Image Image Image Image Image
/ /
Scroll to Top

Para o Topo

Notícias

06

Mar
2018

EmNotícias

Na Costa Rica, a Municipalidade de Jiménez aprova a Política Cantonal Cultural

Em06, Mar 2018 | EmNotícias |

Texto: Comunicación Dirección de Cultura MCJ-CR
Foto: Federación de Municipalidades de Cartago

Desde 2017, a Federação de Municipalidades de Cartago e a Direção Regional do Ministério de Cultura e Juventude de Costa Rica – junto com a Municipalidade de Jiménez, o Conselho Municipal de Distrito de Tucurrique e grupos culturais da comunidade – trabalharam no projeto de formação para uma Política Cantonal Cultural no cantão (unidade administrativa) de Jiménez.

Esta política foi aprovada no dia 26 de fevereiro pela Municipalidade de Jiménez, para que o governo local possa orientar o desenvolvimento de planos e projetos culturais, assim como responder às necessidades das organizações que trabalham na área.

A política cantonal respeita os direitos culturais, entendendo a diversidade de culturas que contribuem para o desenvolvimento local. Assim, pode-se criar um espaço nas municipalidades de gestão cultural que permita incentivar e promover o resgate de tradições gastronómicas, de história, música e celebrações próprias da província.

“Para nós, é importante contar con este tipo de políticas públicas em cultura porque assim definimos o que queremos para o futuro, não apenas para nós agora, e sim para as novas gerações que vêm. Também serve para identificar todas essas coisas que temos no cantão que talvez passem despercebidas porque não estão determinadas em nenhuma parte”, comentou Lissette Fernández, prefeita de Jiménez.

São quatro os eixos de trabalho da Política Cultural de Jiménez: 1) Fortalecimento institucional para a gestão cultural cantonal; 2) Gestão da infraestrutura cultural cantonal; 3) Participação cidadã na gestão cultural cantonal; 4) Formação artístico-cultural.

No ano que vem, o governo local e a Federação de Municipalidades de Cartago desejam construir uma estratégia de capacitação focada em gerar destrezas na formulação, execução, avaliação e sistematização de projetos culturais. Uma estratégia de capacitação dirigida aos governos locais afiliados e as organizações culturais da região.

“A gestão cultural comunitária não pode nem deve recair somente nos governos locais. Esta é uma tarefa compartilhada, que busca potenciar a participação cidadã na definição, formulação, execução e avaliação de suas próprias iniciativas culturais, com o acompanhamento dos governos locais, instituições públicas, empresas privadas e demais atores envolvidos”, acrescentou Mario Camacho, sociólogo responsável pelo Escritório Regional de Gestão Cultural.

Atualmente, a maioria das municipalidades não conta com escritórios de gestão cultural. Por isso, foi solicitado aos prefeitos (via acordo do Conselho Diretivo da Federação) que designassem uma pessoa para assistir permanentemente às reuniões deste foro cultural durante 2017, a fim de motivá-los e convidá-los a criar políticas como estas em suas comunidades.

 

Fonte: www.dircultura.go.cr

 

Tags |