Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Edital

06

Sep
2018

EmDestaque
EDITAIS
Notícias

PorIberCultura

20 candidaturas são habilitadas no 1º Edital IberCultura Viva de Mobilidade 2018

Em06, Sep 2018 | EmDestaque, EDITAIS, Notícias | PorIberCultura

O programa IberCultura Viva informa a lista de pessoas habilitadas a seguir no processo de seleção do 1º Edital IberCultura Viva de Mobilidade 2018. Das 35 candidaturas apresentadas durante o prazo de postulação (de 1º a 30 de agosto de 2018), foram habilitadas 20 de nove países (2 da Argentina, 4 do Brasil, 1 do Chile, 2 de Costa Rica, 2 do Equador, 1 da Espanha, 4 da Guatemala, 2 do México e 2 do Peru).

O prazo de recursos, que termina no sábado, 8 de setembro, é apenas para aqueles cuja documentação não tenha sido apresentada por causa de danos nos arquivos enviados.  Para tanto, deverão dirigir um texto para o e-mail rosario@iberculturaviva.org, com a indicação no assunto de “Recurso” e a identificação da organização ou povo originário responsável. Não serão aceitos recursos sobre documentação não enviada oportunamente. A relação definitiva de candidaturas habilitadas será divulgada após o prazo e análise dos recursos e será enviada ao Comitê de Seleção para dar continuidade ao processo de avaliação.

A seleção

Será selecionada uma pessoa de cada país integrante do Conselho Intergovernamental  IberCultura Viva. As pessoas selecionadas – representantes de organizações culturais comunitárias e/ou povos originários – participarão das Jornadas Preparatórias do 4º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, de 2 a 4 de novembro em Buenos Aires (Argentina). O valor total destinado ao edital é de US$ 10 mil, que serão distribuídos para a compra de passagens aéreas e seguro de viagem.

Na seleção serão levados em conta critérios como a experiência da organização em ações culturais comunitárias e em articulação de redes culturais, e o histórico de participação em processo de articulação de redes culturais em âmbito nacional e/ou internacional. Também contarão pontos a participação em instâncias de articulação de redes e circuitos de organizações culturais comunitárias e/ou povos originários, como os Congressos Latino-americanos de CVC, e o perfil da pessoa candidata (mulheres, jovens, afrodescendentes e pessoas pertencentes a povos originários terão 2 pontos mais).

O congresso

Com o lema “Territórios para o bem-viver”, o 4º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária se realizará na Argentina como um evento itinerante, de 10 a 17 de maio de 2019, com início na província de Mendoza, passando por Córdoba e Paraná e terminando na cidade de Buenos Aires.

O formato de caravana, segundo os organizadores, possibilitará o contato com distintas realidades do país, gerando ao longo da semana instâncias participativas em nível comunitário e permitindo também uma visão dos processos territoriais. Serão mantidas algumas dimensões da estrutura de trabalho dos congressos anteriores, como os círculos de palavras temáticos, feiras, festivais, visitas a experiências e plenárias.

O congresso vem sendo preparado ao longo de 2018 por coletivos de distintas regiões do país. Já se realizaram quatro jornadas de trabalho para o planejamento do evento: na cidade de Buenos Aires, em março; em Córdoba, em abril; em Chacras de Coria (Mendoza), em junho, e em Entre Ríos (Paraná), em agosto. Participam da construção da metodologia e logística do evento ao  redor de 200 coletivos argentinos.

Na reunião preparatória de novembro, em que participarão representantes de organizações culturais comunitárias de países latino-americanos, as atividades incluirão momentos de plenária, trabalho em grupos, comissões temáticas e momentos de participação e recreação coletiva, visitando experiências locais e espetáculos de Cultura Viva Comunitária em Buenos Aires.

Confira a lista de candidaturas habilitadas:

Informação aos Interessados I – Etapa de Habilitação – 1º Edital IberCultura Viva de Mobilidade 2018

Leia também:

Jornadas Preparatórias do 4º Congresso Latino-americano de CVC: planejamento coletivo e intercâmbio de experiências

Edital IberCultura Viva de Mobilidade 2018

Tags | , , ,

15

Aug
2018

EmDestaque
EDITAIS
Notícias

PorIberCultura

Edital para Apoio de Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018: inscrições abertas

Em15, Aug 2018 | EmDestaque, EDITAIS, Notícias | PorIberCultura

Organizações e coletivos de cultura comunitária e povos originários que trabalham em articulação e de maneira colaborativa nos países integrantes do programa IberCultura Viva têm até o dia 30 de setembro para inscrever-se no 1º Edital IberCultura Viva para Apoio de Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018.

A iniciativa busca fortalecer o trabalho e fomentar a articulação das redes culturais de base comunitária e projetos de trabalho colaborativo a partir do apoio à realização de encontros, congressos, seminários, festivais, feiras, colóquios e simpósios.  Os eventos apresentados poderão ter alcance municipal, estadual, nacional ou regional, e deverão ser realizados entre novembro de 2018 e maio de 2019, com entrada livre e gratuita.

