Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Puntos de Cultura

26

Oct
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Terceira atividade de formação para Pontos de Cultura é realizada em Montevidéu

Em26, Oct 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Rosario Lucesole, consultora de projetos da Unidade Técnica IberCultura Viva, está em Montevidéu hoje e amanhã (26 e 27/10) como docente da terceira instância formativa para a Rede de Pontos de Cultura no Uruguai. A atividade é realizada no Espaço Espínola Gómez, onde funciona a Área Cidadania Cultural da Direção Nacional de Cultura.

As duas jornadas serão sobre abordagem e intervenção em território e gestão de organizações; instrumentos e ferramentas para a identificação de problemas e a intervenção para possíveis soluções a partir das organizações culturais comunitárias, e estratégias de comunicação e geração de vínculos com a comunidade.

As outras duas atividades de formação promovidas no Uruguai com o apoio do programa IberCultura Viva também contaram com professores argentinos. A primeira, nos dias 3 e 4 de agosto, tratou de “Comunicação e cultura“ e esteve a cargo de dois professores da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina): Luis Alberto Quevedo, diretor da faculdade, e Belén Igarzábal, coordenadora da área Comunicação e Cultura. A segunda, sobre “Economia colaborativa e sustentável”, foi realizada nos dias 7 e 8 de setembro, e teve como docentes Adriana Benzaquén e Rocío Bustamante, integrantes da Escola de Economia Colaborativa.

Estes seminários são parte do Programa de Formação em Gestão Cultural e de Projetos de Base Comunitária. Um quarto e último bloco está previsto para novembro, com a participação de Franco Rizzi, consultor de formação do programa IberCultura Viva, e de Begoña Ojeda e Pablo Zouain, da Direção Nacional de Cultura do Uruguai.

 

Tags | , , ,

16

Oct
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Pontos de Cultura de Costa Rica: 16 projetos são selecionados para o empoderamento local

Em16, Oct 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

A Direção de Cultura do Ministério de Cultura e Juventude (MCJ) de Costa Rica divulgou nesta terça-feira (16/10) os nomes dos projetos selecionados que serão acompanhados pelo programa Pontos de Cultura no período 2018-2019.

Com este programa, a Direção de Cultura do MCJ reconhece o trabalho comprometido e criativo de pessoas que estão à frente de projetos culturais nas diferentes províncias e regiões do país. Estas iniciativas fazem com que as comunidades sejam protagonistas de seus próprios processos de desenvolvimento local, por meio da participação e do trabalho colaborativo.

“Nesta quarta convocatória, recebemos 45 propostas de projetos, dos quais foram selecionados 16 como ganhadores. Eles receberão até 10 milhões de colones (cerca de 16.800 dólares) cada, segundo as necessidades estabelecidas pelos projetos, e serão executados no período 2018-2019, a partir de novembro deste ano”, comentou Eduardo Reyes, coordenador do programa, que faz parte do Departamento de Fomento Cultural da Direção de Cultura.

Pontos de Cultura é um programa de estímulos e alianças cujo eixo de trabajo é o reconhecimento do trabalho das organizações, redes, iniciativas coletivas e espaços socioculturais vinculados com a promoção da diversidade cultural, da economia social solidária e da salvaguarda do patrimônio cultural e natural.

A iniciativa é um meio para o fortalecimento de capacidades locais, com um fim definido: produzir, a partir da cultura, melhores oportunidades para a convivência e a paz social. Mais de 90 comunidades de todo o país foram fortalecidas com os benefícios aportados pelos 80 projetos Pontos de Cultura realizados durante os últimos quatro anos, desde que se implementou esta política de estímulo na Costa Rica.

Os projetos selecionados para o período de 2018-2019 representarão um benefício direto à grande variedade de comunidades ao redor do território nacional. Há projetos das sete províncias costa-ricense, além da Zona Norte e da Zona Sur, distribuídos da seguinte maneira: San José (1), Heredia (1), Limón (3), Zona Sur (1), Nacional (1), Zona Norte (1), Puntarenas (5), Cartago (1), Alajuela (1) e Guanacaste (1).

A escolha dos projetos foi feita pela Comissão Selecionadora, composta por representantes da Direção de Cultura do MCJ, universidades públicas e organizações culturais inscritas no Sistema de Informação Cultural (Si.cultura).

“Ser parte da Comissão Selecionadora foi muito enriquecedor, já que tivemos a oportunidade de conhecer muitos dos projetos participantes, os quais ofereciam propostas de trabalho em uma grande variedade de temas e comunidades do país”, afirmou Carolina Quesada, representante da Universidade Estatal a Distancia (UNED).

