Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Para o Topo.

Arquivos FLACSO - IberCultura Viva

24

maio
2024

Em Notícias

Por IberCultura

“Cultura e decolonialidade” será o tema da primeira aula aberta do Curso de Pós-graduação em Políticas Culturales de Base Comunitária 2024

Em 24, maio 2024 | Em Notícias | Por IberCultura

A primeira aula aberta da edição 2024 do Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária FLACSO-IberCultura Viva será “Cultura e Decolonialidade”, a cargo da colombiana Andrea Neira. Este encontro virtual, que se realizará na próxima quinta-feira, 30 de maio, às 12h (horário de Brasília e Buenos Aires), será transmitido ao vivo no canal do IberCultura Viva no YouTube.

Doutoranda em antropologia na Universidad del Cauca, mestre em Estudos Feministas e de Gênero e assistente social, Andrea Neira foi professora em várias universidades públicas e privadas na Colômbia e coordenadora do Grupo de Trabalho de CLACSO “Epistemologías decoloniales, territorios y cultura”. Atualmente, é pesquisadora do Grupo Interdisciplinario de Estudios de Género (GIEG), da Universidad Nacional de Colombia, onde também é professora convidada para o Mestrado de Estudos Feministas e de Gênero. Faz parte do Coletivo de trabalho “Masculinidades na América Latina. Fricções, fugas e fissuras”. 

Seus temas de pesquisa, atravessados especialmente pelos feminismos negros e pós-coloniais, son: Masculinidades, militarização, conflito armado e processos de reincorporação; Economias alternativas e feministas; Subjetividades juvenis, hip hop e paz; Pós-desenvolvimento e alternativas al desenvolvimento. Em 2019, ela recebeu o Prêmio Jorge Bernal para a Investigação Social.

.

Encontros anteriores

As aulas transmitidas pelo YouTube foram uma novidade da edição 2021 do Curso Internacional de Pós-Graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária. A primeira palestra, realizada em 27 de maio de 2021, foi “Cultura: espécies culturais digitais e territoriais“, do professor Omar Rincón (Colômbia). A segunda foi “Gestão cultural dissidente, decolonial, comunitária e feminista“, dada pela guatemalteca Lucía Ixchíu. A argentina Laura Taube ministrou a terceira e última aula aberta do ano de 2021, “Desenvolvimento de públicos para o setor cultural”.

Em 2022 foram realizadas duas aulas abertas: Cultura e Decolonialidade”, com Andrea Neira, e “Como construir tramas poéticas com territórios”, com Paula Mascias. Em 2022, Andrea Neira retornou à sexta turma do curso com Cultura e Decolonialidade, e agora está de volta para mais uma aula. A próxima aula aberta de 2024 será a de Ana Clara Higuera, prevista para 15 de agosto, com o tema “Desenho de política pública cultural/ comunitária”.

Esses encontros virtuais (pelo Zoom) contam com a participação das alunos e alunos matriculados no curso (que podem tirar dúvidas durante a videoconferência) e estão disponíveis no canal do IberCultura Viva no YouTube para quem quiser assistir depois.

.

Quando:

Quinta-feira, 30 de maio

9:00 (CRI-MEX-SLV), 10:00 (COL-ECU-PER), 11:00 (CHL-DOM-PRY), 12:00 (ARG-BRA-URY), 17:00 ( ESP)

Onde assistir: https://www.youtube.com/@IberCulturaViva/streams

Tags | ,

18

abr
2024

Em Destaque
Notícias

Por IberCultura

Começa a edição 2024 do Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária

Em 18, abr 2024 | Em Destaque, Notícias | Por IberCultura

Começou nesta quinta-feira (18/04) a sétima turma do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária, que a Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina) realiza em conjunto com o programa IberCultura Viva. Oitenta pessoas participaram da sessão inaugural, iniciada ao meio-dia (de Brasília) por videoconferência. 

Além da equipe encarregada deste curso virtual da Área Comunicação e Cultura de FLACSO-Argentina, estavam presentes alunas e alunos matriculados nesta edição, a Unidade Técnica do IberCultura Viva e representantes da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura do Brasil (SCDC), que assumiu a presidência deste programa de cooperação em março deste ano. A vice-presidência, a cargo do Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio do Chile, também esteve representada neste encontro.

Márcia Rollemberg, Secretária de Cidadania e Diversidade Cultural do MinC e presidenta do IberCultura Viva, enviou um vídeo com uma saudação e um convite às pessoas participantes desta sétima turma e às mais de 600 que já concluíram este curso, lançado em 2018: “Neste momento em que o IberCultura Viva completa 10 anos, seria um grande presente que alunas e alunos egressos pudessem formar uma rede. Uma rede de profissionais com trabalhos de referência com relação às políticas culturais de base comunitária”. 

A ideia é poder lançar esta rede em novembro, mês da reunião presencial do Conselho Intergovernamental do IberCultura Viva, quando se pretende fazer um seminário para compartilhar e consolidar esta iniciativa. “Conto com vocês. Que tenham um bom curso e que a gente possa estar juntos, cada vez mais, por uma região ibero-americana unida, onde todos tenham acesso ao fomento e ao exercício dos direitos culturais”, afirmou a presidenta.

.

