Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Guatemala

29

Aug
2019

EmNotícias

PorIberCultura

“Arte, Cultura e Boas Práticas”: conheça o projeto da Guatemala selecionado no Edital de Apoio a Redes 2019

Em29, Aug 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Nome do evento: Encuentro Festival “Arte, Cultura y Buenas Prácticas”

Nome da rede: Movimiento de Culturas Vivas Comunitarias

Organização responsável: Peronia Adolescente

Data prevista: 8 e 9 de novembro de 2019

 

Direitos humanos, participação juvenil, meio ambiente e arte comunitária a partir da mirada holística das Culturas Vivas Comunitárias serão os temas abordados no Encontro-Festival “Arte, Cultura e Boas Práticas”, que será realizado na Guatemala nos dias 8 e 9 de novembro de 2019. Como parte da intervenção, adolescentes e jovens vão organizar um minifestival onde serão apresentados os resultados dos círculos da palavra e da agenda artística. 

Fotos: Peronia Adolescente

A proposta apresentada pelo Movimento de Culturas Vivas Comunitárias da Guatemala, uma das 10 selecionadas no Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes e Projetos de Trabalho Colaborativo 2019, tem como objetivo geral fortalecer a articulação local de grupos de adolescentes e jovens por meio da promoção das boas práticas entre seus pares e sua comunidade. 

O projeto prevê a participação de 50 adolescentes e jovens de zonas urbanas e rurais, que ali terão um espaço para o diálogo, o intercâmbio de ideias e a aprendizagem de boas práticas. Na primeira jornada de trabalho, haverá uma  palestra sobre as Culturas Vivas Comunitárias. Depois o grupo se dividirá em três, para os círculos do diálogo abordando os temas “direitos humanos”, “participação juvenil” e “meio ambiente”. Os resultados destes círculos servirão para a jornada de oficinas artísticas: dança, clown, brincadeira pública e comparsa

No dia seguinte, os/as participantes do encontro vão tomar as ruas de Ciudad Peronia com uma comparsa (um bloco). Será montado um palco que servirá de plataforma para a apresentação de ao menos quatro grupos artísticos, a chegada do bloco juvenil, oficinas artísticas sobre bijuteria, serigrafia e um pisal, exposições de pintura e produção de murais através do grafite. Este minifestival também conta com uma mostra artística dos círculos da palavra realizados no dia anterior. 

A proposta apresentada ao Edital IberCultura Viva de Apoio a Redes 2019 será promovida com dois membros do Movimento de Culturas Vivas de Guatemala (Peronia Adolescente e Poderosas Teatro) e ao menos cinco grupos juvenis da área rural: Coban Alta Verapaz, Antigua Guatemala e Palin Escuintla e Urbana: Ciudad Peronia e Mesquital (Rincón Juvenil, Jóvenes Por la Vida, Las Patojas, Recrearte e La Ceiba Crew).

Tags | ,

08

Jan
2019

EmNotícias

PorIberCultura

Caja Lúdica: uma legião de gigantes comprometidos com a construção da cultura de paz

Em08, Jan 2019 | EmNotícias | PorIberCultura

Em Guatemala, o coletivo Caja Lúdica e os grupos juvenis de arte comunitária organizam, entre outras atividades, o Encontro de Pernas-de-Pau Comparsa Chitik. Em dezembro de 2018, a comparsa (espécie de “bloco” carnavalesco) encerrou o 1º Congresso Mesoamericano de Culturas Vivas Comunitárias, levando pelo menos 300 pessoas para as ruas da cidade de Quetzaltenango com suas mensagens de paz, esperança e alegria. Em dezembro de 2016, na 10ª edição do encontro, outras centenas de jovens e dançarinos em pernas-de-pau foram às ruas e parques do centro histórico da Cidade de Guatemala para sensibilizar as pessoas sobre a problemática da água e o respeito à natureza.

É assim – por meio da brincadeira de rua – que os jovens ativistas, animadores e gestores culturais comunitários de Caja Lúdica contribuem para semear referências de paz e convivência nos bairros e comunidades de Guatemala, baseados na harmonia, no respeito e na cooperação. Das alturas, brincando de  ser gigantes, eles fazem um chamado para que todos se congreguem no baile ancestral do Chitik (assim como nas outras expressões culturais e tradições que vêm sendo recuperadas) e contribuam para a cultura de paz enfocada nos direitos humanos.

Metodologia

Criada em 2001, a Associação Civil Caja Lúdica impulsiona processos de formação, organização e incidência através da “Metodologia Lúdica, Ação, Participação, Transformação” (MLAPT). Seu propósito é criar espaços para a vida, a paz e a convivência nos bairros, levando a brincadeira, o lúdico, a arte e as manifestações artísticas às salas de aula, famílias e comunidades, contribuindo assim para a não violência, para a recuperação da confiança e para a criação de relações baseadas no respeito, no afeto e na solidariedade.

