Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Para o Topo.EPara o Topo

Arquivos Rede de Cidades - IberCultura Viva

22

set
2021

Em Notícias

Por IberCultura

“Xalapa Viva”: cinco encontros comunitários para compartilhar saberes e experiências 

Em 22, set 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

(Fotos: Cultura Xalapa)

.

O governo municipal de Xalapa (estado de Veracruz, México), que desde maio integra formalmente a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais, deu início ao projeto “Xalapa Viva 2021, Encontros de Participação Comunitária”, no último sábado, dia 18 de setembro, na comunidade de San Antonio Paso del Toro.

A programação inclui oficinas, apresentações, mesas de diálogo para compartilhamento de saberes e atividades comunitárias com foco em direitos culturais, patrimônio, diversidade, planejamento urbano, educação e economia em torno da cultura e da participação democrática e inclusiva dos cidadãos nos processos de mudança.

“São cinco encontros que começam em San Antonio, uma comunidade simbólica e histórica, e até novembro passam por Chiltoyac, El Castillo e Molinos de San Roque. (…) Vamos encerrar as reuniões este ano em uma área simbólica e relevante para o município, o bairro El Moral, que fica dentro de uma Zona de Atenção Prioritária”, informou a vice-diretora de Juventude da cidade de Xalapa, María Fernanda Huerta Cornejo, na apresentação do projeto feita por videoconferência na sexta-feira, 17 de setembro.

Segundo Fernanda Huerta, para esses encontros foram considerados os trabalhos comunitários que vêm sendo desenvolvidos com organizações da sociedade civil e autoridades locais e que têm influenciado esses territórios com propostas de direitos culturais e promoção dos direitos humanos a partir da perspectiva de gênero e coesão social.

Essas ações buscam fortalecer a inclusão e o desenvolvimento de políticas culturais de base comunitária, promover a participação cidadã, ampliar a rede de colaboração entre cidadãos, organizações da sociedade civil e instituições governamentais, bem como disponibilizar os resultados dos encontros para uso e consulta dos governos que integram a Rede IberCultura Viva e das organizações da sociedade civil.

Durante a apresentação do projeto, Alejandra Padilla Pola, diretora de Promoção, Formação e Desenvolvimento da Direção-Geral de Vinculação Cultural da Secretaria de Cultura do México, destacou a importância cultural de Xalapa para o país. “Ficamos felizes que vocês estejam se juntando a este grande projeto de governança, em que a comunidade é partícipe. Vamos acompanhá-los nos encontros e apoiar essa grande plataforma de agentes culturais, espaços e práticas para desenvolver melhores políticas públicas em relação à diversidade cultural”, afirmou.

.

Rede de Cidades 

Em seguida, o secretário técnico do IberCultura Viva, Emiliano Fuentes Firmani, disse que isso “coroa um processo iniciado por Xalapa com a sua incorporação na Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais”. Além de explicar do que se trata o programa, essa “intenção de colaboração dos governos do Espaço Ibero-americano, que se propõem a fortalecer e promover a implementação de políticas culturais de base comunitária”, o secretário falou sobre a formação da rede, hoje integrada por 15 governos locais, e comentou a aprovação de seu Estatuto de Constituição durante o 2º Encontro de Cultura Viva Comunitária em Cidades e Governos Locais da América Latina, realizado em julho no município de Zapopan (México).

No âmbito deste encontro em Zapopan, que acabou por inspirar o projeto Xalapa Viva, foram também constituídas as Comissões de Formação, Sistematização e Comunicação, que estão definindo o plano de trabalho da Rede de Cidades e Governos Locais para o período de 2021-2022. “‘Xalapa Viva’ será um capítulo importante neste plano, porque a rede terá duas sessões dentro da programação do evento para definir a proposta que fará ao Conselho Intergovernamental para as ações de 2021-2022”, disse Fuentes Firmani . Os encontros da rede durante o evento estão previstos para novembro.

A apresentação de “Xalapa Viva” contou ainda com a participação do diretor de Desenvolvimento Social do município, Sergio Téllez Galván, e do chefe do Departamento de Difusão e Promoção da Cultura, Sylvio Letort Hernández, que se encarregou de moderar o encontro. Sergio Téllez afirmou estar muito entusiasmado com a ideia de colaborar com a rede e sublinhou que “o que mais alimenta a colaboração é o grande número de ideias e iniciativas para enfrentar problemas comuns, a criatividade para lidar com problemas”. “Quando existe essa vontade de colaborar em rede, é o melhor. Não há experiências melhores do que a colaboração”, reforçou o diretor. 

.

Encontros comunitários

No primeiro encontro de participação comunitária, no sábado 18, houve atividades comunitárias de futebol, leitura do livro “Brevedades literarias” com a participação de autores locais, mesas de diálogo, elaboração de mural, apresentação musical e um passeio pela Fazenda Antiga de San Antonio, que reuniu pessoas de todas as idades.

.

Para o segundo encontro, no dia 25, na congregação de El Castillo, estão previstas apresentações de dança aérea e do mural comunitário, mesas de diálogo sobre patrimônio natural (defesa da água), economia solidária (produção local) e patrimônio cultural e histórico (usos e costumes de El Castillo), além de exposição de artesanato e produtos locais. Também estão programadas uma leitura de “Brevedades literarias” com autores locais, a apresentação de um monólogo teatral e o bate-papo “Entrxmada: Linguagens artísticos e pedagogias libertadoras” e uma jornada de Telar. Registro Nacional de Espaços, Práticas e Agentes Culturais,  a cargo da Direção Geral de Vinculação Cultural.

.

Fonte: Ayuntamiento de Xalapa

.