João Pontes, diretor da Política Nacional de Cultura Viva do MinC, e um dos alunos desta edição de 2024, também participou da sessão inaugural, aproveitando para saudar a equipe da FLACSO-Argentina e a Unidade Técnica do IberCultura Viva. ‘Para o Brasil, é muito importante este processo de construção coletiva de conhecimento, de compartilhamento de saberes. Saberes que são ancestrais, que fazem parte da nossa base comunitária, e que de alguma forma se apresentam como contracolonização, como resistência dos povos, das nossas ancestralidades, das nossas culturas populares e tradicionais, que fazem parte da Cultura Viva na América Latina”, destacou.

Leandro Anton, coordenador de Articulação da Cultura Viva na SCDC, também matriculado no curso este ano, ressaltou a importância da iniciativa mencionada por Márcia Rollemberg, no sentido de formar uma rede de pesquisadoras/es que fazem trabalhos referentes à política de Cultura Viva e aos programas de Pontos de Cultura que vêm sendo implementados em outros países. “Neste momento em que começamos a celebrar os 10 anos do IberCultura Viva e os 20 anos de Cultura Viva no Brasil, é fundamental essa produção de conhecimento a partir da pesquisa sobre essas políticas públicas de base comunitária, para poder refletir e ter contribuições para os processos que estão tendo uma retomada, como aqui no Brasil. São subsídios muito significativos para este ciclo”, ressaltou.

.

Bolsas do programa

Para esta edição de 2024, o programa IberCultura Viva distribuiu 104 bolsas para pessoas dos 12 países membros (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, México, Paraguai, Peru e Uruguai) e da República Dominicana, país convidado a participar este ano. O Edital de Bolsas 2024 ficou aberto de 20 de dezembro de 2023 a 15 de fevereiro de 2024, período em que recebeu 625 inscrições. Este foi o maior número de candidaturas já apresentadas a esta convocatória.

“É uma alegria começar esta edição do curso, uma edição muito particular porque este ano tivemos recorde de apresentações para as bolsas, de inscrições e consultas, o que mostra que há uma demanda real de formação necessária em políticas culturais de base comunitária”, comemorou Franco Rizzi, coordenador acadêmico do curso de pós-graduação (junto com Belén Igarzábal), na abertura desta sessão inaugural. “Isso nos deixa muito contentes, porque estamos trabalhando há sete anos nisso e segue o desafio de nos atualizar, pensar, discutir e encontrar saídas na cultura comunitária, na cultura em território, nas políticas públicas.”

.

Para Flor Minici, secretária técnica do IberCultura Viva, este ano marca um ponto de inflexão para o que significa esta aliança com FLACSO-Argentina, já que houve recorde de inscritos no Edital de Bolsas 2024. “Desde 2018, o programa concedeu mais de 700 bolsas para este curso, que está totalmente consolidado, ainda que em permanente transformação e atualização, de acordo com os tempos e as problemáticas que vão se manifestando no contexto da região, tal como FLACSO expressa também em sua identidade como instituição: uma instituição muito próxima, dinâmica e ‘porosa’ com respeito aos problemas contemporâneos dos países que trabalham neste âmbito”.

.

Funcionamento do curso

Neste primeiro encontro virtual do curso, além de dar as boas-vindas às pessoas matriculadas nesta edição, os coordenadores acadêmicos Belén Igarzábal e Franco Rizzi, a tutora Cecilia Salguero e a assistente técnica Malena Taboada explicaram como funciona o curso e como vão trabalhar durante o ano com as aulas, fóruns e trabalhos parcial e final. 

Belén Igarzábal explicou que FLACSO é uma rede, um sistema da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais que está em 13 países da América Latina, e que este curso nasceu da associação de IberCultura Viva com a FLACSO-Argentina. “Se chama ‘pós-graduação internacional’ porque todos os professores e professoras vêm de distintos países, de distintas cidades de todo o continente latino-americano. E também os alunos e alunas, porque como vemos aqui estamos flutuando entre o espanhol e o português”, comentou.

Como detalhou a coordenadora acadêmica, a proposta está dividida em cinco módulos (“Processos culturais contemporâneos”, “Políticas culturais”, “Cultura de base comunitária”, “Redes e cultura colaborativa” e “Desenho, monitoramento e avaliação de políticas públicas”) mais um módulo introdutório. Cada módulo conta com quatro ou cinco aulas (à exceção do módulo introdutório, que tem duas aulas), em suporte escrito e/ou audiovisual. As aulas são publicadas semanalmente, às quintas-feiras, e podem ser lidas/assistidas em qualquer horário (dentro daquela semana). 

Em cada módulo abre-se um fórum para que as/os estudantes compartilhem suas dúvidas, experiências, ideias e opiniões. Estes espaços de intercâmbio que se criam ao longo do ano são destacados pela equipe de FLACSO como algo muito valioso deste curso, uma vez que reúnem pessoas com realidades distintas, em diferentes países, e que ali vão tecendo redes. Algumas trabalham em políticas públicas, outras integram organizações culturais comunitárias e centros culturais independentes, e a intenção é que todas possam compartilhar seus conhecimentos e experiências nos territórios. 