A ação centra-se no enfoque vivencial participativo e em conteúdos alternativos, ausentes nos processos de ensino  e aprendizagem do sistema educativo tradicional, partindo do fazer para potenciar as capacidades criativas do ser. As crianças, os jovens e demais participantes destes processos são vistos como sujeitos portadores de direitos, portanto protagonistas de seu próprio desenvolvimento.

Fotos: Caja Lúdica

 

A metodologia é um processo de “formador de formadores” que os envolve na  multiplicação dos conhecimentos adquiridos, fomentando a capacidade de liderança e proposição, e contribuindo para a livre organização na comunidade. Participam mulheres e homens, professoras e professores, em sua maioria jovens e adolescentes de comunidades urbanas e rurais do país.

“Desenvolvemos primeiramente um processo de sensibilização com os jovens, as pessoas das comunidades, processos mais formativos, de cultura, memória histórica, direitos humanos….Depois passamos ao passo seguinte, da articulação em si. (…) Nesta metodologia participativa, realizamos oficinas, rodas de conversa, reuniões entre a sociedade civil e o governo local, para mostrar a necessidade de se criar uma política cultural com enfoque na comunidade, que atenda às necessidades da comunidade”, afirmou Pedro Ochoa, representante de Caja Lúdica, no 2º Encontro de Redes IberCultura Viva, realizado em Quito (Equador) em novembro de 2017.

 

 

Contexto

Em dezembro de 2016, em uma das mesas do 1º Encontro de Redes IberCultura Viva, promovido em Buenos Aires conjuntamente com o 3º Encontro Nacional de Pontos de Cultura da Argentina, o guatemalteco-colombiano Doryan Bedoya comentou que o país, como muitos da América Latina, atravessa um processo de memória histórica, verdade, justiça e reparação. (Guatemala viveu um conflito armado interno entre 1960 e 1996;  estimam-se mais de 200 mil mortos e 45 mil desaparecidos neste período.) “Nós, como artivistas e como ativistas culturais nos situamos aí, dizemos como contribuímos e de fato nos situamos na memória histórica para a não repetição.”

Os Acordos de Paz na Guatemala foram firmados em 29 de dezembro de 1996. Caja Lúdica surgiu cinco anos depois. “Nossa ideia não era ir contra, e sim a favor do amor, da paz, dos direitos. Neste sentido, trabalhamos processos de sensibilização artística e cultural que foram ganhando espaço”, contou Bedoya. “Estes processos são uma combinação de educação popular, psicossocial, lúdica, cultura viva comunitária… Ajudam a desatar as energias, os nós que temos, que arrastamos como sociedade enferma pelas ditaduras, pelas guerras. Nós brincamos, dançamos, cantamos, fazemos poesia, muralismo, para abordar a memória, os direitos, e sobretudo para curar. Tem resultado bem.”

 

Cursos

À Universidade de San Carlos (a universidade pública da Guatemala), Caja Lúdica apresentou um projeto educativo-institucional que continha dois cursos, um em animação cultural comunitária e outro em gestão cultural comunitária. “Estas duas profissões que incorporamos eram muito necessárias para construir paz e para que a juventude participasse da reconstrução do tecido social, da recuperação da confiança”, ressaltou Bedoya. Posteriormente, fizeram um curso de empreendimento cultural e produção artística e um curso para professoras e professores em educação lúdica e expressão artística.

Em 2018, Caja Lúdica passou a oferecer quatro cursos que têm como base a animação e/ou gestão cultural, com projeção específica a campos como o empreendimento criativo, a criação artística, o team building e o circo social. Estes cursos estão dirigidos a processos formativos atualizados e sintetizados, a ser realizados com a modalidade presencial de quatro horas semanais, complementados a distância, para um total de 80 horas, durante três meses.

 

“Os processos educativos são dinamizados por jovens, porque nós trabalhamos com a lógica de formação de formadores, com um efeito multiplicador muito grande nas comunidades e bairros populares. Também incentivamos processos organizativos, ou seja, jovens se organizam, artistas se organizam em seus bairros, em suas comunidades, segundo suas formas, suas culturas e também seus sonhos, e acompanhamos isso.”

Segundo Doryan Bedoya, os processos de incidência – que o coletivo também desenvolve  e acompanha – começam pelo ser humano. “Propiciamos metodologias que permitem o autoconhecimento, a cura, a confiança em si mesmo e nos outros. A incidência não é só nas políticas; é primeiro em teu coração, em tua consciência, por onde germina a paz. Depois, quando construímos confiança em nível comunitário, podemos entrar para  a construção de políticas culturais em nível municipal, em nível nacional.”