Confira o vídeo de apresentação do projeto:

https://www.facebook.com/CulturaXalapa/videos/633204387673188

Tags | , , ,

06

set
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Província de Jujuy se incorpora à Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais

Em 06, set 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

O ministro de Cultura e Turismo da Província de Jujuy (Argentina), Federico Posadas, enviou à presidência do programa IberCultura Viva a carta de solicitação de incorporação da província à Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. O documento, assinado no dia 2 de setembro, informa que o secretário de Cultura de Jujuy, Luis Medina Zar, será o representante do governo local na rede.

A província propôs duas atividades em articulação com o programa IberCultura Viva. Uma delas, dirigida a povos originários, inclui a realização de conversatórios de medicina natural ancestral, de um seminário de música, danças e instrumentos e uma conversa sobre cerimônias ancestrais. O evento, que se realizará entre 8 e 11 de outubro, tem o objetivo de conhecer, valorizar e intercambiar saberes culturais ancestrais entre as comunidades do corredor Andino Qhapaq Ñan-Perú/ Argentina.

A segunda atividade proposta foi o desenvolvimento de cursos de formação cultural a tutores comunitários, de maneira virtual e semipresencial, tendo como população destinatária gestores culturais públicos e independentes e representantes das quatro regiões da província de Jujuy (Puna, Quebrada,Yungas e Valles). A carta de adesão  também cita um espaço de participação e diálogo com a sociedade civil em Jujuy: um fórum de participação com 24 organizações culturais comunitárias. 

Jujuy é a terceira província argentina que adere à iniciativa, ao lado das províncias de Entre Ríos e Chaco. A Argentina também está presente na rede com três municípios: Almirante Brown, Comodoro Rivadavia e Marcos Juárez.

.

(Fotos: Secretaría de Cultura de Jujuy)

Tags | , ,

29

ago
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Comodoro Rivadavia: “Cultura Comunitária” como coluna vertebral de políticas públicas e populares

Em 29, ago 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

(Texto e fotos: Secretaria de Cultura de Comodoro Rivadavia)

Com a premissa de aproximar o Estado dos bairros e descentralizar a atividade cultural, a Secretaria de Cultura do Município de Comodoro Rivadavia (Argentina) leva adiante o Programa Cultura Comunitária, com propostas culturais vinculadas à recreação, formação em ofícios, atividades literárias e de introdução a informática e inglês.

As oficinas são ministradas em mais de 50 sedes, trabalhadas sob a modalidade de “bolhas”, em grupos que não passam de 15 participantes por vez, em espaços amplos e ventilados, com sanitizadores à disposição.

Nesses três primeiros meses da experiência em um contexto sanitário difícil, a secretaria de Cultura do município, Liliana Peralta, valoriza o trabalho do pessoal da área junto às instituições dos bairros, que abrem suas portas para o desenvolvimento das oficinas. “A articulação e os protocolos que devemos implementar levam a uma tarefa muito exaustiva e com muita responsabilidade, que temos podido cumprir sem inconvenientes, sempre priorizando a saúde dos participantes”, assegura.

Pelo impacto do programa — estima-se umas 4 mil pessoas por semana –, Peralta afirma que “as oficinas culturais cumprem uma importante função social que não esteve ativa durante 2020 devido à pandemia, e que foi muito pedida pelas pessoas dos bairros”.

“Hoje voltamos a colocar em cena este programa, cujas oficinas formam parte da coluna vertebral das políticas públicas e populares para a inclusão social, por sua gratuidade e pela ampla oferta, destinada a pessoas de todas as idades, em igualdade de possibilidades”, explica.

.

Variada oferta de cursos

Com respeito às atividades, são ministradas oficinas de música, danças, teatro, clown, circo social, zumba, ritmos latinos, manualidades, pintura, desenho, inglês e computação, atividades plásticas de percepção, fotografia criativa, horta, mosaico, tear, porcelana, reciclado, bordado chinês e mexicano, pintura decorativa e tecido.

Entre os chamados cursos de ofícios, os mais importantes são carpintaria, cabeleireiro, corte e confecção, cozinha e doces. Entre as propostas literárias estão os espaços para a narração gráfica, a leitura e a escrita, a narração oral cênica e a oficina de arte narrativa aplicado às bibliotecas.

.

Rede Comunitária de Apoio às Trajetórias Escolares

Do Programa Cultura Comunitária também se desdobra a proposta da Rede Comunitária de Apoio às Trajetórias Escolares, destinada a crianças e adolescentes que cursam o ensino fundamental e o ensino médio. Essa rede surge como medida paliativa diante da crítica situação educativa que se vive na região, agora aprofundada pela pandemia.

A rede é uma ferramenta para assistir a crianças e adolescentes que passam por certas dificuldades no momento de estudar, somado à ausência ou ao escasso acompanhamento familiar, este último próprio de grupos monoparentais ou com exigências laborais, o que deixa as crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade educativa, com altas probabilidades de repetência e abandono escolar. A iniciativa é realizada em 16 sedes, distribuídas em toda a extensão da cidade, com um alcance de mil pessoas.

Para sua execução, articulam-se esforços desde o Município de Comodoro Rivadavia, através da Secretaria de Cultura; as associações de vizinhos; os Centros de Promoção de Bairro; docentes e auxiliares docentes do Instituto de Formação Docente n° 806 e a Universidade Nacional da Patagônia San Juan Bosco. Além do empresariado local, que contribui com o aporte de merendas e cafés da manhã para os participantes, assim como para a compra de material didático.

