Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

OCC

14

Aug
2018

EmNotícias

PorIberCultura

No Chile, organizações culturais de Coquimbo trocam experiências em torno da gestão comunitária

Em14, Aug 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Nos dias 11 e 12 de agosto, foi realizado o 2º Encontro de Intercâmbio de Experiências “Hablemos de Gestión Comunitaria”, na Casa das Culturas de Los Vilos, na região de Coquimbo (Chile).

A iniciativa foi organizada pela Secretaria Regional Ministerial (Seremi) das Culturas, das Artes e do Patrimônio e contou com a participação de organizações de Los Vilos, La Serena, Ovalle, Canela, Andacollo, Coquimbo, Salamanca, Río Hurtado e Paihuano.

Durante as duas jornadas, os representantes das organizações culturais comunitárias da região buscaram refletir em torno do fazer comunitário e seu impacto no desenvolvimento dos territórios e no bem-estar de seus habitantes.

Além de trocar experiências acerca de metodologias de trabalho e de intervenção que executam nas localidades onde estão inseridas, delinearam em conjunto as bases para uma proposta de política pública para o setor comunitário, como um eixo transversal no trabalho de todas as instâncias setoriais, tanto nacionais como regionais.

“Este é um rito significativo, já que surge à raiz de um processo de cocriação, em que os cidadãos e o Estado trabalham de maneira conjunta na formulação de uma política para o setor comunitário”, observou a secretária das Culturas, das Artes e do Patrimônio da região de Coquimbo, Isabel Correa.

“Tivemos a participação de organizações das três províncias que intercambiaram experiências e reflexões em torno da gestão comunitária, já que eles são a base para esta mudança de paradigma, como atores relevantes nas transformações sociais”, destacou.

Atualmente, a Secretaria Ministerial das Culturas em Coquimbo trabalha com 14 organizações da região, que em uma mesa de trabalho definem de maneira colaborativa o trabalho a realizar.

Fonte: Ministerio de las Culturas, las Artes y el Patrimonio

Tags | , , ,

28

Jun
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Organizações Culturais Comunitárias do Norte do Chile reúnem-se em Arica

Em28, Jun 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Mais de 60 gestores culturais da Zona Norte do Chile se encontraram na cidade de Arica para participar do Encontro de Organizações Culturais Comunitárias, nos dias 22 e 23 de junho, no Hotel del Valle.

A atividade, organizada pelo programa Red Cultura, da Secretaria Ministerial Regional das Culturas, das Artes e do Patrimônio, teve como objetivo facilitar o encontro e a coordenação entre organizações culturais da Macrozona Norte do Chile, mediante o intercâmbio  de experiências e reflexionando sobre conceitos fundamentais da gestão cultural, como autonomia, protagonismo social, educação, comunidade e povos originários.

Seremi Enrique Urrutia

“É fundamental que os atores culturais do Norte do Chile se conheçam para fortalecer seu trabalho. Este encontro busca formar redes de apoio e fortalecer a cultura gerada por artistas e gestores em distintos espaços e territórios”, ressaltou Enrique Urrutia, secretário regional ministerial (Seremi) das Culturas, das Artes e do Patrimônio.

O Encontro de Organizações Culturais da Macrozona Norte, que reuniu representantes das regiões de Coquimbo, Antofagasta, Arica e Parinacota, contemplou exposições, mesas de trabalho e sistematizações de cada experiência cultural local.

Entre os expositores, destacou-se a presença de Cristian Mayorga, do Coletivo Mandrágora, de Valparaíso; Julio Lorca, da Corporação Arteduca, da Região Metropolitana, e Joe Rodriguez, da Associação Cultural Arpegio, do Peru.

Joe Rodríguez apresentou a experiência da Associação Arpegio no Peru

 

Fonte:  Ministerio de las Culturas, las Artes y el Patrimonio

 

Tags | ,

07

Jun
2018

EmDestaque
Notícias

PorIberCultura

Encontro Nacional de Organizações Culturais Comunitárias do Chile: um balanço positivo

Em07, Jun 2018 | EmDestaque, Notícias | PorIberCultura

Representantes de 99 Organizações Culturais Comunitárias (OCCs), voceros de mesas provinciais e regionais do setor, e artistas que trabalham nos territórios de todo o Chile, se reuniram durante três dias em Mantagua, na Região de Valparaíso, para refletir sobre as realidades de seus trabalhos e articular um sistema conjunto e colaborativo que permita estabelecer uma política pública para o setor das OCCs.

