Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Destaque

16

Aug
2019

EmDestaque
EDITAIS
Notícias

Entrelaçando Experiências: conheça as propostas de intercâmbio selecionadas no edital

Em16, Aug 2019 | EmDestaque, EDITAIS, Notícias |

Treze propostas de organizações e coletivos culturais que se apresentaram como comunidades anfitriãs para receber intercâmbios em seus territórios foram selecionadas no Edital IberEntrelaçando Experiências, lançado pelo programa IberCultura Viva em dezembro de 2018. As capacitações serão realizadas em oito países membros do programa, neste segundo semestre de 2019.

As 13 comunidades anfitriãs selecionadas garantirão hospedagem, alimentação e traslados dentro do território local para as pessoas facilitadoras convidadas, assim como a divulgação e a produção da atividade. O programa IberCultura Viva se encarregará da compra de passagens aéreas e seguros de viagem. 

 

Duas etapas

O Edital IberEntrelaçando Experiências foi organizado em duas etapas: uma para construir e dar visibilidade a um banco de saberes da cultura comunitária no Espaço Ibero-americano, e outra para apoiar a mobilidade destas experiências em outras comunidades.

Na primeira etapa, que teve inscrições abertas de 10 de dezembro de 2018 a 15 de março de 2019, 25 propostas de 9 países foram habilitadas. Um banco de saberes foi publicado na página web www.iberculturaviva.org com estas capacitações e espaços de intercâmbio que organizações e coletivos de cultura comunitária dos países ibero-americanos puseram à disposição para compartilhar com outros coletivos.

A segunda etapa, para a seleção das comunidades anfitriãs, esteve aberta de 15 de maio a 30 de junho de 2019 na plataforma Mapa IberCultura Viva. Nesta fase, organizações de cultura comunitária dos países membros do IberCultura Viva puderam escolher que propostas do banco de saberes queriam receber em seus territórios. Foram habilitadas 23 postulações de Argentina (3), Brasil (3), Chile (1), Cuba (1), Equador (1), México (7), Peru (3) e Uruguai (4). 

 

A seleção

Algumas oficinas foram solicitadas por mais de uma organização. Para a seleção foram levados em conta critérios como a trajetória em projetos relevantes para a área cultural, especialmente em temas relacionados com a organização comunitária, o desenvolvimento de políticas, a construção de cidadania e a valorização de identidades culturais.

Na seleção também se buscou que ao menos uma organização por país integrante do programa recebesse uma oficina como comunidade anfitriã (acolhendo um projeto em seu território) e oferecesse algum saber a outro país (com pessoas facilitadoras viajando com as passagens pagas pelo programa). No entanto, nem todos os países apresentaram propostas para ir e vir. Os países que tiveram dois projetos de comunidades anfitriãs selecionados foram os que apresentaram maior número de propostas – e cujos projetos, além de contemplar a diversidade regional e temática, obtiveram maior pontuação na avaliação. 

No caso do Brasil, para receber o apoio, é necessário que as organizações selecionadas estejam incluídas na Rede Cultura Viva. Caso as entidades/coletivos ainda não estejam cadastradas nesta plataforma da rede de Pontos de Cultura, elas devem fazer esse registro e encaminhar à Unidade Técnica o comprovante do “cadastro realizado”, por meio do correio eletrônico programa@iberculturaviva.org.

 

 

Confira a lista de projetos selecionados:

Informação aos interessados 2 – Etapa de seleção – Edital IberEntrelaçando Experiências – resultado

Conheça as propostas:

 

  1. ARGENTINA 

As organizações Mujeres de Artes, Centro lekotek Argentina e Creche Espacio Cultural recebem “Baila a tu manera, el cuerpo como texto”, de Akántaros Asociación Cultural (Espanha)

Quem viaja:

Dance à tua maneira (Espanha)

Pessoa facilitadora: Laura Anahí Fernández Szwarc

Organização responsável: Akántaros Asociación Cultural

A proposta “Dance à tua maneira, o corpo como texto” consiste em gerar um laboratório em que se reflexione e se coloque em prática a dança como manifestação de desfrute e o corpo como texto. Uma ocasião para bailar sem fronteiras de idade, fisionomia corporal ou aptidões físicas. A experiência quer oferecer a seus participantes algumas ferramentas para descobrir e fortalecer um canal de comunicação e expressão.

