Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Notícias

03

Oct
2020

EmNotícias

“Estudos sobre cultura comunitária” encerra a programação de conversatórios temáticos do 4º Encontro de Redes 

Em03, Oct 2020 | EmNotícias |

As políticas culturais de base comunitária (PCBC) têm se transformado nos últimos anos em objeto de estudo com interesse na pesquisa acadêmica de várias disciplinas, tanto das ciências sociais como das ciências humanas. Desde as formas de  produção ou criação de significados no campo popular até a relação entre práticas culturais e participação social, passando pelas dinâmicas de articulação social e a relação com o habitat e o ambiente, os Estudos sobre Cultura Comunitária se apresentam como um importante auxiliar para a elaboração e a implementação das PCBC na Ibero-América.

O conversatório que será realizado na próxima terça-feira 6 de outubro propõe-se como um espaço para reflexionar sobre as perspectivas da cultura comunitária como política cultural, com uma visão desde a academia e dos direitos culturais. O primeiro painel, que começará às 14h (hora de Argentina), terá a moderação de Valeria López López, do Programa Cultura Comunitária da Secretaria de Cultura do Governo do México. A segunda sessão, às 17h, será moderada por Rosario Lucesole (Argentina), consultora de projetos do programa IberCultura Viva.

Participam do primeiro painel: Damián Del Valle (Argentina), coordenador do Grupo de Trabalho CLACSO Artes, Educação e Cidadania; Nicolás Lozano Galindo (Colômbia), politólogo, ex-coordenador técnico do Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da América Latina (CRESPIAL-UNESCO); Marielba Herrera Reina (El Salvador), presidenta da Rede de Estudos Afro-centro-americanos; Eduardo Nivón Bolán (México), doutor em antropologia, especialista em movimentos sociais, políticas culturais e cultura urbana; Elodie Bordat-Chauvin (Francia), doutora em Ciências Políticas e diretora do Mestrado de Política e Gestão da Cultura no Institut d’Etudes Européennes da Universidade Paris 8.

O segundo painel conta com a presença de Juan Aranovich (Argentina), diretor nacional de Formação Cultural do Ministério de Cultura; Carlos Bonfim (Brasil), doutor em Integração da América Latina e coordenador do grupo de pesquisas em Práticas Artísticas e Pensamento Crítico na América Latina na Universidade Federal da Bahia; Tomás Peters (Chile), doutor em Estudos Culturais e docente do Instituto da Comunicação e Imagem da Universidade do Chile; Andrea Mata Benavides (Costa Rica), doutoranda em Ciências Sociais (FLACSO) e docente da Escola de Artes Dramáticas da Universidade de Costa Rica; Luisa Velásquez Santiago (México). mestranda em Desenvolvimento e Gestão Cultural na Universidade de Guadalajara; Jaron Rowan (Espanha), diretor de Pesquisa e coordenador da Unidade de Pesquisa e Doutorado da BAU, Centro Universitário de Design, em Barcelona.

Este é o último dos conversatórios temáticos programados para o 4º Encontro de Redes IberCultura Viva. Na sexta-feira 9 de outubro, às 14h (hora de Argentina), será realizada a terceira e última sessão do grupo de trabalho “Participação social e cooperação cultural”, que desde a sexta-feira 25 de setembro está reunido para reflexionar sobre o desenvolvimento do programa e aportar para a construção do Plano Estratégico Trienal 201-2023 do IberCultura Viva. 

Os bate-papos terão transmisão ao vivo pela página de Facebook do IberCultura Viva e o canal do programa no YouTube (www.youtube.com/iberculturaviva). Também poderão ser acompanhados através da página web do evento: www.encuentroderedes.org.

 

 

Quem participa

 

PAINEL 1 – Terça-feira 6 de outubro 

14h (ARG-BRA-URY-CHL), 12h (COL-ECU-MEX-PER), 11h (CRI-SLV), 19h (ESP)

Damián Del Valle (Argentina) 

Formado em Sociologia pela Universidad Nacional de la Plata (UNLP). Coordenador da Plataforma Regional de Integração Universitária (PRIU – IEC). Doutorando em Educação na Universidade Nacional de Córdoba. Atualmente é secretário de Desenvolvimento e Vinculação Institucional do Reitorado da Universidad Nacional de las Artes (UNA) e como professor-pesquisador da mesma universidade. É professor regular de Políticas Educativas da área transdepartamental de formação docente da UNA e do seminário Administração Cultural Pública no Mestrado em Cultura Pública, diretor da Diplomatura em Mediação Cultural da UNA, e coordenador do Grupo de Trabalho CLACSO Artes, Educação e Cidadania.