Confira os 16 projetos selecionados, de acordo com sua categoria:

Arte para a transformação social

  1. Cooperativa Sulá Batsú, com o projeto “Sonora Festival Internacional de Compositoras Costa Rica”
  2. Asociación de Desarrollo Comunal Manuel de Jesús Jiménez, Cartago, com o projeto “Arte, prevención social de la violencia y nuevos valores para la convivencia entre los géneros”
  3. Fundación Acción Joven, com o projeto “Apropiación de espacios públicos como herramienta para promoción cultural y el combate de la violencia”
  4. Iyök Alar (Hijos de la tierra), com o projeto “Culturas ancestrales viviendo nuestras raíces”
  5. Asociación Amigos de la Isla Uvita, com o projeto “Isla Quiribí Canto de Aves, Cultura y más”
  6. Fundación Camaleonart, com o projeto “Churchullcolor festival de Arte Urbano”
  7. Fundación Voz Propia, com o projeto “Festival Comunitario MadreMonte 2019: Canto a Iriria la Niña Tierra”

 

Meios e propostas de comunicação comunitária

  1. Asociación Belemita de Medios de Comunicación El Guacho, com o projeto “Periódico El Guacho: un medio comunitario belemita al rescate de la historia de edificaciones locales y el testimonio de mujeres empoderadas”
  2. Asociación para la Sostenibilidad Rural de Costa Rica, com o projeto “Comunicadoras comunitarias para el buen vivir”
  3. Asociación de Desarrollo Integral de las Juntas de Abangares, com o projeto “Identidades subterráneas y territorios invisibles: la minería artesanal en Abangares Guanacaste, una propuesta de Comunicación Comunitaria”
  4. Asociación red de medios e iniciativas de comunicación alternativa (REDMICA), com o projeto “Fortalecimiento de capacidades de comunicación para la participación ciudadana para organizaciones puntarenenses”.

 

Fortalecimiento organizacional

  1. Asociación Centro Comunitario de Buceo Embajadores y Embajadoras del Mar, com o projeto “Nueva generación Caribe Sur: Casa del Mar, impulsando buceo con propósito cultural”

 

Cultura para el buen vivir

  1. Asociación de Productores Agro-ambientalistas de Cacao de Guatuso (ASOPAC), com o projeto “Guatuso memoria viva del cacao II”
  2. Asociación Masaya, com o projeto “Removernos”
  3. Asociación Mujeres Unidas La Españolita de Río Cuarto Grecia, com o projeto “Sabores que sanan: mujeres sazonando un buen vivir”
  4. Asociación Comisión Indígena de Mujeres de Talamanca, com o projeto “Centro Cultural Mujeres Indígenas guardianas y transmisoras de la cultura Bribri”.

 

Fonte: Dircultura/MCJ

 

(Na foto, “Aula Cultural e Interactiva en Isla de Chira”, um dos projetos impulsionados por Puntos de Cultura no período 2017-2018)

Tags | ,

13

Sep
2018

EmDestaque
Notícias

PorIberCultura

Economia colaborativa e sustentável é tema de atividade de formação no Uruguai

Em13, Sep 2018 | EmDestaque, Notícias | PorIberCultura

Nos dias 7 e 8 de setembro, foi realizada a segunda instância formativa para a Rede de Pontos de Cultura no Uruguai, com o apoio do programa IberCultura Viva. As duas jornadas de formação, desta vez em “Economia colaborativa e sustentável”,  ficaram a cargo das argentinas Adriana Benzaquén e Rocío Bustamante, integrantes da Escola de Economia Colaborativa. As atividades foram realizadas no Espaço Espínola Gómez, em Montevidéu, onde funciona a Área Cidadania Cultural da Direção Nacional de Cultura, do Ministério de Educação e Cultura de Uruguai.

Esta formação teve como antecedentes outras duas jornadas em “Comunicação e cultura”, nos dias 3 e 4 de agosto, a cargo de dois professores da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina): Luis Alberto Quevedo, diretor da faculdade, e Belén Igarzábal, coordenadora da área de Comunicação e Cultura. Este primeiro seminário estava destinado aos primeiros 16 Pontos de Cultura reconhecidos pelo Estado uruguaio.

Nesta segunda oportunidade, as jornadas foram para estes primeiros 16 Pontos, aos que se somaram outros 32 de um segundo registro. Aos atuais 48 que integram a Rede de Pontos de Cultura do Uruguai, serão somados novo coletivos, a partir de uma terceira convocatória que está sendo realizada pela plataforma Cultura en Linea (http://culturaenlinea.uy).

Para saber mais do programa Puntos de Cultura do Uruguai: http://pdc.culturaenlinea.uy

Tags | , , ,

01

Jun
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Rede de Pontos de Cultura do Uruguai realiza sua primeira reunião em Montevidéu

Em01, Jun 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Na terça-feira, 29 de maio, foi realizada no Espaço Espínola Gómez, em Montevidéu, a primeira reunião da Rede de Pontos de Cultura do Uruguai. Representantes dos 16 Pontos reconhecidos pelo Estado se juntaram com a equipe de gestão para discutir o Plano de Trabalho 2018-2019.

As novidades da reunião passaram pela apresentação do programa e suas características locais, assim como as distintas fases de trabalho planejadas para o período. Dentro das fases de trabalho, foi apresentado o plano de formação para os Pontos de Cultura no Uruguai, em acordo com o programa IberCultura Viva.

