Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Para o Topo.EPara o Topo

Notícias

11

Maio
2022

Em Notícias

Dois festivais e um encontro de mulheres indígenas: os projetos de El Salvador selecionados no Edital de Apoio a Redes 2022

Em 11, Maio 2022 | Em Notícias |

.

* Nome da rede ou articulação: Red de Asociaciones Comunitarias de Oriente

* Nome do projeto: VII Festival de Arte para el Desarrollo Creativo de la Identidad Cultural (“La Perla del Arte”)

.

O VII Festival de Arte para o Desenvolvimento Criativo da Identidade Cultural (“A Pérola da Arte”), proposto pela Rede de Associações Comunitárias do Oriente, será realizada em três municípios salvadorenhos: San Miguel, San Francisco Gotera e Anamorós. Nessas três cidades haverá peñas culturales (saraus) nos meses de agosto e setembro de 2022.

As atividades buscam promover o desenvolvimento criativo das identidades e o intercâmbio cultural, artístico e econômico da região, fortalecendo a capacidade de gestão das organizações comunitárias envolvidas. Com este festival pretende-se reforçar nas organizações participantes a articulação com instituições estatais e privadas, a abordagem de género (espera-se a participação de pelo menos 50% das mulheres nos sectores artístico, económico e de gestão), a visibilidade do povos originários e a revitalização das economias comunitárias (através da participação e comercialização de seus produtos).

De acordo com a rede organizadora do festival, a programação procurará incluir expressões artísticas alternativas, urbanas, contemporâneas e de povos indígenas, com o objetivo de criar uma plataforma de intercâmbio cultural e reconhecimento da alteridade na comunidade no meio cultural comunitário. 

Previamente ao festival, está prevista a interlocução com as Associações de Desenvolvimento Comunitário (Adescos), organizações de base e lideranças comunitárias, inclusive para garantir que 80% dos frequentadores de cada clube cultural sejam moradores dos municípios que farão parte deste festival. A ideia é que as peñas culturales sejam pontos de encontro que vão gerar novas articulações, reflexões e processos comunitários.

VI Festival La Perla del Arte, 2021 (Fotos: Asartes)

.

Organizações participantes

A Rede de Associações Comunitárias do Oriente é composta por três organizações comunitárias dos departamentos de La Unión, San Miguel e Morazán. Essa aliança nasce da necessidade de articular e descentralizar os festivais de arte e fortalecer os diálogos culturais, sendo esta a primeira e única rede cultural da região Oriente de El Salvador.

A Asociación de Artistas del Oriente de El Salvador (Asartes), responsável pelo projeto, foi fundada em 2017 no município de San Miguel (departamento de San Miguel), como um esforço coletivo para criar e desenvolver espaços artísticos na região. Entre seus objetivos estão a formação de artistas em seus diversos ramos de expressão; o desenvolvimento e produção de espaços artísticos e a produção de eventos artísticos. Atualmente, a associação pertence à Coordenação Departamental de Organizações e à Rede Salvadorenha de Cultura Viva Comunitária.

O Colectivo de Voluntariado Uno Más (CV1+), de San Francisco Gotera (departamento de Morazán), nasceu em 2018 com o propósito de contribuir para a redução de problemas estruturais, como pobreza, desigualdade e exclusão de gênero e a defesa dos direitos da juventude. O grupo trabalha com a visão de formar comunidades autogestionárias, sem nenhum tipo de dependência ou vivendo em condições de vulnerabilidade.

O Colectivo Juvenil de Anamoros, por sua vez, existe desde 2019 no município de Anamoros, onde administra espaços para a apresentação de artistas emergentes na zona norte do departamento de La Unión. O coletivo é gestor do festival anual “Lugar de Maizales”.


 

* Nome da rede ou articulação: Consejo de Comunidades Originarias de Panchimalco 

* Nome do projeto: Tejemet yultuk, estamos vivos


.

Tejemet yultuk, estamos vivos” é uma iniciativa colaborativa das comunidades indígenas do município de Panchimalco, em El Salvador, que busca dar visibilidade à herança cultural de seu povo e fortalecer sua identidade e organização comunitária por meio de duas atividades: o Festival das Tardes das Flores e o Encontro de Mulheres Indígenas de Panchimalco. 

O  Festival das Tardes de Flores, que se realizará durante o mês de maio, será um espaço onde crianças, jovens, adultos e idosos estarão reunidos em torno de uma das práticas culturais mais importantes para o povo nahua de Panchimalco. Nas Tardes das Flores, celebradas em homenagem à Virgem Maria, as comunidades vão às casas dos responsáveis ​​e às capelas para fazer arranjos florais à base de palma de coco e flores do campo. Nesta festa comunitária, onde a identidade indígena se fortalece e os avós transmitem sua cultura e cosmovisão às novas gerações, preparam-se comidas e apresentações de grupos de música e dança tradicionais.

O 1º Encontro de Mulheres Indígenas de Panchimalco, por sua vez, está previsto para agosto, como um evento onde as mulheres indígenas da zona sul do município, organizadas e não organizadas, vão poder compartilhar suas experiências e suas problemáticas e construir coletivamente um percurso para a transformação de suas condições de vida. O encontro, além de ser um espaço de empoderamento e reconhecimento das mulheres indígenas, tem o propósito de gerar intercâmbios artísticos e de saberes que permitam fortalecer sua cultura e visão de mundo.

As atividades serão realizadas em dois locais: o centro da cidade de Panchimalco e o cantão de San Isidro. Se espera a participação de cerca de 150 crianças, jovens, adultos e idosos das comunidades indígenas na Festa das Tardes das Flores, e cerca de 150 mulheres no Encontro de Mulheres Indígenas de Panchimalco.

Fotos: Consejo de Comunidades Originarias de Panchimalco

.

A rede

O Consejo de Comunidades Originarias de Panchimalco (COCOPAN) é uma rede colaborativa das comunidades indígenas do município de Panchimalco, fundada em março de 2021 e que atualmente reúne cinco organizações nos cantões de San Isidro, Troncones, Azacualpa e Los Pajales. Seu principal objetivo é fortalecer a identidade cultural dos povos indígenas do município de Panchimalco, por meio da preservação, promoção e divulgação das manifestações culturais de suas comunidades.

Em 2021 foram realizados dois projetos de caráter coletivo. No primeiro, com o apoio do Fundo para o Desenvolvimento dos Povos Indígenas da América Latina e do Caribe (FILAC), mais de 100 mulheres indígenas de suas comunidades foram beneficiadas com o fortalecimento de suas capacidades produtivas. No segundo, apoiado pelo Ministério da Cultura de El Salvador, foram realizados festivais comunitários com o objetivo de divulgar a cultura indígena de Panchimalco. 

.

 Organizações participantes

 Tejemet yultuk, estamos vivos foi apresentado ao Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes 2022 pelas Associações de Desenvolvimento Comunitário Indígena dos cantões de Azacualpa (Adescoinaz, responsável pelo projeto), San Isidro (Adescoinsa) e Los Troncones (Adescointro).

As três associações foram criadas em 2021 e participaram da organização, execução e avaliação dos três festivais comunitários promovidos no município, além da formação de jovens como guias turísticos comunitários e da geração de um espaço para o aprendizado de artesanato típico da comunidade indígena de Panchimalco.

Entre as atividades realizadas por essas associações também estão a celebração de idosos e crianças indígenas de suas comunidades, bem como o acompanhamento e monitoramento de granjas comunitárias; a montagem e o funcionamento de uma padaria comunitária e a manutenção e proteção de nascentes naturais.