 

Incidência em políticas públicas

A ideia é que a partir das ações lúdicas e artísticas propostas nos processos, os/as jovens participem pró-ativamente da vida de sua comunidade e município, e com isso transformem sua situação e condição em nível familiar, comunitário, municipal e nacional.

Como resultado destes processos, vêm sendo impulsionadas políticas públicas de juventude e cultura em quatro municípios de Guatemala: Aguacatán, Chiantla, Villa Nueva e Quetzaltenango. Estas políticas estão aprovadas, em processos de gestão de orçamentos participativos ou implementando-se parcialmente nos municípios.

Em nível nacional, Caja Lúdica participa de redes em que convergem organizações da sociedade civil que buscam a aprovação de uma Lei Nacional de Juventude e a implementação da Política Nacional de Juventude 2012-2020.

Culturas Vivas Comunitárias

Nestes 17 anos de existência, o coletivo tem ajudado a formar a Rede Guatemalteca de Arte Comunitária, que conta com mais de 40 grupos. Seus processos organizativos também os levaram a formar, junto com organizações culturais dos países vizinhos, a rede Maraca- Movimiento de Arte Comunitario de Centroamérica, que posteriormente se articulou à Plataforma Puente de Cultura Viva Comunitaria.

Caja Lúdica impulsiona o Movimento de Culturas Vivas Comunitárias da Guatemala, aglutinando diversas organizações culturais do país que promovem o uso de espaços públicos e o sentido de comunidade, o cuidado da natureza, o fomento da criatividade, a reflexão, a recuperação da memória e os conhecimentos das/dos avós e povos originários.

Além das comparsas e brincadeiras de rua – expressões artísticas e culturais que rompem com o cotidiano e convidam a descobrir e reinventar –, promovem oficinas, encontros, festivais, feiras, intervenções artísticas e animação de eventos culturais. Entre suas montagens teatrais se encontram “La Feria” (sobre racismo e discriminação), “Zonas Rojas” (sobre equidade de gênero, prevenção da violência contra a mulher, resiliência, empoderamento), e “Lavado Completo” (sobre meio ambiente e tecnologia digital).

Também contam com o Editorial Ventana Abierta, para o desenho e mediação de módulos e guias de aprendizagem com metodologias lúdicas, artísticas e de educação popular; edição de spots de rádio e audiovisuais, e edição de vídeos com enfoque social. Também  oferecem consultorias em expressão artística, educação, direitos humanos e direitos culturais, memória histórica, cultura de paz, gestão de risco, arte como ponte para a saúde, prevenção da violência às mulheres e igualdade de gênero, água e saneamento.

É assim, brincando de ser gigantes, que eles buscam recuperar a espontaneidade do ser, dar alegria e esperança, possibilitar novas maneiras de ver e desfrutar a vida. Nas palavras de Doryan Bedoya: “O lúdico e a arte fazem magia, despertam as pessoas, dão a elas consciência”.

 

Saiba mais sobre Caja Lúdicahttp://www.cajaludica.org

 

 

(*Texto publicado na seção “Experiências” em 8 de janeiro de 2019)

Tags |

19

Jul
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Projeto Luis de Lión: enlaçando presente, passado e futuro, compartilhando sonhos

Em19, Jul 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Na aldeia San Juan del Obispo (município de La Antigua Guatemala, departamento de Sacatepéquez) funciona desde 2004 um projeto criado pela comunidade com a proposta de enlaçar presente, passado e futuro, e validar o direito à vida, aos sonhos, à alegria e à esperança: o Projeto Luis de Lión.

Formada por três componentes – Casa Museu, Biblioteca Comunitária e Academia de Arte –, a iniciativa busca reivindicar os ideais do escritor Luis de Lión por meio de ações concretas para a formação de crianças e jovens da área rural de Guatemala. Sua missão é contribuir com o desenvolvimento cultural e educativo através da promoção da leitura e do amor às artes, tomando como eixo central o resgate da memória histórica e o cuidado do meio ambiente.

Nascido em San Juan del Obispo em 1939, José Luis de León Díaz (ou Luis de Lión, como assinava seus livros) foi um dos mais importantes escritores guatemaltecos da segunda metade do século XX. Além de poeta, foi dirigente sindical e professor primária. Como educador popular, iniciou um programa de alfabetização e promoção da leitura em sua aldeia natal que até hoje, 34 anos após sua morte, inspira os trabalhos na biblioteca da comunidade.