O Programa de Formação em Gestão Cultural e de Projetos de Base Comunitária, realizado em parceria com IberCultura Viva, tem os seguintes blocos de conteúdos:

  • Comunicação de projetos culturais comunitários. A comunicação como ferramenta estratégica da gestão. Os processos de comunicação dentro de instituições culturais. Os meios e as redes sociais como canais​ ​para​ a​ ​difusão​ ​e​ ​participação​ ​em​ ​projetos​ ​culturais​ ​comunitários. (Data proposta: julho de 2018. Docentes: Alberto Quevedo e Belén Igarzábal, da Flacso – Argentina)
  • Economia colaborativa e sustentável. Intercâmbio de bens e serviços através de plataformas digitais e modelos de consumo alternativos. Novas economias urbanas. Financiamento​ ​colaborativo​. (Data: setembro de 2018. Com Adriana Benzaquen – Argentina)
  • Abordagem e intervenção em território e gestão de organizações. Instrumentos e ferramentas para a identificação de problemas e a intervenção para possíveis soluções das organizações culturais comunitárias. Estratégias de comunicação e criação de vínculos com a comunidade. (Data: outubro de 2018. Com Rosario Lucesole – Unidade Técnica IberCultura Viva)
  • Políticas para a promoção de projetos culturais comunitários no Uruguai. Fundos concursáveis disponíveis, Editais Iber. Sustentabilidade e desenvolvimento. Etapas para o desenvolvimento de um projeto cultural comunitário. Necessidades e recursos. (Data: novembro de 2018. Com especialistas locais e Franco Rizzi – Unidade Técnica IberCultura Viva)

Durante a reunião, conversou-se sobre a possibilidade de gerar um espaço para o intercâmbio de “saberes”, de forma a potenciar a rede de Pontos e, ao mesmo tempo, fazer circular os conhecimentos que os coletivos possuem pelo tempo de trabalho em suas comunidades.

Também se apresentou a possibilidade de desenvolver linhas de trabalho coordenadas com os programas que integram a Área de Cidadania Cultural: Usinas Culturais, Fábricas de Cultura, Programa de Fortalecimento de Festas Tradicionais, Centro Cultural Urbano e Sistema Nacional de Circulação, entre outros. O mesmo com outras áreas e institutos do MEC: Instituto Nacional de Artes Cênicas, Instituto Nacional de Artes Visuais, Área de Música e Área de Letras. Concretamente, em acordo com o INAE, dentro do Plano Nacional de Dança, os integrantes dos Pontos de Cultura vinculados às artes cênicas poderão participar da Capacitação de Multiplicadores Culturais.

Como aspectos transversais a este Plano de Trabalho, se articulará interinstitucionalmente com as entidades que formam parte do processo de seleção dos aspirantes ao registro — Ministério de Desenvolvimento Social, Direções de Cultura departamentais,  prefeituras –, em instâncias que vão em consonância com os objetivos do programa.

O site http://pdc.culturaenlinea.uy será o espaço virtual que congregará toda a informação do programa. Nele há uma agenda de atividades, que se alimentará automaticamente com a informação disponibilizada por cada Ponto de Cultura na plataforma http://culturaenlinea.uy.

Fonte: Dirección Nacional de Cultura/MEC

Leia também:

Anunciados os 16 primeiros Pontos de Cultura do Uruguai

 

Tags | ,

02

May
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Pontos de Cultura da Argentina se reúnem para debater os alcances dos projetos comunitários

Em02, May 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Fotos: Flor Pinto/Puntos de Cultura

 

Na última sexta-feira, 27 de abril, foi realizada na Argentina uma jornada de debate e capacitação para Pontos de Cultura e organizações culturais de base comunitária no auditório da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (Flacso), na cidade de Buenos Aires. Cerca de 50 pessoas participaram das discussões sobre as estratégias de comunicação em projetos culturais comunitários, os impactos, alcances e limitações do setor no país.

A atividade, realizada pelo programa Puntos de Cultura com o apoio de IberCultura Viva, foi uma solicitação da Escola de Cultura Comunitária (ECC), lançada pelo Ministério de Cultura da Argentina dentro do trabalho que vem sendo desenvolvido para a formação e capacitação em torno da gestão cultural pública.

Esta foi a primeira das três jornadas de capacitação de Pontos de Cultura previstas para o ano de 2018, dentro das atividades de formação do IberCultura Viva. Entre seus objetivos estavam o propiciar um espaço de diálogo e intercâmbio para as distintas experiências de comunicação comunitária; armar uma mostra de produções audiovisuais; gerar uma mesa de debate em torno do impacto e da medição do trabalho comunitário, e construir indicadores e eixos para sistematizar e aprofundar o tema proposto.

A mesa de debate

A jornada começou pela manhã,  com uma mesa de debate moderada por Diego Benhabib, coordenador de Pontos de Cultura da Argentina. Também estavam presentes Juan Manuel Díaz, Belén Igarzábal e Gabriela Fiochetta.

Juan Manuel Díaz forma parte da equipe de Pontos de Cultura e desde o ano 2002 é integrante do Coletivo de Comunicação Popular Abriendo Caminos / La Comunitaria TV. No âmbito do Ministério da Cultura, desde 2006 realiza oficinas em distintos bairros e escolas da Argentina, onde os jovens produzem conteúdos que ajudam a construir olhares e mostrar seu território.

