Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Convocatoria

20

Feb
2019

EmDestaque
EDITAIS
Notícias

PorIberCultura

Rumo à Argentina: IberCultura Viva lança o Edital de Mobilidade 2019

Em20, Feb 2019 | EmDestaque, EDITAIS, Notícias | PorIberCultura

O programa IberCultura Viva lança nesta quarta-feira (20/02) o Edital de Mobilidade 2019, que apoiará a participação de representantes de organizações culturais comunitárias e/ou povos indígenas no 4º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária. O evento, organizado pela Rede de Cultura Viva Comunitária de Argentina, será realizado em formato de caravana, passando pelas cidades de Mendoza (Mendoza), San Francisco (Córdoba), Paraná (Entre Ríos), San Martín e Hurlingham (Buenos Aires) e a Cidade Autônoma de Buenos Aires entre 10 e 18 de maio de 2019.

O edital é dirigido aos países membros do Conselho Intergovernamental de IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Cuba (país convidado), Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México,  Peru e Uruguai. Cada organização cultural comunitária e/ou povo indígena poderá apresentar uma pessoa candidata, que deverá ser maior de idade e estar em condições de viajar para a Argentina entre 9 e 18 de maio.

O valor total destinado ao Edital de Mobilidade 2019 é de US$ 35 mil, que serão distribuídos para a compra de passagens aéreas, seguros de viagem e taxas de inscrição para as pessoas representantes das organizações ou coletivos selecionadas. A inscrição inclui hospedagem e traslados entre as cidades sedes, a cargo dos organizadores do congresso. (O programa não se responsabilizará pelos serviços oferecidos pela organização do congresso, como hospedagem, transporte e alimentação.)

 

Inscrições

As inscrições estarão abertas até 15 de março, às 18:00 (considerando o horário oficial de Buenos Aires, Argentina), e serão realizadas através da plataforma Mapa IberCultura Viva (https://mapa.iberculturaviva.org/).

Não poderão participar organizações que se encontrem inabilitadas ou com prestações de contas pendentes com o programa. Também não poderão ser selecionadas pessoas que tenham sido beneficiadas em mais de uma oportunidade nos editais de mobilidade do IberCultura Viva, à exceção do de 2018, que teve como objetivo apoiar a participação nas Jornadas Preparatórias do 4º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária.

As pessoas candidatas deverão comprometer-se a participar das atividades programadas durante todos os dias do congresso. Caso IberCultura Viva programe atividades em parceria com o 4ª Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, a participação será obrigatória.

Entre os critérios que serão levados em conta para a avaliação estão a trajetória da organização em ações culturais comunitárias, a experiência em processos de articulação de redes comunitárias, e o perfil da pessoa candidata. Pelo menos 50% das pessoas selecionadas deverão ser mulheres. As pessoas candidatas pertencentes a povos indígenas e/ou que se declarem afrodescendentes terão dois pontos extras, assim como aquelas que tenham entre 18 e 29 anos de idade.

 

Confira o regulamentohttps://bit.ly/2Nhik6b

Inscriçõeshttps://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/66/

Como registrar-se no Mapa ICV: http://iberculturaviva.org/manual/

Saiba mais sobre o congresso: http://culturavivacomunitaria.com.ar/

Consultas:  programa@iberculturaviva.org

 

(Foto: Plataforma Puente Cultura Viva Comunitaria. Encuentro de la Armonía, setembro de 2016, Medellín/Colômbia).

Tags | , , , , ,

29

Jan
2019

EmNotícias

PorIberCultura

8º Festival Icozeiro: a cidade como espaço de convivência e aprendizagem

Em29, Jan 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Espetáculo Urrou, da Cia. Monica Alvarenga (Foto: Elisa Monteiro)

 

Icó é uma cidade do sertão do Ceará que teve seu conjunto arquitetônico e urbanístico  tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1998. A cidade foi a primeira a receber este tipo de tombamento (conjuntos urbanos protegidos pelo Iphan) e uma de suas maiores expressões é o centro histórico, que remonta ao período colonial. É ali que anualmente se realiza o Festival da Cultura Icoense – Icozeiro, evento criado em 2011 para a divulgação, articulação, fruição e fortalecimento da produção cultural local.

O festival, que teve sua oitava edição realizada entre os dias 18 e 30 de dezembro, foi um dos eventos ganhadores do Edital IberCultura de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018. As atividades ocorreram em espaços públicos tombados, como o Largo do Théberge, o Centro de Arte e Cultura Prefeito Aldo Marcozzi Monteiro (instalado no prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia de Icó), o Teatro da Ribeira dos Icós e o Sobrado do Canela Preta.

Ao dar vazão a uma demanda do município no tocante à ocupação do espaço público, entendendo a cidade como um espaço de convivência e aprendizagem, os organizadores do festival buscam fortalecer a identidade local, promover o intercâmbio cultural e possibilitar a geração de renda em torno da economia criativa, em espaços que representam a memória, a história e a cidadania.

Além de apresentações de música, teatro, dança, audiovisual, literatura, artes plásticas e artesanato, a programação contou com oficinas, palestras, campanhas, ações educativas e formativas. Também reuniu homenagens a figuras locais, como Gerson do Acordeon, com mais de 60 anos no cenário cultural regional; Bonfim Fogueteiro, conhecido pela montagem das bombas artesanais da Festa do Senhor do Bonfim; e dona Menininha Pipoqueira, que há 40 anos está no imaginário coletivo cotidiano de Icó.

O evento foi apresentado ao Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018 como uma proposta da Associação Filhos e Amigos de Icó (Amicó) promovida em articulação com Universidade Federal do Cariri (UFCA)/ Instituto de Estudos do Semiárido (IESA), Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Icó (Sindsepmi), Escola Livre de Artes (ELA) e Faculdade Vale do Salgado (FVS).

 

Assista à reportagem de Tep Rodrigues no programa Partiu, da TV Verdes Mares:

Programa Partiu Icó Icozeiro (05.01.2019) – Parte 02 – TV Verdes Mares

Vídeo do segundo bloco do Programa Partiu, da Tv Verdes Mares, exibido na tarde deste sábado (05/01/2019), sobre o Icó. Nesta parte, é trazido ao público um pouco do 8º Festival Nacional Icozeiro – Festival da Cultura Icoense 2018, que espalhou-se por todo o Município icoense. Reportagem de Tep Rodrigues.

Publicado por Festival da Cultura Icoense – Icozeiro em Sábado, 5 de janeiro de 2019

 

Saiba mais: https://www.facebook.com/Festival.Icozeiro/

Tags | , , ,

23

Jan
2019

EmNotícias

PorIberCultura

Festival Colores de la Sierra: uma semana de atividades para o povo wixárika em Jalisco

Em23, Jan 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

O Festival Intercultural Colores de la Sierra, que será realizado de 28 de janeiro a 3 de fevereiro, é um evento dirigido às comunidades indígenas da Sierra Huichol, no município de Mezquitic (Jalisco, México). A proposta de criar um festival de uma semana para compartilhar e criar junto com a comunidade de San Andrés Cohamiata, onde vive o povo wixárika, foi um dos 17 projetos ganhadores do Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Coletivo 2018.

O enfoque da programação está na promoção dos direitos  dos povos indígenas. As atividades incluem música, dança, canto, cinema, teatro, poesia, contação de histórias, murais, jogos cooperativos, oficinas de artesanato e conversas sobre temas variados, que vão desde plantas medicinais até captação de água da chuva e autocuidados.

 

A rede

A rede Ha Ta Tukari, promotora do projeto, é uma equipe multidisciplinar formada por quatro ONGs que há  nove anos trabalham em comunidades da Sierra Huichol (La Cebolleta e La Laguna), uma área de difícil acesso e com alto grau de vulnerabilidade. O isolamento geográfico dificulta que as localidades contem com serviços básicos, como água potável, drenagem, oferta educativa e atenção médica de qualidade.

Nestas comunidades, a rede impulsiona um programa de educação para a saúde e a sustentabilidade, com oficinas e teatro didático para a adoção de práticas e tecnologias sustentáveis (captação pluvial, hortas, restauração ambiental) e promoção de hábitos de higiene e nutrição. Também atua com um programa de participação e vinculação comunitária que inclui projetos de arte comunitário, biblioteca, cinema ao ar livre, convivências e exposições, entre outras atividades.

(Foto: Red Ha Ta Tukari)

Nova aliança

Para a realização do Festival Colores de la Sierra, esta rede de organizações aliadas (Proyecto ConcentrArte A.C., Desarrollo Rural Sustentable Lu’um A.C., Isla Urbana A.C.) tem a colaboração do Grupo Teukari Jicareros de San Andres, Fuego Azul Arte, Casa Huichol e Colores de la Tierra.