O Primeiro Encontro Nacional de Organizações Culturais Comunitárias, organizado pelo Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio, através do Departamento de Cidadania Cultural, marcou o encerramento de um ciclo, após quatro anos de vinculação com centenas de OCCs, com as quais estreitaram-se os laços a partir das equipes regionais do Programa Red Cultura.

O subsecretário Juan Carlos Silva na abertura do encontro

O subsecretário das Culturas e das Artes, Juan Carlos Silva, agradeceu a presença de todas as pessoas representantes das OCCs “neste importante encontro que nos permite trocar experiências a partir das distintas realidades locais, e saber quais são as necessidades, os problemas e as vantagens que existem nas distintas localidades, regiões ou comunas, e também ver sinergias e oportunidades comuns”.

“É a partir das comunidades que nós, como nova institucionalidade cultural do país, poderemos fazer mais efetivos os planos e programas que desenvolvemos. Nossos planejamentos necessitam estar validados pelas comunidades, e não reduzir-se ao assistencialismo”, disse Silva, convocando as organizações culturais comunitárias a empoderar-se em seus territórios e exigir também dos governos municipais o apoio às ações de arte e cultura, assim como a implementação dos Programas Municipais de Cultura.

 

Balanço do encontro

Ao fazer o balanço deste primeiro encontro em nível nacional, a representante do programa IberCultura Viva, Begoña Ojeda, diretora de Programas Culturais e coordenadora da Área Cidadania Cultural da Direção Nacional de Cultura do Ministério de Educação e Cultura do Uruguai, ressaltou que “foi muito importante participar deste encontro enfocado no fortalecimento das OCCs, porque os valores do IberCultura Viva são, precisamente, promover o fortalecimento das redes, e aqui marcou-se um rito porque começou a articulação de uma rede nacional de organizações, com as tensões necessárias que têm que existir na conformação de redes”. “É muito importante a articulação do Ministério das Culturas com a sociedade civil organizada para poder gerar uma transformação para um melhor viver”, destacou Ojeda.

A maioria dos representantes de OCCs presentes neste primeiro encontro nacional concordou com a necessidade de criar uma rede que lhes permita identificar-se, conhecer-se, trabalhar colaborativamente e influir, unidos, no desenvolvimento da política cultural do país.

 

Durante os três dias do encontro, o trabalho de mesas levantou propostas em matéria de financiamento, legislação e política pública. As OCCs discutiram a necessidade de buscar diversos mecanismos de estímulo e apoio para o trabalho comunitário, analisando, entre outras vias, o financiamento direto e a distribuição equitativa de recursos nas comunidades, levando em conta as características locais; por exemplo, a situação das zonas e regiões extremas.

Pamela Rodríguez

Pamela Rodríguez, do Consejo de Cultura de Puyuhuapi, na Região de Aysén, assegurou que “levamos um grande desafio, um grande peso. Nem tudo tem sido fácil, mas foi um primeiro passo para nos reconhecermos e avançar. É importante que possamos nos unir em rede”. Nicolás Vega, representante de várias organizações culturais em Lota, na Região do Biobío, expressou que “foi muito gratificante participar do espaço de diálogo, construção e retroalimentação da cultura comunitária. Voltamos com conhecimentos metodológicos e muitos desafios para profissionalizar nosso trabalho nos territórios”.

Carolina Carrera

Carolina Carrera, representante da mesa de OCC em Talca, Região do Maule, comentou que chegou a este primeiro encontro “com a esperança de encontrar a energia dos gestores culturais que estão trabalhando nas comunidades”, e volta contente porque viu que há muita vontade de trabalhar unidos e criar redes. Por sua parte, Fernando Puente, da Compañía La Maquinaria, de Graneros, na Região de O’Higgins, disse estar “muito satisfeito e esperançoso”. “Vim com muita disposição e me vou com muitas expectativas do que resultará. Volto para minha comunidade para expor e por em prática o aprendido com tantas experiências”.

Os participantes do Primeiro Encontro Nacional de Organizações Culturais Comunitárias regressaram a seus territórios com vários desafios, entre eles o de repassar às comunidades os temas debatidos e a necessidade de seguir se organizando.

