Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Para o Topo

Experiencias

Histórias solidárias: Villa Palito

Por IberCultura

Em04, mar 2021 | Em | PorIberCultura

Histórias solidárias: Villa Palito

Texto, vídeo e fotos: Ministerio de Cultura de la Nación

 

Villa Palito é o primeiro capítulo de uma série de curtas realizados pelo Ministério de Cultura da Argentina sobre as vivências dos e das protagonistas que trabalham na reconstrução do tecido social, com o aporte solidário de organizações comunitárias, trabalhadores da cultura e um Estado presente.

O curta conta a história de Villa Palito, um bairro solidário com memória de luta que, junto com o Padre Bachi e o apoio do Estado, conseguiu a reurbanização. Uma paróquia, artistas, vizinhos e vizinhas confluem em um verão com propostas culturais inclusivas e diversas para os meninos e meninas do bairro.

“Histórias Solidárias é uma proposta para visibilizar o trabalho conjunto e articulado que se realiza entre organizações sociais, o Estado Nacional e as diversas comunidades que habitam cada território, para reconstruir os laços sociais, e promover as identidades locais e a participação popular”, destacou Maximiliano Uceda, secretário de Gestão Cultural.

A música original do curta pertence à Orquesta Latinoamericana de la Casita de los Pibes, de Villa Alba – La Plata, integrante do Programa Social de Orquestras Infantis e Juvenis de Instrumentos Latino-americanos “Andrés Chazarreta”.

Por sua parte, Gianni Buono, diretor nacional de Diversidade e Cultura Comunitária da Secretaria de Gestão Cultural, deu detalhes dos objetivos desta série de vídeos e o contexto em que foram realizados.

“Histórias de Cultura Solidária é uma proposta organizada para visibilizar o intercâmbio produzido entre três instâncias de nossa sociedade: a sociedade civil, organizada em seus representantes comunitários; suas organizações comunitárias, que são o ponto nodal e onde se ordena a execução de políticas públicas; e um Estado presente que volta a recuperar políticas ativas para a sociedade. Também estão as e os trabalhadores da cultura, que aportam suas capacidades e seus conhecimentos para reconstruir esse tecido social tão danificado pelas políticas neoliberais e tão golpeado por esta pandemia. A história do capítulo 1, em Villa Palito, se articulou entre os distintos níveis e áreas do Estado com uma perspectiva de solidariedade entre as políticas públicas, para chegar com maior potência à maior quantidade de atores que precisam da dinâmica dessas políticas”.

Villa Palito é um dos bairros mais populares de La Matanza, no conurbano bonaerense. Nasceu em 1962 como consequência da erradicação de vilas na capital federal. Calcula-se que ali vivem cerca de 10.000 pessoas. Graças à organização das e dos vizinhos em articulação com o Estado, a vila foi alcançando nas últimas duas décadas um maior acesso a direitos e se tornou um exemplo de inclusão sócio-urbana. 

Sob a premissa de que brincar é um direito e o Estado o fomenta e o protege, o programa Cultura Solidária esteve desenvolvendo suas atividades de verão na Villa Palito, compartilhando propostas de circo, títeres, música, clowns, humor e oficinas artísticas e recreativas para toda a família, tiveram lugar em espaços preparados de acordo com os protocolos sanitários e de cuidado vigentes.

Para Bouno, é fundamental continuar trabalhando sob a matriz conceitual que propõe a comunidade organizada e, em sintonia, desde a coordenação do Plano Nacional de Cultura Solidária são desenvolvidas diferentes linhas de ação com eixo no trabalho coletivo e a articulação solidária entre a comunidade e o Estado.

“Temos que chegar a cada um dos rincões de nossa pátria, federalizando as políticas públicas, integrando os setores que foram excluídos e marginalizados durante o governo neoliberal e que hoje têm mais do que nunca a necessidade de ser levados em conta, para produzir esta mudança cultural que vamos construindo. Uma mudança que tem como protagonistas esses representantes da diversidade cultural e um tecido tão rico e amplo como é o de cultura ou o das culturas argentinas”, concluiu o diretor.

Esta linha faz parte do Plano Nacional de Cultura Solidária, dependente da Direção Nacional de Diversidade e Cultura Comunitária da Secretaria de Gestão Cultural.

 

 

(*) Texto originalmente publicado na página web do Ministério de Cultura de Argentina

https://www.cultura.gob.ar/historias-de-cultura-solidaria-10172/