Criado em 2012, Colores de la Tierra é um projeto multicultural que alcança mais de 1.500 meninos e meninas em oito comunidades da serra, mediante a criação de espaços para compartilhar ferramentas criativas e ecológicas, sempre com o objetivo de promover e preservar a cultura wixárika.

O povo wixárika é formado por cerca de 20 comunidades e, até o momento, a rede Ha Ta Tukari e Colores de la Tierra vinham atuando em comunidades diferentes. A nova aliança é uma forma de ampliar seu espectro de ação, realizando um trabalho mais profundo e de maior alcance, com um mesmo objetivo: um futuro sustentável para o povo wixárika mediante o respeito e a preservação de sua cosmovisão e tradições.

(Foto: Taller LUUM)

 

Tags | , , ,

21

Jan
2019

EmNotícias

PorIberCultura

3º Encontro Nacional de Batucadas em El Salvador: a música como ferramenta para a transformação social

Em21, Jan 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Cerca de 100 jovens, pertencentes a 15 grupos percussivos, participaram do 3° Encontro Nacional de Batucadas – Tuyulu 2018, realizado nos dias 19 e 20 de dezembro em San Salvador (El Salvador). O evento, um dos 17 ganhadores do Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018, contou com duas atividades prévias nos departamentos de Chalatenango e San Vicente, onde se encontra a maioria dos grupos que fazem parte da Rede de Batucadas Tuyulu.

Em Chalatenango, o encontro preparatório foi realizado no município de San José los Ranchos, na sede da Asociación de Nuevos Tiempos de Teatro (TNT), em 5 de dezembro, com a participação de 30 jovens pertencentes a quatro batucadas. Em San Vicente, a atividade ocorreu no município de Tecoluca, no Parque Ecológico Tehuacán, nos dias 1 e 2 de dezembro, com 48 jovens, integrantes de cinco batucadas.

As jornadas tiveram como objetivo fazer uma análise de necessidades e oportunidades das batucadas nas comunidades, ensaiar os ritmos apresentados em outras jornadas durante o ano de 2018, além de fortalecer habilidades e conhecimentos no tema do direito humano à água, para evitar sua privatização em El Salvador e ressaltar a importância de cuidar das bacias e dos rios.

Oficinas

Foram ministradas oito oficinas em dois blocos de quatro cada. No primeiro bloco, um grupo de participantes teve a experiência de dirigir um ensaio e aprender técnicas de direção de batucada. Outros puderam aprender técnicas de como fazer um mural com a temática da água, usando o grafite, e um terceiro grupo se dedicou a preparar a imagem artística das batucadas para a ação pública. Outros jovens se dedicaram a aprender a fazer baquetas, acessório importante para tocar o tambor e que se rompe mais rapidamente em uma apresentação de batucada.

“Eles estavam entusiasmados em participar destas oficinas. Acho que isso os ajudou a experimentar e descobrir novas habilidades e ver o que poderiam integrar en sus batucadas como forma de expressão artística juvenil”, comentou Gonzalo González, integrante da Rede de Batucadas Tuyulu, lembrando que estas oficinas foram uma sugestão dos participantes das jornadas preparatórias.

No segundo bloco foram ministrados oficinas de malabares; de repique e caixa; de elaboração de comunicados e imagem artística. Na oficina de malabares, os participantes aprenderam a como fazê-los e manipulá-los, praticando com as bolas de malabares, ioiô chinês e DapoStar. Esta oficina foi dada por integrantes de duas batucadas que implementam essas ferramentas artísticas urbanas em seus grupos.

Caixa e repique são dois instrumentos que os jovens custam mais a aprender porque necesitam de mais tempo. Na oficina de imagen artística, o grupo esteve enfocado em fazer acessórios como panos com mensagens para os tambores e adornos nas baquetas.

Os jovens também puderam demonstrar aos demais companheiros/as da Rede de Batucadas suas destrezas artísticas em uma “noite cultural” que contou com apresentações de clown, guitarra e dança contemporânea. Um jovem também aproveitou esta noite para apresentar o que aprendeu na oficina de malabares, com o ioiô chinês.

A marcha

As manhãs foram dedicadas aos ensaios dos ritmos e da estrutura que se levaria à hora da la marcha prevista para o encerramento do 3º Encontro Nacional de Batucadas, na Praça Gerardo Barrios, no centro da cidade de San Salvador.

Na ação pública se fez um recorrido pelas redondezas da Catedral, terminando com uma coletiva de imprensa em que eles se pronunciaram contra as ameaças da privatização da água e a favor da aprovação de uma lei geral de águas, com enfoque em direitos humanos.

A atividade da ação pública foi coordenada com a Aliança Nacional Contra a Privatização da Água em El Salvador, que aglutina espaços (Foro del Agua, Mesa Frente a la Minería Metálica y Mesa de Soberanía Alimentaria, Mesa de Gestión y Riesgo), organizações, sindicatos e universidades em torno de problemáticas de interesse do país.

(Fotos: Rede de Batucadas Tuyulu)

 

A rede

A Rede de Batucadas Tuyulu foi fundada em 30 de agosto de 2015 por 12 grupos de percussão brasileira, com a missão de promover a batucada como uma ferramenta de transformação social e fomentar a cidadania ativa em  El Salvador. “Tuyulu” vem do nahuat-pipil e significa “nosso coração”. A referência ao coração faz o sentido: é o primeiro elemento rítmico que o ser humano experimenta.

 

Comenzamos con el primer ensayo del 3° Encuentro Nacional de Batucada de la Red Tuyulu El Salvador . #RedTuyuluES#3EncuentroNacinaldeBatucadaRedTuyulu

Publicado por TuYulu – Red de Batucadas em Quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Tags | , ,

09

Jan
2019

EmEDITAIS
Notícias

PorIberCultura

Como inscrever-se no Edital de Bolsas para o Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária

Em09, Jan 2019 | EmEDITAIS, Notícias | PorIberCultura

A segunda turma do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária FLACSO-IberCultura Viva terá início em abril de 2019. As pessoas interessadas em concorrer a uma bolsa deste curso devem inscrever-se no edital do programa IberCultura Viva até o dia 15 de fevereiro. As postulações são feitas por meio da plataforma Mapa IberCultura Viva.

Serão concedidas até 84 bolsas, que serão repartidas equitativamente entre os 12 países participantes do programa IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Cuba (país convidado), Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, Peru e Uruguai.

A seguir, apresentamos um guia com as dúvidas mais frequentes e algumas dicas para ajudá-lo a realizar sua inscrição.

A quem se destina este edital?

O edital é destinado a pessoas vinculadas às políticas culturais, tanto funcionários públicos como representantes de organizações culturais comunitárias dos países integrantes do programa IberCultura Viva. A seleção levará em conta critérios como a experiência em gestão cultural comunitária, em gestão de políticas públicas culturais, além da formação específica em gestão cultural ou disciplinas afins.

Onde me inscrevo para concorrer a uma bolsa?

Para se inscrever em um edital do IberCultura Viva é necessário registrar-se primeiramente como agente no Mapa IberCultura Viva: https://mapa.iberculturaviva.org/.

Esta plataforma permite o registro de dois tipos de agentes: individual e coletivo. Por agentes individuais compreendemos as pessoas físicas, e por agentes coletivos, as organizações culturais comunitárias, entidades, povos indígenas, coletivos, agrupações e instituições. No caso do edital para concorrer a bolsas do curso da FLACSO, basta o registro de agente individual (pessoa física).

Aquí está um manual com instruções de como registrar-se na plataforma: http://iberculturaviva.org/manual/

Já participei de outro edital IberCultura Viva por meio desta plataforma. Devo registrar-me mais uma vez?

Não é necessário. O campo “Registrarse” na página inicial é usado apenas na primeira vez. Nas próximas vezes, você deve clicar “Ingresar” para ter acesso ao seu perfil. (Caso tenha esquecido a senha cadastrada, clique em “Olvidé mi contraseña”). Obs: Na primeira vez, ao fazer o registro, o agente é direcionado automaticamente para o perfil. Depois, será necessário clicar em “Editar” para poder acessar/modificar os dados do cadastro.

Uma vez concluído o registro como agente na plataforma, onde encontro o formulário de inscrição do edital?

Quando tiver o perfil de agente registrado, clique em “Editais” (na parte superior da tela do Mapa IBCV) e vá até o arquivo que aparece com o título em português: “Edital Bolsas para o Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária”. (Brasileiros devem inscrever-se neste edital que está em português; o documento em espanhol é para os postulantes dos demais países membros do programa).

