Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Para o Topo.EPara o Topo

Arquivos Espanha - IberCultura Viva

14

jun
2022

Em Notícias

Por IberCultura

Ministério de Cultura e Esporte da Espanha abre convocatória de projetos para o VIII Encontro Cultura e Cidadania 

Em 14, jun 2022 | Em Notícias | Por IberCultura

Está aberta até 23 de junho a convocatória de projetos para o VIII Encuentro Cultura y Ciudadanía, que será realizada de 26 a 28 de outubro no Centro Magallanes de Sevilha (Espanha). Esta oitava edição do encontro pretende ser uma reflexão sobre a questão racial, a presença das minorias na cultura e o papel das instituições e setores culturais neste contexto. 

Iniciativas e projetos alinhados ao tema e conceitos-chave do evento serão selecionados nesta chamada pública, que pela primeira vez é aberta a indivíduos, grupos, associações e entidades públicas ou privadas de todos os países ibero-americanos, além da França. (Os projetos latino-americanos selecionados serão apresentados remotamente, mas existe a possibilidade de abrir uma exceção e combinar com o interessado a presença in loco).

O VIII Encontro de Cultura e Cidadania é uma iniciativa da Direção Geral de Indústrias Culturais, Propriedade Intelectual e Cooperação do Ministério de Cultura e Esporte da Espanha, através da Subdireção Geral de Cooperação Cultural com as Comunidades Autónomas. 

.

Tema do encontro

Esta edição será articulada em torno de um glossário de conceitos para explorar coletivamente um cenário em que variáveis ​​que partem do que se entende por raça, nacionalidade ou identidade não supõem uma barreira no exercício de direitos culturais. Serão problematizados conceitos como raça, diversidade, identidade, decolonialidade ou interculturalidade, na busca de práticas e narrativas culturais transformadoras que ajudem a identificar cenários alternativos e desejáveis.

Há muitas questões a serem abordadas, desde o próprio uso da linguagem. O sistema cultural reproduz e consolida a desigualdade social sofrida pelas minorias? Quais são as exclusões causadas pelo sistema, como enfrentá-las? O que significa o conceito de pessoas racializadas? Onde eles estão no setor cultural? O que entendemos por diversidade, multiculturalismo ou interculturalidade? O que significa descolonizar uma instituição, uma história ou um processo cultural? A partir de onde construir novos espaços de convivência?

.

Seleção de projetos

A publicação dos projetos selecionados será feita no site do programa Cultura e Cidadania a partir de 1º de julho. A comissão consultiva do encontro, em conjunto com os responsáveis ​​pelo Ministério de Cultura e Esporte, selecionará os projetos que considerar de maior interesse de acordo com o tema e conceitos-chave desta edição e a natureza, objetivos e linhas programáticas do programa Cultura e Cidadania, garantindo também o adequado equilíbrio territorial.

A apresentação de projetos será feita em dois formatos: apresentação oral e presença no Espaço de Exposições e Networking. Para o formato oral, serão selecionados até 15 projetos, que serão apresentados pelos responsáveis ​​durante o encontro, presencial ou virtualmente, em painel coletivo com intervenções de 10 a 15 minutos cada. Os projetos de países ibero-americanos, excluindo Espanha e Portugal, só podem ter acesso a esta modalidade. 

Serão selecionados até 20 projetos para o espaço expositivo, preferencialmente os de natureza independente que estejam em processo de desenvolvimento, crescimento e/ou consolidação. A organização será responsável pelas despesas de traslado e alojamento por duas ou três noites de um responsável por cada projeto selecionado (apenas para projetos de Portugal, França e Espanha). Caso um projeto seja escolhido para ambas as modalidades, a organização reserva-se a possibilidade de cobrir as despesas de uma segunda pessoa responsável.

.

(*) Texto atualizado em 20/06/2022, após a prorrogação do prazo de inscrições

.

Saiba mais:

https://culturayciudadania.culturaydeporte.gob.es/encuentro-cultura-ciudadania.html

.

(Fonte: Ministério da Cultura e Esportes)

Tags | ,

10

Maio
2022

Em Notícias

Por IberCultura

Conectando culturas, arte e criatividade: o projeto da Espanha selecionado no Edital de Apoio a Redes 2022

Em 10, Maio 2022 | Em Notícias | Por IberCultura

Nome da rede ou articulação: Comunidad VEDI

Nome do projeto: Encuentro Internacional Biocreativa>Plasticópolis

.

O Encontro Internacional Biocriativa>Plasticópolis, proposto pela Comunidade VEDI no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2022, será um evento itinerante pela costa norte da Península Ibérica, com início em Compostela e final em Donostia (San Sebastián). A atividade está prevista para realizar-se entre maio e julho deste ano.