Será destinado o valor total de US$ 85 mil. Cada projeto poderá receber até US$ 5 mil, e este aporte poderá ser utilizado somente em gastos de produção e comunicação do evento. As organizações candidatas deverão aportar no mínimo 25% dos custos totais do projeto.

O objetivo do edital é apoiar eventos cuja forma de gestão se desenvolva a partir da articulação e do trabalho conjunto de organizações, coletivos culturais e povos originários, que fortaleçam a gestão cultural local e que busquem fomentar, enriquecer, fortalecer e/ou visibilizar produções culturais comunitárias tanto no campo artístico como para a construção de cidadania e a valorização das identidades dentro do Espaço Cultural Ibero-americano.

Poderão participar organizações e coletivos dos seguintes países: Argentina, Brasil, Costa Rica, Chile, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, Peru e Uruguai. As inscrições estão abertas a partir de hoje no Mapa IberCultura Viva (https://mapa.iberculturaviva.org), a nova plataforma colaborativa de mapeamento do programa voltado para as culturas de base comunitária do países ibero-americanos.

 

Nova plataforma

Este é o primeiro edital do programa publicado no Mapa IberCultura Viva. A plataforma, que faz parte do projeto Mapas Culturais, adotado pelo Ministério da Cultura do Brasil (Mapa da Cultura) e pela Direção Nacional de Cultura do Uruguai em 2015 (Cultura en Linea), permite o registro de agentes culturais individuais e coletivos. Por agentes individuais compreendemos as pessoas físicas, e por agentes coletivos, as organizações culturais comunitárias, entidades, povos originários, coletivos, agrupações e instituições.

O 1º Edital IberCultura Viva para Apoio de Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018 é destinado aos agentes coletivos. No entanto, recomendamos aos representantes de organizações que se inscrevam inicialmente como agentes individuais (pessoas físicas) e depois façam o cadastro de agente coletivo, com os dados de sua organização comunitária, Ponto de Cultura, etc.

As inscrições serão realizadas somente por meio desta plataforma. Brasileiros interessados em inscrever-se devem buscar em “Editais” o arquivo que aparece com o título em português (“1º Edital IberCultura Viva para Apoio de Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018”). Pessoas dos outros países membros do programa devem fazer a inscrição naquele que tem o título em espanhol (“1ª Convocatoria IberCultura Viva para Apoyo de Redes y Proyectos de Trabajo Colaborativo 2018”).

 

Veja o regulamento:

1º Edital IberCultura Viva para Apoio de Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2018

 

Consultas:

programa@iberculturaviva.org

 

Leia também:

Nova plataforma do programa IberCultura Viva busca integrar e dar visibilidade a organizações comunitárias da Ibero-América

 

Tags | , ,

01

Aug
2018

EmEDITAIS
Notícias

PorIberCultura

Edital de Mobilidade apoiará a participação de representantes de organizações em reunião na Argentina

Em01, Aug 2018 | EmEDITAIS, Notícias | PorIberCultura

O 4º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, que será realizado na Argentina em maio de 2019, vem sendo preparado ao longo deste ano por coletivos de distintas regiões do país. De 2 a 4 de novembro, haverá uma reunião de planejamento na cidade de Buenos Aires que contará com membros de organizações culturais comunitárias de países latino-americanos. O 1º Edital IberCultura Viva de Mobilidade 2018, lançado nesta quarta-feira, 1º de agosto, é destinado a apoiar a participação de representantes de organizações dos países membros do programa nesta reunião.

O valor total destinado ao edital é de US$ 10 mil, que serão distribuídos para a compra de passagens aéreas e seguro de viagem para as pessoas selecionadas. Poderão participar do edital representantes de organizações culturais comunitárias e povos originários dos países membros do programa: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México,  Peru e Uruguai. Será selecionada uma pessoa por país.

As inscrições terão início hoje e terminarão em 30 de agosto. As pessoas candidatas devem completar o formulário de inscrição e enviá-lo ao correio eletrônico rosario@iberculturaviva.org, junto com os documentos necessários para a inscrição (certificados, carta aval, etc). Deve-se enviar apenas um e-mail com o formulário preenchido e todos os anexos.

Serão levados em conta na seleção critérios como a experiência da organização em ações culturais comunitárias e na articulação de redes culturais, e o histórico de participação no processo de articulação de redes culturais em âmbito nacional e/ou internacional. Também contarão pontos a participação em instâncias de articulação de redes e circuitos de organizações culturais comunitárias e/ou povos originários, como os Congressos Latino-americanos de CVC, e o perfil da pessoa candidata (mulheres, jovens, afrodescendentes e pessoas pertencentes a povos originários terão dois pontos mais).

 

O congresso

Com o tema “Territórios para o bem viver”, o 4º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária tem uma estrutura diferente em relação às edições anteriores, realizadas em La Paz, Bolívia (2013), San Salvador, El Salvador (2015), e Quito, Equador (2017). A ideia é que seja um evento itinerante, de 10 a 17 de maio de 2019, com início na província de Mendoza, passando por Córdoba e Paraná e terminando na cidade de Buenos Aires..