 

Nicolás Lozano Galindo (Colombia) 

Politólogo da Universidade Nacional de Colombia. Tem experiência em políticas culturais, interculturalidade, acesso cidadão aos direitos culturais, patrimônio material e imaterial, memória cultural e sistemas de participação em cultura. Tem se desempenhado como coordenador técnico do Centro Regional para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da América Latina (CRESPIAL-UNESCO). Foi assessor  do Grupo de Patrimônio Imaterial do Ministério de Cultura da Colômbia e do Instituto Distrital de Patrimônio Cultural da cidade de Bogotá. Também coordenou projetos de cooperação internacional em relação a comunidades afrodescendentes e camponesas. Atualmente se encontra cursando  o mestrado MA Cultural Policy, Relations and Diplomacy em Goldsmiths University of London.

 

Marielba Herrera Reina (El Salvador) 

Antropóloga afro-salvadorenha. Membro da Rede de Mulheres Afro-latino-americanas, Afro-caribenhas e da Diáspora. Tem pesquisado e publicado sobre expressões culturais de povos indígenas e afrodescendentes em diversos países latino-americanos. Atualmente, é a presidenta da Rede de Estudos Afro-centro-americanos, que trabalha em conjunto com as populações de afrodescendentes no istmo centro-americano e é fundadora das Jornadas Internacionais de Estudos Afro-centro-americanos.

 

Eduardo Nivón Bolán (México)

Doutor em antropologia pela Universidade Nacional Autônoma de México (UNAM). Especialista em movimentos sociais, políticas culturais e cultura urbana. Coordenador desde 2004 da Especialização em Políticas Culturais e Gestão Cultural na Universidade Autônoma Metropolitana (UAM)-Unidade Iztapalapa, onde também é coordenador do corpo acadêmico de Cultura Urbana.

 

 

 

Elodie Bordat-Chauvin (França)

Doutora em Ciências Políticas pela Sciences Po Aix e formada em etnologia pela Escuela Nacional de Antropología e Historia do México. Dirige o Mestrado de Política e Gestão da Cultura no Instituto de Estudos Europeus da Universidade Paris 8. Especialista em políticas culturais comparadas entre México e Argentina. Realizou um estágio no Ministério de Cultura da Argentina em 2017 graças a um pós-doc do CONICET. Publicou vários artigos e dois livros sobre políticas culturais no México e na Argentina, dos quais sua versão em espanhol é esperada em breve.

 

Valeria López López (México) – Moderadora

Formada em Ciências Políticas e Administração Pública pela Faculdade de Ciências Políticas e Sociais da Universidade Nacional Autónoma de México (UNAM). Cursou a licenciatura em Literatura Dramática e Teatro na Faculdade de Filosofia e Letras (FFyL) da UNAM, onde especializou-se na área de Teatrologia. Também cursou Políticas Culturais e Gestão Cultural na Universidade Autônoma Metropolitana (UAM-Iztapalapa), e a pós-graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária FLACSO/IberCultura Viva. Atualmente trabalha no programa Cultura Comunitária da Direção Geral de Vinculação Cultural da Secretaria de Cultura do Governo do México, como responsável pela Direção de Animação Cultural. A partir de 2012 incursiona pelo circo, onde tem trabalhado como assistente de direção, produtora executiva, programadora e gestora cultural. Em 2017 fundou Anarama – Investigación y Gestión Cultural A.C., com o objetivo de criar projetos de pesquisa e desenvolvimento cultural. 

 

PAINEL 2 – Terça-feira 6 de outubro

17h (ARG-BRA-URY-CHL), 15h (COL-ECU-MEX-PER), 14h (CRI-SLV), 22h (ESP)

Juan Aranovich – Dirección Nacional de Formación Cultural (Argentina) 

Gestor e ativista cultural, conta com estudos de pós-graduação em Gestão e Política em Cultura e Comunicação pela FLACSO e Psicologia pela Universidade de Buenos Aires. Foi docente em UMET e FLACSO. Atualmente é diretor nacional de Formação Cultural no Ministério de Cultura da Argentina. É fundador e ex-director do Club Cultural Matienzo, e fundador do MECA (Movimento de Espaços Culturais e Artísticos).