Fonte: Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio do Chile

(*Texto publicado originalmente no site do programa Red Cultura)

Tags | ,

30

May
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio do Chile realiza o 1º Encontro Nacional de Organizações Culturais Comunitárias

Em30, May 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

O 1º Encontro Nacional de Organizações Culturais Comunitárias (OCC) do Chile será realizado de 1º a 3 de junho em Mantagua, na Região de Valparaíso. Espera-se a participação de 108 representantes da sociedade civil, pertencentes a OCCs das 54 províncias do Chile (duas pessoas por província).

O objetivo geral deste encontro é fortalecer as alianças entre o Estado e a sociedade civil para a definição de políticas culturais que considerem as contribuições, os requerimentos e os acordos entre (e com) as organizações.

Este será um primeiro exercício para discutir coletivamente a política pública do setor, con mesas de trabalho em que também serão debatidas propostas de legislação e alternativas de financiamento para as OCCs chilenas. A ideia é ter uma proposta coletiva de implementação programática, realizada com a participação de representantes de OCCs e concluída antes da definição orçamentária de 2019, que começa a ser discutida em julho.



Direitos culturais

No programa Rede Cultura, o trabalho com as organizações culturais comunitárias marca um rito, tanto no que diz respeito ao institucional como ao programático. Além de impulsionar um novo tipo de relação com a comunidade, tem ajudado a estabelecer laços que vão além da implementação ou cumprimento de metas. E contribuído para a compreensão do sentido da política pública no território para (e com) a comunidade.

Faz quatro anos que se implementa no Chile um componente que aborda o trabalho, aporte e valor das organizações culturais no território, como colaboradores do dever do Estado em matéria de qualidade de vida das pessoas.

Neste quarto ano, inicia-se um período de instalação conceitual deste âmbito que, embora sempre presente nos programas públicos sobre desenvolvimento cultural territorial, começa a estabelecer níveis de significação com fatores associados à ação “participar” a partir de um enfoque de direitos culturais.

A definição da Política Nacional de Cultura “Cultura e desenvolvimento humano: Direitos e território” corrobora os eixos que o programa Rede Cultura e o componente  estabeleceram como mecanismo de mobilização de suas linhas e ações em particular nas regiões do país.

O 1º Encontro de OCCs da Região Metropolitana do Chile se deu em julho de 2017

Participantes

Além dos 108 representantes da sociedade civil pertencentes a OCCs chilenas, o encontro contará com mais de 30 pessoas das equipes Rede Cultura. Como representante do programa IberCultura Viva estará presente Begoña Ojeda, diretora de Programas Culturais e coordenadora da Área Cidadania Cultural da Direção Nacional de Cultura (DNC) do Ministério de Educação e Cultura do Uruguai.

Begoña Ojeda participará das atividades no dia 1º, compartilhando dados da realidade ibero-americana e uruguaia sobre políticas públicas associadas a Cultura Viva Comunitária (ou OCCs). No Uruguai, há um ano vem-se construindo um programa Pontos de Cultura, e este mês foram anunciadas as primeiras 16 organizações reconhecidas como Pontos de Cultura no país.

Tags | ,

07

Nov
2017

EmNotícias

PorIberCultura

Conselho da Cultura e das Artes do Chile realiza a Primeira Pesquisa Nacional de Organizações Culturais Comunitárias

Em07, Nov 2017 | EmNotícias | PorIberCultura

Com o objetivo de obter informação quantitativa e qualitativa atualizada acerca das organizações territoriais no âmbito da arte e da cultura, o Conselho Nacional da Cultura e das Artes (CNCA) do Chile convida todas as Organizações Culturais Comunitárias (OCC) do país a participar da 1ª Pesquisa Nacional online, que permitirá aperfeiçoar o perfil das organizações para a focalização de recursos e desenho programático.

A iniciativa é desenvolvida pelo CNCA, por meio do Programa Red Cultura, no contexto do Primeiro Estudo Linha Base sobre Organizações Culturais de Base Comunitária, cuja execução ficou a cargo da consultora ASIDES, mediante um processo de licitação pública.

As Organizações Culturais Comunitárias (OCC) realizam iniciativas e ações de caráter coletivo, sentido artístico e/ou cultural, associadas ao desenvolvimento ou impacto no território que habitam. Elas fortalecem a associatividade de seu entorno de maneira livre, autônoma e autogerida, em benefício da integração social.

