Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

redes 2019

29

Aug
2019

EmNotícias

PorIberCultura

Encontro Nacional de Pontos de Cultura: conheça o projeto do Uruguai selecionado no Edital de Apoio a Redes 2019

Em29, Aug 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Nome do evento: Puntos y Cultura – Encuentro Nacional de Puntos de Cultura

Nome da rede: Encuentro Nacional de Puntos de Cultura

Organização responsável: COOPCAN25

Data prevista: 7 e 8 de dezembro de 2019

 

 

O Encontro Nacional de Pontos de Cultura de Uruguai, marcado para 7 e 8 de dezembro de 2019, será um evento para a integração, a interação e a interinstitucionalidade, com o propósito de fortalecer a rede e potenciar as capacidades e práticas culturais do território que visita – neste caso, Kiyú, um balneário do departamento de San José.

Neste espaço organizado para trocar saberes, práticas e conhecimentos, todas as atividades serão abertas, gratuitas e produzidas em conjunto por atores vinculados ao desenvolvimento cultural da comunidade. Mais de 60 organizações e coletivos estão envolvidos nesta proposta uruguaia selecionada no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2019. 

Para este encontro se pretende formar círculos da palavra que busquem incluir a Cultura Viva Comunitária nas decisões políticas e orçamentárias, além de organizar um plano de difusão e criar uma oficina de expressão corporal e sonora para facilitar os processos criativos, reflexivos e propositivos durante o evento. Também estão previstos um festival artístico de encerramento e uma marcha cultural pela preservação e o cuidado das águas.  

As atividades estão destinadas tanto a integrantes da Rede de Pontos de Cultura do Uruguai como a habitantes da região onde se realiza o evento, e se dividem em cinco áreas: Saúde e bem-estar, Comunicação, Articulação cultural, Criação e Meio ambiente. Os Pontos de Cultura participam desde a criação, idealização e gestão do encontro, que conta  também com o apoio da municipalidade, do governo departamental e do governo nacional.

Com esta articulação, os Pontos de Cultura buscam contribuir para a sistematização, quantificação e elaboração de metodologias e ações colaborativas para a construção e o fortalecimento das políticas de Cultura Viva Comunitária no Uruguai.  Também esperam criar alianças público-privadas-comunitárias, facilitar a articulação em nível nacional entre os projetos culturais dos bairros e das áreas rurais, e consolidar linhas de trabalho intersetoriais que potenciem, criem e fortaleçam as políticas de base comunitária.

 

 

(Foto: Dirección Nacional de Cultura. Representantes de Pontos de Cultura do Uruguai na oficina “Formulação de projetos e apresentação para fundos existentes”. Montevidéu, julho de 2019.)

Tags | , ,

29

Aug
2019

EmNotícias

PorIberCultura

“Miradas en Lucha”: conheça a proposta do Peru selecionada no Edital de Apoio a Redes 2019

Em29, Aug 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Nome do evento: Miradas en Lucha MIEL

Organização responsável: Maizal

Data prevista: de 2 a 5 de abril de 2020

Desde julho de 2015, coletivos de comunicação comunitária de diferentes países latino-americanos trabalham de maneira colaborativa para promover possibilidades narrativas e estéticas de criação de histórias, relatos e memórias a partir do olhar e do sentir das comunidades. “Miradas en Lucha MIEL”, o encontro que será realizado em Lima (Peru) de 2 a 5 de abril de 2020, será uma das próximas atividades conjuntas desta rede que se formou há quatro anos na Cidade do México, durante o evento “V4C – Video para el cambio”.

A rede que apresentou esta proposta do Peru selecionada no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2019 está formada pelas seguintes organizações/coletivos: Asociación Cultural Maizal (Lima, Peru),  Asociación Civil La Sandía Digital (Cidade do México), Colectivo Barullo – Casa taller (Cali, Colômbia), Fundación El Churo (Quito, Equador) e Projeto Bombozila (Rio de Janeiro, Brasil).