Belén Igarzábal e Gabriela Fiochetta

Belén Igarzábal é diretora da Área Comunicação e Cultura da FLACSO – Sede Argentina, coordenadora acadêmica da pós-graduação “Gestão cultural e comunicação” e diretora das pós-graduações “Políticas Culturais de Base Comunitária” e “Educação, Imagens e Meios”. Atualmente, participa de uma equipe de pesquisa sobre meios, audiências e TIC (tecnologia de informação e comunicação). Também é professora na Universidade de San Andrés.

Gabriela Fiochetta é atriz e comunicadora. Forma parte do multi-meio comunitário La Mosquitera, uma organização que faz comunicação popular há 17 años na província de Mendoza e que foi escolhida como responsável provincial da Rede Nacional de Pontos de Cultura e é membro da Comissão Nacional de Pontos de Cultura.

Juan Manuel Díaz

A roda de conversa

À tarde foi a vez de uma roda de conversa sobre impacto e medição do trabalho comunitário. Participaram deste espaço Gerardo Sánchez, diretor do SInCA (Sistema de Información Cultural de la Argentina), junto com parte de sua equipe, Federico Catalano e Mariana Kunst, compartilhando o informe sobre a Pesquisa Nacional de Consumos Culturais e alguns dados sobre cultura comunitária.

Também participou Emiliano Fuentes Firmani, secretário executivo da Unidade Técnica de IberCultura Viva, que trouxe uma mirada sobre a necessidade de construir análises sobre o impacto das práticas territoriais da cultura comunitária. Quem moderou este espaço foi Rosario Lucesole, consultora de projetos do IberCultura Viva e integrante da equipe do programa Pontos de Cultura na Argentina, que aportou algunos eixos gerais abordados na “Análisis de Impacto del programa Puntos de Cultura en territorio” (2015).

Tags | , ,

27

Apr
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Programa Pontos de Cultura de Costa Rica abre edital para projetos a serem realizados em 2019

Em27, Apr 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

A Direção de Cultura do Ministério de Cultura e Juventude (MCJ) de Costa Rica abre nesta sexta-feira (27/04) o quarto edital de Pontos de Cultura. O programa, lançado no país em 2015, incentiva o exercício dos direitos culturais, mediante o reconhecimento do trabalho realizado por organizações, redes, iniciativas coletivas e espaços socioculturais vinculados com a promoção da diversidade cultural, a economia social solidária e a salvaguarda do patrimônio cultural e natural.

“Pontos de Cultura é uma oportunidade para fortalecer o trabalho que as organizações socioculturais já estão fazendo para o cuidado e a transformação da cultura em seus territórios. É uma ferramenta muito eficaz para ativar e aprofundar processos que essas mesmas organizações já vêm desenvolvendo”, afirma Fresia Camacho, diretora de Cultura do MCJ.

Postulações

Os postulantes poderão apresentar propostas até um máximo de ¢10.000.000 (dez milhões de colones, o equivalente a 17.600 dólares) e cuja execução deverá ser realizada durante os meses de novembro de 2018 a novembro de 2019. O prazo de inscrições estará aberto até 27 de julho de 2018.

Podem participar do edital associações, fundações, sociedades civis sem fins lucrativos, associações de desenvolvimento, cooperativas autogeridas vinculadas com temáticas culturais e Juntas de Educação, Saúde, etc. As organizações interessadas devem ter sua personalidade jurídica em dia e estar devidamente inscritas no Registro Público correspondente.

Categorias

Assim como as três convocatórias anteriores, as categorias do fundo concursável são quatro: a) arte para a transformação social; b) meios e propostas de comunicação comunitária; c) fortalecimento organizacional, e d) cultura para o bem viver.

Como critério de seleção será considerada a coerência entre os objetivos propostos, os resultados esperados, as atividades, o cronograma e o orçamento, bem como a estabilidade da organização no tempo e a experiência na gestão de projetos e no manejo de fundos públicos ou privados. Também serão tomados em conta as contrapartes e a estratégia de sustentabilidade, a temática, o arraigo e a participação comunitária, além da distribuição por região. Se dará um ponto adicional aos projetos que apresentem um trabalho em torno do tema de novas masculinidades.

O anúncio dos projetos selecionados se dará até o mês de outubro, nas páginas web www.dircultura.go.cr y www.mcj.go.cr.

 

Formulário Puntos de Cultura 2018.

Bases de participação para Programa de Pontos de Cultura 2018-2019.

Regulamento do Programa Pontos de Cultura

(Fonte: Dirección de Cultura/MCJ)

*Foto em destaque: Peña Cultural Ramonense, um dos projetos vencedores do edital de Pontos de Cultura 2016-2017, na categoria “Arte para a transformação social”

Tags | ,

12

Oct
2017

EmNotícias

PorIberCultura

Começa nesta sexta-feira o 2º Encontro Nacional de Pontos de Cultura do Peru

Em12, Oct 2017 | EmNotícias | PorIberCultura

Será realizado este fim de semana em Lima o II Encontro Nacional de Pontos de Cultura de Peru. Mais de 200 organizações devem participar das atividades na sede central do Ministério da Cultura nesta edição que tem como lema “Yanapanakuy”. O vocábulo quechua, cujo significado é “ajudar-se mutuamente”, dá ideia do que se busca com este espaço de diálogo e reflexão: que contribua para o fortalecimento da Rede Nacional de Pontos de Cultura, tendo como princípios básicos o respeito, o diálogo e a ajuda mútua.   