Quem recebe:

Três coletivos/organizações culturais comunitárias da Argentina se propuseram como comunidades anfitriãs da proposta oferecida por Akántaros Asociación Cultural no banco de saberes de IberEntrelaçando Experiências. A pessoa facilitadora, portanto, receberá uma passagem aérea de Madri para Buenos Aires para compartilhar sua experiência com Mujeres de Artes (“uma coletiva artivista para o empoderamento de mulheres e feminidades”); Centro lekotek Argentina (organização que há 29 anos trabalha para integrar crianças com necessidades especiais e em situação de risco social a suas famílias e à comunidade) e Creche Espacio Cultural (um “laboratório de ideias culturais” aberto desde 2013 em Arequito, Santa Fé). O intercâmbio será entre 1 e 14 de dezembro de 2019.

 

  1. BRASIL 

O Ponto de Cultura Caiçaras recebe o “Taller de cine comunitario para niños”, de CinemaTequio (México)

Quem viaja:

Pessoas facilitadoras: Eduardo Bravo Macías e Alejandra Domínguez

Organização responsável: CinemaTequio

CinemaTequio é um coletivo artístico que ministra oficinas de cinema comunitário para crianças, principalmente em comunidades indígenas do México e da América Latina. Com base nos relatos da tradição oral se elabora um roteiro que se converte em um curta-metragem. No processo, as crianças participam em postos técnicos ou artísticos, de acordo com seus interesses, que vão desde a formação do elenco até a integração da equipe técnica, como operadores de câmera, gravação de som direto, funções de produção, arte e direção. Ao longo de dois dias, se leva a cabo a produção (a gravação das cenas do curta-metragem) e nos dois últimos dias se realiza a pós-produção – edição, efeitos especiais digitais, elaboração de créditos, edição de som, etc – para culminar com a projeção do curta-metragem.

Quem recebe:

O Ponto de Cultura Caiçaras é uma organização não governamental fundada em 2013, em Cananeia (São Paulo, Brasil), e que desenvolve e/ou apoia projetos e programas participativos e colaborativos em diferentes áreas do conhecimento, em especial vinculados à educação formal e não formal, à cultura e ao meio ambiente, em busca da promoção do desenvolvimento sustentável. O intercâmbio com os mexicanos do Cinematequio se realizará com crianças indígenas e de comunidades quilombolas e caiçaras presentes no município de Cananeia. Estas oficinas de cinema comunitário buscam contribuir para a valorização da cultura e da identidade local. Data combinada: de 5 a 10 de outubro de 2019.

 

  1. CHILE 

A Agrupação Cultural Margot Loyola recebe “Ipadê Encuentros con Axé”, del Grupo Senzala Foz (Brasil)

Quem viaja:

Pessoas facilitadoras: Pedro Almeida e Mãe Edna de Baru

Organização responsável: Ile Aleketu Ijoba Bayo Ase Baru Orobolape (Grupo Senzala Foz)

Esta comunidade religiosa e sociocultural, também conhecida como Ilê Baru, foi fundada em 1994 na cidade de Foz do Iguaçu, por Mãe Edna de Baru (foto). No Ilê são realizadas ações como festividades a divindades de candomblé e umbanda, palestras, debates e rodas de formação sobre religiosidade afrodescendente, e atividades artísticas com temáticas e protagonismo negro. A proposta oferecida no banco de saberes inclui vivências e diálogos com agentes locais sobre os desafios da permanência e difusão das culturas afrodescendentes na Ibero-América. 

Quem recebe:

Agrupación Cultural Margot Loyola é uma organização cultural comunitária com 10 anos de trajetória, dedicada ao trabalho de pesquisa, documentação da cultura tradicional do Chile e do trabalho colaborativo através da arte. A expectativa em torno do intercâmbio é a de colocar em discussão e dar visibilidade à existência do povo afrodescendente chileno, e dar a conhecer a realidade de outros países quanto ao tema do reconhecimento e sua cultura. As atividades serão realizadas majoritariamente no setor de Tierras Blancas e em La Serena (Região de Coquimbo). Data combinada: de 9 a 13 de outubro.