Clique no título do edital. Na página seguinte você poderá baixar o regulamento do edital, assim como os anexos que devem ser preenchidos e enviados no ato da inscrição. O formulário aparecerá depois de clicar no título do edital e iniciar a inscrição.

Como iniciar a inscrição?

Para iniciar sua inscrição, clique no campo de busca, localize o nome da pessoa física titular do registro (deve ser um agente pessoa física previamente cadastrado) e selecione a opção “Realizar inscrição”, disponível ao lado do campo de busca.

Complete as informações requeridas no formulário de inscrição. A qualquer momento é possível salvar os dados de sua inscrição utilizando o botão “Salvar” no canto superior direito. Feito isso, é possível sair da plataforma e continuar o preenchimento em outro momento (antes do término do período de inscrições).

A proposta será enviada para a participação no edital somente após o preenchimento de todos os campos do formulário e a inclusão de todos os anexos obrigatórios. Revise as informações antes de clicar em “Enviar inscrição”. Após o envio, não será possível editá-la. a plataforma exibirá a tela de confirmação do envio.

Que documentos tenho que completar e/ou enviar?

Além de completar o formulário que se encontra no processo de inscrição do Mapa IberCultura Viva, é necessário enviar um resumo do curriculum vitae e anexar uma declaração jurada assinada, confirmando o compromisso com o curso. O modelo deste documento se encontra no próprio formulário, onde se lê “Declaração jurada” (“baixar modelo”).

A documentação comprobatória (cópia de documento de identidade e certificados de trabalho ou de estudos) também deve ir escaneada e enviada através da plataforma Mapa IberCultura Viva. Pode-se anexar até 10 certificados por pessoa candidata.

Caso eu seja uma das pessoas ganhadoras do edital, devo pagar algo? Trata-se de um curso gratuito?

As 84 pessoas selecionadas neste edital receberão uma bolsa integral e não terão que pagar nada pelo curso (desde que realizem as avaliações parciais e apresentem o trabalho final).

Caso eu não esteja na lista de pessoas ganhadoras do edital, poderei me matricular pagando o valor do curso?

As pessoas que não tenham sido selecionadas no edital e/ou aquelas que não são provenientes dos países integrantes do programa IberCultura Viva podem se inscrever pagando a matrícula do curso diretamente para a FLACSO Argentina (http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/).

Para alunos que moram fora da Argentina, os valores são (em dólares): uma matrícula de US$ 400 e duas cotas de US$ 300. Para alunos que residem na Argentina (em pesos), os valores são: matrícula de $2.850 e 7 cotas de $2.250.(Será concedido um desconto de 10% àqueles que pagarem o valor total adiantado, antes do início das aulas).

Qual é o tempo de duração do curso?

O curso será realizado durante nove meses de maneira virtual junto à Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (sede Argentina). Para participar, é necessário contar com disponibilidade de ao menos 10 horas semanais para acompanhar o curso virtual de abril a dezembro e contar com acesso a internet. Também devem se comprometer a cumprir com as avaliações parciais intermediárias e apresentar o trabalho prático final.

Como são as avaliações?

Os conteúdos do curso de pós-graduação estão distribuídos em seis módulos e 24 aulas. As aulas são publicadas uma vez por semana – com uma semana de recesso no final de cada módulo – e se abre um fórum para cada aula publicada, gerando um espaço de debate e intercâmbio de ideias e experiências em torno dos temas tratados.  

Para cumprir com os objetivos do curso, deve-se realizar um trabalho parcial escrito sobre os três primeiros módulos e um trabalho final integrador, que consiste em desenhar e planejar um projeto cultural comunitário ou uma política cultural pública de base comunitária. Os trabalhos podem ser entregues na língua nativa (espanhol ou português).

As aulas são ministradas em que idioma?

As aulas são ministradas em espanhol, exceto as que estão a cargo de professores brasileiros, que são dadas em português e têm tradução para o espanhol.

Para mais informação sobre o curso (admissão, equipe docente, conteúdos, etc), confira a página web de FLACSO Argentina.

 

Leia também:

Inscrições abertas para a 2ª edição do Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária

 

Confira o regulamento: Edital Bolsas Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária 2019

Inscrições: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/52/ (em português)

Consultas: programa@iberculturaviva.org

Saiba mais sobre o curso:

http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/(Foto: Marina Leitner)[/caption] 

¿A quién está dirigida la convocatoria?

La convocatoria está dirigida a personas vinculadas a las políticas culturales, ya sean de los distintos estamentos públicos como de las organizaciones culturales comunitarias de los países integrantes del programa IberCultura Viva.

 

¿Dónde me inscribo para postular a una beca?

Para inscribirse en las convocatorias de IberCultura Viva es necesario registrarse primero como agente en el Mapa IberCultura Viva: https://mapa.iberculturaviva.org/

Esta plataforma permite el registro de dos tipos de agentes: individual y colectivo. Por agentes individuales se entiende a las personas físicas, y por agentes colectivos,  a las organizaciones culturales comunitarias, pueblos originarios, agrupaciones e instituciones.

En el caso de la convocatoria a becas para el curso de FLACSO, basta sólo con registrar el perfil de agente individual (persona física). Aquí está un instructivo de cómo registrarse en la plataforma: http://iberculturaviva.org/manual/?lang=es

 

Ya participé en otra convocatoria IberCultura Viva por medio de esta plataforma. ¿Debo registrarme una vez más como agente?

No es necesario. El campo “Registrarse” en la página inicial del Mapa IBCV se utiliza únicamente la primera vez. Las  veces siguientes, debes ir a “Ingresar” para poder acceder a tu perfil. (Obs: Por primera vez, al registrarse, el agente es direccionado automáticamente para el perfil. Después será necesario clicar en “Editar” para acceder/cambiar los datos del registro.)

 

Una vez concluido el registro como agente en la plataforma, ¿dónde encuentro el formulario de inscripción de la convocatoria?

Cuando tengas un perfil de agente registrado, cliquea en “Convocatorias” (en la parte superior de la pantalla del Mapa IBCV) y busca el archivo que aparece con el título en español: “Convocatoria a Becas 2019 para el Posgrado en Políticas Culturales de Base Comunitaria”. (El documento en portugués está dirigido solamente a los postulantes brasileños.)

Cliquea en el título de la convocatoria. En la página siguiente podrás descargar las bases y los adjuntos que deben ser rellenados y enviados en el acto de inscripción. El formulario aparecerá después de clicar en el título de la convocatoria e iniciar la inscripción.

¿Cómo iniciar la inscripción?

Para iniciar tu inscripción, cliquea en el campo de búsqueda, localiza el nombre de la persona física titular del registro (el responsable de la inscripción debe ser un agente previamente registrado) y selecciona “Realizar inscripción”.

En cualquier momento es posible salvar los datos de tu inscripción utilizando el botón “Guardar” en el margen superior derecho. Una vez que lo haces, puedes salir de la plataforma y continuar en otro momento (antes del término del período de inscripción).

La propuesta será enviada para la participación en la convocatoria solamente después de completar todos los campos del formulario e incluidos todos los adjuntos obligatorios. Revisa las informaciones antes de clicar en “Enviar inscripción”. Tras el envío no será posible editarla. La plataforma exhibirá la pantalla de confirmación del envío.

¿Qué documentos tengo que completar y/o enviar?

Además de completar el formulario que se encuentra para la inscripción en el Mapa IberCultura Viva, es necesario redactar un resumen o sumilla de CV y adjuntar una declaración jurada firmada de compromiso para el cursado. El modelo de este documento se encuentra en el formulario, donde se lee “Declaración jurada” (“descargar modelo”).

La documentación comprobatoria (copia de documento y certificaciones laborales o de estudios) también debe ir escaneada y cargada en la plataforma Mapa IberCultura Viva. Se podrán adjuntar hasta 10 certificados por persona candidata.

 

En el caso de que sea una de las personas ganadoras de la convocatoria, ¿debo pagar algo? ¿Se trata de un curso gratuito?

Las 84 personas seleccionadas en esta convocatoria recibirán un beca integral y no tendrán que pagar por el cursado (siempre y cuando cumplan con las evaluaciones parciales y presenten el trabajo final).

 

En el caso de que no esté entre las personas ganadoras de la convocatoria, ¿podré participar abonando el valor del curso?

Las personas que no hayan sido seleccionadas en la convocatoria y/o aquellas que no son provenientes de los países integrantes del programa IberCultura Viva pueden inscribirse abonando la matrícula del curso directamente en FLACSO Argentina (http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/).