Cerca de 30 representantes de Pontos de Cultura participaram da construção da programação, que será aberta nesta sexta-feira 13 e ocupará distintos espaços do Ministério da Cultura (Av. Javier Prado Este 2465, San Borja-Lima) até domingo. As atividades propostas têm a intenção de oferecer espaços para o reconhecimento entre os membros da Rede Nacional de Pontos de Cultura, a reflexão e o balanço da gestão, assim como a construção de ações estratégicas que permitam a implementação da Lei n° 30487, “Ley de Promoción de los Puntos de Cultura”.

A programação inclui fóruns macrorregionais (Norte, Lima/Callao, Sur, Oriente e Centro), mesas de trabalho, oficinas e encontros de criação coletiva. Também estão previstas seis rodas de conversa (entre elas, “Enfoques e possibilidades de financiamento e autogestão”, “Incidência e participação cidadã”, “Redes e articulações vinculadas ao trabalho cultural comunitário” e “Experiências latino-americanas de Cultura Viva Comunitária”). A plenária de encerramento está marcada para começar às 16h de domingo.

Na segunda-feira (16/10), terminado o II Encontro Nacional de Pontos de Cultura, será realizada a 7ª Reunião do Conselho Intergovernamental IberCultura Viva. Esta reunião, a segunda promovida pelo programa este ano (a anterior se deu em Montevidéu, em maio), terá como objetivo discutir a elaboração do plano estratégico trianual 2018-2020.

Primeiro encontro

O I Encontro Nacional de Pontos de Cultura do Peru se deu na cidade de Cusco, de 28 de novembro a 1º de dezembro de 2013, com a presença de representantes de 102 Pontos de Cultura, especialistas e gestores culturais do Brasil, de Costa Rica, Colômbia, Argentina, Bolívia e responsáveis pelas Direções Desconcentradas de Cultura de todas as regiões peruanas.

O encontro teve como objetivo geral contribuir para o fortalecimento da Rede de Pontos de Cultura e a consolidação do programa, demonstrando a efetividade de políticas públicas baseadas no diálogo Estado-sociedade civil e no reconhecimento da cultura como eixo e motor do desenvolvimento comunitário.

Lei de Pontos

Além de propiciar o reconhecimento, por parte dos Pontos de Cultura, do trabalho realizado por seus pares, contribuindo para a coesão da rede e a criação de alianças para o trabalho conjunto, o I Encontro Nacional buscava validar a proposta de anteprojeto da Lei de Promoção dos Puntos de Cultura a partir do intercâmbio com referências de outros países da região.

Depois de longas jornadas de trabalho, chegou-se à redação final do documento, assinada pelas 58 organizações que permaneceram até o final do debate. A proposta de anteprojeto de lei foi apresentada pelo Centro Cultural Sagitario à congressista Natalie Condori, primeira vice-presidenta do Congresso da República do Peru. Após um longo processo participativo entre organizações culturais e o Ministério de Cultura, se promulgou em 15 de julho de 2016 a Lei n° 30487, Ley de Promoción de los Puntos de Cultura.

Primeiros passos

O programa Pontos de Cultura teve início no Peru um pouco depois da criação do Ministério de Cultura, em 2011, quando se decidiu impulsionar um projeto piloto em dois distritos de Lima: Carabayllo e Villa El Salvador. Oficinas artísticas foram levadas a dezenas de crianças e jovens por organizações culturais emblemáticas dos dois distritos (Arenas y Esteras, Vichama Teatro, e Casa Infantil y Juvenil de Arte y Cultura-CIJAC, em Villa El Salvador, e Puckllay Arte y Comunidad, em Carabayllo).

O ano de 2012 foi marcado pelo desenho participativo das bases de Pontos de Cultura e o lançamento do Registro Nacional de Pontos de Cultura. Os primeiros 50 Pontos de Cultura foram reconhecidos pelo Ministério de Cultura do Peru em dezembro de 2012. Atualmente, são 291 os Pontos de Cultura reconhecidos no país.

O reconhecimento

Podem ser reconhecidas como Pontos de Cultura organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que utilizem a arte e a cultura como instrumento essencial de formação; grupos de arte comunitária; movimentos ou redes que valorizem o papel da cultura no desenvolvimento; bibliotecas, rádios comunitárias e meios virtuais que busquem ampliar o acesso à produção cultural; coletivos de artistas que enfatizem a relação com os cidadãos; e todas aquelas iniciativas sustentáveis que reconheçam e fomentem a cultura como eixo e motor de desenvolvimento.

As organizações culturais que queiram fazer parte do programa fazem seu registro e apresentam ao Ministério de Cultura informações sobre sua trajetória. Uma vez avaliadas, e constatado o trabalho continuado e de positivo impacto na comunidade, são reconhecidas oficialmente, o que lhes permite ter acesso a uma série de oportunidades de formação, financiamento parcial de projetos, visibilização de seu trabalho, intercâmbios, assessoria legal, entre outras. Por sua parte, as organizações se comprometem a participar ativamente dos espaços de consulta, intercâmbio, prestação de contas e informes que a gestão de Pontos de Cultura demanda.