Esforço coletivo

“Luis de Lión era um artista, um ser humano orgulhoso de seus antepassados e sua origem. Foi sequestrado em 1984 por elementos do Exército da Guatemala, pelo delito de ser um educador e expressar-se através da palavra”, afirmou Mayarí de León, filha do escritor e diretora do projeto, no último dia 8 de julho, durante a visita dos representantes dos países integrantes de IberCultura Viva, como parte da programação da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental na Guatemala.

“No ano de 2004, o Estado da Guatemala reconheceu oficial e publicamente sua responsabilidade na desaparição forçada, e iniciou um processo de reparação social, comprometendo-se a construir um centro cultural neste lindo lugar, rodeado de montanhas e vulcões. Também se comprometeu a nos entregar seus restos mortais para que pudéssemos sepultá-lo de acordo com nossos costumes, o que segue pendente”, destacou.

O acordo foi firmado em março de 2004, mês em que se criou o Projeto Luis de Lión. Desde então, a iniciativa segue graças ao esforço coletivo das pessoas da comunidade, segundo a diretora. “Com muito trabalho diário, fomentando o amor pela leitura e pelos livros, semeando criatividade no coração dos meninos e meninas através da música, do teatro e da pintura, contribuímos para a reconstrução de nosso tecido social esperando ver o renascimento de uma cultura de paz, que aqui não é um slogan, não é um discurso político, partidário ou eleitoreiro, e sim uma realidade”.

Três pontas

Uma das três partes do projeto, a Academia Comunitária de Arte de San Juan del Obispo oferece formação artística a crianças e adolescentes da aldeia e comunidades vizinhas. Embora seja especializada em marimba, também conta com aulas de violino, violão, desenho e pintura, e com um grupo de teatro comunitário integrado por jovens. Os concertos de música e as apresentações teatrais servem para arrecadar fundos para o projeto. O principal grupo resultado deste trabalho é “Marimba de Concierto Brisa del Hunahpú”, formado pelos alunos que mais se destacam na Academia de Arte.

A Casa Museu Luis de Lión, por sua vez, toma como eixo a vida do homenageado para dar a conhecer as novas gerações o contexto histórico no qual este artista foi desaparecido, durante os anos mais duros do conflito interno armado, e mostrar como sua obra  transcendeu o tempo, a morte, as ideologias, os idiomas e os continentes. O espaço também recebeu contribuições de moradores da comunidade, o que propiciou o resgate da história da aldeia, uma das primeiras fundadas pelos espanhóis após a invasão a estas terras.

A terceira parte do projeto, a Biblioteca José Luis de León Díaz, dá prosseguimento à iniciativa fundada pelo próprio escritor em 1962, como um espaço que dispõe de material para pesquisa bibliográfica e  incentiva o gosto pela leitura e diferentes expressões artísticas. Além de consulta bibliográfica interna e para levar para casa, a biblioteca comunitária oferece assessoria para pesquisas, serviço gratuito de internet, contação de histórias, e outras atividades para promover a leitura na escola primária.

Primeiros passos

A bibliotecária Berta Baeza, de 25 anos, conta que Luis de Lión se dedicou a alfabetizar as pessoas da aldeia (seus companheiros de geração, que não haviam tido a oportunidade de estudar) inicialmente com a Bíblia, porque à época era o que mais lhes interessava ler. Como resultado foram formados círculos de leitura e estudo de temáticas como história universal, literatura e cultura geral, materiais que eram facilitados pela biblioteca pessoal de Luis de Lión e por outras pessoas da comunidade que se incorporaram a estas reuniões.

Por meio da biblioteca e do Comitê Cultural de San Juan del Obispo, Lión acertava apresentações na aldeia de grupos de títeres, teatro e música, e promovia rodas de conversa por parte de estudantes da Universidade de San Carlos sobre nutrição, saúde preventiva e reprodutiva. Também motivava os jovens a seguir com seus estudos, com a gestão de bolsas estudantis, e incentivava os pais de família a dar às filhas mulheres a oportunidade de estudar.

Este é o germe da biblioteca comunal de San Juan del Obispo, que desde 2004 tem sua manutenção a cargo do Projeto Luis de Lión. “Tudo que está aqui conseguimos a base de doações. E temos todo tipo de livro, literatura, medicina, psicologia, direito, gênero, família… Temos um pouco de tudo, e alguns jogos didáticos também, porque muitos dos meninos e meninas que vêm fazer o dever de casa aqui vêm com seus irmãozinhos. Enquanto eles fazem as tarefas, damos os jogos para os menores”, comenta Berta. “É muito bonito trabalhar aqui.”  

