Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

EDITAIS

14

Mar
2017

EmEDITAIS
Notícias

Fortalecendo os processos locais: conheça os ganhadores do Edital de Apoio a Redes

Em14, Mar 2017 | EmEDITAIS, Notícias |

Dois encontros metropolitanos de Cultura Viva Comunitária, duas festas nas ruas, uma mostra de cinema e direitos humanos para crianças e adolescentes, uma noite de tambores de maracatu prévia ao carnaval. Um intercâmbio de saberes entre organizações de territórios indígenas, uma capacitação para camponeses para a multiplicação e o resguardo de sementes, um encontro de mulheres trabalhadoras da cultura, um encontro de criação artística colaborativa dirigido a jovens de diferentes culturas para a conservação da biodiversidade. Dez propostas muito diversas que mostram a amplitude do comunitário quando se trata da relação entre cultura e território, entre cultura e identidade.

Os 10 projetos, apresentados por redes de oito países, foram selecionados entre os 84 inscritos na categoria 2 do Edital de Apoio a Redes IberCultura Viva 2016. O edital, que esteve aberto entre 19 de setembro e 1 de dezembro de 2016, teve 20 ganhadores: 10 na categoria 1, dirigida a eventos preparatórios para o 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, e 10 na categoria 2, dedicada ao apoio para a realização de eventos de redes de cultura de base comunitária municipais, provinciais, nacionais ou regionais. Cada projeto receberá um valor máximo de US$ 5 mil.

Podiam participar da categoria 2 propostas de encontros, congressos, seminários, festivais, feiras, colóquios e simpósios, a ser realizados entre 1 de fevereiro e 31 de outubro de 2017, com entrada livre e gratuita. A intenção do edital era apoiar eventos produzidos por redes compostas por ao menos cinco organizações e/ou coletivos culturais, com vistas a fortalecer a gestão cultural local e fomentar, enriquecer e/ou visibilizar produções de base cultural comunitária tanto no campo artístico como para a construção de cidadania e da valorização das identidades dentro do Espaço Cultural Ibero-americano.

Saiba quais foram as propostas vencedoras da categoria 2.
CATEGORIA 2

  1. Red Cultural Chacras de Coria y Luján de Cuyo – Asociación Civil Chacras Para Todos (Argentina)

A proposta apresentada pela rede argentina foi a realização do Festival Aniversario Red Cultural, em Chacras de Coria (Luján de Cuyo, Mendoza). O evento, que será realizado de 23 a 25 de junho de 2017, é aberto ao público e tem seu conteúdo estruturado em três eixos: a) Formação cultural e organizativa; b) Integração com a comunidade e intercâmbio de saberes; c) Registro e comunicação.

Entre as atividades previstas estão a oficina “Descolonização do corpo”, a cargo do boliviano Iván Nogales (Teatro Trono – Fundación Compa); a palestra “Organizações e seu protagonismo na vida cultural de sua comunidade”, ministrada pelo brasileiro Célio Turino; uma oficina de formação para vizinhos (máscaras; artesanato em papel, bordado, bailes tradicionais); o circuito cultural “Artistas de portas abertas”, além de apresentações diversas (música, teatro, dança, contação de histórias, etc), uma exposição e uma feira de artesãos e microempreendedores na praça distrital.

 

Integrantes da Red Cultural Chacras de Coria

 

 

  1. Red de Gestoras y Productoras Culturales Chile – Comunidad Multidisciplinaria de Producción Cultural Nekoe (Chile)

O 1º Encontro Nacional de Mulheres Trabalhadoras da Cultura e das Artes, marcado para os dias 4, 5 e 6 de julho em Santiago, busca ser um espaço de convergência de organizações e redes lideradas por mulheres com o desenvolvimento de oficinas, conferências e fóruns participativos. Também estão previstas uma feira expositiva das organizações participantes, mesas de trabalho colaborativo, almoços comunitários, apresentações artísticas, concertos e uma festa de encerramento. O evento será realizado no Centro Cultural Gabriela Mistral, com atividades complementares no Centro de Eventos El Clan, entre outros espaços associados à rede.

A ideia é criar instâncias participativas de trabalho e articulação nas seguintes temáticas: o trabalho cultural como ferramenta de transformação social; o trabalho em rede, território e identidade; autogestão e colaboração pública; economia criativa, gestão cultural e trabalho associativo; direitos laborais e sociais para as mulheres trabalhadoras da cultura; ativismo cultural; políticas culturais e modelos latino-americanos de cultura e colaboração; estratégias e metodologias colaborativas para a sustentabilidade dos projetos culturais; matriarcado e ecofeminismo como solução para a crise econômica e social do planeta.