O congresso em formato de caravana, segundo os organizadores, possibilitará o contato com distintas realidades do país e criará ao longo dessa semana instâncias participativas em nível comunitário, permitindo também uma visão dos processos territoriais. Serão mantidas algumas dimensões da estrutura de trabalho dos congressos anteriores, como os círculos de palavras temáticos, as feiras, os festivais, visitas a experiências e plenárias.

Já foram realizadas três jornadas de trabalho para o planejamento do congresso: na cidade de Buenos Aires, em março; em Córdoba, em abril, e em Chacras de Coria (Mendoza), em junho. O próximo encontro está previsto para os dias 25 e 26 de agosto na cidade de Paraná. Participam da construção da metodologia e logística do evento ao redor de 200 coletivos argentinos, entre os quais muitas experiências já estruturadas em rede, como a Red Nacional de Teatro Comunitario, o Foro Argentino de Radios Comunitarias (FARCO) e o coletivo Pueblo Hace Cultura.

 

Para baixar o edital:

1º Edital IberCultura Viva de Mobilidade 2018

ANEXO 01- Formulário de inscrição

Tags | , , ,

15

Dec
2017

EmEDITAIS
Notícias

PorIberCultura

Convocatória aberta para o Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária

Em15, Dec 2017 | EmEDITAIS, Notícias | PorIberCultura

Estão abertas a partir desta sexta-feira (15/12) as inscrições para a Convocatória de Bolsas do Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária FLACSO-IberCultura Viva 2018. Cinquenta bolsas serão concedidas a agentes de políticas culturais, sejam eles trabalhadores dos distintos níveis do poder público ou das organizações culturais de base comunitária dos países membros do programa IberCultura Viva.

O curso será ministrado a distância, através do Campus Virtual da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO), sede Argentina, durante nove meses, de março a dezembro de 2018. Os interessados terão até o dia 15 de fevereiro de 2018 para apresentar as postulações.

Para participar, os candidatos deverão contar com disponibilidade de 10 horas semanais para acompanhar o curso e comprometer-se a realizar as avaliações parciais e o trabalho final. As inscrições poderão ser apresentadas nas línguas portuguesa ou espanhola.

As aulas serão em espanhol, exceto aquelas a cargo de professores brasileiros, que serão dadas em português e terão tradução para o espanhol. Os trabalhos poderão ser entregues no idioma nativo (espanhol ou português).

Docentes

Com o objetivo de fortalecer a formação e a pesquisa das políticas de cultura de base comunitária e o conceito de “cultura viva” como política pública, a proposta acadêmica busca a diversidade de olhares, com a participação de professores de vários países ibero-americanos.

Entre eles estarão George Yúdice (EUA), Fresia Camacho (Costa Rica), Carmen Lía Meoño Soto (Costa Rica), Giancarlo Priotti (Costa Rica), Fernando Vicario (Espanha), Alberto Quevedo (Argentina), Belén Igarzábal (Argentina), Emiliano Fuentes Firmani (Argentina), Diego Benhabib (Argentina), Célio Turino (Brasil), Alexandre Santini (Brasil), Rodrigo Savazoni (Brasil), Guillermo Valdizán Guerrero (Peru), Víctor Vich (Peru), Paloma Carpio (Peru), Doryan Bedoya (Guatemala), Bernardo Guerrero Jiménez (Chile), Omar Rincón (Colômbia), Ana María Restrepo (Colômbia), César Pineda (El Salvador) e Rafael Paredes (México).

 

Seleção

O edital está destinado aos países membros do IberCultura Viva com participação plena no Conselho Intergovernamental, segundo o regulamento do programa: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Peru e Uruguai. As 50 bolsas serão repartidas equitativamente entre os países participantes.

A seleção dos candidatos levará em conta critérios como a experiência em gestão cultural, em ações culturais comunitárias e no desenho e execução de políticas públicas culturais, além da formação universitária em gestão cultural, ciências sociais, humanas ou econômicas. Aqueles que pertençam a povos originários e/ou afrodescendentes terão um ponto extra na avaliação. Ao menos 50% das pessoas selecionadas deverão ser mulheres. Os resultados finais serão divulgados até 6 de março de 2018.

 

Confira o edital: Bolsas Curso de Pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária

O formulário está disponível aqui

Baixe a declaração de compromisso

 

Saiba mais: http://bit.ly/2AAJRfr

 

Consultas: franco@iberculturaviva.org.

Tags | , , , ,

13

Oct
2017

EmEDITAIS
Notícias

PorIberCultura

Rumo a Quito: confira a lista de pessoas selecionadas no Edital de Mobilidade IberCultura Viva

Em13, Oct 2017 | EmEDITAIS, Notícias | PorIberCultura

O programa IberCultura Viva informa a lista de pessoas selecionadas no Edital de Mobilidade IberCultura Viva 2017. Será distribuído um total de US$ 45 mil em passagens aéreas para representantes de organizações interessadas em participar do 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, que será realizado de 20 a 25 de novembro em Quito, Equador. As pessoas selecionadas receberão a passagem de ida e volta, o seguro de viagem e a taxa de inscrição ao congresso.