 

  1. CUBA 

O Projeto Comunitário Granjita Feliz recebe “Juegos de ritmo, creación colectiva y arte comunitario”, de La Bombocova (Argentina)

Quem viaja:

Juegos de Ritmo – La Bombocova

Pessoas facilitadoras: Santiago Comin e Laura Rabinovich 

Organização responsável: Asociación Civil y Productora Artística La Bombocova

Com sede na cidade de Buenos Aires, La Bombocova leva mais de 25 anos de trajetória na criação de espetáculos, seminários e oficinas, e desde 2005 vem desenvolvendo a metodologia “Jogos de ritmo” para representantes do trabalho criativo em grupos. No banco de saberes, se propôs desenvolver combinadamente as propostas de seminários de “Jogos de ritmo” com as de “criação coletiva”. A metodologia busca fortalecer o desenvolvimento de processos grupais, de produção e trabalho, em uma proposta pedagógica integral em que o ritmo é o eixo principal e a brincadeira, a linguagem comum. 

Quem recebe

O Projeto Comunitário “Granjita Feliz”, de Guanabacoa (Havana, Cuba), desenvolve atividades artístico-culturais vinculadas à agricultura e ao meio ambiente. Com este intercâmbio com La Bombocova, busca uma possibilidade para ampliar seu universo de trabalho no espaço da interculturalidade. O encontro dos dois projetos permitirá a cada um assimilar as práticas e experiências que possam enriquecer sua visão artística, assimilar novos valores artísticos no âmbito da dança, da música e do teatro no espaço comunitário. Data combinada: de 16 a 21 de dezembro.

  1. EQUADOR 

O Festival del Sur recebe  “Ipadê Encuentros con Axé”, do Grupo Senzala Foz (Brasil)

Quem viaja:

Pessoas facilitadoras: Pedro Almeida e Mãe Edna de Baru

Organização responsável: Ile Aleketu Ijoba Bayo Ase Baru Orobolape (Grupo Senzala Foz)

Esta comunidade religiosa e sociocultural, também conhecida como Ilê Baru, foi fundada em 1994 na cidade de Foz do Iguaçu, por Mãe Edna de Baru. No Ilê se realizam ações como festividades a divindades de candomblé e umbanda, palestras, debates e rodas de formação sobre religiosidade afrodescendente, e atividades artísticas com temáticas e protagonismo negro. A proposta oferecida no banco de saberes inclui vivências e diálogos com agentes locais sobre os desafios da permanência e difusão das culturas afrodescendentes na Ibero-América. 

Quem recebe:

O Festival del Sur – Jornadas Internacionales de Arte y Cultura foi criado em 2001 no bairro La Magdalena como uma proposta para dar visibilidade às artes cênicas e à gestão cultural no Sul de Quito. Desde 2017 o festival está vinculado à população afro de Esmeraldas, principalmente a comunidade de Telembí. Com este intercâmbio se busca gerar aprendizagem e fortalecimento mútuo entre povos afrodescendentes da diáspora e outros através da ritualidade, oralidade, musicalidade e outras manifestações próprias de raigambre africana presentes em toda a América del Sur. Estão previstas atividades em Quito e Telembí, entre 17 e 26 de novembro de 2019.

 

  1. MÉXICO 

A organização Kundarí A.C. recebe “Diccionarios Audiovisuales Comunitarios”, de La Combi-arte rodante  (Peru)

Quem viaja:

Dicionarios Audiovisuais realizados por La Combi

Pessoas facilitadoras: Carolina Martín de Ramón e Teresa del Castillo Rovira

Organização responsável: La Combi-arte rodante

La Combi-arte rodante é uma associação cultural peruana criada em 2013 que leva a cabo atividades artísticas e projetos culturais com diferentes populações do Peru e da América Latina, organizando oficinas audiovisuais, de fotografia, artes visuais, animação, entre outras. As oficinas DAC (Dicionários Audiovisuais Comunitários) buscam trabalhar conjuntamente com as comunidades uma série de ações para fortalecer e revitalizar suas respectivas línguas originárias através do aprendizado de técnicas audiovisuais. 

Quem recebe:

Kundarí A.C. é uma organização civil de Atlixco (Puebla, México) que se dedica a ministrar oficinas e cursos para pessoas de poucos recursos e/ou indígenas, para que possam melhorar sua vida cultural, artística e econômica. O intercâmbio proposto se destina a crianças indígenas da etnia mixe-popoluca, assim como docentes e/ou líderes comunitários de Cabañas, Acayucan, Veracruz. A intenção é fortalecer e prestigiar o uso da língua materna (mixe-popoluca), assim como oferecer condições para que a própria comunidade possa replicar a experiência, inspirando outras atividades com fins similares. Data inicialmente combinada: de 19 a 23 de agosto de 2019.