  1. Red de Cultura Viva Comunitaria Jalisco – La Otra Cara de la Ciudad A.C (México)

O Encontro Metropolitano de Cultura Viva Comunitária Jalisco 2017 reunirá organizações da área metropolitana do estado de Jalisco em abril, junho e setembro, nos bairros Santa Ana Tepetitlán (Zapopan), Colonia Polanco (Guadalajara) e Colonia Oblatos (Guadalajara). Nestes três encontros, a rede criada em 2014 promoverá rodas de conversas, oficinas, atividades artísticas e dinâmicas interativas, buscando ampliar as relações colaborativas entre as organizações de base e conscientizar acerca da necessidade de modelos de políticas públicas que reconheçam, afiancem e multipliquem iniciativas nas comunidades e territórios.  

O programa do Encontro Metropolitano se estrutura em “pensar, fazer e viver a cultura comunitária entre todos e todas”. Entre as atividades propostas estão mesas de intercâmbio de experiências, reflexão e debate e oficinas enfocadas em temáticas que fortaleçam a gestão cultural local, fomentem e construam mecanismos comuns para visibilizar produções de base cultural comunitária. Haverá oficinas relacionadas com a promoção, gestão, articulação em rede e os direitos das mulheres, das comunidades LGBT e das pessoas com deficiências.

Encontro de Cultura Viva em Jalisco, em 2014

 

  1. Red Gestores Culturales Bribris – Asociación Consejo de Agricultores Indígenas de Cabagra (Costa Rica)

Em abril, na província de Limón, será realizado um encontro de organizações dos povos bribri dos territórios indígenas de Cabagra e Talamanca. O intercâmbio estará centrado na troca de saberes sobre os ancestrais sistemas de produção bribri e seu significado simbólico, com o objetivo de fortalecer e ampliar os conhecimentos entre pessoas de ambos os territórios e refletir sobre suas implicações sociopolíticas e econômicas.

O evento incluirá uma excursão de campo com uma duração de seis días e se espera que ao menos 30 pessoas provenientes dos dois territórios (15 de cada) aproveitem o espaço de intercâmbio que se dará em Talamanca. Esta proposta nasce de uma rede de organizações de culturas vivas comunitárias de povos indígenas que vêm desenvolvendo processos com o Estado, assim como de maneira autônoma, em um contexto de lutas históricas pela salvaguarda de seus elementos identitários.

  1. Red Inclusiva NNA – Centro de Comunicación Virginia Woolf (Uruguay)

A Rede Inclusiva NNA articula organizações de distintos departamentos (estados) do Uruguai que trabalham pelos direitos de crianças e adolescentes, especialmente em contexto de vulnerabilidade e pobreza. Seu proyecto “Cine y DDHH para niñas, niños y adolescentes” se realiza dentro do Festival Internacional de Cine y Derechos Humanos de Uruguay – Tenemos Que Ver, um evento gratuito que promove os direitos humanos através da arte cinematográfica.

A proposta consiste em abordar diferentes problemáticas da vida cotidiana através do cinema, provocando reflexões e debates e buscando possíveis soluções para os conflitos, em um diálogo aberto, de respeito e intercâmbio. O evento prevê a realização de oficinas de “visionado” (em março, abril e maio), um encontro para elaboração de conceitos sobre cada material audiovisual selecionado (em maio), além do Concurso Nacional de Curtas-metragens: 1 minuto 1 direito” (aberto de março a junho) e a mostra de cinema dentro do festival (de 12 a 17 de junho). As atividades serão em Montevidéu e em cidades dos departamentos de Canelones e Maldonado.

  1. Comunidad Fiteca – Centro Cultural La Gran Marcha de los Muñecones (Perú)

Fiteca é a sigla para “Fiesta Internacional de Teatro en Calles Abiertas”, um espaço cultural importante de Lima Metropolitana que congrega mais de 20 mil pessoas em seus sete dias de atividades. Organizada há 15 anos, a festa tem como palco principal o setor da Balanza, no distrito popular de Comas, e conta com a presença de grupos nacionais e internacionais em uma série de apresentações de artes cênicas, musicais, plásticas etc. O intercâmbio com a comunidade se dá por meio de atividades como oficinas artísticas com as crianças dos bairros e a realização de murais por artistas plásticos vindos de todos os bairros de Lima.

A proposta selecionada no edital está voltada para a realização da 16ª edição do evento, de 1 a 7 de maio, no Parque Tahuantinsuyo (La Balanza), em Carmen Medio (La Pascana) e algumas ruas do distrito de Comas onde os vizinhos se organizam para realizar intervenções com os artistas convidados. Nesta semana de arte e cultura da 16ª FITECA se espera a participação de 40 grupos artísticos, a conformação de 12 comissões de vizinhos, artistas, gestores culturais e autoridades locais, o desenvolvimento de 15 oficinas e a realização de 45 murais nos bairros do setor.