Para alumnos residentes fuera de Argentina, los valores son (en dólares): una matrícula de US$ 400 y dos cuotas de US$ 300. Para alumnos residentes en Argentina (en pesos), el arancel 2019 es: matrícula de $2.850 y 7 cuotas de $2.250.(Un 10% de descuento se otorgará en caso de abonarse la totalidad por adelantado antes del inicio de clases.)

 

¿Cuál es el tiempo de duración del curso?

El curso se realizará durante nueve meses de manera virtual junto a la Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales (sede Argentina). Para participar, es necesario contar con disponibilidad de al menos 10 horas semanales para acompañar el cursado virtual de abril a diciembre y contar con acceso a internet. Además deben comprometerse a cumplir con las evaluaciones parciales intermedias y presentar el trabajo práctico final.

 

¿Cómo son las evaluaciones?

Los contenidos del curso de posgrado están distribuidos en seis módulos y 24 clases. Las clases se publican una vez por semana -con una semana de receso al finalizar cada módulo- y se abre un foro por cada clase publicada generando un espacio de debate e intercambio de ideas y experiencias en torno a los temas tratados.

Para cumplir con los objetivos del curso se debe realizar un parcial escrito sobre los tres primeros módulos y un trabajo final integrador que consiste en diseñar y planificar un proyecto cultural comunitario o una política cultural pública de base comunitaria. Los trabajos pueden ser entregados en la lengua nativa (español o portugués).

 

¿Las clases son impartidas en qué lengua?

Las clases son impartidas en español, excepto aquellas a cargo de profesores/as brasileños/as, que se dictan en portugués y tienen traducción al español.

Para más información sobre el curso (admisión, equipo docente, contenidos, etc), revisa la página web de FLACSO Argentina.

 

Lea también:

Convocatoria abierta para la 2ª edición del Curso de Posgrado en Políticas Culturales de Base Comunitaria

 

Las bases de la convocatoriahttps://bit.ly/2LyCGqE 

Inscripciones: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/51/ (en español)

https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/52/ (en portugués)

Consultas: programa@iberculturaviva.org

Más información sobre el curso:

http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/(Foto: Marina Leitner)[/caption]

La segunda cohorte del Curso de Posgrado Internacional en Políticas Culturales de Base Comunitaria FLACSO-IberCultura Viva tendrá inicio en abril de 2019. Las personas interesadas en postular a una beca para este curso deben inscribirse en la convocatoria del programa IberCultura Viva hasta el día 15 de febrero. Las postulaciones se hacen por medio de la plataforma Mapa IberCultura Viva.

Se concederá un máximo de 84 becas, que serán repartidas equitativamente entre los 12 países participantes del programa IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Cuba (país invitado), Ecuador, El Salvador, España, Guatemala, México, Perú y Uruguay.

A continuación presentamos una guía para ayudarte a realizar tu inscripción.

 

¿A quién está dirigida la convocatoria?

La convocatoria está dirigida a personas vinculadas a las políticas culturales, ya sean de los distintos estamentos públicos como de las organizaciones culturales comunitarias de los países integrantes del programa IberCultura Viva.

 

¿Dónde me inscribo para postular a una beca?

Para inscribirse en las convocatorias de IberCultura Viva es necesario registrarse primero como agente en el Mapa IberCultura Viva: https://mapa.iberculturaviva.org/

Esta plataforma permite el registro de dos tipos de agentes: individual y colectivo. Por agentes individuales se entiende a las personas físicas, y por agentes colectivos,  a las organizaciones culturales comunitarias, pueblos originarios, agrupaciones e instituciones.

En el caso de la convocatoria a becas para el curso de FLACSO, basta sólo con registrar el perfil de agente individual (persona física). Aquí está un instructivo de cómo registrarse en la plataforma: http://iberculturaviva.org/manual/?lang=es

 

Ya participé en otra convocatoria IberCultura Viva por medio de esta plataforma. ¿Debo registrarme una vez más como agente?

No es necesario. El campo “Registrarse” en la página inicial del Mapa IBCV se utiliza únicamente la primera vez. Las  veces siguientes, debes ir a “Ingresar” para poder acceder a tu perfil. (Obs: Por primera vez, al registrarse, el agente es direccionado automáticamente para el perfil. Después será necesario clicar en “Editar” para acceder/cambiar los datos del registro.)

 

Una vez concluido el registro como agente en la plataforma, ¿dónde encuentro el formulario de inscripción de la convocatoria?

Cuando tengas un perfil de agente registrado, cliquea en “Convocatorias” (en la parte superior de la pantalla del Mapa IBCV) y busca el archivo que aparece con el título en español: “Convocatoria a Becas 2019 para el Posgrado en Políticas Culturales de Base Comunitaria”. (El documento en portugués está dirigido solamente a los postulantes brasileños.)

Cliquea en el título de la convocatoria. En la página siguiente podrás descargar las bases y los adjuntos que deben ser rellenados y enviados en el acto de inscripción. El formulario aparecerá después de clicar en el título de la convocatoria e iniciar la inscripción.

¿Cómo iniciar la inscripción?

Para iniciar tu inscripción, cliquea en el campo de búsqueda, localiza el nombre de la persona física titular del registro (el responsable de la inscripción debe ser un agente previamente registrado) y selecciona “Realizar inscripción”.

En cualquier momento es posible salvar los datos de tu inscripción utilizando el botón “Guardar” en el margen superior derecho. Una vez que lo haces, puedes salir de la plataforma y continuar en otro momento (antes del término del período de inscripción).

La propuesta será enviada para la participación en la convocatoria solamente después de completar todos los campos del formulario e incluidos todos los adjuntos obligatorios. Revisa las informaciones antes de clicar en “Enviar inscripción”. Tras el envío no será posible editarla. La plataforma exhibirá la pantalla de confirmación del envío.

¿Qué documentos tengo que completar y/o enviar?

Además de completar el formulario que se encuentra para la inscripción en el Mapa IberCultura Viva, es necesario redactar un resumen o sumilla de CV y adjuntar una declaración jurada firmada de compromiso para el cursado. El modelo de este documento se encuentra en el formulario, donde se lee “Declaración jurada” (“descargar modelo”).

La documentación comprobatoria (copia de documento y certificaciones laborales o de estudios) también debe ir escaneada y cargada en la plataforma Mapa IberCultura Viva. Se podrán adjuntar hasta 10 certificados por persona candidata.

 

En el caso de que sea una de las personas ganadoras de la convocatoria, ¿debo pagar algo? ¿Se trata de un curso gratuito?

Las 84 personas seleccionadas en esta convocatoria recibirán un beca integral y no tendrán que pagar por el cursado (siempre y cuando cumplan con las evaluaciones parciales y presenten el trabajo final).

 

En el caso de que no esté entre las personas ganadoras de la convocatoria, ¿podré participar abonando el valor del curso?

Las personas que no hayan sido seleccionadas en la convocatoria y/o aquellas que no son provenientes de los países integrantes del programa IberCultura Viva pueden inscribirse abonando la matrícula del curso directamente en FLACSO Argentina (http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/).

Para alumnos residentes fuera de Argentina, los valores son (en dólares): una matrícula de US$ 400 y dos cuotas de US$ 300. Para alumnos residentes en Argentina (en pesos), el arancel 2019 es: matrícula de $2.850 y 7 cuotas de $2.250.(Un 10% de descuento se otorgará en caso de abonarse la totalidad por adelantado antes del inicio de clases.)

 

¿Cuál es el tiempo de duración del curso?

El curso se realizará durante nueve meses de manera virtual junto a la Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales (sede Argentina). Para participar, es necesario contar con disponibilidad de al menos 10 horas semanales para acompañar el cursado virtual de abril a diciembre y contar con acceso a internet. Además deben comprometerse a cumplir con las evaluaciones parciales intermedias y presentar el trabajo práctico final.

 

¿Cómo son las evaluaciones?

Los contenidos del curso de posgrado están distribuidos en seis módulos y 24 clases. Las clases se publican una vez por semana -con una semana de receso al finalizar cada módulo- y se abre un foro por cada clase publicada generando un espacio de debate e intercambio de ideas y experiencias en torno a los temas tratados.

Para cumplir con los objetivos del curso se debe realizar un parcial escrito sobre los tres primeros módulos y un trabajo final integrador que consiste en diseñar y planificar un proyecto cultural comunitario o una política cultural pública de base comunitaria. Los trabajos pueden ser entregados en la lengua nativa (español o portugués).

 

¿Las clases son impartidas en qué lengua?

Las clases son impartidas en español, excepto aquellas a cargo de profesores/as brasileños/as, que se dictan en portugués y tienen traducción al español.

Para más información sobre el curso (admisión, equipo docente, contenidos, etc), revisa la página web de FLACSO Argentina.