O Edital de Mobilidade não inclui hospedagem nem alimentação. As pessoas selecionadas poderão fazer uso do espaço de camping e participar das comidas comunitárias incluídas na inscrição, ou resolver sua hospedagem e alimentação por seus próprios meios.

As inscrições estiveram abertas de 4 de setembro a 1 de outubro. Poderiam inscrever-se representantes de organizações/coletivos que trabalham com cultura de base comunitária nos países membros do Conselho Intergovernamental IberCultura Viva.

Das 245 inscrições recebidas, foram habilitadas 52 pessoas candidatas. Deste total, 10 são da Argentina, 10 do Chile, 10 do Brasil, 6 da Costa Rica, 6 do Uruguai, 4 de El Salvador, 4 do Peru e 2 da Espanha. Os números de ganhadores por país foram proporcionais à quantidade de candidaturas apresentadas e habilitadas.

Entre os critérios que foram levados em conta na avaliação estavam a experiência da organização em ações culturais comunitárias e o histórico de participação em processos de articulação de redes em âmbito nacional e/ou internacional, além do perfil da pessoa candidata.

O 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária é organizado pela Rede de Cultura Viva Comunitária Equador, que tem prevista uma área para acampamento e alimentação comunitária. Existem duas modalidades de inscrição ao 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária: os que pagam US$ 35 têm acesso às atividades, e os que pagam US$ 70 têm acesso às atividades, à zona de camping e à alimentação. O programa IberCultura Viva pagará a modalidade de inscrição que inclui camping e alimentação.

Confira a relação de pessoas selecionadas:

Informação aos Interessados III: Etapa de Seleção –  Relação final – Edital de Mobilidade IberCultura Viva 2017

(*Texto atualizado em 14 de outubro de 2017)

(**A lista publicada continha erros nos nomes das pessoas selecionadas da Espanha. Republicamos a lista de ganhadores e pedimos desculpas pelo erro)

Leia também:

Informação aos Interessados II: Etapa de Habilitação – Relação Definitiva – Edital de Mobilidade IberCultura Viva 2017

Informação aos Interessados: Etapa de Habilitação – Edital de Mobilidade IberCultura Viva 2017

Tags | , , ,

03

Oct
2017

EmEDITAIS
Notícias

PorIberCultura

Confira as candidaturas habilitadas no Edital de Mobilidade IberCultura Viva

Em03, Oct 2017 | EmEDITAIS, Notícias | PorIberCultura

A Unidade Técnica do programa IberCultura Viva informa a relação definitiva de pessoas candidatas habilitadas no Edital de Mobilidade IberCultura Viva 2017, após a análise de recursos e a complementação de documentação.

As inscrições estiveram abertas de 4 de setembro a 1 de outubro. Poderiam inscrever-se representantes de organizações/coletivos que trabalham com cultura de base comunitária nos países membros do Conselho Intergubernamental IberCultura Viva. O prazo de recursos terminou no dia 6 de outubro.

Das 245 inscrições recebidas, foram habilitadas 197 pessoas candidatas. Deste total, 49 são da Argentina, 46 do Chile, 44 do Brasil, 19 da Costa Rica, 16 do Uruguai, 10 de El Salvador, 5 do México, 5 do Peru e 3 da Espanha.  As candidaturas habilitadas seguem no processo de avaliação. A lista final de pessoas selecionadas será publicada nos próximos dias.

O edital

O Edital de Mobilidade é dirigido às organizações interessadas em participar do 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, que será realizado de 20 a 25 de novembro em Quito, Equador. O evento é organizado pela Rede de Cultura Viva Comunitária do Equador.

Será destinado o total de US$ 45 mil para compra de passagens aéreas. Entre os critérios que serão levados em conta na avaliação dos selecionados estão a experiência da organização em ações culturais comunitárias e o histórico de participação em processos de articulação de redes em âmbito nacional e/ou internacional, além do perfil da pessoa candidata.

As pessoas selecionadas receberão passagem de ida e volta, seguro de viagem e taxa de inscrição ao congresso. O Edital de Mobilidade não inclui hospedagem nem alimentação. As pessoas selecionadas poderão fazer uso do espaço de camping e participar das refeições comunitárias incluídas na inscrição, ou resolver sua hospedagem e alimentação por seus próprios meios.


