Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Destaque

16

Oct
2018

EmDestaque
Notícias

Pontos de Cultura de Costa Rica: 16 projetos são selecionados para o empoderamento local

Em16, Oct 2018 | EmDestaque, Notícias |

A Direção de Cultura do Ministério de Cultura e Juventude (MCJ) de Costa Rica divulgou nesta terça-feira (16/10) os nomes dos projetos selecionados que serão acompanhados pelo programa Pontos de Cultura no período 2018-2019.

Com este programa, a Direção de Cultura do MCJ reconhece o trabalho comprometido e criativo de pessoas que estão à frente de projetos culturais nas diferentes províncias e regiões do país. Estas iniciativas fazem com que as comunidades sejam protagonistas de seus próprios processos de desenvolvimento local, por meio da participação e do trabalho colaborativo.

“Nesta quarta convocatória, recebemos 45 propostas de projetos, dos quais foram selecionados 16 como ganhadores. Eles receberão até 10 milhões de colones (cerca de 16.800 dólares) cada, segundo as necessidades estabelecidas pelos projetos, e serão executados no período 2018-2019, a partir de novembro deste ano”, comentou Eduardo Reyes, coordenador do programa, que faz parte do Departamento de Fomento Cultural da Direção de Cultura.

Pontos de Cultura é um programa de estímulos e alianças cujo eixo de trabajo é o reconhecimento do trabalho das organizações, redes, iniciativas coletivas e espaços socioculturais vinculados com a promoção da diversidade cultural, da economia social solidária e da salvaguarda do patrimônio cultural e natural.

A iniciativa é um meio para o fortalecimento de capacidades locais, com um fim definido: produzir, a partir da cultura, melhores oportunidades para a convivência e a paz social. Mais de 90 comunidades de todo o país foram fortalecidas com os benefícios aportados pelos 80 projetos Pontos de Cultura realizados durante os últimos quatro anos, desde que se implementou esta política de estímulo na Costa Rica.

Os projetos selecionados para o período de 2018-2019 representarão um benefício direto à grande variedade de comunidades ao redor do território nacional. Há projetos das sete províncias costa-ricense, além da Zona Norte e da Zona Sur, distribuídos da seguinte maneira: San José (1), Heredia (1), Limón (3), Zona Sur (1), Nacional (1), Zona Norte (1), Puntarenas (5), Cartago (1), Alajuela (1) e Guanacaste (1).

A escolha dos projetos foi feita pela Comissão Selecionadora, composta por representantes da Direção de Cultura do MCJ, universidades públicas e organizações culturais inscritas no Sistema de Informação Cultural (Si.cultura).

“Ser parte da Comissão Selecionadora foi muito enriquecedor, já que tivemos a oportunidade de conhecer muitos dos projetos participantes, os quais ofereciam propostas de trabalho em uma grande variedade de temas e comunidades do país”, afirmou Carolina Quesada, representante da Universidade Estatal a Distancia (UNED).

 

Confira os 16 projetos selecionados, de acordo com sua categoria:

Arte para a transformação social

  1. Cooperativa Sulá Batsú, com o projeto “Sonora Festival Internacional de Compositoras Costa Rica”
  2. Asociación de Desarrollo Comunal Manuel de Jesús Jiménez, Cartago, com o projeto “Arte, prevención social de la violencia y nuevos valores para la convivencia entre los géneros”
  3. Fundación Acción Joven, com o projeto “Apropiación de espacios públicos como herramienta para promoción cultural y el combate de la violencia”
  4. Iyök Alar (Hijos de la tierra), com o projeto “Culturas ancestrales viviendo nuestras raíces”
  5. Asociación Amigos de la Isla Uvita, com o projeto “Isla Quiribí Canto de Aves, Cultura y más”
  6. Fundación Camaleonart, com o projeto “Churchullcolor festival de Arte Urbano”
  7. Fundación Voz Propia, com o projeto “Festival Comunitario MadreMonte 2019: Canto a Iriria la Niña Tierra”

 

Meios e propostas de comunicação comunitária

  1. Asociación Belemita de Medios de Comunicación El Guacho, com o projeto “Periódico El Guacho: un medio comunitario belemita al rescate de la historia de edificaciones locales y el testimonio de mujeres empoderadas”
  2. Asociación para la Sostenibilidad Rural de Costa Rica, com o projeto “Comunicadoras comunitarias para el buen vivir”
  3. Asociación de Desarrollo Integral de las Juntas de Abangares, com o projeto “Identidades subterráneas y territorios invisibles: la minería artesanal en Abangares Guanacaste, una propuesta de Comunicación Comunitaria”
  4. Asociación red de medios e iniciativas de comunicación alternativa (REDMICA), com o projeto “Fortalecimiento de capacidades de comunicación para la participación ciudadana para organizaciones puntarenenses”.

 

Fortalecimiento organizacional

  1. Asociación Centro Comunitario de Buceo Embajadores y Embajadoras del Mar, com o projeto “Nueva generación Caribe Sur: Casa del Mar, impulsando buceo con propósito cultural”

 

Cultura para el buen vivir

  1. Asociación de Productores Agro-ambientalistas de Cacao de Guatuso (ASOPAC), com o projeto “Guatuso memoria viva del cacao II”
  2. Asociación Masaya, com o projeto “Removernos”
  3. Asociación Mujeres Unidas La Españolita de Río Cuarto Grecia, com o projeto “Sabores que sanan: mujeres sazonando un buen vivir”
  4. Asociación Comisión Indígena de Mujeres de Talamanca, com o projeto “Centro Cultural Mujeres Indígenas guardianas y transmisoras de la cultura Bribri”.

 

Fonte: Dircultura/MCJ

 

(Na foto, “Aula Cultural e Interactiva en Isla de Chira”, um dos projetos impulsionados por Puntos de Cultura no período 2017-2018)

Tags | ,