Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

O PROGRAMA

                                                 

                           

                                  Cultura Viva: uma experiência coletiva na Ibero-América

 

Um dos programas vinculados à Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB), IberCultura Viva busca ser o espaço de diálogo, articulação e cooperação dos Estados da Ibero-América para a promoção e o fortalecimento das políticas culturais de base comunitária.

Nossa missão é reconhecer o valor dos processos de construção de cidadania e a diversidade cultural expressa na participação social organizada, para a melhora das condições de vida e da convivência das comunidades. Ao fomentar seu desenvolvimento a partir do trabalho intersetorial, buscamos também contribuir para a consolidação do Espaço Cultural Ibero-americano e a integração regional.

Nossas ações são destinadas a coletivos, organizações e redes culturais de base comunitária; povos originários e comunidades afrodescendentes; e pessoas dedicadas ao trabalho, à investigação e à comunicação de experiências e processos culturais de base comunitária nos países ibero-americanos.

Atualmente, são 11 os países membros do Conselho Intergovernamental IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, El Salvador, Equador, Espanha, Guatemala, México, Peru e Uruguai.

 

Valores

Fomentar o respeito, criar comunidade, resguardar a diversidade cultural, impulsionar a participação e defender a igualdade são os valores defendidos pelo programa.

Acreditamos na democracia como sistema para o resguardo da igualdade de oportunidades, o pleno respeito dos direitos humanos e o reconhecimento da diversidade de nossas culturas e territórios como um valor que nos enriquece: somos iguais, somos diferentes e somos comunitários.

Defendemos o trabalho comunitário que fomenta as práticas colaborativas, solidárias e transformadoras para o fortalecimento da cultura comunitária e a adoção de marcos de convivência baseados no bem comum e o bem viver.

Também buscamos o reconhecimento mútuo e consensual para a proteção e a promoção da diversidade das expressões culturais e linguísticas como direitos humanos, assim como a construção integral da cidadania e o fomento da participação social mediante o trabalho associativo, cooperativo e coletivo.

Além disso, trabalhamos para obter maior igualdade entre mulheres e homens e gêneros diversos, e para eliminar qualquer tipo de discriminação à juventude, aos povos originários, aos afrodescendentes e a outros coletivos em situação de vulnerabilidade social.