A pesquisa nacional estará online até 1º de dezembro para todas as organizações que cumpram com alguma das seguintes características:

  • Grupo de pessoas que desenvolvam um trabalho permanente e contínuo, com mais de dois anos ininterruptos realizando ações específicas de caráter coletivo, com sentido artístico e/ou cultural, no espaço público.
  • Organizações – com ou sem personalidade jurídica – que tenham formalizado sua atividade a partir de uma estrutura de responsabilidades e compromissos, e que pertençam a uma comunidade localizada em determinado espaço territorial e geográfico.
  • Agrupações culturais e artísticas que articulem e dinamizem o território onde se inserem, constituídas sob uma lógica de aceitação da diversidade cultural e vocação de transformação territorial através da intervenção em âmbitos políticos locais e movimentos sociais e cidadãos.
  • Organizações que tenham alto reconhecimento social e protagonismo na comunidade,  contando com arraigo comunitário, gregário, familiar e cotidiano.
  • Entidades culturais que desenvolvam preferentemente atividades gratuitas com financiamento majoritário a partir da autogestão.

Além da Pesquisa Nacional online, o Primeiro Estudo Linha Base sobre Organizações Culturais de Base Comunitária considera a realização de oficinas em seis regiões piloto. Estas ações buscam favorecer a criação colectiva de uma política pública para o setor.

Tanto a pesquisa como o resto das ações contempladas no estudo respondem aos objetivos do Programa Red Cultura que enfocam a diminuição das diferenças na oferta comunal para o acesso e a participação da população em arte e cultura.

 

(*Texto publicado originalmente na página web do CNCA )

 

 

Tags | ,

24

Oct
2017

EmNotícias

PorIberCultura

Red Cultura seleciona 56 projetos no edital para Financiamento de Iniciativas Culturais Comunitárias no Chile

Em24, Oct 2017 | EmNotícias | PorIberCultura

O Conselho Nacional da Cultura e das Artes (CNCA) divulgou a lista de 56 projetos selecionados no edital do Programa Red Cultura para o Financiamento de Iniciativas Culturais Comunitárias 2017, dirigida a Organizações Culturais Comunitárias (OCC), com ou sem personalidade jurídica.

Foram distribuídos $ 220.499.902 pesos chilenos (cerca de US$ 350 mil) entre organizações culturais comunitárias de 9 regiões do país que desenvolvem um trabalho permanente e continuado no tempo, em torno de ações artísticas e culturais de caráter coletivo nos territórios e localidades.

Concorreram ao fundo de Financiamento de Iniciativas Culturais Comunitárias 389 projetos de 130 comunas do país. Dezesseis iniciativas estão na lista de espera, que se ativa à medida que a organização responsável não se apresente para assinar o convênio ou desista de desenvolver a iniciativa, por exemplo.

O edital, lançado no início do ano, tem como finalidade promover processos de fortalecimento de Organizações Culturais Comunitárias, a respeito de seu próprio desenvolvimento e incidência na gestão cultural do território que habitam,  e financiar o desenvolvimento de atividades artísticas e/ou culturais realizadas pelas organizações, promovendo boas práticas em ações participativas e de integração sociocultural nas localidades.

Graças ao aporte do Conselho Nacional da Cultura e das Artes, através deste financiamento do programa Red Cultura, serão desenvolvidas iniciativas relacionadas com migração, identidade cultural, patrimônio cultural, povos originários, artes visuais, circo, produção audiovisual, dança e teatro, entre outras áreas.

Os projetos vão se concretizar em diversos formatos,  entre eles carnavais, festivais, escolas, oficinas e mapeamentos culturais. O financiamento permitirá o apoio a planejamentos estratégicos, estratégias de comunicação, sistematização de boas práticas em cultura comunitária, plataformas digitais, instâncias de participação cidadã, assim como modelos de gestão com pertencimento territorial.

Pesquisa nacional

Na mesma linha de fortalecimento do trabalho das OCC, o Programa Red Cultura convidará nos próximos dias as organizações do país a participar da Primeira Pesquisa Nacional dirigida a Organizações Culturais de Base Comunitária, voltadas para o desenvolvimento territorial a partir da arte e da cultura.

A pesquisa, assim como a realização de oficinas e pilotos de “cabildos” (corporações municipais) em seis regiões, responde à necessidade de obter informação quantitativa e qualitativa atualizada acerca das características das organizações territoriais que acionam o âmbito da arte e da cultura desde e com a comunidade. A informação obtida favorecerá a criação conjunta de uma política pública para o setor, além de afinar o perfil das organizações para a focalização de recursos e o desenho programático.

Confira o resultado do edital, com iniciativas selecionadas, listas de espera e não selecionadas

 

Fonte: Consejo Nacional de la Cultura y las Artes

 

Tags | ,