Além de dar visibilidade a uma pluralidade de vozes e miradas que geralmente estão ausentes no debate acadêmico e das políticas culturais, esta articulação de coletivos latino-americanos busca contribuir para o fortalecimento das práticas de comunicação comunitária para a defesa do território em seus contextos, apostando pela educação popular e pela comunicação alternativa como horizonte ético e político. Para isso, realizam distintas atividades entre eles, como encontros e colaborações, que vêm resultando em coproduções e intercâmbio de metodologias. 

O encontro que ocorrerá em Lima em abril de 2020 prevê a realização de oficinas, rodas de conversas, mostra audiovisual e diálogo de saberes. A ideia é ter um espaço de diálogo e reflexão entre educadores populares, comunicadores comunitários, realizadores independentes e pesquisadores que trabalham sobre os alcances da comunicação comunitária e pedagogias audiovisuais no âmbito da defesa do território na América Latina.

Os organizadores do evento têm como meta criar com e para as organizações um banco de ferramentas metodológicas que contribua com o trabalho nos processos de comunicação comunitária e defesa do território. Também pretendem promover a pesquisa e publicação acadêmica de experiências no tema, partindo de um enfoque de pesquisa-ação, além de impulsionar uma rede de colaboração entre espaços de formação em comunicação comunitária para a defesa do território na região. 

 

 

(**Texto atualizado em 16 de outubro de 2019)

(Fotos: Maizal. Imagens de Ojo Semilla, por los caminos del Cine Comunitario desde los territorios en resistencia – Equador, 2016)

Tags | ,

29

Aug
2019

EmNotícias

PorIberCultura

4º Festival da Terra: conheça o projeto do México selecionado no Edital de Apoio a Redes 2019

Em29, Aug 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Nome do evento: 4º Festival de la Tierra

Nome da rede: Colectivo Festival de la Tierra

Organização responsável: Dulce Camino A.C.

Data prevista: de 22 a 26 de abril de 2020

 

O Festival da Terra é um polo de convergência de pessoas, grupos, povos originários, organizações urbanas e rurais, instituições acadêmicas e coletivos interessados no cuidado do planeta e no bem-viver. A iniciativa, que foi a proposta do México selecionada no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2019, terá sua quarta edição de 22 a 26 de abril de 2020, no município de Zapopan (Jalisco). 

Durante esses dias de atividades haverá oficinas  e exposições, para que os participantes compartilhem as conquistas obtidas ao longo do ano em seus processos formativos, organizativos e de comunicação. Serão realizadas oficinas nas áreas de bioconstrução, transformação, agroecologia, economia solidária, consumo responsável, medicina tradicional e alternativa, criatividade e reciclados e artísticos. O fórum artístico e cultural contará com música, dança, teatro, pintura, fotografia, entre outros. A Plaza de las Américas e o Parque Agroecológico serão as duas sedes do evento.

Além de fortalecer a articulação das organizações de base comunitária e dos povos originários, assim como dar visibilidade nas redes aos processos e trabalhos colaborativos, o festival tem como meta propiciar o intercâmbio de saberes, expressões artísticas e costumes entre os povos originários (wixaritari e náhuatl) e outros grupos, e fomentar de forma constante o impulso cooperativista, a formação de cooperativas, assim como a distribuição e utilização dos espaços públicos de forma solidária e comunitária. 

 

Dia da Terra

Originalmente, o evento convidava o público a realizar um ato simbólico em 22 de abril, Dia Internacional da Terra. Um ato simples de agradecimento à Mãe Terra, simultâneo em seis países mesoamericanos, e convocado desde a Rede MesoAmeri-Kaab, uma plataforma de mais de 30 organizações promotoras sociais da habitação sustentável.