(*Texto atualizado em 9 de outubro de 2017)

Confira a relação de candidaturas habilitadas:

Informação aos Interessados II: Etapa de Habilitação – Relação Definitiva – Edital de Mobilidade IberCultura Viva 2017

Informação aos Interessados: Etapa de Habilitação – Edital de Mobilidade IberCultura Viva 2017

 

 

Leia também:

IberCultura Viva lança Edital de Mobilidade: rumo a Quito

 

 

 

Tags | , , ,

17

Apr
2017

EmEDITAIS

PorIberCultura

Confira a lista definitiva de habilitados no Edital para Seleção de Textos IberCultura Viva

Em17, Apr 2017 | EmEDITAIS | PorIberCultura

O programa IberCultura Viva informa a relação definitiva de propostas habilitadas a participar do Edital para a Seleção de Textos sobre Políticas Culturais de Base Comunitária IberCultura Viva 2016. O prazo de recursos terminou na quinta-feira, 20 de abril.

Foram habilitados 15 textos apresentados por participantes do Brasil, da Espanha e do Equador. A etapa seguinte, de análise dos textos, será de responsabilidade do Comitê Curador, composto por representantes de Argentina, Brasil, Chile, El Salvador e Uruguai.

O edital tem como objetivo selecionar textos que provoquem reflexões e contribuam para a divulgação do conceito e das políticas culturais de base comunitária no âmbito ibero-americano. Os textos devem tratar de experiências de organizações da sociedade civil que são ou tenham sido colaboradoras de políticas governamentais de cultura de base comunitária.

(Texto atualizado em 24 de abril de 2017)

Informação aos Interessados II – Etapa de Habilitação: Resultado Definitivo

Informação aos Interessados I – Etapa de Habilitação: Resultado Preliminar

Tags | , ,

10

Apr
2017

EmNotícias

PorIberCultura

Inscrições abertas para a convocatória de Pontos de Cultura 2017-2018 da Costa Rica

Em10, Apr 2017 | EmNotícias | PorIberCultura

Está aberto até 30 de junho o prazo de inscrições para a terceira convocatória de Pontos de Cultura da Costa Rica, lançada em 3 de abril pela Direção de Cultura do Ministério de Cultura e Juventude. As duas primeiras foram realizadas em 2015 e 2016, respaldando dezenas de iniciativas de organizações com uma grande diversidade em suas temáticas e áreas de ação. As bases de participação e o formulário atualizado estão disponíveis no website www.dircultura.go.cr.

Pontos de Cultura é um programa de estímulos e sinergias voltado para o fortalecimento de organizações, redes, iniciativas coletivas e espaços socioculturais vinculados com a promoção da diversidade cultural, a economia social solidária e a salvaguarda do patrimônio cultural e natural.

“É a melhor maneira de aproveitar os recursos do Estado para exercer os direitos culturais, sobretudo em regiões distantes da grande área metropolitana; além disso, é um exercício de gestão em si mesmo, um processo de aprendizagem contido no desenvolvimento dos projetos selecionados”, afirma Irene Morales, coordenadora do Departamento de Fomento Cultural da Direção de Cultura do MCJ.

Podem participar da convocatória associações, fundações, sociedades civis sem fins de lucro, associações de desenvolvimento (não se requer “idoneidade” para o manejo de fundos públicos), cooperativas autogeridas vinculadas com temáticas culturais, e Juntas de Educação, Saúde, etc. As organizações interessadas devem ter sua personalidade jurídica  em dia e devidamente inscrita no Registro Público correspondente. Isso inclui as nomeações da junta diretiva, que também devem estar vigentes.

Prazos e recursos

Podem apresentar-se projetos cujas necessidades de financiamento requeiram até um máximo de ¢10.000.000 (dez milhões de colones). Será financiado um montante de até 70% do custo total, sendo necessário, portanto, que o projeto conte com pelo menos 30% de financiamento (as contrapartidas poderão vir da mesma organização que postula e/ou de organizações externas). Os gastos administrativos do projeto (incluindo pagamento do contador) não poderão exceder 20% do valor total solicitado ao fundo.

A execução dos projetos beneficiados pelo programa deverá ser realizada no prazo previsto em sua formulação, que não poderá ser inferior a seis meses, nem superior a um ano. Os projetos deverão contar com um cronograma de duas etapas: a etapa 1 deverá ser realizada em 2017 (novembro e dezembro), e a 2, em 2018.

As categorias

São quatro as categorias do fundo: a) arte para a transformação social; b) meios e propostas de comunicação comunitária; c) fortalecimento organizacional e d) cultura para o bem viver.

A primeira categoria abarca projetos que – por meio de diversas manifestações artísticas e educativas – fortaleçam a autoestima, o pensamento crítico, a criatividade e a identidade das pessoas e comunidades, assim como a convivência, mediante espaços de expressão e/ou aprendizagem artística.

Entende-se por “cultura para o bem viver” os projetos que contribuam para o fortalecimento da economia solidária, da ecologia, da soberania alimentar e do direito à alimentação, a interculturalidade, a diversidade cultural, a equidade de gênero, assim como o fomento à vida saudável e em comunidade. Também se incluem projetos que promovam a apropriação positiva de espaços culturais, urbanos e rurais para sua recuperação e uso, e projetos vinculados a casas e centros culturales.