A secretaria de Cultura, Liliana Peralta, comenta o impacto da rede ressaltando que  “este projeto de Cultura Comunitária faz com o que Estado esteja presente naquelas famílias em que o contexto socioeconômico e pessoal põe em situação de vulnerabilidade, oferecendo possibilidades de acompanhamento a crianças e adolescentes em seu ciclo educativo escolar”.

Para ela, “ser uma ponte entre a tarefa escolar, o tempo familiar e o espaço comunitário se traduz em uma tentativa de garantir os direitos culturais, para a harmonia social, para ensinar e aprender, para traçar um caminho de cidadãos com ferramentas que lhes permitam exercer sua liberdade”.

 

(*) Comodoro Rivadavia é um dos municípios integrantes da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. Saiba mais sobre a rede: https://bit.ly/2Wsx6j1

Tags | , ,

05

ago
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Rede de Cidades e Governos Locais se reúne para aprovar as propostas das comissões de trabalho

Em 05, ago 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

A Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais realizou uma sessão plenária na terça-feira, 3 de agosto, para que as três comissões de trabalho formadas na sessão anterior, no dia 4 de julho, pudessem apresentar suas propostas para o ano de 2021. As propostas das comissões de Articulação/Sistematização, Formação e Comunicação foram aprovadas de modo geral, e sua versão final deverá ser apresentada até o dia 16 de agosto. 

Vinte pessoas participaram da reunião por videoconferência. Além das/dos representantes de municípios, estados e províncias integrantes da rede, estavam presentes representantes do Ministério de Cultura e Juventude de Costa Rica, do Ministério das Culturas, das Artes e do Patrimônio do Chile, do Ministério de Cultura da Argentina e da Secretaria de Cultura do Governo do México. (Chile e Costa Rica são parte do Comitê Executivo do programa; Argentina e México representam, respectivamente, a vice-presidência e a presidência do Conselho Intergovernamental.)

A agenda do dia foi dedicada à revisão das propostas trabalhadas pelas comissões no último mês, desde a sessão plenária realizada durante o 2º Encontro de Cultura Viva Comunitária em Cidades e Governos Locais da América Latina. O evento, organizado pela Municipalidade de Zapopan (México), se realizou de maneira virtual e presencial de 2 a 5 de julho, e entre suas atividades contou com três sessões de trabalho da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. 

No encontro realizado nas cidades de Zapopan e Guadalajara (com um grupo  participando de modo presencial e outro de modo virtual), a rede trabalhou na construção de seu Estatuto de Constituição. A partir deste estatuto, as pessoas participantes se distribuíram em três comissões (Articulação/Sistematização, Formação e Comunicação), que se reuniram ao longo do mês de julho para estruturar propostas para a rede.  

.

Articulação e sistematização

Federico Prieto, representante da província de Entre Rios (Argentina), foi o porta-voz da Comissão de Articulação e Sistematização. No caso dos temas de Sistematização, se propôs recuperar a experiência do guia de autoavaliação de políticas culturais de base comunitária desenvolvido em 2019 e trabalhar em sua atualização e adaptação, aumentando a quantidade de boas práticas de governo para poder aumentar a quantidade de experiências à disposição da rede. Prieto comentou, também, a ideia de “criar algum dispositivo como prática legislativa para que possa ser trabalhado no modelo local de cada município, província ou estado no que diz respeito às políticas culturais de base comunitária”.

No caso de Articulação, o tema discutido pela comissão foi o estabelecimento de um protocolo para a apresentação de projetos para que o programa, através da rede, possa receber financiamento (dependendo da forma de apresentação, os projetos poderiam ser aprovados ou rechaçados). Entre os parâmetros para o protocolo foram propostos: 1) Aval ou respaldo do representante do país membro (REPPI) ao qual o governo local pertence; 2) Apresentação de projetos à Comissão de Articulação em dois períodos abertos durante o ano; 3) Aprovação do projeto na reunião plenária para que seja levado ao Conselho Intergovernamental do IberCultura Viva.

Neste caso, o secretário técnico do IberCultura Viva, Emiliano Fuentes Firmani, reforçou o parâmetro do acordo prévio das instituições REPPI. “Não é somente um visto; o que buscamos é um trabalho articulado. A ideia é trabalhar as propostas com as equipes dos governos centrais (federais) para enriquecê-las”, destacou o secretário. O representante técnico do governo do México, Manuel Trujillo, e a do Chile, Marianela Riquelme, também ressaltaram a importância do trabalho articulado entre os representantes dos países e os governos locais. 

.

Formação

A Comissão de Formação foi representada por Gerardo Daniel Padilla, de San Luis Potosí (México), que começou sua intervenção comentando a ideia de fazer apresentações encadeadas da Carta da Cidade de San Luis Potosí pelos Direitos Culturais e da Carta de Direitos Culturais de Niterói (Brasil). Estas duas experiências de construção participativa, que se realizaram como ações de cooperação no âmbito da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais, têm suas apresentações previstas para 8 de setembro (San Luis Potosí) e para o mês de outubro (Niterói), por meio de conferências híbridas, com algumas pessoas presentes nas respectivas cidades e transmissão on-line.

“A ideia é que (durante a apresentação) em San Luis Potosí anunciemos que será lançado um laboratório de formação sobre direitos culturais e cultura comunitária. Este laboratório tem o objetivo de ser um primeiro espaço de formação, como um piloto, que depois poderia ser uma proposta de formação profissionalizante, talvez, ou como no modelo que já se tem com a FLACSO, sobre direitos culturais e cultura comunitária”, afirmou Gerardo. 