“Consideramos que o mais interessante neste curso, além das leituras, dos vídeos e de todo o conteúdo, é o intercâmbio. Assim que promovemos, valorizamos e incentivamos o intercâmbio entre todos e todas nós, sempre a partir do respeito pelas distintas miradas. Hoje esta rede começa a caminhar, começa a se gestar, e ficamos muito contentes por isso, afirmou Belén Igarzábal.

Outros encontros sincrônicos como este deverão ser realizados ao longo do ano, mas assim como esta sessão inaugural, estarão disponíveis no campus virtual da FLACSO-Argentina para quem não puder assistir no momento de sua realização.

Tags | ,

16

abr
2024

Em Notícias

Por IberCultura

Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária terá sessão inaugural esta semana

Em 16, abr 2024 | Em Notícias | Por IberCultura

Nesta quinta-feira, 18 de abril, será realizada a sessão inaugural da sétima turma do Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária, que a Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina) realiza em conjunto com o programa IberCultura Viva. 

Esta sessão servirá para apresentar a equipe encarregada deste curso da Área Comunicação e Cultura de FLACSO-Argentina e dar as boas-vindas às pessoas matriculadas nesta edição. Os coordenadores acadêmicos da pós-graduação, Belén Igarzábal e Franco Rizzi, a tutora Cecilia Salguero e a assistente técnica Malena Taboada explicarão como funciona o curso e como vão trabalhar durante o ano com as aulas, fóruns e trabalhos parcial e final. 

A proposta acadêmica está dividida em cinco módulos (“Processos culturais contemporâneos”, “Políticas culturais”, “Cultura de base comunitária”, “Redes e cultura colaborativa” e “Desenho, monitoramento e avaliação de políticas públicas”)  e um módulo introdutório. Cada módulo conta com quatro ou cinco aulas (à exceção do módulo introdutório, que tem duas aulas), em suporte escrito e/ou audiovisual. As aulas são publicadas semanalmente, às quintas-feiras, e podem ser lidas/assistidas em qualquer horário (dentro daquela semana). 

Em cada módulo abre-se um fórum para que as/os estudantes compartilhem suas dúvidas, experiências, ideias e opiniões. Estes espaços de intercâmbio que se criam ao longo do ano são destacados pela equipe de FLACSO como algo muito valioso deste curso, uma vez que reúnem pessoas com realidades distintas, em diferentes países, e que ali vão tecendo redes. Algumas trabalham em políticas públicas, outras integram organizações culturais comunitárias e centros culturais independentes, e a intenção é que todas possam compartilhar seus conhecimentos, bagagens e experiências nos territórios.

.

Bolsas do programa

Para esta edição de 2024, o programa IberCultura Viva distribuiu 104 bolsas para pessoas dos 12 países membros (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, México, Paraguai, Peru e Uruguai) e da República Dominicana, país convidado a participar desta edição. O Edital de Bolsas 2024 ficou aberto de 20 de dezembro de 2023 a 15 de fevereiro de 2024, período em que recebeu 625 inscrições. Este foi o maior número de candidaturas já apresentadas a esta convocatória.

Desde o lançamento, em 2018, o programa IberCultura Viva concedeu mais de 700 bolsas para este curso. Desse total, 605 pessoas – funcionárias de organismos públicos ou membros de organizações culturais comunitárias – foram selecionadas nos editais realizados para as turmas de 2018 a 2024. As pessoas que receberam estas bolsas foram aquelas que obtiveram as mais altas pontuações entre as candidatas de cada país membro, conforme os critérios estabelecidos no regulamento.

Nestes sete anos também foram concedidas 115 bolsas extras com os recursos de formação que alguns governos tinham à sua disposição no Fundo Multilateral IberCultura Viva, principalmente os do Brasil e do Chile. Estas bolsas extras foram destinadas exclusivamente a representantes de organizações culturais comunitárias, e a seleção seguiu a ordem de classificação das pessoas candidatas nas convocatórias.

Tags | , ,

02

abr
2024

Em Notícias

Por IberCultura

Governo do Chile concederá 12 bolsas extras para o Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária 2024

Em 02, abr 2024 | Em Notícias | Por IberCultura

O Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio do Chile ampliou suas cotas de bolsas para a edição 2024 do Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária, ministrado pela FLACSO-Argentina. O país terá 12 bolsas extras nesta sétima turma do curso virtual, que começa no próximo dia 18 de abril.

Esta é a sexta vez que representantes do governo chileno decidem ampliar o número de bolsas para candidaturas de seu país utilizando os recursos disponíveis no Fundo Multilateral IberCultura Viva para apoiar a formação de organizações culturais comunitárias. As vagas extras são destinadas especialmente a pessoas que atuam em organizações da sociedade civil.

A avaliação realizada no Edital de Bolsas 2024, que concedeu 104 bolsas para pessoas dos 13 países participantes, também serviu para selecionar essas pessoas que receberão as bolsas extras do Chile.

O resultado final da convocatória, publicado nesta segunda-feira, 1º de abril, apresenta as oito candidaturas mais bem pontuadas de cada país membro, tanto de gestores/as que atuam em organismos públicos (em âmbito municipal, estadual, regional ou federal) como de representantes de organizações culturais comunitárias. Para as bolsas extras no Chile, foram escolhidas as 12 candidaturas seguintes, de pessoas que atuam em comunidades, especialmente nos Pontos de Cultura Comunitária, e que obtiveram a maior pontuação no processo seletivo.