A categoria de comunicação busca iniciativas inovadoras e não comerciais, através de diferentes meios de comunicação coletiva e/ou novas tecnologias, enfocadas na expressão das identidades, manifestações e temáticas próprias de diversos setores e comunidades.

A de fortalecimento organizacional, por sua vez, está voltada a projetos que contribuam para o fortalecimento de grupos, redes, centros, pequenos empreendimentos culturais e outros espaços de trabalho sociocultural, que de acordo com suas necessidades, requeiram participar ou organizar seminários, oficinas, capacitações, encontros, intercâmbios e atividades similares, a fim de fortalecer sua autonomia, sustentabilidade, capacidade de gestão, incidência e relações intersetoriais.

Ponto de Cultura em Bahía Drake

A entrega

Irene Morales enfatiza que é fundamental que as organizações interessadas em concursar leiam os requisitos, pois todos os anos mudam, não drasticamente, mas, sim, têm conteúdos diferentes e projetos no formato anterior não são recebidos”.

Os projetos deverão ser entregues em formato impresso nos escritórios da Direção de Cultura localizadas no Centro Nacional de Cultura (Cenac), em San José centro, e somente serão aceitos nas datas que serão indicadas no início de junho na página web www.dircultura.go.cr.

 Os critérios

Será avaliada a coerência entre os objetivos propostos, resultados esperados, as atividades, o cronograma e o pressuposto, assim como a estabilidade da organização no tempo e experiência em gestão de projetos e no manejo de fundos públicos ou privados. Também estão entre os critérios de avaliação a estratégia de sustentabilidade, a temática e a participação comunitária, além da distribuição por região. Será dada uma pontuação adicional àqueles projetos que se desenvolvam em localidades afetadas pelo furacão Otto.

O anúncio dos projetos selecionados será feito no fim de setembro de 2017, nas páginas web www.dircultura.go.cr e www.mcj.go.cr .

Informações: puntos@dircultura.go.cr

 (Texto atualizado em 17 de abril de 2017)

Para baixar:

Perguntas frequentes

Bases de participação (2017-2018)

Formulário de inscrição

 

Tags | ,

22

Nov
2016

EmNotícias

PorIberCultura

Mundo Puckllay e Pé no Chão: um intercâmbio cultural e pedagógico entre Peru e Brasil

Em22, Nov 2016 | EmNotícias | PorIberCultura

Fotos: Soile Heikkilä e Guillermo Vásquez

Mundo é um jogo infantil que ainda hoje em dia se pratica nos bairros, ruas e comunidades em vários pontos do mundo. Também conhecido em alguns lugares como “rayuela” (no Brasil, é “amarelinha”), faz alusão ao fato de ir avançando, rompendo fronteiras, ganhando espaços novos a partir do jogo, da alegria, da arte e da cultura.

Mundo é também um projeto de duas organizações – Puckllay (Peru) e o Grupo de Apoio Mútuo Pé no Chão (Brasil) –, interessadas em enlaçar as experiências artísticas, pedagógicas e comunitárias que cada uma vem desenvolvendo de maneira permanente e intensiva em seus respectivos lugares. A população infantil e juvenil em situação de risco é o público-alvo em ambas as experiências.

IMG_2817

O projeto, um dos premiados no Edital IberCultura Viva de Intercâmbio, edição 2015, propõe um intercâmbio artístico e pedagógico, buscando desta maneira ampliar os horizontes e o olhar de seus jovens participantes, fortalecendo-os e enriquecendo assim sua experiência.

A  primeira etapa de Mundo consistiu em um intercâmbio cultural e pedagógico para o qual se trasladou do Peru a Recife (Brasil) uma equipe de 12 pessoas, entre artistas, participantes e educadores. Do lado do Pé no Chão  participaram aproximadamente 50 pessoas. Este primeiro intercâmbio teve uma duração de 10 dias, tempo para que ambas as organizações pudessem se conhecer, aprender um do outro, trocar saberes e experiências.

“Os dias transcorreram entre ritmos de tambores, danças afro-brasileiras, sons peruaníssimos de zampoñas, sikuris, marinera, waylarsh, e sons de diablos. Além disso, houve oficinas de capoeira, acrobacia e máscaras”, conta Anabelí Pajuelo, diretora geral de Puckllay.

IMG_2662

Seguindo a dinâmica de trabalho de Pé No Chão, os encerramentos das oficinas contaram com rodas de conversa e avaliação, em que os participantes e educadores fizeram uma revisão das conquistas, dos problemas e acontecimentos da jornada. As oficinas se deram principalmente na zona limítrofe das comunidades de Arruda e Santo Amaro. Os ensaios e primeiros encontros foram na Praça do Carmo, em Olinda.

Os espaços

As apresentações artísticas foram realizadas em diferentes espaços. Um deles foi o Festival Eco da Periferia, na Praça do Diário, que Pé no Chão vem impulsando e recuperando há vários anos e que consiste na intervenção de um espaço que sofre uma problemática séria de delinquência e prostituição. Pé no Chão chega com seu mar de crianças e jovens e eles tomam o espaço público com ritmos de tambores e danças afro-brasileiras, dando-lhe outras energia e cara. Desta vez, Puckllay também esteve para tomar a praça.