No México, o interesse despertado por ter um espaço que fomente e promova a cultura comunitária fez com que no Ocidente do país, em apenas dois anos, surgisse um coletivo com cerca de 35 organizações da sociedade civil e instituições para a sua realização. Em nível nacional, a incorporação com a Rede Mexicana de Comércio Comunitário (REMECC) conseguiu mobilizar organizações de 17 estados da República.

“Somos organizações camponesas, cooperativas, coletivos, acadêmicos, consumidores, artistas e defensores de direitos humanos, entre outros, que demonstramos que outro mundo é possível”, descreve o Coletivo Festival da Terra. “Nosso festejo forma parte de um processo que avança consciente para novas formas de organização para a ajuda e o cuidado mútuo, para a promoção da moradia, do habitat e dos alimentos, para uma economia solidária e justa. Esse é o nosso caminho para a autogestão e a organização para um bem-viver.”

 

Em nome do coletivo, a proposta foi apresentada ao edital do IberCultura Viva pelas seguintes organizações/redes/coletivos: Dulce Camino A.C. (Guadalajara), Colectivo Agroecológico Teocintle (Zapopan), IMDEC A.C. – Instituto Mexicano para el Desarrollo Comunitario (Guadalajara), REMECC A.C. – Red Mexicana de Comercio Comunitario (Guanajuato), Ciptev A.C. – Centro de Investigación y Producción de Tecnología Ecológica para la Vivienda (Zapopan), RedSoSu A.C. – Red para el Desarrollo de Sociedades Sustentables (Zapopan), Kookay A.C. Cultura Comunitaria (Guadalajara), Bioespiral (Guadalajara), Red MesoAmeri-Kaab (Guadalajara), Casa de Asistencia para la Comunidad A. C (Tonalá), Colectivo Escuela Campesina de Educación Popular y Alternativas Sustentables Cuzalapa (Cuautitlán), Fasmex – Fortaleza de Agroindustria Sustentable de México (Zapopan), OIDH – Organización Internacional para el Desarrollo Humano (Guadalajara) e Consejo de Educación Popular de América Latina y el Caribe (CEAAL).

(Fotos: Alejandra Ruiz R. 3º Festival da Tierra, abril/maio 2019)

Tags | ,

29

Aug
2019

EmNotícias

PorIberCultura

“Arte, Cultura e Boas Práticas”: conheça o projeto da Guatemala selecionado no Edital de Apoio a Redes 2019

Em29, Aug 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Nome do evento: Encuentro Festival “Arte, Cultura y Buenas Prácticas”

Nome da rede: Movimiento de Culturas Vivas Comunitarias

Organização responsável: Peronia Adolescente

Data prevista: 8 e 9 de novembro de 2019

 

Direitos humanos, participação juvenil, meio ambiente e arte comunitária a partir da mirada holística das Culturas Vivas Comunitárias serão os temas abordados no Encontro-Festival “Arte, Cultura e Boas Práticas”, que será realizado na Guatemala nos dias 8 e 9 de novembro de 2019. Como parte da intervenção, adolescentes e jovens vão organizar um minifestival onde serão apresentados os resultados dos círculos da palavra e da agenda artística. 

Fotos: Peronia Adolescente

A proposta apresentada pelo Movimento de Culturas Vivas Comunitárias da Guatemala, uma das 10 selecionadas no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2019, tem como objetivo geral fortalecer a articulação local de grupos de adolescentes e jovens por meio da promoção das boas práticas entre seus pares e sua comunidade. 

O projeto prevê a participação de 50 adolescentes e jovens de zonas urbanas e rurais, que ali terão um espaço para o diálogo, o intercâmbio de ideias e a aprendizagem de boas práticas. Na primeira jornada de trabalho, haverá uma  palestra sobre as Culturas Vivas Comunitárias. Depois o grupo se dividirá em três, para os círculos do diálogo abordando os temas “direitos humanos”, “participação juvenil” e “meio ambiente”. Os resultados destes círculos servirão para a jornada de oficinas artísticas: dança, clown, brincadeira pública e comparsa

No dia seguinte, os/as participantes do encontro vão tomar as ruas de Ciudad Peronia com uma comparsa (um bloco). Será montado um palco que servirá de plataforma para a apresentação de ao menos quatro grupos artísticos, a chegada do bloco juvenil, oficinas artísticas sobre bijuteria, serigrafia e um pisal, exposições de pintura e produção de murais através do grafite. Este minifestival também conta com uma mostra artística dos círculos da palavra realizados no dia anterior. 