O período de inscrições para esta convocatória abriu no dia 20 de dezembro e encerrou no dia 15 de fevereiro, período em que foram enviadas 625 inscrições para o Mapa IberCultura Viva.

.

Confira a lista de pessoas selecionadas para receber bolsas com recursos extras:

Tags | , ,

01

abr
2024

Em Destaque
EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

104 pessoas foram selecionadas para receber as bolsas do Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária 

Em 01, abr 2024 | Em Destaque, EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

O programa IberCultura Viva publicou nesta segunda-feira, 1º de abril, a lista de pessoas que receberão bolsas para participar da sétima turma do Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária. O curso será realizado no campus virtual da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina) de abril a dezembro de 2024.

As 104 bolsas concedidas pelo programa nesta edição foram distribuídas entre os 13 países participantes. O número previsto de vagas era de oito por país; como a República Dominicana (país convidado nesta edição) teve apenas um candidato habilitado, as sete vagas restantes foram concedidas aos que obtiveram o 9º lugar nos sete países que apresentaram maior número de candidaturas: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai.

O período de inscrições para esta convocatória abriu no dia 20 de dezembro e terminou no dia 15 de fevereiro, período em que foram enviadas 625 inscrições ao Mapa IberCultura Viva. Desse total, 525 foram habilitadas e participaram da segunda etapa do processo seletivo. (Este foi o maior número de postulações apresentadas desde o lançamento deste curso, em 2018; o recorde anterior era da edição de 2021, quando 502 pessoas postularam e 486 passaram à segunda etapa.) 

As candidaturas que obtiveram as maiores pontuações em cada país, conforme os critérios estabelecidos no regulamento, foram selecionadas para receber as bolsas. A classificação final também considerou que ao menos 50% das pessoas escolhidas deveriam ser mulheres. Pessoas pertencentes a povos indígenas ou afrodescendentes receberam um ponto extra na avaliação. 

As pessoas selecionadas neste edital receberão um correio eletrônico da FLACSO-Argentina com os passos a seguir para efetivar a bolsa e completar a inscrição no curso de pós-graduação. Essas pessoas ganharão uma bolsa integral e não terão que pagar nada pelo curso, desde que cumpram com as avaliações parciais e apresentem o trabalho final. O ingresso ao campus se dá por meio de uma chave pessoal que se envia aos alunos e alunas no início das atividades. 

.

Proposta acadêmica

O Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária é uma construção conjunta de IberCultura Viva e FLACSO Argentina. Os conteúdos estão distribuídos em seis módulos e 26 aulas, em suporte escrito e audiovisual assincrônico, nas quais são trabalhadas noções sobre processos culturais contemporâneos, propondo um marco teórico amplo sobre as distintas teorias da cultura e os debates atuais em torno delas. A proposta acadêmica coordenada por Belén Igarzábal e Franco Rizzi busca a diversidade de miradas, com a participação de professores de vários países ibero-americanos. 

Também são abordadas noções de políticas culturais com ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade e debatidas as teorias existentes a respeito das políticas culturais de base comunitária, as novas formas de produção cultural e o uso de tecnologias a serviço da criação de redes. Além disso, o curso oferece ferramentas de gestão, planejamento, monitoramento e avaliação de políticas públicas culturais específicas para territórios e comunidades. 

As aulas são publicadas uma vez por semana – com uma semana de recesso no final de cada módulo – e se abre um fórum para cada aula publicada, gerando um espaço de debate e intercâmbio de ideias e experiências em torno dos temas tratados. Também se realizam encontros sincrônicos virtuais com professores/as convidados e com as tutoras do curso.

Para cumprir com os objetivos do curso, deve-se realizar um trabalho parcial escrito sobre os três primeiros módulos e um trabalho final integrador, que consiste em desenhar e planejar um projeto cultural comunitário ou uma política cultural pública de base comunitária. Os trabalhos podem ser entregues em espanhol ou português. As aulas são ministradas em espanhol, exceto as que estão a cargo de professores brasileiros, que são dadas em português e têm tradução para o espanhol. 

As pessoas que não foram selecionadas no Edital de Bolsas e quiserem se inscrever no curso este ano, pagando a matrícula, poderão fazê-lo diretamente com a FLACSO Argentina.

.

Saiba mais sobre o curso

.

Confira a lista de pessoas selecionadas no edital:

Informação às pessoas interessadas III: Etapa de avaliação – Edital de Bolsas para o Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária – Resultado

.

Leia também:

IberCultura Viva concederá 104 bolsas para o Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária

626 pessoas se inscreveram no Edital de Bolsas para o Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária 2024

Foram habilitadas 525 inscrições para bolsas do Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária

Tags | , ,

16

fev
2024

Em EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

626 pessoas se inscreveram no Edital de Bolsas para o Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária 2024

Em 16, fev 2024 | Em EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

O programa IberCultura Viva recebeu um total de 626 inscrições para bolsas de estudo da edição 2024 do Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária, ministrado no campus virtual da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina). Este é o maior número de candidaturas apresentadas desde o lançamento do curso, em 2018.

