Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Experiências

Catalinas Sur: quando o teatro da praça ganha o mundoCatalinas Sur: quando o teatro da praça ganha o mundoCatalinas Sur: quando o teatro da praça ganha o mundoCatalinas Sur: quando o teatro da praça ganha o mundoCatalinas Sur: quando o teatro da praça ganha o mundo

Por IberCultura

Em25, Sep 2015 | Em | PorIberCultura

Catalinas Sur: quando o teatro da praça ganha o mundo

Quando o uruguaio Adhemar Bianchi disse aos pais de alunos da Escola Carlos Della Penna, no bairro Catalinas Sur, em Buenos Aires, que queria fazer teatro nas praças, a primeira reação foi de espanto. “Na praça?!”, perguntaram todos, meio incrédulos. Vindos de uma ditadura sangrenta, nada acostumados a ocupar as ruas da capital argentina, eles acharam aquilo uma temeridade. Eram todos vizinhos no pequeno bairro localizado na entrada de La Boca, e ainda que vivessem bastante ocupados com seus trabalhos, acabaram aceitando a ideia do diretor uruguaio naquela tarde de março de 1983. E nunca mais saíram da praça. 

Faz 32 anos que aquele grupo de pais descobriu no teatro da praça a possibilidade de se comunicar com outros vizinhos, de se manifestar, de trabalhar a memória e a identidade do território ao qual pertenciam. Ali, na Praça Malvinas, com suas “festas teatrais” (era assim que chamavam os encontros que faziam, churrascada incluída), os vizinhos viram que aqueles “pequenos pedacinhos de arte” de cada um se entrelaçavam, convertendo-se numa poderosa fonte de comunicação e entusiasmo.

catalinas-calle-jr-fotografia

O povo ocupa as ruas de La Boca, em Buenos Aires: teatro para todos. Foto: JR Fotografia

Atualmente, são mais de 300 os “vizinhos” que fazem da Associação Catalinas Sur uma das experiências mais incríveis em termos de cultura de base comunitária na Ibero-América. Em vez de festas com churrasco, eles organizam cursos de teatro para adultos, adolescentes e crianças, circo, títeres, orquestra de tango, formação em instrumentos musicais, movimento, coreografia e dança, cinema e fotografia comunitária.

E ainda que tenham um teatro e saiam em viagem pelo mundo, seguem sendo “vizinhos trabalhando para transformar em realidade as utopias” em que acreditam. Mesmo que muitos não vivam mais no bairro, são um grupo de La Boca do Riachuelo. Trabalham no bairro e se reconhecem seguidores das tradicionais manifestações artísticas do lugar. A arte dos titereiros, a opereta, a zarzuela, o sainete, o circo, a murga, o candombe, todas as manifestações se misturam e ambientam as produções do grupo.

carpa-quemada-foto-julia-anguita

“Carpa Quemada: el circo del centenario” : a história da Argentina contada por palhaços. Foto: Julia Anguita

Mil projetos

São vários os projetos em que os “vizinhos” atuam. Entre eles está a Rede Nacional de Teatro Comunitário, que desde 2003 multiplica a experiência do bairro La Boca em outras comunidades. Em busca de ações conjuntas e troca de saberes, recursos e experiências, o Grupo Catalinas Sur também participa de iniciativas como a Aliança Metropolitana de Arte e Transformação Social, a Rede Latinoamericana de Arte e Transformação Social, e a rede “Artetransformadora”.

Além disso, eles têm um espaço na rádio 89.3 FM para conversar sobre arte, política, imaginação, sonhos coletivos, utopias… E oferecem cursos para a comunidade no Galpão Catalinas, a “praça com teto” do grupo, com aulas de circo, teatro, títeres, candombe, música, percussão. E organizam encontros nacionais de teatro comunitario. E promovem o Festival Internacional de Títeres…

orquestra-atipica-foto-negrobarroso

Orquestra Atípica Catalinas Sur. Foto: Negro Barroso

As diferentes atividades artísticas são concebidas como formas de comunicação, participação e transformação social. Os espetáculos usam linguagem direta e compreensível a todos e abordam com profundidade os temas sociais e comunitários. 

“Através do teatro tentamos recordar o valor de nossas histórias individuais e coletivas e recuperar a memória que acreditou e acredita em um mundo melhor. Nosso desafio é seguir acreditando que as utopias são possíveis e trabalhando dia a dia para conseguir isso”, dizem eles no site do projeto (www.catalinasur.com.ar). “Entendemos o teatro que fazemos como um teatro da comunidade, para a comunidade, já que somos vizinhos que trabalhamos para vizinhos de todos os bairros.”

O bairro Catalinas Sur

Em 2013, quando o grupo completou 30 anos e o bairro Catalinas Sur, 50, eles lançaram o filme “Viemos de muito longe” (“Venimos de muy lejos”), dirigido por Ricardo Piterbarg. Nascido da obra de teatro que leva o mesmo nome e que o grupo vem apresentando desde 1990, o filme parte da fusão de cinema e teatro, de ficção e documentário, para abordar processos importantes da história local, como a construção do bairro e a confluência de vidas na praça pública.

comienzos_06

Primeiros tempos: os vizinhos fazem teatro na praça do bairro

La Boca é o bairro onde muitos imigrantes italianos e espanhóis se instalaram no fim do século 19, princípio do século 20. Ganhou esse nome porque fica na desembocadura do Riachuelo no Rio da Prata, a quatro quilômetros de distância do centro de Buenos Aires. 

Catalinas Sur foi o nome dado ao pequeno bairro localizado na entrada de La Boca. O complexo habitacional, criado na década de 1960, é considerado um “oásis” dentro do caos portenho, um rincão urbano sem asfalto, apenas com calçadas (carros não passam), onde vivem cerca de 10 mil pessoas.  A Praça Malvinas, onde uns 30 pais de alunos participaram da primeira reunião de teatro, é uma das cinco praças do bairro.

A Escola Carlos Della Penna, também conhecida por Primária n° 8, foi doada por um imigrante (que lhe dá nome) e teve sua construção parada pela metade por causa das inflações. Os vizinhos então se juntaram numa associação e trabalharam juntos até que a escola estivesse terminada. Com a ditadura militar, iniciada em 1976, a associação foi expulsa de lá. Por isso o temor inicial daqueles pais em fazer teatro na praça. Por sorte havia alguém como Adhemar Bianchi para convencê-los. O uruguaio ainda dirige o grupo, que depois de 32 anos segue como um grupo de vizinhos que faz teatro para outros vizinhos, emocionando o público a cada sessão.

 

Saiba mais:

https://www.facebook.com/grupodeteatrocatalinasur

www.catalinasur.com.ar

Assista ao trailer do filme “Venimos de muy lejos”

Assista aos vídeos:

História de uma utopia – Parte 1″

“História de uma utopia – Parte 2”