A proposta apresentada ao Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes 2019 será promovida com dois membros do Movimento de Culturas Vivas de Guatemala (Peronia Adolescente e Poderosas Teatro) e ao menos cinco grupos juvenis da área rural: Coban Alta Verapaz, Antigua Guatemala e Palin Escuintla e Urbana: Ciudad Peronia e Mesquital (Rincón Juvenil, Jóvenes Por la Vida, Las Patojas, Recrearte e La Ceiba Crew).

Tags | ,

29

Aug
2019

EmNotícias

PorIberCultura

Uma feira na reserva de biosfera: conheça o projeto de El Salvador selecionado no Edital de Apoio a Redes 2019

Em29, Aug 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Nome do evento: Feria y Tianguis Comunitario.

Nome da rede: ASALDI y Asociación Interinstitucional de la Cultura

Organização responsável: ASALDI

Data prevista: de 15 de outubro de 2019 a 15 de fevereiro de 2020

 

A Feira e Mercado Comunitário, que se realizará entre outubro de 2019 e fevereiro de 2020 em Salcoatitán e Izalco (El Salvador), tem como objetivo incidir no fomento dos valores culturais para o fortalecimento dos povos indígenas da Reserva de Biosfera Apaneca-Ilamatepec, através do resgate das expressões culturais, dos conhecimentos, da cosmovisão ancestral e, sobretudo, das tradições culturais dos municípios pertencentes a esta zona. 

Este evento público, que terá intercâmbios de bens, será como um mercado tradicional que se leva a cabo de maneira semi-fixa na rua, mesclado com uma feira, para a apresentação de expressões culturais e artísticas dos povos originários da zona. A ideia é que as atividades permitam um envolvimento intergeracional e que atraiam também pessoas dos municípios vizinhos.

A rede

(Foto: Ministerio de Cultura de El Salvador)

As organizações/coletivos que participam desta proposta apresentada ao Edital de Apoio a Redes 2019 são: as Casas de la Cultura y Convivencia dos municípios de Apaneca, Santa Ana, Izalco, Salcoatitán, San Antonio del Monte, Santo Domingo de Guzmán, San Pedro Puxtla, Juayua, Coatepeque e Nahuizalco; Asociación de Desarrollo Comunal de Mujeres Indígenas de Izalco (ADESCOMIIZ, Izalco), Alcaldía de Nahuizalco, Alcaldía de Salcoatitán, Alcaldía de Apaneca, e Asociación Salvadoreña para el Desarrollo Integral (ASALDI, San Salvador).

Estas entidades, que estão trabalhando em conjunto como parte de uma iniciativa que busca promover e revitalizar a cultura ancestral de El Salvador, formam a Asociación Interinstitucional de la Cultura, antes conhecida como Comité Interinstitucional para la Promoción de la Cultura nos municípios da Reserva de Biosfera Apaneca Ilamatepec. 

Esta associação nasceu em 2018, como um espaço de governança vinculado ao Comité Gestor de la Reserva de Biosfera Apaneca Ilamatepec, criado a partir da execução do projeto  “Fortalecimiento a los pueblos indígenas de la Reserva a través del rescate de sus conocimientos ancestrales vinculados a los recursos naturales, seguridad alimentaria y el fomento de los recursos genéticos ancestrales”, executado em cinco municípios desta zona. 