O período de inscrições desta convocatória abriu no dia 20 de dezembro e se encerrou nesta quinta-feira, 15 de fevereiro, às 23h59 (de Brasília). Pessoas de 13 países enviaram suas postulações pelo Mapa IberCultura Viva: Argentina (61), Brasil (82), Chile (97), Colômbia (113), Costa Rica (24), Equador (29), El Salvador (9) , Espanha (24), México (57), Paraguai (15), Peru (75), República Dominicana (2) e Uruguai (38).

Na edição de 2023 haviam sido enviadas 493 candidaturas; desse total, 453 foram habilitadas e 96 selecionadas para receber as bolsas. Em 2022, foram recebidas 360 inscrições; em 2021, 502; em 2020, 456; em 2019, 243, e em 2018, 466.

.

Duas etapas

Assim como nas edições anteriores, o processo seletivo contemplará duas etapas: habilitação e avaliação. Na primeira etapa, a equipe da FLACSO-Argentina analisará a documentação enviada para verificar se os anexos foram carregados corretamente e se as pessoas se enquadram nos perfis requeridos para se candidatar a uma das 104 bolsas que serão concedidas pelo IberCultura Viva este ano. Quem tiver enviado a documentação corretamente terá sua inscrição habilitada e passará para a próxima etapa, de avaliação.

Na segunda etapa do processo seletivo, a avaliação dos candidatos ficará a cargo dos representantes governamentais de cada país participante. Entre os critérios que serão levados em conta na seleção está a experiência na elaboração e na execução de políticas públicas culturais e/ou em gestão cultural comunitária. Além disso, será valorizada a formação (certificada) em gestão cultural e disciplinas afins, como artes, ciências sociais, humanas ou económicas.

As inscrições que obtiverem a maior pontuação por país, de acordo com os critérios estabelecidos no regulamento, serão selecionadas para receber as bolsas desta sétima turma do curso, que se realizará de abril a dezembro de 2024. Desde o lançamento deste curso de pós-graduação, construído em conjunto por IberCultura Viva e FLACSO Argentina, mais de 600 bolsas foram concedidas a funcionários/as de organismos públicos ou membros de organizações culturais comunitárias que desenvolvem suas atividades nos países membros do programa.

Tags | , , ,

18

dez
2023

Em Destaque
EDITAIS
Notícias

Por IberCultura

IberCultura Viva concederá 104 bolsas para o Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária

Em 18, dez 2023 | Em Destaque, EDITAIS, Notícias | Por IberCultura

Nesta quarta-feira, 20 de dezembro, começa o prazo de inscrições do Edital de Bolsas para o Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária 2024. Serão distribuídas 104 bolsas para pessoas dos 12 países membros do IberCultura Viva (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, México, Paraguai, Peru e Uruguai) e da República Dominicana, país convidado a participar das atividades do programa este ano. 

As pessoas interessadas em concorrer a uma bolsa deste curso, que se realizará no campus virtual da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina) entre abril e dezembro de 2024, podem se inscrever até 15 de fevereiro de 2024 na plataforma Mapa IberCultura Viva

Este será o sétimo ano desta proposta acadêmica que foi construída em conjunto por IberCultura Viva e FLACSO Argentina, com o objetivo de fortalecer a formação e pesquisa das políticas culturais de base comunitária e o conceito de “cultura viva” como política pública.

Desde o lançamento, em 2018, o programa IberCultura Viva concedeu mais de 600 bolsas para este curso. Desse total, 501 pessoas – funcionárias de organismos públicos ou membros de organizações culturais comunitárias – foram selecionadas nos editais realizados para as turmas de 2018 a 2023. As pessoas que receberam estas bolsas foram aquelas que obtiveram as mais altas pontuações entre as candidatas de cada país membro, conforme os critérios estabelecidos no regulamento.

Nestes seis anos também foram concedidas 103 bolsas extras com os recursos de formação que alguns governos tinham à sua disposição no Fundo Multilateral IberCultura Viva, principalmente os do Brasil e do Chile. Estas bolsas extras foram destinadas exclusivamente a representantes de organizações culturais comunitárias, e a seleção seguiu a ordem de classificação das pessoas candidatas nas convocatórias.

A exemplo dos anos anteriores, as pessoas interessadas em se candidatar a uma das 104 bolsas para a turma de 2024 devem trabalhar em órgãos públicos de cultura, dedicar-se à gestão cultural ou integrar uma organização cultural de base comunitária ou algum povo originário em um dos 13 países participantes deste edital. A divisão das bolsas será equitativa: estão previstas oito bolsas por país. 

Experiência na incidência, elaboração e execução de políticas culturais públicas e/ou em gestão cultural comunitária estão entre os critérios que serão levados em conta na seleção das pessoas candidatas. Também será valorizada a formação certificada em gestão cultural e em disciplinas afins, como artes, ciências sociais, humanas e económicas. Pelo menos 50% das pessoas selecionadas devem ser mulheres.

.

Proposta acadêmica

A proposta acadêmica coordenada por Belén Igarzábal e Franco Rizzi busca a diversidade de miradas, com a participação de professores de vários países ibero-americanos. Os conteúdos estão distribuídos em seis módulos e 26 aulas, em suporte escrito e audiovisual assincrônico, nas quais são trabalhadas noções sobre processos culturais contemporâneos, propondo um marco teórico amplo sobre as teorias da cultura e dos debates atuais em torno delas. 

