicas. Durante este módulo, os alunos irão produzir o seu trabalho final, que consiste na concepção, conceituação e planejamento de um projeto cultural comunitário ou de uma política pública cultural de base comunitária. O prazo para apresentação deste trabalho é dia 20 de novembro. 

As datas, as ferramentas disponibilizadas e a organização do curso (aulas publicadas às quintas-feiras, fóruns de intercâmbio disponíveis às sextas-feiras, etc.) foram explicadas pelos coordenadores acadêmicos e pelas tutoras ao longo deste primeiro encontro virtual, que teve uma hora de duração. Duas outras sessões como esta, mais operacionais, serão realizadas quando forem publicadas as instruções para as avaliações parcial e final. Também estão planejadas mais três conferências síncrônicas conceituais, que serão transmitidas pelo YouTube. As datas dessas aulas ao vivo (que serão como entrevistas com professores convidados) ainda serão definidas e posteriormente divulgadas nas redes sociais do IberCultura Viva.

Tags | ,

15

abr
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Chile e Brasil concedem mais bolsas para o Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária 2021

Em 15, abr 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

O Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio do Chile e a Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo do Brasil ampliaram sua quantidade de bolsas para a edição de 2021 do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária ministrado por FLACSO-Argentina. Os dois países terão oito bolsas a mais nessa quarta turma do curso virtual, que começa no próximo 22 de abril. 

Esta é a terceira vez que os representantes governamentais do Chile e do Brasil decidem ampliar o número de bolsas para pessoas candidatas de seus países usando os recursos de que dispunham no Fundo Multilateral IberCultura Viva para o apoio à formação de organizações culturais comunitárias. As vagas extras foram concedidas especialmente a pessoas que atuam nas organizações da sociedade civil. 

A avaliação realizada no Edital de Bolsas 2021, que distribuiu 88 bolsas para os 11 países participantes, serviu também para a seleção dessas pessoas que receberão as bolsas extras do Brasil e do Chile. A lista final do edital, publicada em 26 de março, trouxe as oito candidaturas mais bem pontuadas de cada país membro, tanto de gestores públicos como de representantes de organizações culturais comunitárias. Para estas bolsas extras do Chile e do Brasil foram escolhidas as oito candidaturas seguintes de pessoas que trabalham em comunidades e que obtiveram maior pontuação no processo de seleção. 

O Edital de Bolsas 2021 teve inscrições abertas no Mapa IberCultura Viva de 22 de dezembro de 2020 a 1º de fevereiro de 2021. Do total de 502 postulações recebidas, 73 eram do Brasil e 45 do Chile.

Confira a lista de pessoas selecionadas para receber as bolsas extras de Brasil e Chile:

BRASIL

Nome/inscrição

  • Poliana Helena (on-1787912083)
  • Carlos Cruz (on-919212836)
  • Ana Letícia Nascimento de Coimbra (on-517701431)
  • Aline Alencar Francisco (on-1230643952)
  • Ingreth da Silva Adriano (on-863387680)
  • Maria Rita Melo Barcelos (on-1955879781)
  • Luisa Vasconcelos Hardman (on-1322343817)
  • Luiz Fernando Pinto (on-450197899)

CHILE

Nome/inscrição

  • Lisette Delgado (on-179722449)
  • Daniela Berrios Bozzo (on-1771851500)
  • Pamela Andrea González Millacura (on-1552290647)
  • Francisca de los Ángeles Jara Pérez (on-1704606240)
  • Loreto Aravena Suazo (on-916726382)
  • Bárbara Villarroel (on-286292102)
  • Sebastián Moscoso G. (on-415387394)
  • Benjamin Cataldo (on-1593396226)

Leia também:

Edital de bolsas 2021: conheça as 88 pessoas selecionadas para a quarta turma do curso da FLACSO

Tags | , ,

26

mar
2021

Em Destaque
EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

Edital de bolsas 2021: conheça as 88 pessoas selecionadas para a quarta turma do curso da FLACSO

Em 26, mar 2021 | Em Destaque, EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

O programa IberCultura Viva publicou nesta sexta-feira, 26 de março, a lista de pessoas que receberão bolsas para participar da quarta turma do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária, que será realizado no campus virtual da FLACSO-Argentina de abril a dezembro de 2021. As 88 bolsas concedidas pelo programa foram repartidas entre os 11 países membros do Conselho Intergovernamental IberCultura Viva. 

O edital teve inscrições abertas de 22 de dezembro de 2020 a 1º de fevereiro de 2021. Do total de 502 postulações recebidas, foram habilitadas 486. As candidaturas que obtiveram as maiores pontuações em cada país, conforme os critérios estabelecidos no regulamento, foram selecionadas para receber as bolsas. A classificação final também considerou que ao menos 50% das pessoas escolhidas deveriam ser mulheres. Pessoas pertencentes a povos indígenas ou afrodescendentes receberam um ponto extra na avaliação. 

O número de vagas que estava previsto inicialmente era de oito por país; como Uruguai não apresentou esta quantidade de candidaturas habilitadas, as três vagas restantes foram distribuídas entre os países com maior número de inscritos: Colômbia, Peru e Brasil. 