 

A reserva

Uma das funções da Reserva de Biosfera no campo da educação e na revalorização dos conhecimentos e saberes ancestrais responde a um dos critérios de seleção durante a certificação desta, já que se conta com a presença de povos indígenas e de uma riqueza de patrimônio cultural imaterial que identificou 16 expressões culturais em que se devem ser aplicadas medidas de salvaguarda.

 

(Foto en destaque: ADESCOMIIZ)

Tags | ,

29

Aug
2019

EmNotícias

PorIberCultura

Culturas em movimento: conheça a proposta de Costa Rica selecionada no Edital de Apoio a Redes 2019

Em29, Aug 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Nome do evento: II Congreso Mesoamericano y Caribe de Culturas Vivas Comunitarias: Culturas en movimiento.

Nome da rede: Movimiento de Culturas Vivas Comunitarias Costa Rica y Plataforma MARACA

Organização responsável: GuanaRED

Data prevista: de 20 a 22 de março de 2020

Arte, política, ecologismo, diálogo, brincadeiras e diferentes expressões culturais são estratégias que serão abordadas para fortalecer e validar as bases de trabalho regional durante o II Congresso Mesoamericano e Caribe de Culturas Vivas Comunitárias: “Culturas em movimento”, que se realizará em Buenos Aires (Punta Arenas, Costa Rica) de 20 a 22 de março de 2020. Como tema central transversal está a migração, por sua importância na região.

A proposta, apresentada pelo Movimento de Culturas Vivas Comunitárias Costa Rica e Plataforma MARACA, foi a ganhadora de Costa Rica no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2019. Além de fortalecer a articulação e organização do movimento de cultura viva comunitária (CVC), tanto em nível nacional como regional, a iniciativa tem o objetivo de criar agendas de trabalho conjunto e visão compartilhada, e dar visibilidade à riqueza das culturas em movimento e do congresso.

Entre as atividades previstas para o congresso estão uma feira de arte, como espaço articulador; uma assembleia, como espaço de tomada de decisões; de 8 a 10 círculos da palavra, tomando como base os círculos trabalhados nos congressos latino-americanos; intercâmbios de experiência, para visibilizar os processos culturais comunitários realizados na região; um circuito de rotas culturais; um cortejo, percorrendo as ruas da comunidade Longo Maï; e uma peña cultural, com apresentações artísticas.

 

O evento se dirige a todas as pessoas que fazem parte de organizações ou trabalhos de impacto cultural, artístico e comunitário na região mesoamericana e Caribe, assim como pessoas que estão sendo parte (e interessados em integrar) dos processos de Culturas Vivas Comunitárias no Costa Rica. Entre eles as seguintes comunidades, redes e organizações: Plataforma MARACA, Movimento de Culturas Vivas Comunitárias Costa Rica, GuanaRED, Punto G Cultural, comunidade de pessoas migrantes Longo Maï, povos originários, comunidade afrodescendente, comunidade LGTBIQ+.

Como integrantes do Movimento de CVC Costa Rica e Plataforma MARACA, apresentaram esta proposta ao edital do IberCultura Viva as organizações/coletivos Yarä Kanic, ASADA Barrio Corazón de Jesús y Poás de Aserrí, Asociación Cultural del Swing y Bolero Costarricenses (Aswingbol), Asociación Limonense de Arte, Raíz y Cultura (ALARC), Grupo Folclórico Volviendo a Vivir, Casa Madremonte, Asociación Peña Cultural Ramonense, Trascendentes, Fundación Keme, Centro de Investigacion Indígena Oropopo, Colectivo Vergel de Gestión Cultural

GuanaRED: TEJIENDO DESDE LAS COMUNIDADES

La GuanaRED es la red nacional de arte y gestión cultural comunitaria. Una red en la que participamos colectivxs, artistas y gestoras/es culturales que creemos en el arte y la cultura como herramienta para la transformación social desde, por y para las comunidades.Agradecemos a todas las personas que hicieron posible la realización y financiamiento de este video, muy especialmente a:Las Chicharras comunicadoras de la GuanaREDRevista U-suréLas ChicharrasCentro de Estudios y Publicaciones AlforjaGrupo Emaus Fundación Social Agencia de cooperación Vasca para el desarrollo