Também são abordadas noções de políticas culturais com ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade e debatidas as teorias existentes a respeito das políticas culturais de base comunitária, novas formas de produção cultural e o uso de tecnologias a serviço da criação de redes. Além disso, o curso oferece ferramentas de gestão, planejamento, monitoramento e avaliação de políticas públicas culturais específicas para territórios e comunidades. 

As aulas são publicadas uma vez por semana – com uma semana de recesso no final de cada módulo – e abre-se um fórum para cada aula publicada, gerando um espaço de debate e intercâmbio de ideias e experiências em torno dos temas tratados. Também se realizam encontros sincrônicos virtuais com professores/as convidados e com as tutoras do curso.

 Para cumprir com os objetivos do curso, deve-se realizar um trabalho parcial escrito sobre os três primeiros módulos e um trabalho final integrador, que consiste em desenhar e planejar um projeto cultural comunitário ou uma política cultural pública de base comunitária. Os trabalhos podem ser entregues em espanhol ou português. As aulas são ministradas em espanhol, exceto as que estão a cargo de professores brasileiros, que são dadas em português e têm tradução para o espanhol. 

 .

Confira o regulamento do edital: https://bit.ly/48q0aHz

Inscrições: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/260/

Consultas: programa@iberculturaviva.org

Como se cadastrar no Mapa IberCultura Viva: http://iberculturaviva.org/manual/

.

 Saiba mais sobre o curso

http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/

.

(*Atenção: para concorrer a uma das vagas, é necessário se inscrever através da plataforma Mapa IberCultura Viva. As pessoas que não forem selecionadas no edital e/ou aquelas que não são provenientes dos países integrantes do programa IberCultura Viva podem se inscrever pagando a matrícula do curso diretamente a FLACSO Argentina.)

Tags | , ,

19

maio
2023

Em Notícias

Por IberCultura

Andrea Neira ministrará a primeira aula aberta do Curso de Pós-Graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária 2023

Em 19, maio 2023 | Em Notícias | Por IberCultura

“Cultura e Decolonialidade”, da colombiana Andrea Neira, será a primeira aula aberta da edição 2023 do Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária FLACSO-IberCultura Viva. Esta aula aberta, que será na quarta-feira, 24 de maio, às 12h (horário de Brasília e Argentina), será transmitida ao vivo no canal do IberCultura Viva no YouTube.

Assistente social pela Universidade Colegio Mayor de Cundinamarca, com mestrado em Estudos de Gênero (Universidade Nacional da Colômbia), Andrea Neira é atualmente professora pesquisadora do Instituto de Estudos Sociais Contemporâneos da Universidade Central (Colômbia), onde atua como coordenadora acadêmica do Mestrado em Pesquisa em Problemas Sociais Contemporâneos.

Além de liderar o grupo de pesquisa Conhecimentos e Identidades Culturais (GICEIC), coordena o Grupo de Trabalho CLACSO “Epistemologias decoloniais, territórios e cultura”. Ela tem pesquisado sobre pós-desenvolvimento, alternativas ao desenvolvimento, subjetividades juvenis, masculinidades e feminilidades no hip hop, masculinidades e ex-combatentes, e economias feministas e comunitárias.

.

Encontros anteriores

As aulas transmitidas pelo YouTube foram uma novidade da edição 2021 do Curso Internacional de Pós-Graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária. A primeira palestra, realizada em 27 de maio de 2021, foi “Cultura: espécies culturais digitais e territoriais“, do professor Omar Rincón (Colômbia). A segunda, em 15 de setembro, foi “Gestão cultural dissidente, decolonial, comunitária e feminista“, dada pela guatemalteca Lucía Ixchíu. A argentina Laura Taube ministrou a terceira e última aula aberta do ano de 2021, “Desenvolvimento de públicos para o setor cultural”, no dia 11 de novembro.

No ano passado foram realizadas duas aulas abertas: Cultura e Decolonialidade”, com Andrea Neira, em 26 de maio de 2022, e “Como construir tramas poéticas com territórios”, com Paula Mascias, em 18 de agosto. Este ano, Andrea Neira retorna à sexta turma do curso, que teve início no dia 20 de abril.

Esses encontros virtuais (pelo Zoom) contam com a participação dos alunos matriculados no curso (que podem tirar dúvidas durante a videoconferência) e estão disponíveis no canal do IberCultura Viva no YouTube para quem quiser assistir depois.

.

.

Quando:

Quarta-feira, 24 de maio

9:00 (CRI-MEX-SLV), 10:00 (COL-ECU-PER), 11:00 (CHL-BOL-VEN-PRY), 12:00 (ARG-BRA-URY), 17:00 (ESP)

Onde assistir: https://www.youtube.com/@IberCulturaViva/streams

Tags | ,

21

abr
2023

Em Destaque
Notícias

Por IberCultura

Começa a sexta turma do Curso de Pós-Graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária

Em 21, abr 2023 | Em Destaque, Notícias | Por IberCultura

Mais de 80 pessoas participaram da sessão inaugural da sexta turma do Curso Internacional de Pós-Graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária da FLACSO-Argentina, nesta quinta-feira, 20 de abril. Além de receber as pessoas inscritas nesta edição, este primeiro encontro de 2023 teve como objetivo explicar como funciona o curso e como será ao longo do ano.