As 88 pessoas selecionadas neste edital receberão um correio eletrônico com os passos a seguir para efetivar a bolsa e completar a inscrição no curso de pós-graduação. Essas pessoas ganharão uma bolsa integral e não terão que pagar nada pelo curso, desde que cumpram com as avaliações parciais e apresentem o trabalho final. Aquelas que não tenham sido selecionadas no edital e ainda quiserem se inscrever no curso, poderão fazê-lo pagando a matrícula diretamente para a FLACSO Argentina.

O curso

O Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária será ministrado de maneira virtual durante nove meses, de abril a dezembro, na plataforma da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina). As aulas são ministradas em espanhol, exceto as que estão a cargo de professores brasileiros, que são dadas em português e têm tradução para o espanhol.

Os conteúdos do curso de pós-graduação estão distribuídos em seis módulos e 24 aulas. As aulas são publicadas uma vez por semana – com uma semana de recesso no final de cada módulo – e se abre um fórum para cada aula publicada, gerando um espaço de debate e intercâmbio de ideias e experiências em torno dos temas tratados.  

Para cumprir com os objetivos do curso, deve-se realizar um trabalho parcial escrito sobre os três primeiros módulos e um trabalho final integrador, que consiste em desenhar e planejar um projeto cultural comunitário ou uma política cultural pública de base comunitária. Os trabalhos podem ser entregues na língua nativa (espanhol ou português).

Saiba mais sobre o curso

Confira a lista de pessoas selecionadas no edital:

Informação às pessoas interessadas III: Etapa de avaliação – Edital de Bolsas para o Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária – Resultado

Leia também:

Edital de Bolsas 2021: 486 postulações foram habilitadas; prazo de recursos terminou no dia 17 de fevereiro

IberCultura Viva concederá 88 bolsas para o Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária

Tags | , ,

15

dez
2017

Em EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

Convocatória aberta para o Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária

Em 15, dez 2017 | Em EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

Estão abertas a partir desta sexta-feira (15/12) as inscrições para a Convocatória de Bolsas do Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária FLACSO-IberCultura Viva 2018. Cinquenta bolsas serão concedidas a agentes de políticas culturais, sejam eles trabalhadores dos distintos níveis do poder público ou das organizações culturais de base comunitária dos países membros do programa IberCultura Viva.

O curso será ministrado a distância, através do Campus Virtual da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO), sede Argentina, durante nove meses, de março a dezembro de 2018. Os interessados terão até o dia 15 de fevereiro de 2018 para apresentar as postulações.

Para participar, os candidatos deverão contar com disponibilidade de 10 horas semanais para acompanhar o curso e comprometer-se a realizar as avaliações parciais e o trabalho final. As inscrições poderão ser apresentadas nas línguas portuguesa ou espanhola.

As aulas serão em espanhol, exceto aquelas a cargo de professores brasileiros, que serão dadas em português e terão tradução para o espanhol. Os trabalhos poderão ser entregues no idioma nativo (espanhol ou português).

Docentes

Com o objetivo de fortalecer a formação e a pesquisa das políticas de cultura de base comunitária e o conceito de “cultura viva” como política pública, a proposta acadêmica busca a diversidade de olhares, com a participação de professores de vários países ibero-americanos.

Entre eles estarão George Yúdice (EUA), Fresia Camacho (Costa Rica), Carmen Lía Meoño Soto (Costa Rica), Giancarlo Priotti (Costa Rica), Fernando Vicario (Espanha), Alberto Quevedo (Argentina), Belén Igarzábal (Argentina), Emiliano Fuentes Firmani (Argentina), Diego Benhabib (Argentina), Célio Turino (Brasil), Alexandre Santini (Brasil), Rodrigo Savazoni (Brasil), Guillermo Valdizán Guerrero (Peru), Víctor Vich (Peru), Paloma Carpio (Peru), Doryan Bedoya (Guatemala), Bernardo Guerrero Jiménez (Chile), Omar Rincón (Colômbia), Ana María Restrepo (Colômbia), César Pineda (El Salvador) e Rafael Paredes (México).

 

Seleção

O edital está destinado aos países membros do IberCultura Viva com participação plena no Conselho Intergovernamental, segundo o regulamento do programa: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Peru e Uruguai. As 50 bolsas serão repartidas equitativamente entre os países participantes.

A seleção dos candidatos levará em conta critérios como a experiência em gestão cultural, em ações culturais comunitárias e no desenho e execução de políticas públicas culturais, além da formação universitária em gestão cultural, ciências sociais, humanas ou econômicas. Aqueles que pertençam a povos originários e/ou afrodescendentes terão um ponto extra na avaliação. Ao menos 50% das pessoas selecionadas deverão ser mulheres. Os resultados finais serão divulgados até 6 de março de 2018.

 

Confira o edital: Bolsas Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária

O formulário está disponível aqui

Baixe a declaração de compromisso

 

Saiba mais: https://bit.ly/2AAJRfr

 

Consultas: franco@iberculturaviva.org.

Tags | , , , ,