 

  1. MÉXICO 

IMDEC recebe “Teatro social sobre cuestiones de género, sus raíces y sus transformaciones colectivas”, do Colectivo Mujeres de Fuego (Colombia)

Quem viaja:

Mujeres del Fuego

Pessoas facilitadoras: Ariane Denault Lauzier e Ingrid Osorio Castro

Organização responsável: Teatro del Presagio y Colectivo Mujeres de Fuego

Além de suas atividades de criação teatral, este grupo de teatro de Cali (Colômbia) exerce um trabalho de docência teatral e em comunidad. Alguns membros têm desenvolvido uma linha de trabalho criativo sobre temáticas de gênero e violência contra as mulheres, desenvolvida pelo Coletivo Mujeres de Fuego. Em sua proposta para o banco de saberes, o grupo oferece um laboratório teatral sobre gênero, adaptando várias técnicas do Teatro do Oprimido e outras linguagens artísticas (escrita, artes plásticas, performance). A ideia é explorar diferentes temas para chegar à criação de cenas baseadas em opressões de gênero.

Quem recebe:

O Instituto Mexicano para el Desarrollo Comunitario (IMDEC), fundado em 1963, tem como objetivo primordial aportar, a partir da educação e a comunicação popular, para a defesa do território e dos bens comuns, a refundação da democracia e a vigência plena dos direitos humanos em sua integralidade. Atualmente, estão sendo desenvolvidos no IMDEC três processos de educação popular e agroecologia em territórios distintos da zona metropolitana de Guadalajara (Jalisco). As mulheres têm sido as principais dinamizadoras destes processos, nos quais sobressaem as violências vividas (sexuais, econômicas, emocionais e psicológicas). Espera-se que este intercâmbio, a partir do Teatro do Oprimido, seja enriquecedor para o processo pessoal e coletivo, para que reflitam sobre seus contextos de opressão e possam gerar um processo de empoderamento coletivo acompanhadas de outras companheiras de territórios distintos. Data combinada: de 27 de outubro a 1 de novembro de 2019.

 

  1. PERU 

La Mancha Taller de Arte recebe “Taller de herramientas lúdicas para payasos terapéuticos”, de Codacc San Vicente (El Salvador)

Quem viaja:

Pessoa facilitadora: Rosa Adelaida Jovel

Organização responsável: Codacc San Vicente

A oficina de ferramentas lúdicas oferecida pela salvadorenha Rosa Adelaida Jovel (foto) busca compartilhar experiências e que as/os participantes encham ainda mais seu “baú lúdico”, aumentando o inventário de ferramentas criativas para a hora de interagir com crianças nas comunidades, especialmente nos setores vulneráveis. Os conteúdos incluem jogos de integração, relaxamento e expressão corporal, além de lendas e jogos tradicionales de El Salvador.

Quem recebe:

La Mancha Taller de Arte aposta na educação livre e nas artes expressivas para complementar a escolaridade de crianças e adolescentes. Com as atividades, os participantes melhoram a gestão de suas habilidades socioemocionais, a brincadeira e a exploração das possibilidades visuais. A proposta de intercâmbio se dará com adolescentes que pertencem a um entorno de risco social, com o propósito de lhes oferecer novas ferramentas para seu desenvolvimento socioemocional, a gestão de suas emoções e conflitos e para ampliar o horizonte de crescimento pessoal. A oficina lhes permitirá conhecer a história de conflito e transformação social de El Salvador, suas organizações de base comunitá e o trabalho que desenvolvem há décadas. Algo que não está nas aulas de história do colégio. Data combinada: de 20 a 29 de setembro de 2019.

 

  1. PERU

Asociación de Comunicadores Sociales PortaVoz Perú recebe “Ruedas tus fantasías”, do Projeto Comunitário Rodando Fantasías (Cuba)

Quem viaja:

Pessoas facilitadoras: César Ramón Irigoyen Milián e Gisell Perera González

Organização responsável: Proyecto Comunitario de Realización Audiovisual Infantil Rodando Fantasías/ Red Cámara Chica

Rodando Fantasias é um projeto comunitário que desde a cidade de Santa Clara (Villa Clara, Cuba) ensina crianças, adolescentes, e pais e/ou tutores deles, a realizar seus próprios filmes utilizando as novas tecnologias. A iniciativa inclui oficinas de roteiro cinematográfico, fotografia, linguagem de câmera, produção audiovisual, edição, voz e dicção e atuação diantes da câmera. O Festival Rodando Fantasias é o momento culminante do processo docente educativo, em que se mostra o aprendido e se socializa com outros centros comunitários Cámara Chica do país e realizadores profissionais que trabalham a temática infantil. 