FITECA 2016 (foto: Andrés Nolasco)

 

  1. Comunidad VEDI – Alacant Rock (Espanha)

A Comunidade VEDI (de Ventana a la Diversidad) é uma plataforma de criatividade colaborativa que conecta jovens do mundo através da arte e das novas tecnologias. Sua proposta enfoca o fortalecimento de capacidades para que os jovens possam se converter em agentes de mudança positiva a favor da diversidade, um espaço procomum digital intercultural e o fomento da cultura de base comunitária. A meta principal desta iniciativa é abrir um espaço de criatividade colaborativa entre as juventudes de diversas culturas e espaços naturais participantes na Comunidade VEDI. Este espaço será baseado em duas premissas: a coaprendizagem e a cocriação.

Para a consecução destas premissas, será organizado em maio o Primeiro Encontro Internacional Comunidade VEDI, com uma semana de duração, na costa do Golfo de Vizcaya (País Basco). Com o encontro espera-se que os/as jovens participantes reflitam e melhorem seus conhecimentos para se transformar em agentes que promovam iniciativas socioculturais em suas comunidades, busquem práticas que respondam às problemáticas relacionadas ao meio ambiente, e defendam a igualdade de gênero, a diversidade, a interculturalidade, a integração e o meio ambiente no Ibero-América.

  1. Rede para a “Noite para os Tambores Silenciosos de Olinda” – Sociedade Cultural e Carnavalesca Baquelivre Pernambuco (Brasil)

No dia 20 de fevereiro de 2017, os maracatus voltaram a se reunir para celebrar a 13ª edição da Noite Para os Tambores Silenciosos em Olinda. A cerimônia de origem religiosa, realizada sempre na segunda-feira que antecede ao carnaval, reúne 10 nações de maracatus de Pernambuco. O percurso tem início nos Quatro Cantos, considerada a encruzilhada mais antiga do Brasil, e termina no Largo da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de Olinda. Este ano, com o apoio do programa IberCultura Viva, o ritual teve transmissão ao vivo pela internet.

A proposta apresentada ao edital previa não apenas a transmissão ao vivo, mas também a realização de uma oficina de maracatu para alunos da comunidade de Rosário dos Pretos de Olinda e a exibição de dois curtas ou médias-metragens de temática afro-brasileira antes da cerimônia. Além de dar visibilidade ao  ritual, o projeto tem como objetivo fomentar a valorização e manutenção da cultura e tradição local do maracatu. 

Noite para os Tambores Silenciosos de Olinda (foto: Gaby Mendes)

  1. Red de Semilleros Campesinos Comunidades Ecologistas La Ceiba (Coecoceiba) – Amigos de la Tierras Costa Rica (Costa Rica)

A Red de Semilleros Campesinos reúne organizações ecologistas de mulheres camponesas, acadêmicos/as, organizações indígenas e ativistas pelos direitos humanos. Desde 1998 trabalha de forma autogerida e colaborativa em prol da defesa do conhecimento tradicional associado à biodiversidade e aos povos que a protegem. O projeto selecionado propõe a realização de encontros nacionais da rede em Cartago, entre março e agosto, com vistas a capacitar 30 camponeses/as para a multiplicação e o resguardo de sementes.

Propõe-se um mínimo de três encontros. No primeiro encontro serão transmitidos critérios técnicos e legais vinculados à produção de sementes. No segundo será realizado um inventário das espécies e variedades nativas de cada produtor e que poderia ser aportado à rede. No terceiro será feito um plano de reprodução destas variedades. O projeto tem entre seus objetivos a realização de um inventário das sementes dos sítios orgânicos dentro da rede, e a criação de um espaço coletivo de multiplicação de conhecimentos de base oral para a produção de sementes para a agricultura orgânica e rural.

  1. Plataforma de Cultura Viva de Lima Metropolitana – Asoc. de Comunicadores Sociales Porta Voz Perú (Peru)

O 3º Congresso Metropolitano de Cultura Viva Comunitária, proposto pela rede Plataforma de Cultura Viva de Lima Metropolitana, está marcado para 6 a 9 de abril em Independencia (Lima Norte). Além de atividades para a troca de saberes entre organizações culturais e a comunidade em geral (atendendo às problemáticas locais), estão previstos uma mesa de diálogo com representantes de redes culturais comunitárias das cinco regiões do Peru, um seminário sobre Cultura Viva Comunitária (CVC) dirigido a universitários e um fórum para a construção de políticas culturais locais com representantes dos governos locais.

Os congressos de CVC são organizados pelas agrupações, com espaços de debate e intercâmbio de ideias, apresentações artísticas, feiras e cortejos. Buscam convocar e articular as diferentes propostas que apostam na cultura feita pelo bairro e para o bairro, como as experiências desenvolvidas por grupos culturais independentes e autogeridos de teatro comunitário, música, danças folclóricas, circo social, muralismo, bibliotecas populares, meios alternativos, rádios de bairro, etc. O 1º Congresso Metropolitano de CVC foi realizado em 2014 em Villa El Salvador (Lima Sur), e o segundo em 2015, em Ate, Santa Anita (Lima Este).

Leia também:
Coletivos rumo ao Equador: os ganhadores do Edital de Apoio a Redes