“Plasticópolis” é uma web série distópica co-criada por jovens de diversas culturas, como estratégia de sensibilização sobre os riscos da crise climática em nível local e sua interdependência global. Idealizada durante o 1º Encontro Internacional VEDI, evento que foi selecionado no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes 2016, conseguiu reunir jovens de coletivos indígenas, rurais, ecofeministas, LGBTQIA+ e artivistas, entre outros. Seis curtas-metragens experimentais e três documentários servem como ponto de partida narrativo, crítico e de estilo para este novo projeto. 

Seu antecedente é a oficina “Monstruópolis”, realizada no Peru, no Brasil, no Chile, na Guatemala, no México e na Espanha. A partir de “Monstruópolis”, no Peru (fevereiro de 2022), se deu forma à nova série, que decidiram chamar de “Plasticópolis”. O encontro proposto para este ano tem como propósito terminar a primeira temporada da web série de ficção científica e desenhar a segunda de maneira conjunta. “Filmaremos sequências com participantes reunidos e celebraremos um evento de estreia da primeira temporada”, conta Guillermo Maceiras, cofundador e coordenador da Associação Ventana a la Diversidad (VEDI), responsável pelo projeto. 

O objetivo geral do Encontro Internacional Biocriativa>Plasticópolis, segundo ele, é “promover uma rede juvenil ibero-americana onde analisar, debater, idealizar e colocar em marcha iniciativas que contribuam para melhorar as problemáticas sociais e meio ambientais, identificadas através de um enfoque de inovação intercultural de cocriatividade para a transformação social”. 

As organizações comunitárias e coletivos participantes do projeto são parte integrante de sua estratégia de sensibilização comunitária, tanto local como on-line. Todo  fluxo de trabalho se baseia nos chamados “processos de cocriação intercultural e transcultural”. Por um lado estão as oficinas com a juventude, lideradas pelos pontos focais do projeto em cada comunidade e avaliados por uma organização comunitária. Por outro, a colaboração entre jovens de diferentes nacionalidades busca promover uma cultura de paz e a convivência na diversidade em nível internacional. 

Além da estreia dos nove capítulos da primeira temporada da série, será editado um curta-metragem documentário da experiência, três cápsulas audiovisuais para redes sociais e conteúdos multimídia de sistematização para replicar a metodologia de oficinas cocriativas comunitárias da segunda temporada. Também estão previstas estreias presenciais em cada uma das comunidades participantes.

Rede proponente

A Comunidade VEDI é uma plataforma que conecta jovens diversos através da arte, da criatividade e da tecnologia. Defendendo que toda solução para o futuro do planeta deve ser criativa e estar baseada na colaboração, a plataforma nasceu em 2013, graças ao apoio do Fundo Internacional para a Promoção da Cultura (FIPC) da UNESCO, que financiou o projeto “Ventana à Diversidade”, inicialmente centrado em quatro países: Guatemala, Peru, Espanha e Indonésia. 

Esta proposta correu 2014 e 2015, e acabou derivando na formação de uma associação em Gipuzkoa (País Vasco) em 2016 e na realização de iniciativas que receberam o apoio do Fundo Internacional para a Diversidade Cultural da UNESCO (FIDC 2017/18) e o Prêmio à Inovação Intercultural das Nações Unidas (UNAOC, 2019/20). A associação desenvolveu projetos e iniciativas colaborativas com jovens e formações técnicas para profissionais de cultura comunitária em 12 países da Ibero-América.

 

Organizações participantes

As três organizações que apresentaram esta proposta são Ventana a la Diversidad (Espanha), Cultura Savia (México) e OpenLab Equador. Além dessas três, o projeto selecionado no Edital de Apoio a Redes 2022 conta com a participação de Autoridades Ancestrales Kaqchikeles y Kiches, do município de San Andrés Semetabaj, Sololá, Guatemala.

EspanhaVentana a Diversidad, organização responsável pelo projeto, nasceu no País Vasco, mas os ventaneros e ventaneras estão em várias partes do mundo, conectados através da arte e da criatividade. A associação, que tem sede em Donostia (San Sebastián), aposta na educação para a transformação social, a favor da convivência intercultural e o meio ambiente.