Para este laboratório, que deverá ser realizado com sessões semanais durante outubro e novembro, já se tem um esqueleto de currículo, com enfoque em direitos humanos e em processos de defensoria, que será afinado numa próxima reunião da comissão e posteriormente se apresentará à rede. A ideia é que as cidades que tenham conselhos cidadãos ou organismos de participação cidadã sejam convidadas a participar da atividade.

.

 Comunicação

As argentinas Liliana Peralta, secretária de Cultura de Comodoro Rivadavia, e Carola González, representante da Municipalidade de Marcos Juárez, falaram sobre as propostas da Comissão de Comunicação. O grupo propôs criar um protocolo de comunicação interna,  armar um manual de marca e identidade da rede, criar canais de comunicação próprios, comunicar experiências de cada cidade e, como estratégia para a adesão de novos membros, eleger integrantes da rede que possam promovê-la. Uma reunião da comissão com a Unidade Técnica do IberCultura Viva será realizada na próxima semana para debater a melhor maneira para a configuração de canais de comunicação próprios e a produção de conteúdos.

Terminadas as apresentações dos/das porta-vozes das três comissões, o representante do município de Xalapa (Veracruz, México), Sylvio Letort, compartilhou a proposta de um encontro em Xalapa semelhante ao encontro de Zapopan realizado em julho e que incluiria a participação de coletivos e organizações culturais comunitárias. A proposta será trabalhada com a REPPI do país e depois será tratada pela rede. 

 

Tags | ,

02

jul
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais reúne-se no 2º Encontro do CVC de Zapopan

Em 02, jul 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

Constituída oficialmente em maio de 2019, no âmbito do 3º Encontro de Redes IberCultura Viva, na Argentina, a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais está começando a estabelecer seu estatuto de funcionamento, juntamente com o plano de trabalho para o próximo ano, até junho de 2022. 

Para retomar os debates, serão realizadas três sessões de trabalho durante o 2º Encontro de Cultura Viva Comunitária em Cidades e Governos Locais da América Latina, que começa nesta sexta-feira e segue até o dia 5 de julho, de forma virtual e presencial, com atividades em Zapopan e Guadalajara (Jalisco, México) e transmissão via Facebook Live. O evento é produzido pela Municipalidade de Zapopan com o apoio do IberCultura Viva e do programa Cultura Comunitária da Secretaria de Cultura do México.

A primeira sessão, esta sexta-feira, contou com a participação de 22 pessoas, em sua maioria representantes dos municípios e províncias que integram a rede. Esta sessão também foi aberta às cidades participantes do Grupo de Trabalho de Governos Locais de IberCultura Viva formado em Quito, Equador, em novembro de 2017, como os municípios de Córdoba (Argentina) e Lima (Peru). Além disso, representantes do cantão de Mora (Costa Rica) e do município de São Leopoldo (Rio Grande do Sul, Brasil) foram convidados a participar.

Entre as pessoas que se conectaram nesta primeira sessão estavam representantes de municípios de diferentes países, como Niterói (Brasil), San Pedro de la Paz (Chile), Comodoro Rivadavia (Argentina) e Alajuelita (Costa Rica). Os representantes dos quatro governos mexicanos que integram a rede (San Luis Potosí, Zapopan, Jojutla e Xalapa) se reuniram em Zapopan, no Centro Cultural Constitución, onde foram realizadas as atividades presenciais do encontro.

Esther Hernández Torres, diretora geral de Vinculação Cultural da Secretaria de Cultura do Governo do México e presidenta do Conselho Intergovernamental IberCultura Viva, esteve com o grupo em Zapopan, onde deu as boas-vindas às pessoas que estavam presentes à sessão e em seguida participou como uma das convidadas do primeiro conversatório do 2º Encontro de CVC em Cidades e Governos Locais da América Latina. 

Também participaram da sessão de Zapopan: Manuel Trujillo, colaborador da Secretaria de Cultura do México e contato técnico com IberCultura Viva; Yazmín Pastrana Sánchez, diretora de Cultura do município de Jojutla; Gerardo Daniel Padilla, coordenador de Inovação e Desenvolvimento Institucional da Diretoria de Cultura de San Luis Potosí; Sylvio Letort Hernández, chefe do Departamento de Difusão, Promoção e Desenvolvimento da Cultura de Xalapa; Luisa Velásquez, chefe do Departamento Zapopan Comunitária, e Sandra Scotto Núñez, coordenadora do Programa Cultura Comunitária Viva do Município de Lima (Peru).

O grupo que participou da sessão diretamente de Zapopan: Sandra, Sylvio, Yazmin, Esther, Luísa, Daniel y Manuel

.

Construção da rede

O encontro virtual começou com um histórico da construção da rede, por parte de Emiliano Fuentes Firmani, secretário técnico do IberCultura Viva, que comentou o interesse do programa em ter um espaço de articulação com os governos locais (“a primeira trincheira democrática de articulação com as organizações culturais comunitárias”), e o espírito de retomada do compromisso de trabalho para poder estruturar esta rede, atualmente composta por 14 municípios e províncias.

Em seguida, Federico Prieto, representante da província de Entre Ríos (Argentina), que assumiu a coordenação da Comissão Especial de Articulação, apresentou uma proposta de plano de trabalho para os três dias de sessões durante o encontro de Zapopan, e uma proposta de marco introdutório do que é e pode vir a ser a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. 

Além de mencionar o compromisso de realizar um espaço de intercâmbio e cooperação entre os governos locais em conjunto com o IberCultura Viva, o plano de trabalho proposto reforça a intenção de “continuar a desenvolver um horizonte comum onde as políticas culturais de base comunitária se traduzam na reconhecimento do valor dos processos de construção da cidadania e da diversidade cultural expressos na participação social organizada, para a melhoria das condições de vida e convivência de nossos povos”. 