Saiba mais: www.puntosdecultura.pe

“Unidos somos semilla” – Inclusión y ciudadanía desde el arte y la cultura (Memoria institucional de Puntos de Cultura 2011-2015)

Tags | , ,

27

Sep
2017

EmNotícias

PorIberCultura

II Encontro Nacional de Pontos de Cultura do Peru: três dias de diálogo e ajuda mútua

Em27, Sep 2017 | EmNotícias | PorIberCultura

De 13 a 15 de outubro, mais de 200 organizações reconhecidas como Ponto de Cultura no Peru terão um espaço de encontro e trabalho conjunto na cidade de Lima. Em sua segunda edição, o Encontro Nacional de Pontos de Cultura é um espaço de diálogo e participação, voltado para o estabelecimento de prioridades de ação conjunta dentro da Rede Nacional de Pontos de Cultura, com o objetivo de contribuir ao fortalecimento de políticas públicas de promoção das artes e das culturas em comunidade no Peru.

O I Encontro Nacional de Pontos de Cultura do Peru foi realizado em 2013, na cidade de Cusco, e contou com a participação de mais de 100 organizações reconhecidas como Ponto de Cultura. Neste espaço, as organizações puderam conhecer-se, reconhecer-se, identificar necessidades e potencialidades, assim como compartilhar diversas metodologias e aprendizados. Também durante este encontro se discutiu e aprovou a proposta de Anteprojeto de Lei de Promoção dos Pontos de Cultura, apresentada ao Congresso da República do Peru no primeiro trimestre do ano passado.

 

Este II Encontro vem sendo construído participativamente com mais de 30 representantes de Pontos de Cultura em nível nacional. Dentro da programação há espaços para o reconhecimento entre as/os membros da Rede Nacional de Pontos de Cultura, a reflexão e o balanço da gestão de Pontos de Cultura, oficinas e mesas de diálogo, assim como momentos de proposta e construção de ações estratégicas que permitam a implementação da Lei n° 30487, Lei de Promoção dos Pontos de Cultura.

Nos dias 13, 14 e 15 de outubro, as/os representantes das organizações vão se reunir na sede central do Ministério de Cultura. A partir do vocábulo quechua Yanapanakuy, que significa ajudar-se mutuamente, busca-se que este espaço contribua para o fortalecimento da Rede Nacional de Pontos de Cultura, tendo como princípios básicos o respeito, o diálogo e a ajuda mútua.

Durante o II Encontro Nacional de Pontos de Cultura será realizada também a 7ª Reunião do Conselho Intergovernamental do Programa Ibercultura Viva.  Esta reunião terá como objetivo discutir a elaboração do plano estratégico trianual 2018-2020.

Fonte: Puntos de Cultura – Ministerio de Cultura de Perú

Tags | , ,

26

Sep
2017

EmNotícias

PorIberCultura

Costa Rica anuncia os 21 projetos selecionados no terceiro edital de Pontos de Cultura

Em26, Sep 2017 | EmNotícias | PorIberCultura

Texto e fotos: Comunicación Dirección de Cultura MCJ-CR  

Intercâmbios de saberes, salvaguarda do entorno natural e cultural, festivais comunitários, arte em comunidades vulneráveis, apropriação de espaços públicos no centro de San José, e até um intercâmbio entre povos originários do sul de Costa Rica e Panamá, formam parte dos 21 projetos selecionados na terceira edição do fundo “Puntos de Cultura”, em Costa Rica. Os projetos começam a ser executados em novembro deste ano e seguem até o final de 2018.

O fundo, administrado pela Direção de Cultura do Ministério de Cultura e Juventude, é um programa de estímulos e sinergias dirigido ao fortalecimento das organizações, redes, iniciativas coletivas e espaços socioculturais vinculados com a promoção da diversidade cultural, da economia social solidária e da salvaguarda do patrimônio cultural e natural.

“Para minha organização, ser selecionada como Ponto de Cultura é uma forma de fazer democracia, é uma forma de empoderar as mulheres, é um respaldo a todo este esforço cultural que as mulheres rurais viemos fazendo toda a vida”, ressaltou Matilde Gómez, representante da Red Sancarleña de Mujeres Rurales.

A terceira edição deste fundo concursável recebeu 43 propostas de projetos, dos quais foram selecionados 21 como ganhadores. Eles devem ser executados durante o período 2017 – 2018.

As organizações socioculturais selecionadas receberão um valor máximo de 10 milhões de colones (o equivalente a 17 mil dólares), segundo as necessidades e os orçamentos estabelecidos nos projetos. No total, serão entregues 190,5 milhões de colones (cerca de 330.000 dólares), distribuídos entre os 21 projetos.

Os projetos ganhadores estão distribuídos nas seguintes categorias:

  • Cultura para o Bem Viver: 7 projetos
  • Meios e Propostas de Comunicação Comunitária: 1 projeto
  • Arte para a Transformação Social: 8 projetos
  • Fortalecimento Organizacional: 5 projetos

A execução dos projetos selecionados beneficiará a uma grande variedade de comunidades de San José (5), Heredia (2), Limón (1), Zona Sur (2), Nacional (1), Zona Norte (4), Puntarenas (3), Cartago (1) y Guanacaste (2).