IMG_20161104_144212

 

Duas salas teatrais também receberam apresentações. No caso de Puckllay, o Teatro Apolo. Ali, durante o Festival Cenas Cumplicidades, o grupo apresentou “Caminhos”, uma obra testimonial de teatro, música e dança que conta a história de como se formou a comunidade onde os jovens peruanos cresceram. Por sua parte, Pé no Chão apresentou a obra “Lili” no Teatro Barreto Junior. “Lili” quer dizer raiz e fala dos meninos e meninas como a raiz na construção de uma sociedade, além de fazer uma alusão à identidade. O espetáculo é fruto de um intercâmbio artístico com Karim e Abou Konaté, dois artistas griô de Burkina Faso, na África.  

Os jovens de Puckllay se alojaram nas comunidades onde vivem os jovens e crianças com que Pé no Chão trabalha. “A ideia foi poder aproximar mais os garotos e garotas da realidade em que vivem dia a dia e fazer a experiência muitíssimo mais enriquecedora”, comenta Anabelí. A Casa de Pé no Chão, localizada na comunidade de Campo Grande, como a pequena sede na comunidade de Arruda, para guardar materiais pedagógicos, são consideradas pontos de apoio para executar o trabalho maior. As oficinas e atividades se realizam nas ruas, favelas e bairros, os quais vêm a ser os espaços prioritários onde se encontram os meninos, meninas, adolescentes e jovens com que Pé no Chão trabalha.

LA CASA DE PE NO CHAO

A pedagogia

IMG_2953

A pedagogia aplicada nas oficinas de Puckllay (“jogue” em quéchua) é uma experiência de aprendizagem para ambas as partes, professor e aluno, inspirada nas teorias do pedagogo brasileiro Paulo Freire. Em Puckllay se ensina aprendendo e se aprende ensinando. Vinculados à esperança de transformação social com arte e educação, a pedagogia de Puckllay propôe respeitar a diferença e o ritmo de cada um.

A filosofia de ensino que impulsa Pé no Chão tem um nome – a educação de rua – e um objetivo: apagar o estereótipo de que todas as crianças da rua não têm perspectivas de vida.  Pé no Chão tem o sonho de ajudar na formação e na educação de suas vidas.

“A viagem que Pé no Chão e Puckllay têm empreendido juntos é uma intenção, uma busca, uma convicção”, afirma Anabelí. “Ambas as organizações somos Puntos de Cultura em seus respectivos países e trabalhamos essencialmente com a linguagem da arte, a arte que é um direito fundamental. Porque te permite expressar, ser livre e pensar um mundo melhor para todos e todas.  O objetivo é reivindicar os espaços de nossos meninos e meninas como raiz de sua identidade, de suas ações e de sua vida. Só rompendo nossas fronteiras e irmanando nossas possibilidades poderemos construir um mundo mais possível, mais humano e solidário para todos e todas”.

IMG_20161101_151615

Reencontro

Enquanto se encontravam em pleno intercâmbio, Puckllay completou 12 anos de existência. Chegou a esta idade com três turmas de formados e com uma escola de arte na comunidade que viu o grupo nascer, que vem se construindo aos poucos e cujo coração é um palco ao redor do qual gravitam todas as suas atividades.

IMG_20161103_134519Graças ao prêmio de IberCultura Viva, eles puderam conhecer o Pé no Chão, um grupo com o dobro da idade e que em muitas maneiras lhes inspira, reflete e também questiona. “Estamos profundamente agradecidos pela oportunidade de ter podido vivenciar a experiência de um projeto tão potente e tão inserido em sua problemática e sua gente, tão genialmente integrado em sua mais profunda essência, como é o Pé no Chão”, comenta Anabelí.

“Voltamos à nossa terra, às nossas famílias, ao nosso projeto, à nossa selva de meninos e meninas… Desde Recife e seu terremoto de tambores e ritmos brasileiros, de sua intensidade, sua grandeza e suas tragédias também, temos olhado para nosso país e não sentimos em absoluto as distâncias. Somos parte de um continente e de uma mesma luta, nos unem os mesmos problemas e as mesmas necessidades, nos une a mesma capacidade de sobreviver e resistir com criatividade e alegria. Agora cabe a nós preparar o cenário para receber o Pé no Chão, porque há que seguir fazendo caminho e contribuir para a construção deste Mundo possível para todos e todas.”

IMG_2639

Tags | , ,

19

Nov
2016

EmNotícias

PorIberCultura

Termina em Rapa Nui a “Oficina comunitária de criação cinematográfica para crianças”

Em19, Nov 2016 | EmNotícias | PorIberCultura

Com a apresentação do curta-metragem “A história do rei Hotu Matu’a” no Dia da Língua Rapa Nui, chegou ao fim na Ilha de Páscoa (Chile) a segunda etapa da “Oficina comunitária de criação cinematográfica intercultural com e para crianças”. O projeto, um dos premiados no Edital IberCultura Viva de Intercâmbio, edição 2015, teve sua primeira etapa em Valparaíso de 17 a 25 de outubro.

