Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Notícias

16

May
2019

EmNotícias

Começa o 3º Encontro de Redes IberCultura Viva

Em16, May 2019 | EmNotícias |

Cerca de 30 pessoas participam do 3º Encontro de Redes IberCultura Viva, que começou esta manhã na Casa Victoria Ocampo, em Buenos Aires (Argentina). Estão presentes representantes de governos locais que contam com políticas culturais de base comunitária e representantes governamentais dos países membros do programa IberCultura Viva.

A jornada teve início com uma apresentação do mexicano Rafael Paredes Salas (Traza.mx) sobre seu “Guia de autoavaliação de políticas culturais de base comunitária”. O documento é resultado do projeto de pesquisa “Avaliação e fortalecimento das políticas culturais de base comunitária no Espaço Ibero-americano” e busca servir como ferramenta útil e acessível para governos locais e regionais com interesse em rever ações e construir uma agenda participativa, colaborativa e intersetorial.

O guia foi elaborado com a contribuição das organizações Abraza La Consti (México), Más Música Menos Balas (México), Circolo Circo Social (México), Crear Vale la Pena (Argentina), Red de Culturas Vivas Comunitarias (Costa Rica) e Plataforma Cultura Viva Comunitaria (Chile), e o acompanhamento da Unidade Técnica do Programa IberCultura.

Como explica Rafael Paredes, o exercício de autoavaliação busca motivar o diálogo das diferentes áreas de governo com o setor social, a academia e o setor privado. “Não é uma lista de tarefas a cumprir. Cada uma das ações propostas nesta ferramenta é um convite para reflexionar sobre o estado atual das políticas públicas com relação ao exercício dos direitos culturais”, comenta.

 

O “Guia de autoavaliação de políticas culturais de base comunitária” é uma reinterpretação do documento “Cultura 21: Acciones” , desenvolvido pela Comissão de Cultura da Red de Ciudades y Gobiernos Locales Unidos (CGLU) para facilitar aos governos locais a autoavaliação de suas políticas em relação com os compromissos da Agenda 21 da Cultura.

O documento de CGLU propõe diagnosticar participativamente um conjunto de 100 ações de política pública agrupadas em nove categorias. O guia apresentado por Rafael Paredes faz uma seleção de 69 ações do documento original que se relacionam diretamente com o desenvolvimento de políticas culturais de base comunitária. A seleção foi feita a partir das propostas e dos interesses expostos por organizações culturais comunitárias.

No processo de autoavaliação proposto, participantes de diferentes áreas do governo local, acadêmicos e organizações sociais e comunitárias devem revisar cada uma das 69 ações da guia e dar uma pontuação de 1 a 9 para avaliar seu desenvolvimento seu desenvolvimento no contexto local. Neste Encontro de Redes, além da apresentação do guia, foi proposto um exercício de autoavaliação com base na leitura do regulamento do programa IberCultura Viva.

 

**O 3º Encontro de Redes IberCultura Viva conta com transmissão ao vivo por Facebook: www.facebook.com/iberculturaviva/