Uma das grandes apostas desta edição é o projeto da Asociación de Artistas y Creadores de Monteverde, cujo objetivo consiste em desenvolver nos grupos e iniciativas culturais existentes em Monteverde capacidades de planejamento, gestão cultural e integração de esforços, com o fim de contribuir para a integração de uma comunidade com alta diversidade e riqueza de expressão artística.

“Puntos de Cultura acredita que a melhor maneira de propiciar a vitalidade dos processos culturais comunitários é apostando nestas iniciativas e projetos, que existiam desde antes, desenvolvidos por grupos, redes e distintos tipos de organizações socioculturais. É nessa força viva que nasce a possibilidade da transformação cultural e o cuidado da convivência, da identidade e do ambiente.  Além disso, Puntos reforça os direitos culturais ao reconhecer o protagonismo da participação civil”, destaca Fresia Camacho, diretora de Cultura do Ministério da Cultura e Juventude.

A escolha dos projetos foi realizada pela Comissão Selecionadora, composta por representantes da Direção de Cultura do MCJ, universidades públicas e organizações culturais inscritas no SiCultura (Sistema de Informação Cultural do MCJ).

Projetos selecionados

  1.    Asociación Cultural de Guácimo Respirarte, com o projeto “Desde la raíz articulando arte y comunidad”, na provincia de Limón.
  2.    Asociación Para el Desarrollo Empresarial para las Mujeres de Acosta, com o projeto “Creando espacios socioeducativos y culturales en la casa de la mujer de Acosta”, na provincia de San José.
  3.    Asociación de Desarrollo Integral San Jerónimo de Esparza, com o projeto “Semillas Artísticas Esparzanas”, na provincia de Puntarenas.
  4.    Liceo Ambientalista, com o projeto  “Aula a cielo abierto para el desarrollo de una cultura ambiental”, no cantão de Sarapiquí da provincia de Heredia.
  5.    Guanared, com o projeto “El telar en movimiento”, de alcance nacional.
  6.    FECON (Federación Costarricense para la Conservación del ambiente), com o projeto “Cultura, árboles, semillas”, na Zona Norte.
  7.    World Vision Costa Rica, com o projeto: “Pazarte: Transferencia de la cultura de paz entre jóvenes utilizando la comunicación y el arte como vehículos de promoción social”, na Zona Norte.
  8.    Asociación Administradora del Acueducto Rural de Poás y Barrio Corazón de Jesús, Aserrí, com o projeto “Recreos Pasados por Agua II edición 2018” em San José.
  9.    ADEPA, com o projeto “Santo Domingo Cultural”, em Heredia.
  10.  Pausa Urbana, com o projeto “La noche vive la plaza”, em San José.      
  11.  ARS Monteverde, com o projeto “Tejiendo Cultura en Monteverde”, em  Puntarenas.
  12. Asociación Renuevos com o projeto   “Generando procesos de autoencuentro y autoconocimiento para los niños, niñas y jóvenes de la Carpio”, em San José.
  13.  Asociación Patriótica Específica de Purral, com o projeto “Fortalecimiento de la Casa de La Cultura Purral APEP II Etapa”, em  San José.
  14.  Asociación Cámara de Turismo Río Zapote, com o projeto “Fiesta Cultural Upala Casa Grande”, na Zona Norte.
  15.  FUNLEER, com o projeto “Verde que te quiero verde”, em  Cartago.
  16.  Asociación de desarrollo para la inclusión social y vida independiente de las personas con discapacidad del Cantón de Coto Brus, Puntarenas, com o projeto “La discapacidad en vuelo”, na Zona Sur.
  17.  Asociación de Desarrollo Especifica de Cultura Popular de Playas del Coco, com o projeto “El Coco, Construyendo Cultura”, em  Guanacaste.
  18.  Asociación Red Sancarleña de Mujeres Rurales, com o projeto “Santuario de Semillas como la Gastronomía Rural”, na Zona Norte.
  19.  Mujeres Mano de Tigre, Orcuo Dobön, com o projeto “Fortalecimiento de la Cultura Térraba”, em  la Zona Sur.
  20.  La voz de Guanacaste, com o projeto “Cine en mi Barrio” en Guanacaste.
  21.  Asociación de Desarrollo Integral Isla de Chira, com o projeto “Aula Cultural e Interactiva Isla de Chira”, em Puntarenas.

Mais informações: puntos@dircultura.go.cr

Tags | , ,

17

Nov
2016

EmNotícias

PorIberCultura

Encontro de Pontos de Cultura da Argentina reunirá referências da cultura comunitária

Em17, Nov 2016 | EmNotícias | PorIberCultura

logo-encontro-maiorO 3º Encontro Nacional de Pontos de Cultura de Argentina será realizado no Centro Cultural San Martín (Sarmiento, 1551, Buenos Aires) de 30 de novembro a 2 de dezembro. Serão três dias de conferências, capacitações, oficinas, fóruns regionais e de redes, grupos de trabalho temáticos, mostras de produções artísticas e espetáculos.