Desde sua fundação, Ventana a Diversidad tem colocado em marcha dois programas temático-sistêmicos e um pedagógico-experimental. Este último se trata de Emprende por Diversidad (ExD), que promove a diversidade e a cultura de paz, estimulando o empreendimento jovem em indústrias criativas, desde uma perspectiva de economia solidária e regenerativa, que serve de marco metodológico para os outros dois programas. Um deles, Fronteiras Imaginárias, está centrado na resolução de conflitos baseados na intolerância ao diferente e a favor da convivência na diversidade. O outro programa, Biocriativa, fortalece o vínculo entre a cultura de raiz e a defesa do meio ambiente através da criatividade. 

MéxicoCultura Savia, criada em Mérida (México) em março de 2014, é outra organização que aposta na construção colaborativa, promovendo ações socioculturais e buscando co-crear experiências para a abordagem de problemáticas que afetam o bem comum. Para seus integrantes, as pessoas e organizações estão interconectadas e alcançam seu máximo potencial quando caminham juntas e em coletivo. 

A Escola de Paz, uma das iniciativas de Cultura Savia, é uma experiência de acompanhamento formativo desenvolvida por meio de atividades acadêmicas, encontros entre jovens, grupos de atividade infantil, assessoria e oficinas de paz. A organização também oferece oficinas e cursos a organizações interessadas em fortalecer enfoques colaborativos e disponibilizar ferramentas para construir uma cultura de paz em seus grupos ou comunidades ou aprofundar em metodologias que complementam suas ações.

Equador – Criado em Quito em maio de 2021, OpenLab Ecuador é um laboratório cidadão que busca gerar diálogos e experiências relacionadas à cultura digital, à participação cidadã e ao conhecimento aberto. Seus integrantes são ativistas pelo movimento de software livre, da educação popular e crítica, da ciência cidadã, da privacidade, da inovação aberta, do desenvolvimento do pensamento computacional e do intercâmbio de saberes em horizontalidade. 

Esta organização sem fins lucrativos, “redistributiva e autogestiva”, busca apoiar as comunidades de cultura livre e digital do Equador. Entre as atividades que realizam se encontram debates, cursos, laboratórios, projetos sociais, mentorias, exposições de arte, mapeamentos, conferências e hackatones (encontros de programadores para desenvolver ou melhorar um software), desde uma perspectiva aberta e colaborativa. 

*

(Fotos: capturas de tela da série “Plasticópolis”)

Tags | , , ,

08

nov
2018

Em Notícias

Por IberCultura

Conectando culturas, abrindo janelas: o projeto da Espanha selecionado no Edital de Apoio a Redes 2018

Em 08, nov 2018 | Em Notícias | Por IberCultura

Nome do evento: Entre Fronteras. El encuentro internacional VEDI de Fronteras Imaginarias

Nome da red/articulación: Comunidad VEDI

Organização responsável: Ventana a la Diversidad

 

Nascida no País Basco, a Comunidade VEDI (de Ventana a la Diversidad) é uma plataforma que conecta jovens de várias partes do mundo através da arte, da criatividade e das tecnologias digitais. Sua proposta tem como foco o fortalecimento de capacidades em jovens para que possam converter-se em agentes de mudança positiva a favor da diversidade (cultural, sexual, de ideias, etc), da cultura de paz e da promoção dos direitos humanos.

Para o 1º Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018, a Comunidade VEDI apresentou como proposta o evento “Entre Fronteiras”. Este encontro internacional de “fronteiras imaginárias”, que se dará na ilha de Rapa Nui (Chile) durante nove dias, será aberto à participação dos cidadãos e reunirá especialistas em (co)criatividade para a resolução de conflitos baseados na convivência multicultural.

A iniciativa, apresentada pelas organizações/ coletivos Ventana a la Diversidad (San Sebastián/País Basco, Espanha), Toki (Rapa Nui, Chile), Colectiva Trenzar (Lima, Peru) e txt (Recife, Brasil), pretende ser uma experiência de intercâmbio de conhecimentos e práticas de iniciativas de inovação intercultural a favor da cultura de paz, da convivência intercultural e da solidariedade, num contexto de respeito pelos direitos humanos e da diversidade cultural.

Além de celebrar um encontro internacional na ilha de Rapa Nui, o projeto tem como meta estimular a participação de 20 jovens indígenas Rapa Nui no desenho de iniciativas que favoreçam a convivência na diversidade, e realizar uma edição piloto em diferentes comunidades da ilha, em que participem membros da comunidade. A experiência será sistematizada e apresentada durante o Campus Fronteiras Imaginárias, marcado para junho de 2019 em San Sebastián (Espanha).

Saiba mais sobre Ventana a la Diversidad:

Ventana a la biodiversidad: la creatividad como puente de entendimiento entre las culturas

Itziar Rubio y Ventana a la Diversidad: conectando culturas, armando redes

Tags | , , ,