Franco Rizzi

Franco Rizzi, coordenador acadêmico do curso de pós-graduação (juntamente com Belén Igarzábal), abriu a sessão apresentando a equipe responsável pelo curso na FLACSO-Argentina e celebrando a diversidade que se apresenta a cada edição. “É o nosso sexto ano e é sempre muito bom ver pessoas de diferentes partes do continente e da Espanha que se juntam a nós. O mais bonito (nesta pós-graduação) é essa diversidade. Aproveitem!”

Manuel Trujillo, responsável técnico da presidência do IberCultura Viva, agradeceu à equipe da FLACSO pelo trabalho desenvolvido nestes seis anos, deu as boas-vindas aos novos alunos e alunas e manifestou alegria por ver que a cada edição se mantém o interesse por esta pós-graduação.

“Convidamos a todos e todas a fazer deste curso um curso de vocês, para poder trabalhar, aprender, compartilhar, pois as políticas culturais de base comunitária são muito importantes. O programa tem se caracterizado sobretudo pelo trabalho com comunidades e organizações culturais comunitárias, e também pelo trabalho territorial que realiza com os governos locais. Este desenho de curso vai ser muito útil para todos”, afirmou Trujillo.

.

Passeio teórico

Em seguida, Belén Igarzábal, diretora de Comunicação e Cultura da FLACSO-Argentina que divide a coordenação deste curso com Franco Rizzi, tratou de explicar a proposta acadêmica distribuída em cinco módulos, cada um com quatro ou cinco aulas (com exceção do módulo introdutório, que tem duas classes). As aulas são publicadas semanalmente, às quintas-feiras, a partir deste dia 20 de abril, com intervalo de uma semana entre os módulos.

Belén Igarzábal

No Módulo 1 (“Processos Culturais Contemporâneos”), as quatro aulas apresentam um quadro mais amplo das teorias culturais e alguns debates atuais em torno delas, desde uma perspectiva histórica e ibero-americana. Ali também é abordado o conceito de “epistemologias periféricas”, que, conforme explica a coordenadora acadêmica, são as “epistemologias que ocorrem não no centro acadêmico/histórico, mas são construídas a partir de outros territórios, de outras perspectivas”.

O Módulo 2 (“Políticas Culturais”) faz um passeio pelas noções de políticas culturais, com especial ênfase nos direitos culturais e nas questões da cidadania e da comunidade. O Módulo 3 (“Cultura de base comunitária”), por sua vez, aprofunda a política de base comunitária. Novas formas de organização cultural comunitária, incidência política das organizações culturais comunitárias, abordagem e intervenção no território são alguns dos temas abordados neste módulo.

“Redes e cultura colaborativa” é o tema do Módulo 4, que procura refletir sobre novas formas de produção cultural, economia colaborativa e sustentável, redes socioculturais e cultura participativa, cooperação e diversidade cultural, saberes tradicionais e novas tecnologias. Por fim, o Módulo 5 (“Desenho, monitoramento e avaliação de políticas públicas”) tem o formato de oficina para elaboração de trabalho de conclusão de curso, com o objetivo de capacitação em criação, desenho, implementação e avaliação de projetos.

.

Troca de experiências

“Uma coisa importante é que este curso não implique uma assimetria de poder, onde alguns especialistas venham impor seus conhecimentos. Sim, há especialistas, mas também há o teu conhecimento, a tua bagagem, as tuas viagens pelos territórios”, disse Belén Igarzábal, destacando que os fóruns que se abrem em cada módulo são um bom espaço para os alunos e alunas partilharem as suas experiências, ideias e opiniões. “As pessoas nem sempre concordam, mas podemos debater com respeito.”

Malena Taboada, assistente técnica da equipe, também destacou a importância da participação de todos os alunos e alunas nos fóruns. “Os fóruns são uma exigência, uma forma que encontramos de atender, de saber quem está ali acompanhando o curso. São um espaço de avaliação, onde se pode conversar com colegas, trazer ideias, compartilhar dúvidas e experiências ligadas ao que estão lendo”, comentou.

O primeiro fórum que se abre no curso é o fórum de apresentação, onde as pessoas contam o que fazem e o que lhes interessa, para que o grupo se conheça. Este fórum estará aberto todo o ano, ao contrário dos outros, que ficam em sua maioria abertos durante algumas semanas e depois fecham.

Outro tema que os coordenadores procuraram esclarecer durante esta sessão foi o formato das aulas, que podem ter suporte escrito e/ou audiovisual (quase todas em espanhol) e são todas assíncronas. Ou seja, a equipe da FLACSO torna as aulas visíveis no campus virtual às quintas-feiras, uma aula por semana, e as pessoas podem ver quando quiserem (dentro daquela semana).

Ao longo do ano haverá algumas reuniões “ao vivo”, provavelmente mais duas com a equipe (para tratar de trabalhos parciais e finais), e outras duas com especialistas num tema de interesse dos alunos. Nas duas turmas anteriores houve algumas aulas abertas com professores convidados (3 em 2021; 2 em 2022), transmitidas ao vivo no canal do IberCultura Viva no YouTube.

.