A metodologia de trabalho prevê os debates a partir de questões como: Quem somos? Que objetivos buscamos? Que princípios ou valores uma rede com essas características deve defender? Que áreas de trabalho a rede poderia desenvolver para estruturar seu trabalho? Que ações a rede deve realizar para alcançar os resultados esperados? 

.

Próximas reuniões

Para a segunda sessão de trabalho, neste sábado, 3 de julho, estão previstas a sistematização das contribuições do primeiro dia, a discussão das propostas de ação para o segundo semestre de 2021 e o início da redação do estatuto e da estrutura de trabalho da rede. A terceira e última sessão será no domingo, quando está prevista a finalização da redação dos documentos e a definição da próxima reunião para discussão e aprovação do plano de ação elaborado pelas comissões de trabalho.

Além dessas três sessões de trabalho, a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais estará presente em dois conversatórios do 2º Encontro de Cultura Viva Comunitária em Cidades e Governos Locais da América Latina. Sábado, às 13h15 (horário do México; 15h15 em Brasília), o debate “A cidade e os direitos culturais” contará com a participação de representantes dos quatro governos locais que compõem a rede: Comodoro Rivadavia (Argentina), Niterói (Brasil), Alajuelita ( Costa Rica) e San Luis Potosí (México). Domingo, às 17h15, haverá um espaço para as conclusões e a apresentação da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. Os dois conversatórios serão transmitidos pela página do evento no Facebook e do IberCultura Viva.

Tags | , , ,

30

jun
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Zapopan sediará o 2º Encontro de Cultura Viva em Cidades e Governos Locais da América Latina

Em 30, jun 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

O 2º Encontro de Cultura Viva em Cidades e Governos Locais da América Latina será realizado de 2 a 5 de julho em um formato híbrido (virtual/presencial), com atividades em Zapopan e Guadalajara (México) transmitidas pelo Facebook através da página do evento e da página do IberCultura Viva. Ao longo desses quatro dias serão realizadas palestras, oficinas, mesas de diálogo, apresentações editoriais e mostras artísticas.

O evento, organizado pelo Município de Zapopan com o apoio da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais e do programa Cultura Comunitária da Secretaria de Cultura do México, é resultado da colaboração entre 12 instituições acadêmicas e culturais locais, nacionais e internacionais (*), e a participação de 25 organizações culturais comunitárias e associações civis. 

O projeto surgiu no Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Cultural da Universidade de Guadalajara como um projeto da aluna Luísa Velásquez Santiago, tendo como antecedente o encontro realizado em 2017 na cidade de Campinas (São Paulo, Brasil). O objetivo é dar visibilidade e fortalecer a cultura viva comunitária como prática cultural e política pública nas entidades locais.

O encontro reunirá experiências de políticas públicas e organizações culturais comunitárias em nível local e poderá receber até 200 representantes de organizações culturais comunitárias, agentes culturais, pesquisadores, acadêmicos, estudantes, funcionários públicos e formadores de opinião, que compartilharão seus avanços, resultados e desafios nas políticas comunitárias.

As atividades serão realizadas em espaços como o Centro Cultural Constitución, o LARVA, o Museu da Cidade e o Museu Casa López Portillo e o Fórum de Arte e Cultura. A participação é gratuita, mas é necessária inscrição prévia, porque as vagas são limitadas.

Entre as pessoas convidadas a participar estão Esther Hernández Torres, diretora geral de Vinculação Cultural da Secretaria de Cultura do México e presidenta do Conselho Intergovernamental IberCultura Viva; Frédéric Vacheron, representante da UNESCO no México; Jorge Melguizo, consultor independente que foi secretário de Cultura Cidadã e Desenvolvimento Social de Medellín (Colômbia), e Alexandre Santini, subsecretário de Culturas de Niterói (Rio de Janeiro, Brasil) e ex-diretor de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura do Brasil.

.

A Rede de Cidades e Governos Locais IberCultura Viva, que tem entre os seus membros o município de Zapopan, terá um espaço de encontro no evento. Três sessões de trabalho da rede estão programadas para sexta, sábado e domingo. 

Após a sessão de sábado, às 13h15, a palestra “A cidade e os direitos culturais” contará com a participação de representantes de quatro governos locais que integram a rede: Comodoro Rivadavia (Argentina), Niterói (Brasil), Alajuelita (Costa Rica) e San Luis Potosí (México). Imelda Cázares, consultora de projetos do programa IberCultura Viva e integrante da Secretaria de Cultura do México, será a moderadora. No domingo, às 17h15, haverá um espaço para as conclusões das mesas de trabalho do encontro e uma apresentação da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais.

.

Confira o programa de atividades: https://bit.ly/3gRX5bo

Cadastre-se para participar de maneira presencial: https://bit.ly/3ddCnR9 r

.

(*) Projeto realizado em colaboração com: Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Cultural da Universidade de Guadalajara (UDG), UDG Virtual, Governo de Zapopan, Governo de Guadalajara, IMEPLAN, Diretoria de Cultura de San Luis Potosí, Secretaria de Cultura de Jalisco, Secretaria de Cultura da Cidade do México, Secretaria de Cultura de Niterói, Secretaria de Cultura de México, IberCultura Viva e UNESCO.

Tags | , , ,

11

jun
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Província de Entre Rios terá um ciclo de conversas virtuais da cultura comunitária 

Em 11, jun 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

A Secretaria de Cultura de Entre Ríos (Argentina), através da Direção de Formação e Diversidade Cultural, lança o ciclo de conversas virtuais “Tejido Circular”. Dez organizações culturais comunitárias da província vão compartilhar suas experiências, metodologias de trabalho e formas de gestão em 10 encontros virtuais que serão realizados às terças-feiras, a partir de 15 de junho, às 19h (horário de Brasília e Argentina). 