As atividades buscam consolidar o trabalho de articulação dos Pontos de Cultura, e propor espaços de formação e reflexão acerca das práticas das organizações de cultura comunitária e da gestão cultural. Na Argentina, a Rede Nacional de Pontos de Cultura conta com 650 organizações, que se dedicam a potenciar o desenvolvimento artístico, comunicacional, produtivo e a valorização da identidade local.

Durante o encontro também será realizado o 1º Encontro de Redes IberCultura Viva, com a presença de mais de 30 convidados de 17 países ibero-americanos.

Buenos Aires. 24 de mayo de 2016 - En la "Casa Central de la Cultura" en la villa 21-24, se lanzó el programa "Puntos de Cultura" 2016 Fotos: Mauro Rico/ Ministerio de Cultura de la Nación.

(Foto: Mauro Rico/ Ministerio de Cultura de la Nación)

Primeiro dia

A programação começa na quarta-feira, 30 de novembro, às 9h, com uma apresentação sobre políticas de cultura viva comunitária  e o Programa Pontos de Cultura. Para as 11h30 está prevista uma conferência do historiador Célio Turino, um dos impulsores do programa Cultura Viva e dos Pontos de Cultura no Brasil.

Das 14h30 às 17h, a programação está destinada a representantes de Pontos de Cultura que busquem desenvolver estratégias de fortalecimento para seus projetos comunitários. As oficinas são simultâneos, em espaços distintos, e abordam as seguintes temáticas: “Gestão cultural das organizações”, “Como gestar a personalidade jurídica”,  “Apresentação de projetos culturais”, “Registro audiovisual”, “Sistematização de experiências comunitárias” e “Como armar sua oficina de Entrelaçando Experiências”. (Entrelaçando Experiências é uma iniciativa dos Pontos de Cultura para o intercâmbio de saberes)

Das 17h30 às 20h haverá duas oficinas de economia colaborativa e sobre a metodologia do Museu da Pessoa, e conversas sobre “A relação com o Estado e a autodeclaração como Ponto de Cultura” e “Qual é o impacto de nosso trabalho?”, além de espetáculos e mostra de produções dos Pontos.

15691233749_c96c786e55_z

Segundo dia

A quinta-feira, 1º de dezembro, começa com as seguintes mesas de exposições das 9h às 11h: “Cultura, território e desenvolvimento”, “Movimento de Cultura Viva Comunitária”, “Cultura e participação cidadã”, “Identidades, saberes comunitários e diversidade cultural”, “Cultura e comunicação”, “Descolonização e despatriarcalização”, “Arte e transformação social”, “Cultura e economia social” e “Direitos culturais”.

Às 11h30 serão abertos os fóruns, com uma apresentação sobre a experiência da Comissão Nacional de Pontos de Cultura no Brasil e a metodologia do trabalho em rede. Em seguida vêm os fóruns regionais e os fóruns temáticos, a partir das 14h30: “Coletivos de comunicação popular”, “Coletivos artísticos, grupos de teatro comunitário, expressões de carnaval”, “Centros culturais independentes e autogestivos”, “Bibliotecas populares, clubes sociais e esportivos e espaços educativos” e “Coletivos de diversidade”.

Dois bate-papos estão previstos para as 17h30: “Qual é o impacto de nosso trabalho?” e “Relação com o Estado e a autodeclaração como Ponto de Cultura”. Às 19h30 tem a conferência “Redes e Cultura Viva Comunitária”, e às 20h30, a mostra e os espetáculos artísticos.

Caravana CVC durante o I Congresso Nacional de Cultura Viva Comunitária. Foto: Oliver Kornblihtt

(Foto: Oliver Kornblihtt)

Terceiro dia

A sexta-feira, 2 de dezembro, estará dedicada a experiências ibero-americanas de Cultura Viva Comunitária, abordando as temáticas “criatividade comunitária”, “criação coletiva” e “trabalhos de identidade”. Propostas de criatividade e criação coletiva também estão programadas para este dia, além de fóruns regionais e apresentações de produções de Pontos de Cultura. Um festival cultural comunitário encerra a programação do encontro nacional no Galpão de Catalinas (Benito Pérez Galdós 93).

Entre os palestrantes do encontro estão Enrique Avogadro, secretário de Cultura e Criatividade do Ministério da Cultura da Argentina; Victor Vich, pesquisador e professor da Universidade Católica do Peru; e Iván Nogales, sociólogo boliviano fundador do Teatro Trono e Comunidad de Productores en Artes (Compa).

Também estão na programação a socióloga Marisa Revilla Blanco, professora na Universidade Complutense de Madrid; Francisco Benítez, coordenador geral do Programa de Economia das Culturas e Produção Cultural do Instituto de Cultura do Chaco; Benjamín González Pérez, gestor cultural, professor e fundador da Fábrica de Artes y Oficios (FARO) de Oriente na Cidade do México; e Carolina Wajnerman, psicóloga especialista em arte-terapia, integrante de Mujertrova, Colectivo FindeUNmundO y Artecipación.

Saiba mais: http://encuentropdc.cultura.gob.ar.

Tags | ,