Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Notícias

27

Sep
2019

EmNotícias

IV Seminário Internacional de Cultura Viva Comunitária: 4 dias de conversas, oficinas e apresentações em Lima

Em27, Sep 2019 | EmNotícias |

De 2 a 5 de outubro, no Teatro Municipal de Lima (Peru), se realizará o IV Seminário Internacional de Cultura Viva Comunitária, um espaço de encontro dedicado a conhecer, expor e debater as diferentes experiências culturais que vêm se realizando em bairros da cidade. 

Palestras, rodas de conversas, oficinas e apresentações artísticas estão entre as atividades programadas para os quatro dias do evento. Os três eixos de trabalho são: 1) Fortalecendo a gestão cultural comunitária; 2) Sistematização e evidência nos processos de cultura viva comunitária; 3) Legislação, políticas públicas e incidência.

Na quarta-feira (02/10), após a inauguração do seminário, serão apresentadas algumas experiências de organizações culturais comunitárias, com o tema “Aprendizagens para o fortalecimento da gestão cultural comunitária”.  “El Quijote y su Manchita” (Comas, Lima) estará representado por Eddy Ramos e Lis Pérez; el “Grupo Chaski” (Red de Microcines, Peru), por María Elena Benites; “Vichama Teatro” (Villa El Salvador, Lima), por César Escuza, e a ONG “Mandala” (Arequipa), por Fiorella Salazar.

À tarde, a roda de conversa “As organizações de cultura viva a partir de seus jovens” reunirá representantes das agrupações culturais “Urpicha” e “Haciendo Pueblo” (Comas, Lima), “Par Diez” (San Juan de Lurigancho, Lima) e “Antonio Gálvez Ronceros” (Chincha, Ica). Em seguida, o tema será “Vozes: Cultura viva comunitária e deficiência”, com Kinesfera Danza (Lima), Accecine (Lima), Teatro del Silencio (Lima), e Lima Antigua (Lima). A conferência da noite, às 19h30, estará a cargo do gestor cultural Ernesto “Lalo” Paret (Argentina).

A programação do segundo dia começa com uma apresentação da memória do I Congresso de Políticas Públicas para a Cultura Viva Comunitária (2018), seguida do painel “Experiências: Sistematização e geração de evidência em processos culturais”. Carlos La Rosa, diretor de Artes do Ministério de Cultura do Peru, apresentará o “Estudo de caracterização de Pontos de Cultura”. Roberto Guerra Veas (Chile), fundador da Escuela de Gestores y Animadores Culturales – EGAC, fará a conferência da quinta-feira (03/10).

Na sexta-feira (04/10), dia em que se terá como eixo “Legislação, políticas públicas e incidência”, as mesas da manhã serão “Vozes: LGTBIQ+ e incidência cultural comunitária” e “Vozes: Cultura viva comunitária e povos originários”. À tarde, será a vez de “Processos: Mulheres e incidência cultural comunitária”, com Anabelí Pajuelo, da agrupação cultural “Pukllay”; Amy Ayllón e Madeleine Torres, de “Yemayá”; Janeth Gutarra, de “Lunasol”, e uma representante de “Mujeres de Arena”. 

Depois, a mesa “Processos: Redes e propostas normativas para a incidência cultural” terá a participação de Efraín Agüero, da Red de Organizaciones Culturales y Artísticas de Villa María del Triunfo (ROCA); Manuel Cabanillas, da “Red Cultural de San Juan de Lurigancho”, e de voceros/as da Plataforma de Cultura Viva Comunitaria e da Alianza Peruana de Organizaciones Culturales (APOC).

A costa-ricense Fresia Camacho fará a conferência da sexta-feira. Diretora de Cultura do Ministério de Cultura e Juventude de Costa Rica no período 2014-2018, Fresia é uma das impulsoras do movimento de cultura viva comunitária em seu país e pesquisadora de processos culturais comunitários na América Latina. 

Para o sábado (05/10), último dia do encontro, estão previstos a roda de conversa “Processos: Construção do V Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária no Peru 2021” e duas plenárias para a construção e leitura de reflexões e conclusões do IV Seminário Internacional de Cultura Viva Comunitária. Uma festa cultural, com apresentações de música, teatro e dança, encerrará a programação na Plazuela de las Artes.

O IV Seminário Internacional de Cultura Viva Comunitária é organizado pela Municipalidade de Lima, em parceria com o Ministério de Cultura do Peru e a Oficina de Representação da UNESCO em Lima. A cidade é uma das integrantes do Grupo de Trabalho de Governos Locais de IberCultura Viva, formado em 2017 em Quito (Equador) com a missão de construir um marco regulatório e um plano de ação para a Rede IberCultura Viva de Cidades e Governos Locais.

 

Para inscrever-se nas oficinas: http://bit.ly/2lXTA9k

Para ver  a programação completa: http://bit.ly/2kObsTR