As organizações que participarão são: Taller Flotante, la Unión Entrerriana de Músicos Independientes, Cooperativa Cabayú Cuatiá, EntreAfros, Asociación Gaseti Gazun, Biblioteca Popular Mitre, Radio Comunitaria Sapukay, Asociación Civil Barriletes, Fundación Arbolar e la Red de Comercio Justo Piri Hue.

Este ciclo faz parte dos compromissos assumidos pela Secretaria de Cultura da província como membro da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. (Saiba mais sobre a rede em https://bit.ly/3ceh9SD)

As pessoas interessadas em participar do ciclo de bate-papos devem enviar um e-mail a significandocultura@gmail.com.

Fonte: Secretaría de Cultura de Entre Ríos

Tags | , ,

10

maio
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Xalapa adere à Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais

Em 10, maio 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

O município de Xalapa (estado de Veracruz, México) é o novo membro da Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. A carta de adesão foi assinada no dia 30 de abril pelo presidente municipal (prefeito), Pedro Hipolito Rodríguez Herrero, e enviada ao programa na terça-feira, 4 de maio.

O documento expressa a intenção da prefeitura de aderir à rede “para fortalecer políticas públicas voltadas para a promoção de projetos comunitários no município” e o interesse da administração em “fazer parte dessa rede de intercâmbios e fomentar a comunicação com nossos irmãos dos diferentes territórios que compõem a Ibero-América”. O próximo passo será definir as atividades que o município realizará em conjunto com o IberCultura Viva.

Sergio Téllez (no alto, à esquerda), diretor de Desenvolvimento Social de Xalapa, participou da reunião de 27 de abril

Xalapa foi um dos governos locais que participaram do encontro virtual na terça-feira, 27 de abril, quando Emiliano Fuentes Firmani, secretário técnico do IberCultura Viva, e Valeria López López e Lisa Moncada, representantes da Direção Geral de Vínculos Culturais do Ministério da Cultura do México, apresentaram a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais a representantes de municípios e estados mexicanos. Sergio Téllez Galván, diretor de Desenvolvimento Social, esteve representando Xalapa nesta reunião.

Com a entrada de Xalapa, o México passa a ter quatro cidades na rede. Jojutla também se juntou este ano. San Luis Potosí e Zapopan são os outros dois municípios mexicanos que fazem parte da iniciativa desde 2019.

Saiba mais sobre a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais

Tags | ,

06

maio
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Cantão de Alajuelita, na Costa Rica, adere à Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais

Em 06, maio 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

A Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais conta agora com um representante da Costa Rica: Alajuelita. O cantão da província de San José, que está  implementando o plano operativo da política cultural aprovada em outubro de 2019, aderiu esta semana à rede, com a entrega da carta de intenção de adesão assinada pelo prefeito Modesto Alpizar Luna.

Na terça-feira, 4 de maio, o secretário técnico do IberCultura Viva, Emiliano Fuentes Firmani, participou da sessão ordinária da Câmara Municipal de Alajuelita para apresentar o programa e a rede, juntamente com Eduardo Reyes Paniagua, responsável pelos Pontos de Cultura do Ministério da Cultura e Juventude (MCJ) da Costa Rica.

A sessão, presidida pelo vereador Jonathan Arrieta Ulloa, começou com uma contextualização por parte da gestora cultural Tania Álvarez Chavarría. Líder comunitária, fundadora e representante legal da Fundación Keme, integrante do Movimento Cultura Viva Comunitária de Costa Rica, Tania foi uma das pessoas selecionadas pelo programa em 2019 para receber uma bolsa do Curso Internacional de Pós-Graduação em Políticas Culturais de Base Comunitária ministrado por FLACSO-Argentina e agora será o representante da Alajuelita perante a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais.

Um processo iniciado em 2015

No encontro, Tania Álvarez explicou o processo iniciado no cantão em 2015, quando um grupo organizado passou de comunidade em comunidade fazendo consultas com base na Política Nacional de Direitos Culturais, perguntando como poderiam exercer seus direitos e participar desse processo, além de identificar as pessoas que realizavam atividades culturais no cantão. “Esta análise foi levada à Direção de Cultura do MCJ e continuamos a trabalhar em conjunto com a Câmara Municipal para que esta proposta comunitária tivesse lugar no quadro jurídico do município”, disse o gestor. 

Após anos de análises, esboços, avaliações e validações, foi criada em Alajuelita uma política cultural partindo da comunidade, aprovada pela Câmara Municipal em 29 de outubro de 2019. Este documento tem uma parte legal, os artigos, e um plano operacional, onde estão atualmente, em sua implementação. Agora o plano operativo fala em formar o Gesto, que é o Grupo de Gestores Socioculturais Unidos de Alajuelita, e também em ir aos bairros e formar núcleos de ação cultural comunitária que formarão uma rede”, disse Tânia.

Uma apresentação do programa

Terminada a contextualização do governo local, Eduardo Reyes Paniagua explicou como funciona o programa IberCultura Viva, suas linhas de atuação, como se articula com a Direção de Cultura do MCJ, como se dá a participação costa-ricense nas comissões de trabalho e nas convocatórias, o acompanhamento nos processos de seleção dos candidatos/as, o acompanhamento às iniciativas locais selecionadas, a participação nos espaços de intercâmbio e a formação de gestores públicos, entre outros temas.