Impacto

Segundo Mayarí de León, o projeto tem impactado não apenas a comunidade de San Juan del Obispo. Vai além dela, o que lhes enche de orgulho e lhes traz o compromisso de seguir trabalhando, “seguir tocando portas, para crescer, permanecer e chegar a ser autossustentáveis”.

“Luis de Lión foi genial ao interpretar nossa realidade através de seus escritos. Por isso seu legado está vigente, seus sonhos são legítimos. Uma linda utopia com um longo caminho, cheio de obstáculos, mas também cheio de lindas satisfações e presentes como os resultados que vemos diariamente com os sorrisos e travessuras de nossas meninas e meninos”.

“Nesta Guatemala de mulheres e homens de maiz, em que nos reconstruímos todos os dias para não esquecer, no Projeto Luis de Lión fazemos o nosso, porque aqui estamos para defender a alegria. Para defender a alegria como uma trincheira, como um princípio, como uma bandeira, como um destino, como uma certeza, como um direito”, compara a diretora, citando o poema Defensa de la alegría, do uruguaio Mario Benedetti.

Ou como dizia outro poeta, o guatemalteco Otto René Castillo: “Aqui só queremos ser humanos, comer, rir, nos apaixonar, viver, viver a vida e não morrê-la”.

Mayarí de León: “O legado de Luis de León está vigente, seus sonhos são legítimos”

Saiba mais:

http://proyectoluisdelion.wordpress.com

Facebook Proyecto Luis de Lión

Tags |

11

Jul
2018

EmNotícias

PorIberCultura

9ª Reunião do Conselho Intergovernamental termina com a aprovação dos editais de 2018

Em11, Jul 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Fotos: Ministerio de Cultura y Deportes de Guatemala

 

O Palácio Nacional da Cultura, na Cidade de Guatemala, foi a sede do quarto e último dia da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental do IberCultura Viva. Após um passeio pelo edifício, inaugurado em 1943, os representantes dos 11 países integrantes do programa deram início ao primeiro dos debates previstos para esta terça-feira (10/07): as propostas de sinergia com outros programas da Cooperação Ibero-americana.

Os participantes do encontro debateram inicialmente a realização de um concurso elaborado em conjunto com Ibercocinas, Iber-Rutas e Ibe.TV para premiar receitas culinárias de comunidades migrantes da Ibero-América com histórias para contar.

O concurso “Sabor a Iberoamérica” tem o objetivo de contribuir para o fortalecimento da visão ibero-americana, dando visibilidade às experiências de interculturalidade que se dão entre comunidades migrantes por meio da cozinha como expressão da diversidade.

A intenção dos programas é selecionar propostas que contam uma receita de sua comunidade de procedência, a história por trás dela, e a forma em que esta receita se insere na comunidade que a acolheu dentro de uma experiência migratória.

Entrelaçando experiências

O outro projeto de sinergia discutido e aprovado pelo Conselho Intergovernamental durante a reunião na Cidade de Guatemala esta terça-feira foi “Entrelaçando Experiências em nível regional: Banco de Saberes e Ações de intercâmbio de saberes entre músicos e organizações culturais de base comunitária e povos indígenas”.

A proposta, realizada conjuntamente por IberCultura Viva e Ibermúsicas, busca fomentar em nível regional o intercâmbio de saberes horizontal entre organizações culturais de base comunitária e povos originários, a fim de difundir, potenciar e fazer circular os conhecimentos e experiências que os coletivos vão adquirindo e desenvolvendo dia a dia com seu trabalho territorial.

A ideia é que os projetos beneficiados com as Ajudas para a Mobilidade de Músicos e Residências Criativas para Compositores 2018 de Ibermúsicas realizem uma atividade formativa ou de transferência de saberes no país de destino. Essas atividades poderão fazer parte do Banco de Saberes e ser promovidas pelo projeto Entrelaçando Experiências.

Ato público

Terminada a discussão sobre as propostas de sinergia com os programas de cooperação, houve um ato público com palavras do ministro de Cultura e Esportes de Guatemala, José Luis Chea Urruela; da diretora geral de Desenvolvimento Cultural e Fortalecimento das Culturas, Rosa María Tacán; do diretor de Análise de Cooperação da Secretaria de Planejamento da Presidência (Segeplan), Oliver Jonathan Avalos, e do representante da presidência do IberCultura Viva, Diego Benhabib.

A agenda do dia seguiu com a discussão e aprovação das próximas convocatórias que serão lançadas por IberCultura Viva. O Conselho Intergovernamental aprovou, entre outras propostas, a realização de um concurso de videominuto com temática de línguas originárias, relacionado a um trabalho que a Guatemala vem levando adiante com a UNESCO, com o objetivo de revitalizar e salvaguardar as línguas dos povos originários.