 

Lea también:

Convocatoria abierta para la 2ª edición del Curso de Posgrado en Políticas Culturales de Base Comunitaria

 

Las bases de la convocatoriahttps://bit.ly/2LyCGqE 

Inscripciones: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/51/ (en español)

https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/52/ (en portugués)

Consultas: programa@iberculturaviva.org

Más información sobre el curso:

http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/(Foto: Marina Leitner)[/caption]

Se concederá un máximo de 84 becas, que serán repartidas equitativamente entre los 12 países participantes del programa IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Cuba (país invitado), Ecuador, El Salvador, España, Guatemala, México, Perú y Uruguay.

A continuación presentamos una guía para ayudarte a realizar tu inscripción.

 

¿A quién está dirigida la convocatoria?

La convocatoria está dirigida a personas vinculadas a las políticas culturales, ya sean de los distintos estamentos públicos como de las organizaciones culturales comunitarias de los países integrantes del programa IberCultura Viva.

 

¿Dónde me inscribo para postular a una beca?

Para inscribirse en las convocatorias de IberCultura Viva es necesario registrarse primero como agente en el Mapa IberCultura Viva: https://mapa.iberculturaviva.org/

Esta plataforma permite el registro de dos tipos de agentes: individual y colectivo. Por agentes individuales se entiende a las personas físicas, y por agentes colectivos,  a las organizaciones culturales comunitarias, pueblos originarios, agrupaciones e instituciones.

En el caso de la convocatoria a becas para el curso de FLACSO, basta sólo con registrar el perfil de agente individual (persona física). Aquí está un instructivo de cómo registrarse en la plataforma: http://iberculturaviva.org/manual/?lang=es

 

Ya participé en otra convocatoria IberCultura Viva por medio de esta plataforma. ¿Debo registrarme una vez más como agente?

No es necesario. El campo “Registrarse” en la página inicial del Mapa IBCV se utiliza únicamente la primera vez. Las  veces siguientes, debes ir a “Ingresar” para poder acceder a tu perfil. (Obs: Por primera vez, al registrarse, el agente es direccionado automáticamente para el perfil. Después será necesario clicar en “Editar” para acceder/cambiar los datos del registro.)

 

Una vez concluido el registro como agente en la plataforma, ¿dónde encuentro el formulario de inscripción de la convocatoria?

Cuando tengas un perfil de agente registrado, cliquea en “Convocatorias” (en la parte superior de la pantalla del Mapa IBCV) y busca el archivo que aparece con el título en español: “Convocatoria a Becas 2019 para el Posgrado en Políticas Culturales de Base Comunitaria”. (El documento en portugués está dirigido solamente a los postulantes brasileños.)

Cliquea en el título de la convocatoria. En la página siguiente podrás descargar las bases y los adjuntos que deben ser rellenados y enviados en el acto de inscripción. El formulario aparecerá después de clicar en el título de la convocatoria e iniciar la inscripción.

¿Cómo iniciar la inscripción?

Para iniciar tu inscripción, cliquea en el campo de búsqueda, localiza el nombre de la persona física titular del registro (el responsable de la inscripción debe ser un agente previamente registrado) y selecciona “Realizar inscripción”.

En cualquier momento es posible salvar los datos de tu inscripción utilizando el botón “Guardar” en el margen superior derecho. Una vez que lo haces, puedes salir de la plataforma y continuar en otro momento (antes del término del período de inscripción).

La propuesta será enviada para la participación en la convocatoria solamente después de completar todos los campos del formulario e incluidos todos los adjuntos obligatorios. Revisa las informaciones antes de clicar en “Enviar inscripción”. Tras el envío no será posible editarla. La plataforma exhibirá la pantalla de confirmación del envío.

¿Qué documentos tengo que completar y/o enviar?

Además de completar el formulario que se encuentra para la inscripción en el Mapa IberCultura Viva, es necesario redactar un resumen o sumilla de CV y adjuntar una declaración jurada firmada de compromiso para el cursado. El modelo de este documento se encuentra en el formulario, donde se lee “Declaración jurada” (“descargar modelo”).

La documentación comprobatoria (copia de documento y certificaciones laborales o de estudios) también debe ir escaneada y cargada en la plataforma Mapa IberCultura Viva. Se podrán adjuntar hasta 10 certificados por persona candidata.

 

En el caso de que sea una de las personas ganadoras de la convocatoria, ¿debo pagar algo? ¿Se trata de un curso gratuito?

Las 84 personas seleccionadas en esta convocatoria recibirán un beca integral y no tendrán que pagar por el cursado (siempre y cuando cumplan con las evaluaciones parciales y presenten el trabajo final).

 

En el caso de que no esté entre las personas ganadoras de la convocatoria, ¿podré participar abonando el valor del curso?

Las personas que no hayan sido seleccionadas en la convocatoria y/o aquellas que no son provenientes de los países integrantes del programa IberCultura Viva pueden inscribirse abonando la matrícula del curso directamente en FLACSO Argentina (http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/).

Para alumnos residentes fuera de Argentina, los valores son (en dólares): una matrícula de US$ 400 y dos cuotas de US$ 300. Para alumnos residentes en Argentina (en pesos), el arancel 2019 es: matrícula de $2.850 y 7 cuotas de $2.250.(Un 10% de descuento se otorgará en caso de abonarse la totalidad por adelantado antes del inicio de clases.)

 

¿Cuál es el tiempo de duración del curso?

El curso se realizará durante nueve meses de manera virtual junto a la Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales (sede Argentina). Para participar, es necesario contar con disponibilidad de al menos 10 horas semanales para acompañar el cursado virtual de abril a diciembre y contar con acceso a internet. Además deben comprometerse a cumplir con las evaluaciones parciales intermedias y presentar el trabajo práctico final.

 

¿Cómo son las evaluaciones?

Los contenidos del curso de posgrado están distribuidos en seis módulos y 24 clases. Las clases se publican una vez por semana -con una semana de receso al finalizar cada módulo- y se abre un foro por cada clase publicada generando un espacio de debate e intercambio de ideas y experiencias en torno a los temas tratados.

Para cumplir con los objetivos del curso se debe realizar un parcial escrito sobre los tres primeros módulos y un trabajo final integrador que consiste en diseñar y planificar un proyecto cultural comunitario o una política cultural pública de base comunitaria. Los trabajos pueden ser entregados en la lengua nativa (español o portugués).

 

¿Las clases son impartidas en qué lengua?

Las clases son impartidas en español, excepto aquellas a cargo de profesores/as brasileños/as, que se dictan en portugués y tienen traducción al español.

Para más información sobre el curso (admisión, equipo docente, contenidos, etc), revisa la página web de FLACSO Argentina.

 

Lea también:

Convocatoria abierta para la 2ª edición del Curso de Posgrado en Políticas Culturales de Base Comunitaria

 

Las bases de la convocatoriahttps://bit.ly/2LyCGqE 

Inscripciones: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/51/ (en español)

https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/52/ (en portugués)

Consultas: programa@iberculturaviva.org

Más información sobre el curso:

http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/

Tags | , , , , ,

20

Dec
2018

EmEDITAIS
Notícias

PorIberCultura

Inscrições abertas para a 2ª edição do Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária

Em20, Dec 2018 | EmEDITAIS, Notícias | PorIberCultura

(Foto: Marina Leitner)

Em abril de 2019 terá início a segunda turma do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária FLACSO-IberCultura Viva. As pessoas interessadas em concorrer a uma bolsa deste curso, que será realizado durante nove meses no Campus Virtual da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (sede Argentina), podem inscrever-se a partir desta sexta-feira, 21 de dezembro. O prazo termina no dia 15 de fevereiro de 2019.

Serão concedidas até 84 bolsas, repartidas equitativamente entre os 12 países participantes do programa IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Cuba (país convidado), Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, Peru e Uruguai. As inscrições para concorrer às bolsas são feitas pela plataforma Mapa IberCultura Viva.

O edital é destinado a pessoas vinculadas às políticas culturais, tanto funcionários públicos como representantes de organizações culturais comunitárias dos países integrantes do programa. A seleção terá em conta critérios como a experiência em gestão cultural comunitária, em gestão de políticas públicas culturais, além da formação específica em gestão cultural ou disciplinas afins.

Para participar, é necessário contar com disponibilidade de ao menos 10 horas semanais para acompanhar o curso virtual de abril a dezembro e contar com acesso a internet. Também devem se comprometer a cumprir com as avaliações parciais intermediárias e apresentar o trabalho prático final.

 

Os módulos

Os conteúdos do curso de pós-graduação estão distribuídos em seis módulos e 24 aulas em que são trabalhadas noções sobre processos culturais contemporâneos, propondo um marco teórico amplo sobre as distintas teorias da cultura e dos debates atuais em torno dela.