Em seguida, Emiliano Fuentes Firmani destacou que os programas de cooperação costumam ocorrer no âmbito dos governos centrais (nacionais) e que foi importante para o IberCultura Viva encontrar uma forma de abrir um espaço para a participação dos governos locais. “Isso é importante porque as políticas culturais de base comunitária se encontram essencialmente nos territórios. Nossos municípios são a primeira trincheira de um exercício de democracia, de proximidade, o primeiro lugar onde organizações, coletivos, artistas populares e portadores/as do patrimônio vão buscar ajuda ”, disse o secretário técnico.

Em sua apresentação, Emiliano falou sobre a criação (em 2017) do Grupo de Trabalho para Governos Locais, suas comissões e as atividades realizadas. Ele citou o guia de autoavaliação de políticas culturais de base comunitária apresentado em maio de 2019, quando foi oficialmente constituída a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais, e falou das possibilidades de intercâmbio e cooperação na rede, como o processo desenvolvido em San Luis Potosí (México) para a construção participativa da Carta da Cidade dos Direitos Culturais, que acabou inspirando outro governo local integrante da rede, o de Niterói (Brasil).

Ao tratar da reformulação do Plano Estratégico Trienal (PET 2021-2023), aprovado em 14 de abril pelo Conselho Intergovernamental, o secretário técnico comentou sobre os objetivos e algumas ideias que marcam o programa (“Trabalhamos pelos direitos culturais, no âmbito da diversidade cultural e, fundamentalmente, com uma base comunitária e participativa”, destacou). Também detalhou os objetivos específicos desta rede de governos locais que desenvolvem ou desejam desenvolver políticas culturais de base comunitária, e que articulam ações com IberCultura Viva para trabalhar com grupos de cultura comunitária em seus territórios.

Cultura, história e identidade

Durante o encontro, Iris Figeac Zúñiga, presidente da Comissão de Cultura da Municipalidade de Alajuelita, disse estar grata aos colegas do Conselho Municipal pela aceitação da política de cultura, “que está sendo desenvolvida a partir das comunidades, que é onde estão os sentimentos das pessoas, onde estão o coração, a história e a identidade de Alajuelita”. “Poder entrar nessa rede com o IberCultura Viva é um grande passo, porque vamos trabalhar não só internamente, mas em conjunto com pessoas de outros países ibero-americanos, compartilhando nossa cultura”, afirmou.

Ao comentar que neste mesmo dia tinha assinado o pedido de incorporação de Alajuelita à Rede IberCultura de Cidades e Governos Locais, o prefeito Modesto Alpizar Luna destacou os esforços neste processo participativo iniciado em 2015 com as consultas e análises sobre direitos culturais no cantão. Na carta de intenção de aderir à rede, lembrou a recomendação da Fundação Kemè para que o município conhecesse o IberCultura Viva “e seus múltiplos processos em prol da cultura nas comunidades”, e reiterou o compromisso com a cultura do comunidades e o interesse em continuar caminhando coletivamente. De acordo com o documento apresentado, Alajuelita estará vinculada à rede com o compromisso de realizar um intercâmbio para o fortalecimento de políticas entre funcionários e técnicos, além de atividades de divulgação de convocatórias do programa e rodas de conversas sobre direitos culturais a partir da vivência da comunidade.

Saiba mais sobre a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais

Tags | , ,

29

abr
2021

Em Notícias

Por IberCultura

Secretaria Técnica realiza sessões informativas sobre a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais

Em 29, abr 2021 | Em Notícias | Por IberCultura

Representantes de municípios, estados e províncias do México e da Argentina têm participado de sessões informativas sobre a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais. As reuniões via Zoom são conduzidas por Emiliano Fuentes Firmani, secretário técnico do IberCultura Viva, e Valeria López López e Lisa Moncada, representantes da Direção-Geral de Vinculação Cultural da Secretaria de Cultura do México, que é responsável pela presidência do programa. 

Na última sexta-feira, 23 de abril, o secretário técnico, junto com o representante da Argentina ante o programa, Diego Benhabib, teve um encontro por videoconferência com representantes da Secretaria de Integração Regional e Assuntos Internacionais do governo de Jujuy, província do noroeste argentino. Na terça-feira, 27/04, o encontro foi com representantes de governos locais do México: Aideé Santillán Moreno e Raquel Portillo Casarreal, da Secretaria de Cultura da Cidade do México; Eleonora Isunza Gutiérrez e Lidsay Mejía Anzurez, do Ministério do Turismo e Cultura de Morelos; Sergio Téllez Galván, da Direção de Desenvolvimento Social da Câmara Municipal de Xalapa; Elisabeth Casanova García, da Secretaria de Cultura de Tabasco, e Marco Darío García Franco, do Instituto de Cultura de Veracruz.

Na segunda-feira, 26/04, Emiliano Fuentes Firmani, Valeria López López, Lisa Moncada e Manuel Trujillo fizeram uma sessão informativa para Yazmín Pastrana, diretora de Cultura do município de Jojutla (estado de Morelos), que ingressou na Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais com a entrega da carta de adesão assinada por Juan Ángel Flores Bustamante, presidente constitucional de Jojutla. Com a entrada de Jojutla, o México passa a ter três cidades na rede. San Luís Potosí e Zapopan são os outros dois municípios mexicanos que fazem parte da iniciativa desde 2019. 

A primeira reunião com Yazmin Pastrana, diretora de Cultura de Jojutla, que acaba de aderir à rede

Boas-vindas a Jojutla

Este primeiro encontro com a representante do município de Jojutla começou com uma contextualização, por Valeria López, do programa Cultura Comunitária, lançado em fevereiro de 2019 pela Secretaria de Cultura do México. Voltado para o exercício efetivo dos direitos culturais, o programa do governo mexicano tem entre seus eixos o trabalho com crianças e adolescentes (por meio dos Semilleros Creativos), as interações culturais comunitárias e a promoção da participação cultural comunitária. 