Este será o terceiro concurso de vídeo promovido pelo programa. O primeiro foi “Mulheres, culturas e comunidades” (2016), que teve como objetivo dar visibilidade à contribuição fundamental das mulheres para a cultura e organização comunitária, e o segundo, “Comunidades Afrodescendentes: Reconhecimento, Justiça e Desenvolvimento” (2017), lançado em parceria com o Escritório de Representação da UNESCO no Brasil como uma das ações promovidas no âmbito da Década Internacional para os Afrodescendentes (2015-2024).

Apoio a redes

O último tema que os representantes governamentais de Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, Peru e Uruguai debateram na 9ª Reunião foi o edital para apoio de redes e de trabalho colaborativo de organizações culturais comunitárias e de povos originários.

Foi aprovado um recurso de 85 mil dólares para este edital, que tem como objetivo fomentar e fortalecer o trabalho e a articulação das organizações culturais comunitárias e dos povos originários no âmbito ibero-americano a partir do apoio para a realização de eventos de alcance municipal, estadual, nacional e/ou regional.

 

Leia também:

Propostas de apoio e modificações do regulamento são debatidas no terceiro dia da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental

Visitas a espaços culturais marcam o segundo dia da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental na Guatemala

Começa na Guatemala a 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental

 

 

Tags | , ,

10

Jul
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Propostas de apoio e modificações do regulamento são debatidas no terceiro dia da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental

Em10, Jul 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Fotos: Ministerio de Cultura y Deportes de Guatemala

 

Representantes dos 11 países integrantes do programa IberCultura Viva participam da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental que se realiza na Guatemala desde sábado (07/07). As atividades terminam nesta terça-feira (10/07), no Palácio Nacional da Cultura, na Cidade de Guatemala, com a discussão e aprovação dos editais e concursos que o programa lançará este ano.

Nesta segunda-feira, as discussões em Antigua Guatemala se deram sobre temas diversos, desde o apoio do programa aos Congressos Latino-americanos de Cultura Viva Comunitária até a aprovação de modificações no regulamento para adaptar IberCultura Viva ao novo Manual Operativo dos Programas, Iniciativas e Projetos Adscritos da Cooperação Ibero-americana (2016).

Apoio ao 4º Congresso

O 4º Congresso Latino-americano de CVC, que será realizado na Argentina em maio de 2019, foi um dos primeiros temas debatidos esta manhã pelo Conselho Intergovernamental. Eduardo Balán, coordenador geral da agrupação cultural El Culebrón Timbal e líder do coletivo Pueblo Hace Cultura, participou deste momento da reunião por videoconferência, representando a comissão organizadora do congresso.

Balán comentou as jornadas de planejamento que as organizações argentinas vêm promovendo para preparar o evento (cerca de 200 coletivos estão trabalhando nisso), e apresentou algumas propostas de apoio aos membros do Conselho. A ideia é que o congresso seja uma caravana começando em Mendoza, passando por Córdoba e Entre Ríos, e terminando na cidade de Buenos Aires. O lema desta edição será  “Territórios para o bem viver”.

 

Rede de governos locais

Outro tema discutido esta manhã foi apresentada a proposta de mecanismos de adesão à Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais, desenhada em relação a um dos objetivos do grupo de trabalho (GT) que se conformou em novembro de 2017, em Quito (Equador), ao final do 2º Encontro de Redes IberCultura Viva. Este encontro, realizado durante o 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, contou com representantes de governos de uma província (Entre Ríos, na Argentina) e 11 municípios: Córdoba e Devoto (Argentina), Niterói (Brasil), Medellín (Colômbia), Zapopan e Cherán (México), Ibarra (Equador), Canelones e Montevidéu (Uruguai), La Molina e Lima (Peru).

A Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais tem como objetivo geral fortalecer e fomentar o desenvolvimento de políticas culturais de base comunitária em nível local. Entre seus objetivos específicos se encontram o estabelecimento de uma rede de intercâmbio e cooperação entre governos locais (municipais ou estaduais) e o fomento a atividades de intercâmbio e cooperação entre redes e organizações culturais de base comunitária de diferentes cidades e estados/províncias.

Dias anteriores

No fim de semana, a programação da reunião na Guatemala incluiu visitas a espaços culturais e encontros com organizações culturais comunitárias em dois municípios do departamento de Sacatepéquez: Antigua Guatemala e Santa María de Jesús. Além dos representantes governamentais, estiveram presentes no primeiro dia do encontro cerca de 40 pessoas, representando 22 organizações guatemaltecas.