Também são abordadas noções de políticas culturais com ênfase nas questões de direito, cidadania e comunidade e debatidas as teorias existentes a respeito das políticas culturais de base comunitária, as novas formas de produção cultural e o uso de tecnologias a serviço da criação de redes. Além disso, o curso oferece ferramentas de gestão, planejamento, monitoramento e avaliação de políticas públicas culturais específicas para territórios e comunidades.

As aulas são publicadas uma vez por semana – com uma semana de recesso no final de cada módulo – e se abre um fórum para cada aula publicada, gerando um espaço de debate e intercâmbio de ideias e experiências em torno dos temas tratados.  Para cumprir com os objetivos do curso, deve-se realizar um trabalho parcial escrito sobre os três primeiros módulos e um trabalho final integrador, que consiste em desenhar e planejar um projeto cultural comunitário ou uma política cultural pública de base comunitária.

Os trabalhos podem ser entregues na língua nativa (espanhol ou português). As aulas são ministradas em espanhol, exceto as que estão a cargo de professores brasileiros, que são dadas em português e têm tradução para o espanhol.

 

Equipe docente

A proposta acadêmica coordenada por Belén Igarzábal (FLACSO Argentina) e Franco Rizzi (IberCultura Viva) busca a diversidade de olhares, com a participação de professores de vários países ibero-americanos, com trajetórias tanto no universo acadêmico como nas práticas territoriais.

Entre os docentes estão George Yúdice (EUA), Fernando Vicario (España), Fresia Camacho (Costa Rica), Giancarlo Priotti (Costa Rica), Alberto Quevedo (Argentina), Belén Igarzábal (Argentina), Diego Benhabib (Argentina), Célio Turino (Brasil), Alexandre Santini (Brasil), Guillermo Valdizán Guerrero (Perú), Víctor Vich (Perú), Paloma Carpio (Perú), Doryan Bedoya (Guatemala) e Omar Rincón (Colombia).

 

Primeira edição

A primeira edição do Curso de Pós-graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária FLACSO-IberCultura Viva foi realizada de 5 de abril a 3 de dezembro de 2018. Matricularam-se 116 pessoas, provenientes de 15 países. Deste total, 72 receberam bolsas do programa e 44 pessoas inscreveram-se pagando o curso.

As bolsas do IberCultura Viva foram distribuídas da seguinte maneira na edição 2018: 50 pessoas foram selecionadas por edital (cinco representantes de 10 países integrantes do programa) e 22 após a ampliação do total de bolsas, com recursos extras de cinco países (Chile, Brasil, El Salvador, Guatemala e Peru).  Para a seleção destas 22 pessoas foi utilizada a avaliação feita para o edital de bolsas, levando em conta aquelas tinham ficado entre as primeiras colocações. O edital havia recebido um total de 466 postulações.

 

Confira o regulamento: Edital Bolsas Curso de Políticas Culturais de Base Comunitária 2019

Inscrições: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/52/

Consultas: programa@iberculturaviva.org 

Como registrar-se no Mapa IberCultura Vivahttp://iberculturaviva.org/manual/

Saiba mais sobre o curso:

http://flacso.org.ar/formacion-academica/posgrado-internacional-en-politicas-culturales-de-base-comunitaria/

 

Tags | , , , ,

10

Dec
2018

EmDestaque
EDITAIS
Notícias

PorIberCultura

IberEntrelaçando Experiências: um banco de saberes de cultura comunitária para o intercâmbio de ações

Em10, Dec 2018 | EmDestaque, EDITAIS, Notícias | PorIberCultura

As organizações culturais comunitárias e/ou os povos indígenas interessados em propor uma atividade de intercâmbio de saberes e experiências para serem compartilhadas com outros coletivos, comunidades e povos do Espaço Cultural Ibero-americano podem se inscrever a partir de hoje (10/12) no Edital IberEntrelaçando Experiências. A iniciativa lançada pelo programa IberCultura Viva busca tanto a construção de um banco de saberes da cultura comunitária como o desenvolvimento dessas propostas em territórios.

A primeira etapa, com vistas a construir e visibilizar um banco de saberes, tem o prazo de inscrições aberto de 10 de dezembro a 15 de março de 2019. As postulações são feitas por meio da plataforma Mapa IberCultura Viva e estão dirigidas a organizações culturais comunitárias e povos indígenas dos 22 países ibero-americanos(*).

A segunda etapa do edital, voltada para o desenvolvimento em território das propostas de intercâmbio de conhecimentos (ou seja, para “entrelaçar experiências”), terá início em 15 de maio e terminará em 30 de junho de 2019. Esta segunda fase, em que se realizará a seleção das comunidades anfitriãs, é destinada a organizações e coletivos dos 12 países integrantes do programa: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Cuba (país convidado), El Salvador, Equador, Espanha, Guatemala, México, Peru e Uruguai.

As ações de IberEntrelaçando Experiências (os intercâmbios propriamente ditos) se darão entre agosto e dezembro de 2019 e consistirão na implementação da proposta selecionada do Banco de Saberes. Poderão ser propostos intercâmbios de saberes entre organizações e/ou povos indígenas de um mesmo país ou entre vários países membros do programa.

As comunidades anfitriãs deverão garantir hospedagem, alimentação e traslados dentro do território local da(s) pessoa(s) facilitadora(s) convidada(s), assim como a difusão e produção da atividade em território. O programa IberCultura Viva se encarregará da compra de passagens e seguros de viagem para a(s) pessoa(s) facilitadora(s) do intercâmbio. Não haverá transferência de fundos para os projetos.

Participantes

As organizações e povos indígenas dos países integrantes do programa poderão participar das duas etapas do edital. Coletivos sem personalidade jurídica podem inscrever-se apresentando uma carta aval assinada pelo representante governamental do programa IberCultura Viva em seu país. Os órgãos que respondem pelo programa em cada país (no caso do Brasil, a Secretaria da Diversidade Cultural do Ministério de Cultura) determinarão os critérios requeridos para a emissão de seu aval. (Nos países que não integram o Conselho Intergovernamental, poderão participar apenas as organizações que contem com pessoa jurídica.)

Na primeira etapa, as organizações e/ou povos indígenas deverão apresentar no Mapa IberCultura Viva as propostas que já desenvolvem em suas comunidades e desejam compartilhar com outros coletivos no Banco de Saberes. Por saberes e conhecimentos se entendem as experiências, práticas comuns, metodologias, tecnologias sociais, histórias das comunidades, saberes ancestrais ou tradicionais, entre outros, dos diferentes grupos que compõem a diversidade ibero-americana exercidas a partir da base territorial.

Posteriormente, para participar da segunda etapa, as organizações e/ou povos indígenas deverão eleger quais as propostas do Banco de Saberes gostariam de receber em seus territórios e entrar em contato com as pessoas facilitadoras. Uma vez que ambas as partes estejam de acordo sobre a vontade de realizar o intercâmbio, deverão apresentar suas postulações como anfitriãs.

A avaliação das propostas estará a cargo do Comitê de Seleção, formado por integrantes do Conselho Intergovernamental IberCultura Viva.  Serão levados em conta na seleção critérios como a trajetória em projetos relevantes para a área cultural, especialmente em temas relacionados com a organização comunitária, o desenvolvimento de políticas, a construção de cidadania e a valorização de identidades culturais. As propostas também devem incluir a perspectiva de gênero de forma transversal.

Antecedentes

Entrelaçando Experiências nasce na Argentina em 2014, como uma ação para o fortalecimento, intercâmbio e formação da Rede Nacional de Pontos de Cultura. Inspirado neste modelo, IberCultura Viva busca implementar uma proposta em nível regional para estimular a circulação de conhecimentos comunitários de forma horizontal entre organizações culturais comunitárias e povos indígenas, com o fim de difundir, potencializar e compartilhar os conhecimentos e as experiências que os coletivos vão adquirindo e desenvolvendo no dia a dia por meio de seu trabalho territorial.

 

**Os 22 países do Espaço Ibero-americano são Andorra, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

 

 

Confira o regulamento do concurso: https://bit.ly/2Ed7ewc

Inscrições: https://mapa.iberculturaviva.org/oportunidade/47/

Consultas: programa@iberculturaviva.org

Como se registrar no Mapa IberCultura Viva: http://iberculturaviva.org/manual/

 

Leia também:

Como inscrever-se no Edital IberEntrelaçando Experiências

Tags | ,

27

Nov
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Organizações e coletivos culturais comunitários de El Salvador se reúnem durante o 22º Festival Artístico Chalateco

Em27, Nov 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Fotos: René Figueroa

 

Diversos coletivos e organizações de El Salvador compartilharam experiências e metodologias em “Um encontro de Cultura Viva Comunitária”, realizado durante o 22º Festival Artístico Chalateco e 12º Festival del Maíz, nos dias 23, 24 e 25 de novembro, no município de San Antonio Los Ranchos, departamento de Chalatenango.