 

Carlos Bonfim – Universidade Federal da Bahia (Brasil) 

Doutor em Integração da América Latina pela Universidade de São Paulo. Realizou pesquisa de pós-doutorado no Centro de Estudos Superiores do México e Centroamérica da Universidade de Ciências e Artes de Chiapas, México. É docente do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Prof. Milton Santos, da Universidade Federal da Bahia, onde coordena o grupo de pesquisa em Práticas Artísticas e Pensamento Crítico na América Latina e o projeto Rede Ao Redor, uma cartografia de iniciativas juvenis em arte, comunicação e cultura. Entre 2007 e 2017 coordenou o projeto Latitudes Latinas, dedicado à difusão da música e a arte latino-americana. Tem coordenado junto a José Tasat (da Untref) o seminário Pensar América: pensadores latino-americanos em diálogo. É  membro da Associação Internacional para o Estudo da Música Popular – Rama América Latina (IASPM-AL) e curador internacional do Festival Negramérica: cultura e periferia. 

 

Tomás Peters (Chile)

Sociólogo e doutor em Estudos Culturais pelo Birkbeck College, University of London. Suas áreas de pesquisa são sociologia da arte e da cultura, estudos culturais e história e teoria das políticas culturais na América Latina. É professor do Instituto da Comunicação e Imagem da Universidade do Chile. 

 

 

 

Andrea Mata Benavides (Costa Rica) 

Antropóloga social e teatreira. Docente da Escola de Artes Dramáticas da Universidade de Costa Rica. Doutoranda de FLACSO Argentina. Atualmente desenvolve a tese de doutorado “A ação coletiva do movimento latino-americano Cultura Viva Comunitária nos casos de Costa Rica e Argentina”. 

 

 

 

Luisa Velázquez Santiago (México) 

Formada em Artes Cênicas, especialista em Políticas Culturais e Gestão Cultural pela UAM e mestranda em Gestão e Desenvolvimento Cultural pela UdeG. Participou de diversos cursos e seminários sobre políticas públicas e desenvolvimento comunitário. Atualmente é responsável pela chefia do programa Zapopan Comunitária no governo municipal de Zapopan (Jalisco). Sua prática cultural tem se guiado por processos pedagógicos centrados principalmente em infâncias. Em 2015, fundou o Centro Cultural Comunitário Kóokay, para o qual dirigiu diversos projetos, como El Fresno Brilla, a biblioteca comunitária Entre Letras, o Circo Luciérnaga, e a orquestra infantil e juvenil ECOS-Kóokay. Desde 2017 participa ativamente da Rede Latino-americana de Cultura Viva Comunitária. 

 

Jaron Rowan (Espanha)

Pesquisador, professor e escritor. É diretor de Pesquisa e coordenador da Unidade de Pesquisa e Doutorado da BAU, Centro Universitário de Design, em Barcelona. Escreveu os libros “Emprendizajes en cultura” (Traficantes de Sueños, 2010), “Memes: inteligencia idiota, política rara y folclore digital” (Capitan Swing, 2015) e “Cultura libre de Estado” (Traficantes de Sueños, 2016). Também foi colaborador e coautor de livros como “Innovación en Cultura” (Traficantes de Sueños, 2009), “Cultura libre digital” (Icaria, 2012) e “La tragedia del copyright” (Virus, 2013), além de colaborar com jornais e revistas.

 

Rosario Lucesole (Argentina) – Moderadora

Consultora de projetos da Unidade Técnica do IberCultura Viva. Trabalha na Direção Nacional de Formação Cultural do Ministério de Cultura da Argentina. Licenciada em Artes Combinadas pela Universidade de Buenos Aires (UBA). Especialista em Gestão Cultural e Políticas Culturais (IDAES-UNSAM) e mestranda em Estudos Culturais na América Latina (UBA). Coordenadora e docente da Diplomatura em Mediação Cultural (UNA/CLACSO), e docente de História Sociocultural da Arte (Universidad Nacional de las Artes-UNA), do Mestrado em Cultura Pública (UNA), e da Pós-graduação Internacional de Políticas Culturais de Base Comunitária na Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO-Argentina).

 

Tags | ,