Estas Jornadas de Culturas Vivas Comunitárias que marcaram o início da programação da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental foram organizadas conjuntamente pelo Movimento de Culturas Vivas Comunitárias de Guatemala e pela Direção Geral de Desenvolvimento Cultural e Fortalecimento das Culturas do Ministério de Cultura e Esportes.

Tags | , ,

08

Jul
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Visitas a espaços culturais marcam o segundo dia da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental na Guatemala  

Em08, Jul 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Fotos: Ministerio de Cultura y Deportes de Guatemala

As Jornadas de Culturas Vivas Comunitárias, organizadas conjuntamente pelo Movimento de Culturas Vivas Comunitárias da Guatemala e a Direção Geral de Desenvolvimento Cultural e Fortalecimento das Culturas do Ministério de Cultura e Esportes, seguiram esta manhã com visitas a experiências de cultura viva nas comunidades guatemaltecas Santa Marìa de Jesús e San Juan del Obispo.

As atividades, que fazem parte da programação da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental, começaram no Parque Central de Santa María de Jesús com uma apresentação do grupo Las Curanderas, Teatro para Curar el Susto. A obra “Fiesta Convite” trata da violência que vivem as mulheres mayas Kaqchikeles na comunidade.

 

Em seguida, os participantes do encontro visitaram a Casa Museo Luis de Lión, em San Juan del Obispo. Luis de Leon (ou Luis de Lión, como preferia assinar seus livros) foi um importante escritor e educador popular guatemalteco, sequestrado/desaparecido pelo Exército em 1984. Em 2004, o Estado da Guatemala reconheceu sua responsabilidade pelo assassinato do poeta. Seu corpo nunca foi encontrado.

Nascido na aldeia de San Juan del Obispo, Leon, que além de escritor era professor primário, iniciou em sua comunidade um programa de alfabetização e promoção da leitura. Com a proposta de enlaçar presente, passado e futuro, e dar continuidade a seu legado, a comunidade criou um museu com sua história de vida e sua poesia, e uma escola de artes para crianças e jovens.

Informes e debates

Terminada a visita aos espaços culturais, os representantes governamentais voltaram a Antigua Guatemala para dar início aos debates da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental, com a apresentação dos informes de execução financeira do  programa. Também foram apresentados informes sobre as atividades desenvolvidas nos últimos meses, inclusive as ações de formação e o Curso de Pós-graduação de Políticas Culturais de Base Comunitária, organizado em conjunto com a Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO) – Sede Argentina.

 

Projeto Luis de Lión: enlaçando presente, passado e futuro, compartilhando sonhos

9ª Reunião do Conselho Intergovernamental termina com a aprovação dos editais de 2018

Propostas de apoio e modificações do regulamento são debatidas no terceiro dia da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental

Visitas a espaços culturais marcam o segundo dia da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental na Guatemala

Começa na Guatemala a 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental

Tags | , ,

08

Jul
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Começa na Guatemala a 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental

Em08, Jul 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Fotos: Ministerio de Cultura y Deportes de Guatemala

 

Uma oferenda de agradecimento à Mãe Terra deu início à Jornada de Culturas Vivas Comunitárias que abriu a programação da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental do Programa IberCultura Viva, este sábado de manhã na cidade de Antigua Guatemala.

Além dos representantes dos governos dos países integrantes do programa, estiveram presentes no primeiro dia do encontro cerca de 40 pessoas, representando 22 organizações culturais comunitárias guatemaltecas.

As Jornadas de Culturas Vivas Comunitárias foram organizadas conjuntamente pelo Movimento de Culturas Vivas Comunitárias da Guatemala e a Direção Geral de Desenvolvimento Cultural e Fortalecimento das Culturas do Ministério de Cultura e Esportes.

As atividades começaram no Palacio de los Capitanes com uma invocação realizada por Marco Antonio Juárez e palavras de boas-vindas de Rosa María Tacán, diretora geral do Desenvolvimento Cultural e Fortalecimento das Culturas do Ministério de Cultura e Esportes da Guatemala; de Mariela Aguirre, representante da organização Caja Lúdica, e de Diego Benhabib, por parte da presidência do IberCultura Viva.

Atividades lúdicas, dinâmicas de integração e rodas de conversas sobre avanços e desafios do Movimento de Culturas Vivas Comunitárias estiveram na agenda das organizações durante o dia.

Puntos de Cultura

A sessão no palácio terminou com apresentações sobre as experiências governamentais de três países em torno das políticas culturais de base comunitária. Diego Benhabib (Argentina), Estefanía Lay Guerra (Peru) e Alexander Córdova (El Salvador) falaram dos programas de Pontos de Cultura (em espanhol, Puntos de Cultura) implementados em seus países, e da experiência de trabalho conjunto entre Estado e sociedade civil.