O evento, que foi um dos selecionados no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018, teve como objetivo contribuir para as políticas culturais comunitárias em El Salvador. Participaram das jornadas representantes de organizações e coletivos como TALEGA, FundArte Cojutepeque, ADES Santa Marta, Asociación CusCambia, EDUC-ARTE, Red De Comunicadores Occidente, CCCOT, Colectivo 12-15 y Tamarindo Foundation e Colectivo La-VoR.

Eduardo Balán

O argentino Eduardo Balán, do coletivo El Culebrón Timbal, esteve presente no encontro e falou da preparação do 4º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, que se realizará na Argentina em mayo de 2019.  “A Cultura Viva é este caminho amplo compartilhado por centenas de milhares de coletivos populares na América Latina há séculos e que continua crescendo, através das ações artísticas, produtivas e educativas realizadas nos bairros”, comentou Balán, que também elogiou o trabalho desenvolvido em El Salvador a partir da Associação TNT (“grupo lendário na América Latina”).

Os festivais

“13703, El misterio de las utopías”

O 22º Festival Artístico Chalateco, reconhecido como o encontro anual das artes cênicas no departamento de Chalatenango, teve início na quinta-feira (22/11) no Centro Cultural Jon Cortina, com a apresentação dos espetáculos dos grupos Escena X (“Cerdos”) e Los Del Quinto Piso (“13703, El misterio de las utopías”). A abertura contou com a presença de  crianças, jovens, adultos e “adultos maiores” de diferentes comunidades, como Guarjila, Las Minas e San Antonio Los Ranchos.

O segundo dia continuou no anfiteatro do Parque Cultural de San Antonio Los Ranchos e marcou a inauguração da 12ª edição do Festival del Maíz (“Festival do Milho”), a feira gastronômica e artesanal que desde 2007 se realiza simultaneamente ao Festival Artístico Chalateco. Elotes locos, tamalitos de elote, riguas, atol de maíz blanco, enchiladas, tacos, pães recheados, pastéis e chicha à base de milho foram alguns dos pratos elaborados por pessoas empreendedoras do município.

“Cerdos”, do grupo Escena X

No anfiteatro

“Juguemos diferente”

A apresentação de espetáculos no anfiteatro começou com a escola infantil de teatro impulsionada pela Asociación Tiempos Nuevos Teatro com a obra “Juguemos diferente” (“Brinquemos diferente”). Depois vieram “Pobrecitos mis cuentos de barro”, do Teatro Cíclico de El Salvador, e “Los viajes de Wenceslao”, da Compañía Teatral Quimera (Honduras).

No sábado (24/11), foi a vez do Coro Nacional de Personas Adultas Mayores de El Salvador (CAMES) e do Circus Contemporaneum, com “Alicia en el País de las Maravillas”. A programação de domingo contou com os “Cuentos mágicos” de César Ilusionista, a “Sesión Cirkus” do  palhaço Simoon, e o concerto musical da salvadorenha Nadia Maltez.

 

A equipe produtora de Asociación Tiempos Nuevos Teatro (TNT) se apresentou no encerramento, e Walter Romero, diretor da TNT, agradeceu a todas as pessoas e instituições que fazem possível o festival. Aproveitou para falar do trabalho que se faz na instituição, dos diferentes processos de educação artística que se desenvolvem nas comunidades de Azacualpa, Guarjila, Guancora, Las Minas, San Miguel de Mercedes e San Antonio Los Ranchos. Também contou ao público novidades, como a turnê pela Alemanha que o elenco fará em 2019, representando El Salvador na Europa.

Saúl Marín, prefeito de San Antonio Los Ranchos, também agradeceu e reconheceu o trabalho que TNT ali realiza para a prevenção da violência a partir da arte e da cultura. A Asociación TNT nasceu em 1993, um ano depois da assinatura dos Acordos de Paz, que terminou com mais de uma década de guerra civil em El Salvador. Surgiu nas montanhas de um departamento historicamente excluído, Chalatenango, e ali permanece depois de 25 anos, como uma referência de arte comunitária para toda a América Latina.

Leia também:

Apertura del 22º Festival Artístico Chalateco y 12º Festival Del Maíz en San Antonio Los Ranchos

Segundo día del 22º Festival Artístico Chalateco y 12º Festival del Maíz

Tercer día en el 22º Festival Artístico Chalateco y 12º Festival Del Maíz

Cuarto día en el 22º Festival Artístico Chalateco y 12º Festival Del Maíz

Tags | , , ,

23

Nov
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Um encontro de Pontos de Cultura e Memória Rurais e um festival no interior do Ceará: os dois projetos brasileiros selecionados no Edital de Apoio a Redes 2018

Em23, Nov 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Nome do evento: Teia Latino-americana dos Pontos de Cultura e Memória Rurais

Nome da rede ou articulação: Rede Nacional de Pontos de Cultura e Memória Rurais

Organização responsável: Instituto de Imagem e Cidadania RJ

 

Um dos dois projetos brasileiros ganhadores do Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Trabalho Colaborativo 2018, a 1ª Teia Latino-americana dos Pontos de Cultura e Memória Rurais será realizada em abril de 2019 na comunidade rural de Santo Antônio, município de Bom Jardim (Rio de Janeiro). Participarão do encontro 22 organizações integrantes da Rede Nacional de Pontos de Cultura e Memória Rurais (*) e cinco de países membros do programa IberCultura Viva, entre outros convidados.

A Teia integrará as atividades do 3º Encontro Nacional de Pontos de Cultura e Memória Rurais, buscando um diálogo sobre os territórios rurais presentes na América Latina, suas proximidades e distinções, com vistas à elaboração de políticas públicas de cultura para áreas rurais. Os cinco representantes de organizações culturais de Argentina, México, Uruguai, Equador e Chile serão selecionados por integrantes da Rede Nacional de Pontos de Cultura e Memória Rurais, que levarão em consideração a inserção da organização cultural em territórios rurais.

Será realizado um seminário envolvendo oficinas e rodas de conversa com temas presentes no dia a dia das organizações que atuam em áreas rurais, como cultura e educação, cultura e agroecologia, cultura e turismo comunitário. Também estão previstas duas mesas redondas: “Mulheres rurais, guardiãs da cultura camponesa” e “Políticas públicas de cultura para territórios rurais no Brasil, Argentina, Chile, México, Uruguai e Equador”.

Além de conhecer a realidade das organizações culturais que atuam em territórios rurais nos países que integram o programa IberCultura Viva, o encontro tem como objetivo constituir um canal de diálogo com essas organizações e fomentar a integração ibero-americana, valorizando a cultura na sua dimensão simbólica, cidadã e econômica.

A Rede Nacional de Pontos de Cultura e Memória Rurais é uma articulação de organizações culturais reconhecidas pelo Ministério da Cultura como Pontos de Cultura e/ou Pontos de Memória. Essas 22 organizações atuam em comunidades rurais nas cinco regiões brasileiras, por meio de bibliotecas comunitárias, museus comunitários, centros culturais, pontos de leitura, pontinhos de cultura, cineclubes, entre outros, atendendo aos povos da floresta, das águas e do campo.

1º Encontro de Pontos de Cultura e Memória Rurais (fotos: Ponto de Cultura Rural/Ecomuseu Rural e Biblioteca de Artes Visuais)

(*) Participam da rede os seguintes Pontos de Cultura e Memória Rurais: Ponto de Cultura Meninos do São João (Palmas,Tocantins), ASCALTA (Cantá, Roraima), Ponto de Cultura a Bruxa Tá Solta (Boa Vista, Roraima), Comunidade Kilombola Morada da Paz (Rio Grande do Sul), Rede Tucum (Ceará), Fundação Cultural Cabras de Lampião (Museu do Cangaço – Serra Talhada, Pernambuco), Ponto de Cultura Nina (Campinas, São Paulo), Associação Cultural Viva (Duas Barras, Rio de Janeiro), Ponto de Cultura Tesouros da Terra (Nova Friburgo, Rio de Janeiro), Sociedade Musical Euterpe Lumiarense (SMEL – Nova Friburgo, Rio de Janeiro), Centro Cultural Visconde de Mauá (Visconde de Mauá, Rio de Janeiro), Associação Amigos de Piaçabuçu (Piaçabuçu, Alagoas), Terra Una (Liberdade, Minas Gerais), Associação dos Moradores do Sitio Volta (Jaguaruana, Ceará), Ponto de Cultura Alimentar Iacitatá (Belém, Pará), Associação Mata Atlântica Ponto de Cultura Caipira (Silva Jardim, Rio de Janeiro), Associação dos Produtores do Triângulo da Pinha – APPIAL (Alagoas), Instituto de Imagem e Cidadania (Bom Jardim, Rio de Janeiro), Associação dos Produtores de Artesanato, Gestores Culturais e Artistas de Icó – APROARTI (Icó, Ceará), Escola Viva Olho do Tempo (Gramame/João Pessoa, Paraíba), Guaimbe – Espaço e Movimento CriAtivo (Pirenópolis, Goiás) e Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo – CEPAGRO (Florianópolis, Santa Catarina).