Publicado por GuanaRED em Quarta-feira, 14 de agosto de 2019

 

Video: GuanaRED

Fotos: Comparsa Chitik no encerramento do Primeiro Congresso Mesoamericano de Culturas Vivas Comunitárias, na Guatemala, em dezembro de 2018

Tags | , ,

29

Aug
2019

EmNotícias

PorIberCultura

Um encontro de educadores populares: conheça o projeto da Argentina selecionado no Edital de Apoio a Redes 2019

Em29, Aug 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

 

Nome do evento: Inventamos o Erramos: Enredándonos entre Educadores Populares

Nome da rede: Red de Educadores Populares: Isauro Arancibia

Organização responsável: Asociación Civil Isauro Arancibia

Data prevista: de 11 a 15 de novembro de 2019

 

De que falamos quando falamos de educação popular? É a partir desta pergunta que a Rede de Educadores Populares Isauro Arancibia se dispõe a intercâmbios e reflexões sobre organização, participação e construção coletiva entre instituições/organizações, no encontro “Inventamos o Erramos: Enredándonos entre Educadores Populares”, que será realizado em Buenos Aires de 11 a 15 de novembro de 2019.

O evento, que foi o selecionado da Argentina no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2019, foi organizado em cinco jornadas que buscam promover o diálogo e a reflexão entre educadores populares da Argentina e da região, favorecendo a pesquisa-ação, fortalecendo suas práticas e potenciando a lógica de trabalho em rede como um elemento estratégico e um posicionamento ético.

As quatro primeiras jornadas serão teórico-práticas, no Centro Educativo Isauro Arancibia (Paseo Colón 1366, CABA), com momentos de painel (mais expositivos) e momentos de oficina, para promover o intercâmbio, o debate e o posicionamento coletivo. A última jornada, de encerramento do encontro, contará com a construção de um mural coletivo e um documento que dará origem à Rede de Educadores Populares Isauro Arancibia.

“Inventamos ou Erramos” tem os seguintes objetivos: 1) Favorecer espaços de construção coletiva do conhecimento;  2) Propiciar o intercâmbio de experiências de educação popular em instituições educativas, para repensar, transformar, melhorar e fortalecer as práticas cotidianas; 3) Organizar espaços de diálogo, reflexão e sistematização para pensar e construir práticas colectivamente, a partir de diferentes espaços, e com o fim de intervir na realidade para transformá-la; 4) Fortalecer o vínculo e as articulações entre as instituições e organizações que trabalham a partir da educação popular; 5) Potenciar o grau de organização interinstitucional para a elaboração de agenda e ações conjuntas.

 

Esta proposta foi apresentada ao Edital de Apoio a Redes 2019 por um grupo de professores e professoras que trabalham dentro do sistema formal de ensino desde a perspectiva da educação popular, desenvolvendo suas tarefas no Centro Educativo Isauro Arancibia, que abriga mais de 300 crianças, jovens e adultos em situação de rua e extrema vulnerabilidade social. 

Para estes professores, a educação é entendida como coluna vertebral da cultura dos povos e ferramenta transformadora que forma sujeitos livres, apostando em processos que valorizem suas experiências, saberes e contexto. A criação de uma rede com organizações e instituições com que trabalham na promoção e restituição de direitos é uma das estratégias para a realização de sua tarefa pedagógica. 

“Inventamos ou Erramos” pretende formalizar e ampliar esta rede, convocando  educadores populares e outras redes/organizações que trabalham a educação popular com população vulnerável na Argentina e na região, gerando espaços para promover a autonomia e a participação comunitária. Além de reforçar a articulação, a Rede de Educadores Populares Isauro Arancibia espera promover a formalização destas práticas no sistema educativo e nas políticas de base comunitária.

 

Tags | ,