Este processo inclui o trabalho que vem sendo realizado com o IberCultura Viva desde dezembro, quando o México assumiu a presidência do Conselho Intergovernamental. As sessões informativas promovidas esta semana, para que mais municípios possam aderir à Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais, fazem parte da estratégia de fortalecimento dos processos comunitários no país. E Jojutla é um dos municípios priorizados para o programa Cultura Comunitária.

Com uma população de cerca de 55 mil habitantes, Jojutla fica em uma área de plantio artesanal de arroz (os arrozeiros jogam as sementes para o ar, transplantam manualmente, planta por planta). “Muitas famílias dependem do arroz, é uma cultura muito rica porque os tataravós, avós, pais vêm há muito tempo trabalhando nisso… (…) Sinto que depois dessa geração de arrozeiros o cultivo pode se perder, porque os jovens não estão mais trabalhando com o arroz. É um trabalho muito pesado”, disse Yazmin Pastrana no encontro virtual. “Acho que é uma parte importante da cultura de Jojutla que devemos resgatar.”

Segundo a diretora de Cultura, em Jojutla há um antes e um depois do terremoto que atingiu o México em 19 de setembro de 2017. “Os arrozeiros ficaram praticamente um ano sem trabalhar porque o moinho caiu, reduzindo muito a produtividade. Ainda estão trabalhando a 50%, aos poucos foram melhorando em algumas coisas. No entanto, a fábrica ainda está em processo de reconstrução”, afirmou. “O terremoto também foi um divisor de águas porque ficamos sem uma estrutura em que pudéssemos ter, por exemplo, oficinas culturais. O Centro Cultural de Jojutla, por se tratar de uma antiga estação ferroviária, está com problemas legais para reconstruí-la.”

Enquanto não conseguem reconstruir o centro cultural, a prefeitura organiza oficinas de dança, teatro, pintura e cartonería (onde são feitas esculturas de papelão) em uma unidade que se classifica mais como esportiva do que cultural, o que acaba tornando mais difícil levar a população para os workshops. “O que funcionou aqui foi levar as oficinas de papelão às comunidades, para que os mestres da cartonería continuem passando a tradição”, disse a diretora, destacando também o interesse dos jovens pela dança (contemporânea, folclórica e urbana) e a intenção de remodelar um dos espaços do La Perseverancia (centro desportivo e cultural) para aí realizar algumas oficinas de dança e artes plásticas.

Uma vez confirmada a adesão oficial à Rede de Cidades e Governos Locais IberCultura Viva, o próximo passo será pensar um plano de ação a ser realizado em Jojutla ainda este ano, o que poderá estar vinculado ao trabalho com grupos culturais, à prática de dança ou de cartonería, ou alguma outra atividade de interesse da comunidade. A Colônia Santa Maria é uma das comunidades onde se pretende trabalhar com o programa.

Conforme explicou na sessão o secretário técnico do IberCultura Viva, ao aderir à rede o município assume o compromisso de realizar pelo menos duas atividades em conjunto com o programa. “A rede reúne municípios que desenvolvem ou têm interesse em desenvolver políticas culturais de base comunitária, partindo da perspectiva de que trabalhamos principalmente com coletivos organizados (e não com pessoas)”, destacou Emiliano Fuentes Firmani. “Isso não invalida que o município tenha suas políticas voltadas para as pessoas, mas a ideia é que ele possa articular com os grupos – com recursos próprios – o desenvolvimento de uma política cultural de base comunitária”.

Com esta primeira reunião, inicia-se o processo de cumprimento da proposta de atividades de articulação de Jojutla para a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais em 2021. Uma agenda de trabalho conjunta deverá ser anunciada em breve.

A Rede de Cidades e Governos Locais foi lançada oficialmente durante o 3º Encontro de Redes, em Buenos Aires

Articulação com governos locais

A Rede de Cidades e Governos Locais IberCultura Viva foi oficialmente constituída durante o 3º Encontro de Redes IberCultura Viva, realizado na cidade de Buenos Aires (Argentina) em maio de 2019, após mais de um ano de atividades do Grupo de Trabalho (GT) de Governos Locais formados em Quito (Equador). 

Esta iniciativa de articulação com os governos locais surge como linha de ação do IberCultura Viva, por se entender que são as instâncias do poder público mais próximas das organizações culturais comunitárias e dos povos indígenas, principais sujeitos com os quais o programa trabalha. Esta rede procura gerar espaços de reflexão, consensos e histórias comuns sobre o que são políticas culturais de base comunitária e como podem ser melhoradas a implementação e o impacto dessas políticas nos territórios.

Os governos de municípios, departamentos, estados e províncias que aderem a esta rede participam de um espaço de cooperação e intercâmbio, e  têm como benefícios a possibilidade de aderir às propostas desenvolvidas pelo programa. Entre elas, convocatórias conjuntas para o Curso de Pós-Graduação Internacional em Políticas Culturais de Base Comunitária ministrado pela FLACSO-Argentina, bem como assessoria para a realização de processos de análise das políticas culturais comunitárias desenvolvidas; a criação de uma agenda de trabalho conjunto que promova as principais atividades de cada governo local; a publicação de relatórios sobre políticas culturais de base comunitária e experiências exitosas desenvolvidas em coordenação com a sociedade civil.

Saiba mais sobre a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais

Confira os parâmetros para inclusão na Rede de Cidades e Governos Locais

Tags | ,