 

Nome do evento: 8º Festival Nacional ICOZEIRO

Nome da rede/articulação: Festival da Cultura Icoense – ICOZEIRO

Organização responsável: Associação Filhos e Amigos de Icó – AMICÓ

 

O Festival da Cultura Icoense – Icozeiro, que este ano chega à oitava edição, é um evento realizado na cidade histórica de Icó (Ceará) para a divulgação, articulação, fruição e fortalecimento da produção cultural local. Mesclando música, teatro, dança, audiovisual, literatura, artes plásticas e artesanato, conta também com palestras, workshops, debates e rodas de conversa, de forma a promover e contemplar a miscelânea cultural presente desde a formação da população icoense e do sertão do Ceará.

O evento é gratuito e realizado anualmente desde 2011, entre os dias 18 e 30 de dezembro, no Centro de Arte e Cultura Prefeito Aldo Marcozzi Monteiro (CACPAMM), instalado no prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia de Icó, espaço tombado como patrimônio em 1975 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Também há atividades em outros espaços públicos do centro histórico e em bairros periféricos, comunidades e distritos do município.

A data coincide com o período de maior efervescência na cidade, com as festas do dia da padroeira do município, Nossa Senhora da Expectação (18 de dezembro) e do Senhor do Bonfim (1º de janeiro), e as confraternizações de fim de ano. Em 2011, ano em que o festival estreou com oito apoiadores e parceiros, o público estimado foi de 2,5 mil pessoas. Na última edição, este número aumentou para 23,5 mil pessoas e 78 apoiadores e parceiros.

A proposta do festival foi apresentada ao Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018 pela Associação Filhos e Amigos de Icó (Amicó) em articulação com Universidade Federal do Cariri (UFCA)/ Instituto de Estudos do Semiárido (IESA), Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Icó (Sindsepmi), Escola Livre de Artes (ELA) e Faculdade Vale do Salgado (FVS).

Esta rede colaborativa, voltada para ações educativas, formativas e culturais, busca dar vazão a uma demanda do município no tocante à ocupação do espaço público, fortalecendo a identidade local, promovendo o intercâmbio cultural e possibilitando a geração de renda em torno da economia criativa e da economia da cultura, em espaços que representam a memória, a história e a cidadania.

Saiba mais sobre o Festival de Cultura Icoense: http://www.icozeiro.com

 

Tags | , , ,

21

Nov
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Um festival de artes e um encontro de batucada: os dois projetos de El Salvador selecionados no Edital de Apoio a Redes 2018

Em21, Nov 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Nome do evento: Festival Artístico Chalateco y Festival del Maíz, un encuentro por la Cultura Viva Comunitaria

Nome da rede/articulação: Colectivos y Organizaciones de CVC de El Salvador

Organização responsável: Asociación Tiempos Nuevos Teatro (TNT)

 

O 22° Festival Artístico Chalateco e 12° Festival del Maíz, apresentado pela Asociación Tiempos Nuevos Teatro (TNT) em articulação com coletivos e organizações de cultura comunitária de El Salvador, será realizado esta semana, de 22 a 25 de novembro, no município de San Antonio Los Ranchos, departamento de Chalatenango.

Durante esses quatro dias, haverá apresentações de grupos de El Salvador, Honduras y Guatemala. Estão programados espetáculos de Nadia Maltez, El Coro Nacional de Adultos Mayores (CAMES), Escena X, Los del Quinto Piso, Teatro Cíclico, Payaso Simoon de El Salvador, Compañía Teatral Quimera (Honduras) e El Mago César (Guatemala). Na quinta-feira (22), paralelamente à celebração em San Antonio Los Ranchos, o festival também estará nos municípios de Azacualpa, San Miguel de Mercedes e comunidade de Las Minas.

 

Teatro comunitário

O Festival Artístico Chalateco é realizado desde 1998. Chamado de “Festival de Teatro Popular Chalateco” em suas três primeiras edições, o evento surgiu da necessidade da Associação TNT de criar espaços para mostrar as produções dos grupos de teatro comunitário da região.

Neste contexto, a TNT, junto com outras instâncias de San Antonio Los Ranchos, decidiram lançar em 2007 o Festival del Maíz (“Festival do Milho”), tentando resgatar uma das tradições perdidas transitoriamente no município durante o conflito armado.

A Associação TNT nasceu em 1993, um ano depois da assinatura dos Acordos de Paz, que terminou com mais de uma década de guerra civil em El Salvador. Surgiu nas montanhas de um departamento historicamente excluído, Chalatenango, e ali permanece depois de 25 anos. Na zona rural, projeta-se como uma referência de arte comunitário para toda a América Latina.

 

Cultura viva

Este ano, paralelamente à programação dos festivais artístico e gastronômico, de 23 a 25 de novembro haverá um encontro de 15 coletivos e organizações de Cultura Viva Comunitária. A ideia é ter um espaço durante o dia para trocar experiências de trabalho, conhecer a plataforma Mapa IberCultura Viva e contribuir para o 4º Congresso Latino-americano de CVC, que se realizará na Argentina em maio de 2019.

A proposta foi apresentada ao Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018 pela Asociación Tiempos Nuevos Teatro em articulação com Centro de Arte para la Paz, Centro Cultural y de las Artes Monseñor Oscar Arnulfo Romero (CLAMOR), Colectivo 12-15, Colectivo La Voz de Romero (LaVoR), Asociación de Arte para el Desarrollo-Primer Acto y Fundación por el Desarrollo de la Cultura a través de las Artes en Cojutepeque (FUNDARTE) e El Culebrón Timbal.

 

 

Nome do evento: III Encuentro Nacional de la Red de Batucadas TUYULU

Nome da red/articulação: Red de Batucadas TUYULU

Organização responsável: TDH-Suiza El Salvador

 

Cerca de 20 grupos de percussão de El Salvador participarão do 3º Encontro Nacional da Rede de Batucadas Tuyulu, nos dias 19 e 20 de dezembro, em San Salvador. O projeto busca fortalecer os grupos de batucada em sua capacidade organizativa em nível local e nacional, e suas habilidades de usar a batucada como ferramenta para a coesão e a transformação social.

Durante as duas jornadas, haverá oficinas sobre técnicas musicais, direitos humanos, equidade de gênero e estratégias de incidência através da arte. O encontro terminará com uma apresentação no espaço público, buscando a conscientização sobre as problemáticas vividas pela juventude salvadorenha.

Se espera a participação de cerca de 100 jovens, entre 15 e 30 anos, residentes da área rural ou urbana dos diferentes departamentos de El Salvador, que tenham conhecimentos básicos de batucada ou percussão e se encontrem em processo de organização ou estejam organizados em coletivos, redes, comitês, etc.

Previamente ao encontro nacional, serão realizadas uma reunião de coordenação, a gravação de um vídeo didático e duas jornadas preparatórias em diferentes zonas do país. A gestão contará com a participação dos/as jovens provenientes dos grupos integrantes da rede, em colaboração com as organizações que apoiam a Tuyulu.

A Rede de Batucadas Tuyulu foi fundada em 30 de agosto de 2015 por 12 grupos de percussão brasileira, com a missão de promover a batucada como uma ferramenta de transformação social e fomentar a cidadania ativa. Atualmente, a rede está preparando um processo formativo para grupos de jovens de 20 comunidades marginalizadas.

A proposta foi apresentada ao Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes 2018 por Asociación y Cooperación de Investigación para la Salud Mental (ACISAM), Plataforma Global El Salvador (PGES), Centro Bartolome de las Casas (CBC) e Terre des Hommes Suisse El Salvador (TDH-Suiza).

 

Saiba mais sobre a Rede Tuyulu: www.facebook.com/tuyulu

Saiba mais sobre a TNT: http://www.tnt.org.sv/https://bit.ly/1MOJw3I

Tags | , ,