A programação do primeiro dia também contou com um festival no Parque Central de Santa María de Jesús, com apresentações de canto maya Kaqchikel (por Chumilkaj Nicho), poesia LGBTIQ (por Manuel Tzoc), música maya de resistência (por Lucia Ixchiu, Festivales Solidarios) e rock maya (Baqtun Cero).

As Jornadas de Culturas Vivas Comunitárias seguem neste domingo com visitas a espaços culturais das comunidades de Santa María de Jesús (onde está prevista uma apresentação do grupo “Las Curanderas, teatro para curar el susto”) e San Juan del Obispo, onde está a Casa Museo Luis de Leon.

Tags | , ,

02

Jul
2018

EmNotícias

PorIberCultura

9ª Reunião do Conselho Intergovernamental: encontro com organizações abrirá os 4 dias de trabalho na Guatemala

Em02, Jul 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

Será realizada entre os dias 7 e 10 de julho, na cidade de Antigua Guatemala, a 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental do Programa IberCultura Viva. Está prevista a participação de representantes dos 11 países integrantes do programa (Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, Peru e Uruguai) e da equipe da Unidade Técnica.

A programação do fim de semana inclui uma reunião do Movimento de Culturas Vivas Comunitárias, uma roda de conversa sobre experiências governamentais da Argentina, de El Salvador e do Peru, e visitas a experiências de cultura viva nas comunidades guatemaltecas Santa Marìa de Jesús e San Juan del Obispo. As jornadas iniciais foram organizadas em conjunto pela Direção Geral de Desenvolvimento Cultural e Fortalecimento das Culturas, do Ministério de Cultura e Esportes da Guatemala, e a Rede Guatemalteca de Cultura Viva Comunitária.

Além de uma revisão dos avanços do Plano Operativo Anual (POA) de 2018, esta reunião marcará o início dos trabalhos sobre o POA 2019. Também serão apresentados informes sobre as atividades desenvolvidas durante este ano, os editais e concursos realizados, as atividades de formação promovidas pelo programa, e os avanços do grupo de trabalho de governos locais formado no 2º Encontro de Redes IberCultura Viva, realizado em Quito (Equador), em novembro de 2017.  

Outro tema que faz parte da agenda na Guatemala é a discussão e aprovação de algumas modificações no regulamento do programa para adaptá-lo ao novo Manual Operativo dos Programas, Iniciativas e Projetos Adscritos da Cooperação Ibero-americana (2016). A programación terminará com o debate e a aprovação dos editais IberCultura Viva de 2018.

 

Tags | , , ,

30

May
2018

EmNotícias

PorIberCultura

Guatemala será sede da 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental

Em30, May 2018 | EmNotícias | PorIberCultura

A 9ª Reunião do Conselho Intergovernamental do programa IberCultura Viva será realizada entre os dias 7 e 10 de junho no município de Antigua Guatemala, no departamento de Sacatepéquez. Além de uma revisão dos avanços do Plano Operativo Anual (POA) de 2018, será iniciado o trabalho sobre o POA 2019.

O Palácio Nacional da Cultura, onde será realizada a 9ª Reunião do Conselho (Foto: Ministério de Cultura e Esportes da Guatemala)

Está prevista a apresentação de informes sobre as atividades desenvolvidas durante este ano, os editais e concursos realizados, e as atividades de formação promovidas pelo programa. Também serão discutidas algumas modificações no regulamento para adaptar o programa às orientações do novo Manual Operativo dos Programas, Iniciativas e Projetos Adscritos da Cooperação Ibero-americana (2016) e a aprovação dos editais de 2018, entre outros temas.

Espera-se a participação de representantes dos 11 países membros do Conselho Intergovernamental (Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, México, Peru e Uruguai), da equipe da Unidade Técnica e do diretor do Escritório Sub-regional para o Cone Sul da Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB), Alejo Ramírez.

A abertura do encontro, na manhã do dia 7, no Palácio Nacional da Cultura, estará a cargo do ministro de Cultura e Esportes da Guatemala, José Luis Chea Urruela, e de Rosa María Tacan, representante do país no programa IberCultura Viva e diretora geral de Desenvolvimento Cultural e Fortalecimento das Culturas do ministério.

Além disso, nos dias 9 e 10 de junho, os representantes dos países membros do programa participarão das Jornadas do Movimento de Culturas Vivas Comunitárias de Guatemala, organizadas em conjunto pela Direção Geral de Desenvolvimento Cultural e Fortalecimento das Culturas e a Rede Guatemalteca de Cultura Viva Comunitária, e que serão realizadas paralelamente à reunião.

Tags | , , ,