Quem recebe:

A Asociación de Comunicadores Sociales PortaVoz Perú é uma organização cultural de Lima que iniciou suas atividades artístico-educativas em 2001, com um programa de “Oficinas de Cinematografia Escolar” dirigido a alunos de 11 a 17 anos. A partir de 2005, o projeto passou a se chamar “Escuelita de Cine” e se estendeu a comunidades de bairro populares, ampliando también seu público beneficiário para crianças a partir dos 5 anos. A proposta de intercâmbio com os cubanos de Rodando Fantasias será uma oportunidade de acolher em seu território uma experiência similar à sua, que lhes permita observar, experimentar e intercambiar uma nova metodologia de trabalho audiovisual e dinâmicas de animação, para a melhora criativa e tecnológica de suas oficinas de cinematografia escolar e de bairro. A oficina “Roda tuas Fantasias” será ministrada durante X Festival de Curtas-metragens Escolares e Juvenis e VII Mostra Internacional, entre 1 e 15 de novembro de 2019.

 

  1. URUGUAI 

O coletivo TierraNegra recebe “Raíces profundas”, do Centro Sociocultural Callejón de Hamel (Cuba)

Quem viaja:

Raíces Profundas

Pessoas facilitadoras: Jacqueline González Galano e Elias Aseff Alfonso

Organização responsável: Centro Sociocultural Callejón de Hamel

O Centro Sociocultural Callejón de Hamel foi fundado há 30 anos no Centro Havana. Ali se desenvolvem atividades gratuitas, como rumba, música tradicional, e atividades infantis, programadas conforme os interesses da comunidade. O centro, com sua proposta, trata de compartilhar os saberes etnográficos utilizando a arte como suporte explicativo e inclusivo. Com o projeto “Raízes profundas” pretende-se ministrar oficinas de dança, percussão e artes plásticas, incluindo a montagem de uma instalação com tronos alegóricos por cada orixá ou deus do panteão iorubá.

Quem recebe:

TierraNegra é um coletivo de Fray Bentos (Río Negro) que trabalha com gestão cultural, principalmente no âmbito da cultura ancestral de candombe, e que em março de 2019 foi reconhecido como “Ponto de Cultura” pela Direção Nacional de Cultura do Uruguai. A proposta de intercâmbio com os cubanos do “Callejón de Hamel” representa um festival sociocultural organizado a partir da gestão cultural coletiva e implica a itinerância de algumas atividades por espaços comunitários e/ou educativos de Montevidéu, Canelones, Soriano, Paysandú e Río Negro, entre 23 de novembro e 10 de dezembro de 2019.

 

  1. URUGUAI 

A Cooperativa Nación Zumbalelé recebe “Enseñanza de la música de gaitas y cantos tradicionales del Caribe Colombiano”, da Fundación Mi Gaita de San Jacinto Bolivar (Colômbia)

Quem viaja:

Fundación Mi Gaita

Pessoa facilitadora: Rafael Pérez García

Organização responsável: Fundación Mi Gaita de San Jacinto Bolívar

A Fundación Mi Gaita de San Jacinto Bolívar é uma organização sem fins lucrativos que trabalha pela preservação das expressões culturais do Caribe colombiano, a conservação do patrimônio material e imaterial, e o cuidado com o meio ambiente. Sua proposta para o banco de saberes tem o objetivo de formar grupos de música de gaitas e tambores mediante a pedagogia da tradição oral. A música de gaitas e tambores e os cantos tradicionais (décimas, versos, zafra, vaquería) constituem manifestações culturais desenvolvidas por mais de cinco gerações nos Montes de María. 

Quem recebe:

A Cooperativa Nación Zumbalelé, de Salinas (Canelones), trabalha no âmbito da educação, dos espectáculos artísticos e do carnaval, a partir da cultura patrimonial do candombe. Uma vez que no Uruguai é muito popular a cumbia, mas pouco se sabe das origens e fundamentos da cumbia na Colômbia, com este encontro se pretende fortalecer a identidade dos povos americanos através de seus valores comuns, dando a conhecer as pessoas, como vivem, sua visão da história, suas danças, músicas, crenças e instrumentos. O intercâmbio será realizado durante o Fórum e Festival Nazoombit 7, entre 26 de novembro e 8 de dezembro de 2019.

 

 

Tags | ,