“A história do rei Hotu Matu’a” foi realizado por meninas e meninos da ilha, com diálogos em sua língua originária e legendas em espanhol. O curta narra a chegada dos primeiros moradores a Te Pito ou Te Henua (“O umbigo do mundo”, nome antigo de Rapa Nui ou Ilha de Páscoa) desde a terra de Hiva, assim como o nascimento da primera pessoa na ilha e o conflito entre o rei Hotu Matu’a e seu irmão Oroi, que termina com a morte deste último.

rapanui5

A apresentação foi no Colégio Lorenzo Baeza Vega, num estande preparado especificamente para isso, sob a coordenação da professora Vianca Díaz Tucki. “O curta teve uma recepção muito boa. Foi apresentado várias vezes durante o dia e em cada uma delas a equipe recebeu muitos elogios do público, de todas as idades”, afirma o cineasta Eduardo Bravo Macías, do coletivo mexicano Cinematequio, que divide o projeto com os chilenos Museo Fonck e Grupo Tacitas.

A ideia era apresentá-lo no dia 4 de novembro, junto aos festejos do Dia da Língua, mas o clima acabou adiando a comemoração. “Durante quatro dias choveu sem parar, o que nos obrigou a reprogramar a gravação de algumas cenas. Da mesma maneira, a chuva fez com que a celebração do Dia da Língua passasse do dia 4 para o dia 8, o que nos permitiu completar as cenas”, conta Eduardo.

rapanui8

As crianças

Participaram do curta-metragem 28 crianças, entre 5 e 14 anos, principalmente alunos do Colégio Lorenzo Baeza Vega, ainda que também tenham participado crianças de outras escolas. Além disso, o grupo contou com a presença do coro do colégio para a gravação do hino “I’he a Hotu Matu’a”.

A equipe técnica mirim foi comandada por Tomás Ignacio Lorca Navarrete na direção,  enquanto a fotografia ficou a cargo de Walter Darío Durán; e o som direto, por Isabella Vaikaranga Reyes Pakarati e Ro-Iti Francisca Pate Paoa.

O elenco contou, entre outros, com Renga Kio Pate Teao como narradora, Mautu’u Henua Icka Otero como o rei Hotu Matu’a, Maho Rangi Ko Rangi Atan Hotu como Oroi, e Nohorangüi Tuki Rioroko Petero como um dos sete exploradores.

rapanui4

“Para a escrita do roteiro, consultamos diferentes especialistas locais buscando contrastar a versão mais conhecida do relato, documentada por Sebastián Englert, com a versão viva na tradição oral da própria comunidade, e acabamos dando prioridade a esta última. Nossos assessores foram Moiko Teao Hotu, Mike Pate Haoa e Niso Tucki Tepano”, ressalta o cineasta mexicano.

Ao terminar a etapa en Rapa Nui, Eduardo Bravo regressou a Valparaíso e à Escola Carabinero Pedro Cariaga, onde foi realizada a primeira oficina do projeto no Chile. Ali, junto a Marcos Moncada, do Grupo Tacitas, cogestor do projeto, a equipe apresentou o curta gravado em Rapa Nui, assim como o gravado pelas crianças da comunidade mapuche de Valparaíso (“Nguillatún”). “Em ambas as escolas nos falaram da intenção e do interesse em dar continuidade ao projeto”, comenta Eduardo.

A carta de Valparaíso

Em 14 de novembro eles assinaram a “Carta de Valparaíso”, em que definem as características e os fins que devem ter os curtas-metragens realizados eminentemente por crianças, com a metodología de Cinematequio, em criação coletiva e comunitária com base nos relatos da tradição oral.  Assinaram a carta Eduardo Bravo Macías (Cinematequio), Marcos Alonso Moncada Astudillo (Comunidad Lircay), Vicente Tureo Arratia (professor intercultural mapuche), Alexis Antinao Valenzuela (encarregado do Departamento de Povos Originários do Conselho Regional de Valparaíso). Ficaram pendentes as assinaturas de Tania Basterrica, do Grupo Tacitas, e Cecilia Hormozabal Araki, de Maohi ou Rapa Nui.

“Esta carta define as bases para continuar e fortalecer a rede de cooperação e criação conjunta de conteúdos culturais entre Chile e México a partir de nossos coletivos”, afirma o cineasta mexicano, que desde 2013 encabeça o coletivo Cinematequio ao lado da escritora e professora Alejandra Domínguez Sánchez. Suas oficinas, baseadas no trabalho comunitário, a solidariedade e o compromisso, iniciados no México e agora também no Chile, buscam a (re)valorização do patrimônio cultural imaterial que constituem os contos, mitos, lendas, relatos da tradição oral e as línguas originárias.

rapanui6

Leia também:

 Fazer cinema é, sim, coisa de crianças

Tags | , ,