Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Experiências

“Más Música, Menos Balas”: das redes sociais às ruas de Guadalajara“Más Música, Menos Balas”: das redes sociais às ruas de Guadalajara“Más Música, Menos Balas”: das redes sociais às ruas de Guadalajara“Más Música, Menos Balas”: das redes sociais às ruas de Guadalajara

Por IberCultura

Em19, Feb 2016 | Em | PorIberCultura

“Más Música, Menos Balas”: das redes sociais às ruas de Guadalajara

Há quase cinco anos começou em Acapulco (Guerrero, México) uma campanha nas redes sociais que incentivava as pessoas a trabalhar colaborativamente na difusão da cultura da paz e na recuperação de espaços públicos afetados pela situação de violência extrema que vivia o estado de Guerrero. Seu lema? “Mais música, menos balas”.

O movimento, idealizado pelo comunicador e promotor cultural Abraham Chavelas, começou depois que 15 cabeças foram encontradas em um centro comercial do porto de Acapulco. Convencidos de que ninguém deveria se acostumar com o crime organizado e o medo, Abraham e seus amigos passaram a organizar concertos e eventos culturais na cidade antes considerada um destino paradisíaco. E “Mais música, menos balas” acabou crescendo e tomando outros rumos.

mas-musica

“Seis meses depois do começo da campanha, me somo de Guadalajara (Jalisco) e, junto a 35 colaboradores, conseguimos desenvolver a campanha convertendo-a em uma ONG”, conta Belén Palacios, diretora da organização que foi criada no estado de Jalisco em 2012, uma vez que descobriram que já não era apenas uma campanha viral e que deviam “dar passos mais firmes, sair mais das redes e levar as ideais aos fatos”.

Nascia, então, a ONG Más Música, Menos Balas Guadalajara, que acabou seguindo seus próprios caminhos e atualmente é uma das 14 organizações participantes da plataforma Cultura Viva Comunitária México. Entre as ações que esses cidadãos criam para ajudar os outros e melhorar o entorno estão intervenções artísticas, exposições, concertos, apresentações de livros e oficinas, espaços de diálogo, feiras de organizações, galerias de arte e projetos de desenvolvimento comunitário.

masmusica-festival-foto-abraham-arechiga

Foto: Abraham Aréchiga

“A violência não está só ligada ao narcotráfico, ainda que suas consequências sejam muito evidentes e alarmantes”, afirma Belén Palacios. “A violência está também nas ruas, nas escolas e em 20% dos lares da América Latina. A violência está muito próxima, mudando nossos hábitos, nossos estilos de vida, e convertendo-nos em vítimas deste ataque ou do medo que gera este contexto hostil.”

Uma vez que a violência afeta a todos, e nos distancia uns dos outros, os integrantes da organização sabem que a arte, a cultura e a educação são meios fundamentais para alcançar pouco a pouco a recuperação de uma vida em comunidade benéfica e estável. Por isso estão convencidos de que “Mais música” é também mais arte, mais cultura, mais cinema, mais teatro, mais literatura, mais dança, mais pintura…

11169834_1036686446359041_895759654027214043_n

“A cultura e a arte são ferramentas de inestimável importância para a transformação dos povos, conscientes de que é preciso gerar ações imediatas que nos permitam reativar e recuperar espaços perdidos por causa do medo, afastar os jovens da delinquência e gerar espaços de intercâmbios culturais para a criação de novos públicos que desfrutem das expressões artísticas e desejem participar de projetos comunitários”, ressalta a diretora da ONG.

Ver nascer a plataforma Cultura Viva Comunitária México, em outubro de 2015, foi também uma forma de compartilhar os sonhos e a busca por uma ação cultural transformadora. “Decidimos fazer parte da rede para criar intercâmbios e alianças que nos permitam seguir fortalecendo a construção de um tecido cultural comunitário interessado e capaz de alcançar transformações sustentáveis”, justifica Belén. “Esperamos que a plataforma cresça e se desenvolva, aporte ideias e reflexões sobre uma visão comunitária da cultura, e que possamos influenciar nas mudanças sobre algumas políticas públicas”. Afinal, o combate à violência também passa pelo entendimento, pela integração e pela solidariedade.

masmusica5-foto-abraham-arechiga

masmusica-4-foto-abraham-arechiga

Leia também: O surgimento da plataforma Cultura Viva Comunitária México

 

 

Saiba mais:

www.facebook.com/masmusicamenosbalasguadalajara

https://twitter.com/menosbalasgdl

www.masmusicamenosbalas.com  (em construção)

http://culturavivacomunitaria.org.mx