Transformando realidades

Em relação ao trabalho final que se espera dos alunos, e sobre o qual eles vão discutindo ao longo do ano, os coordenadores explicaram que não precisa ser necessariamente o desenvolvimento de uma política pública. “Pode ser um projeto cultural”, disse Belén. “Sabemos que nem todas as pessoas que estudam trabalham nos Estados, na gestão pública, mas são de organizações da sociedade civil ou organismos internacionais. Você vai conseguir articulá-lo com o que vem trabalhando”, sugeriu.

Para Dolores Nazate, uma das novas alunas do Equador, o desafio será exatamente este: terminar o curso com ferramentas para poder fazer uma proposta de política pública comunitária, com perspectiva de gênero. Artista popular desde 1990, gestora cultural desde 2000, líder de bairro e ativista dos direitos culturais, Dolores integrou diferentes organizações comunitárias em paróquias periféricas e rurais do Equador. Mãe de quatro filhos, acostumada a “autoeducar-se” (já que o acesso a cursos de formação tem sido difícil para ela), ela espera aproveitar esta oportunidade para, a partir da sua experiência pessoal, motivar outras mulheres a “ousar também”.

“Estamos muito entusiasmadas porque as políticas culturais de base comunitária falam de nós. É importante que o Estado entenda que nós existimos. Já temos 25 anos trabalhando a partir da base cultural autogerida, mas isso também tem implicado um trabalho precário e que o Estado não nos fortalece. Cada vez que vem outro governo, eles anulam nossos processos. Esperamos que ao final desta experiência possamos estar preparadas, com ferramentas para poder fazer uma proposta de política pública com uma perspectiva de gênero que transforme a realidade de muitos”, afirmou a equatoriana.

Dolores Nazate foi uma das 96 pessoas selecionadas no Edital de Bolsas IberCultura Viva para participar desta sexta turma do curso FLACSO-Argentina. As cotas foram distribuídas entre os 12 países membros do Conselho Intergovernamental (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, México, Paraguai, Peru e Uruguai).

Outras 16 pessoas – 8 do Brasil, 8 do Chile – receberam bolsas extras para esta edição de 2023 da pós-graduação. Isso foi possível porque as representantes dos governos desses dois países decidiram aumentar suas cotas usando os recursos disponíveis no Fundo Multilateral IberCultura Viva para apoiar a formação de organizações culturais comunitárias. Este é o quinto ano em que os governos do Brasil e do Chile aumentam o número de bolsas para pessoas candidatas de seus países.

.

Leia também:

96 pessoas de 12 países foram selecionadas para receber as bolsas de pós-graduação da FLACSO

Tags | ,

31

mar
2023

Em Notícias
Sin categorizar

Por IberCultura

Brasil e Chile concederão mais bolsas para o Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária 2023

Em 31, mar 2023 | Em Notícias, Sin categorizar | Por IberCultura

O Ministério da Cultura do Brasil e o Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio do Chile ampliaram sua quantidade de bolsas para a edição de 2023 do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária ministrado por FLACSO-Argentina. Os dois países terão oito bolsas a mais nessa sexta turma do curso virtual, que começará no dia 20 de abril. 

Esta é a quinta vez que as representantes governamentais do Chile e do Brasil decidem ampliar o número de bolsas para pessoas candidatas de seus países usando os recursos de que dispunham no Fundo Multilateral IberCultura Viva para o apoio à formação de organizações culturais comunitárias. As vagas extras foram concedidas especialmente a pessoas que atuam nas organizações da sociedade civil. 

A avaliação realizada no Edital de Bolsas 2023, que distribuiu 96 bolsas para pessoas provenientes dos 12 países participantes, serviu também para a seleção dessas pessoas que receberão as bolsas extras do Brasil e do Chile. 

A lista final do edital, publicada neste 31 de março, trouxe as oito candidaturas mais bem pontuadas de cada país membro, tanto de pessoas gestoras que trabalham em organismos públicos de cultura como de representantes de organizações culturais comunitárias. Para as bolsas extras do Chile e do Brasil foram escolhidas as oito candidaturas seguintes de pessoas que trabalham em comunidades e que obtiveram maior pontuação no processo de seleção. 

O Edital de Bolsas 2023 teve inscrições abertas no Mapa IberCultura Viva de 16 de dezembro de 2022 a 15 de fevereiro de 2023. Do total de 493 postulações recebidas, 65 eram do Brasil e 65 do Chile.

.

Confira os nomes das pessoas que receberão as bolsas extras do Brasil e do Chile:

.

BRASIL

on-506556704  Rafaela Lima

on-1319174684  Cátia Hahn

on-1891708332  Ligia Rodrigues Holanda

on-1824786066  Francisco Luis Teixeira dos Santos 

on-1229131099  Oderval Rodrigues de Oliveira Junior 

on-1780708126   Maíra Martins Frois
on-1185690389   Josefina Chudnobsky

on-1619093105   Marcus Vinicius Bezerra da Silva


CHILE

on-1127643308  Germán Moreira Santana

on-466641833  Paul Andrés Castán Cartagena

on-1456424692  Paula Aguirre Toledo

on-1994929379  Julieta Mazzoni

on-1109091512 Jocelyn Tabilo

on-1321222627 Valentin Zuñiga

on-1404721444 Mariana León Villagra

on-1395875560  Nicole Amneris Ríos Kroyer


Tags | , , ,