Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Notícias

09

Nov
2017

EmNotícias

Congresso regional no Chile debate direitos sociais, extrativismo e artivismo

Em09, Nov 2017 | EmNotícias |

O 1º Congresso de Organizações Culturais Comunitárias (OCC) da Região do Biobío, no Chile, será realizado na comuna de Lota neste fim de semana (dias 11 e 12). O desenho e o conteúdo deste congresso (“Luta​ Comum? Direitos ​sociais,​ ​extrativismo​ e​ ​artivismo”) foram definidos de forma consensuada entre os representantes das OCCs que participam ativamente dos Laboratórios de Iniciativas Culturais Comunitárias, assim como também sua coordenação.

O programa inclui os fóruns-painéis “Arte e cultura como ferramentas de defesa, difusão  e consciência dos territórios”, “Direitos sociais e provisionais dos trabalhadores da cultura” e “Extrativismo e ferramentas de defesa a partir das comunidades”, que deve tratar de temas como as leis de meio ambiente, água e pesca, o uso do solo e os planos reguladores comunais.

Também terão lugar apresentações de experiências como a da Escuela Popular Poblarte (“Estratégias de defesa e articulação a partir da arte e da cultura comunitária em Aysén”), além de mesas de trabalho, blocos, música e performance. As atividades de sábado se darão a partir das 10h no CFT Lota-Arauco, e as de domingo no Centro Cultural Comunitario Pabellón 83.

(Fotos: Red de Cultura Comunitaria Biobío)

A Escuelita

Os Laboratórios de Iniciativas Culturais Comunitárias são realizados na Região do Biobío desde 2015 através do programa Red Cultura, desenvolvido pelo Conselho Nacional da Cultura e das Artes (CNCA). Nestas instâncias de diálogo entre as OCCs foi organizado em 2015 o I Encontro Regional de Cultura Comunitária, onde se realizou um diagnóstico coletivo sobre o setor.

No ano seguinte, 16 organizações que participaram do primeiro encontro decidiram impulsionar a “Escuela Popular de Organizaciones Culturales Comunitarias”. A iniciativa de caráter itinerante, realizada dentro do II Encontro Regional de Cultura Comunitária, passou por seis comunas da região de 13 de agosto a 1º de novembro de 2016: Penco, Concepción, Talcahuano, Tomé, Nacimiento e Alto Biobío.

“La Escuelita” foi financiada pelo Conselho, mas foram as próprias organizações que decidiram de maneira colaborativa sobre onde, quando e quais assuntos iriam tratar. Os temas foram divididos em oito módulos: 1) Educação popular; 2 e 3) Difusão e comunicação popular; 4) Produção artística popular; 5) Cooperativismo, identidade e território; 6) Intercâmbios de modelos de gestão cultural; 7) Direitos laborais dos trabalhadores da cultura comunitária; 8) Cosmovisão, pluralidade e medicina ancestral mapuche.

Durante os três meses em que se desenvolveram estes módulos, 158 pessoas participaram da Escuela Popular. Um total de 66 organizações, das quais 58 eram da Região do Biobío, 3 da Região Metropolitana e 5 latino-americanas.

Para onde ir

O II Encontro Regional de Cultura Comunitária, realizado em 12 de novembro de 2016 na Casa de Cultura de Chiguayante (província de Concepción), foi a instância “final” do processo, em que se deu leitura à sistematização da Escuelita e se discutiu acerca de como e que passos deveriam dar como OCCs, e como poderiam aportar ao desenho da nova política cultural chilena, desde uma perspectiva comunitária.

 

O debate se deu em torno de quatro eixos temáticos: 1) Cultura, arte e educação (educação e cosmovisão mapuche; educação artística e da arte comunitária; educação popular); 2) Cultura, identidade e território (OCCs e território; povos originários e território); 3) Financiamento e autogestão comunitária (cooperativismo e autogestão comunitária; demandas de financiamento das OCCs); e 4) Política cultural comunitária (demandas do povo mapuche para a política cultural comunitária 2017-2022; direitos laborais dos trabalhadores da cultura comunitária; Rede de Cultura Comunitária Biobío).

Depois de todos os debates e diálogos expostos, as organizações participantes se propuseram a constituir a Red de Cultura Comunitaria Biobío como o espaço de convergência entre todas as OCCs da região, além de ajudar a construir uma política pública cultural comunitária para o período 2017-2022.

A Rede de Cultura Comunitária Biobío é quem organiza o 1º Congresso Regional de Organizações Culturais Comunitárias do Biobío – “Luta​ ​Comum? Direitos​ ​sociais,​ ​extrativismo​ e​ ​artivismo”.

 

Saiba mais:

www.facebook.com/redcomunitariabiobio